Cuidados - com - os - alimentos

Cuidados - com - os - alimentos

(Parte 7 de 9)

12) Palavras cruzadas

Objetivo da atividade Entender melhor os cuidados com os alimentos.

Conhecimentos prévios necessários

Conservação de alimentos; conceito e importância da higiene; práticas de higiene ambiental, pessoal e dos alimentos; definição de micróbios.

É bom consultar o texto de apoio “Cuidados com os alimentos”.

Procedimento

Os alunos deverão preencher os quadrados de acordo com as dicas para cada palavra.

Dicas:

1 – Local onde devem ser armazenados: carnes de boi, aves e peixes e sorvete.

2 – Os cuidados com os alimentos podem prevenir o aparecimento de doenças no...

3 – Seres vivos que podem prejudicar a saúde do homem e até matar.

4 – Limpeza. Prática que ajuda a prevenir doenças.

5 – Local onde devem ser armazenados: leite, ovos, algumas frutas e verduras.

6 – Deve estar sempre bem tampado e longe dos alimentos.

Respostas:

Abuse da criatividade e invente outras palavras cruzadas!

Processo pelo qual os nutrientes são transportados do intestino para a corrente sangüínea (5).

Incluem todos os produtos adicionados aos alimentos que podem auxiliar no processo de fabricação e preservação dos mesmos e/ou melhorar o paladar e a aparência destes. São os emulsificantes, aromatizantes, agentes defumantes, espessadores, humectantes, corantes, inibidores de bactérias etc. A maioria é controlada legalmente em todos os países (1).

Ato de alimentar-se. De maneira mais genérica, refere-se ao conjunto de refeições ingeridas durante um período. Também apresenta o mesmo significado de dieta.

Uma dieta equilibrada pode ser resumida em três palavras: variedade, moderação e equilíbrio. Variedade: significa comer diferentes tipos de alimentos pertencentes aos diversos grupos. Moderação: não exagerar nas quantidades de alimentos ingeridas. Equilíbrio: engloba as duas características citadas anteriormente, ou seja, consumir alimentos variados, respeitando as quantidades de porções recomendadas para cada grupo de alimentos (“comer de tudo um pouco”). Para facilitar o emprego desses princípios, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos criou a Pirâmide dos Alimentos (vide Pirâmide dos Alimentos).

Vide alimentação equilibrada.

Alimento que contém microorganismos prejudiciais à saúde, mas continua com cheiro, gosto e aparência normais. Pode causar problemas como diarréia, vômitos e até a morte.

Alimento que estava contaminado, mas no qual, com o passar do tempo, os microorganismos presentes se multiplicaram, mudando suas características organolépticas normais. Pode causar problemas como diarréia, vômitos e até a morte.

Todas as substâncias sólidas e líquidas que, levadas ao tubo digestivo, são degradadas e posteriormente usadas para formar e/ou manter os tecidos do corpo, regular processos e fornecer energia.

Alimentos que podem trazer benefícios médicos ou de saúde especí-ficos, incluindo a prevenção e o tratamento de doenças (14).ALIMENTOS FUNCIONAIS OU

Alimentos que possuem um processamento diferenciado com o objetivo de manter o conteúdo de fibra e nutrientes presentes nas camadas mais superficiais do grão. Ex: arroz integral, pão integral, etc.

Alimentos cuja deterioração em temperatura ambiente ocorre após um período de tempo relativamente longo. Ex: cereais, enlatados, farinhas, massas, leguminosas etc.

Alimentos sujeitos à deterioração em temperatura ambiente, num período relativamente curto. Ex: carnes, ovos, leite e derivados etc.

São alimentos modificados geneticamente, ou seja, alimentos em cujo genoma foram colocados genes de outros organismos de espécies diferentes, mas dentro de um mesmo gênero. Estes genes “estrangeiros” quebram a seqüência de DNA, sofrendo uma espécie de reprogramação e o organismo torna-se capaz de produzir novas substâncias. Isto permite o desenvolvimento de variedades tolerantes a herbicidas, resistentes a insetos, fungos e vírus e produtos de melhor qualidade nutricional. As vantagens e desvantagens são assuntos ainda bastante polêmicos.

Substâncias que retardam a oxidação, deterioração e ransificação das gorduras (14), evitando a formação de radicais livres.

Desejo natural de comer, especialmente quando o alimento está presente.

Conjunto de processos e/ou atuações do organismo desenvolvidos por enzimas (tipos de proteína que aceleram reações orgânicas) (15).

Um tipo de microorganismo que pode ser encontrado em alimentos, provocando doenças ou até mesmo a morte.

Trata-se da unidade de calor usada na Nutrição. O termo correto é quilocaloria, abreviada em kcal (1). É a medida de energia liberada a partir da queima do alimento. Também pode ser denominada como a energia liberada pelo corpo e, neste caso, o termo caloria pode ser corretamente empregado. Cada nutriente fornece diferentes quantidades de calorias (quilocalorias). Vide carboidratos, gorduras e proteínas.

Características ou propriedades das substâncias que são percebidas pelos sentidos. Exemplo: cheiro, cor, sabor e textura de um alimento.

Substâncias essenciais para o organismo, compostas de carbono, hidrogênio e oxigênio, sendo dois átomos de hidrogênio para cada carbono (1). Consistem na fonte de energia mais disponível na natureza e são chamados de alimentos energéticos. Formam a parte principal da dieta do homem na forma de amido e sacarose, em particular, e provêem energia de 4 kcal (ver caloria) por grama de carboidrato. Podem ser citados como exemplos dessas substâncias: cereais, tubérculos, leguminosas, frutas, alimentos que contêm açúcar comum (doces em geral).

Vide deficiências nutricionais.

São grãos originários das gramíneas, cujas sementes dão em espigas. Alguns exemplos: trigo, arroz, cevada, milho e aveia. No oriente, o cereal constitui cerca de 90% da dieta. Na Grã-Bretanha, o pão e a farinha representam um terço das calorias da dieta (1). O consumo de cereais, tais como arroz, trigo e milho, constituem a base da alimentação do brasileiro.

Substância semelhante à gordura, encontrada no sangue e nas membranas das células. Fundamental ao organismo humano para a produção de hormônios sexuais, produtos da digestão (bile), vitamina D etc. No entanto, um nível elevado de colesterol sangüíneo tem mostrado ser o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças do coração. O colesterol da dieta é proveniente de todos os alimentos de origem animal e não é encontrado nos de origem vegetal. Ingerir alimentos ricos em colesterol e em gorduras aumenta o nível de colesterol sangüíneo e por isso tais alimentos devem ser evitados ou consumidos em pequenas quantidades (12).

Qualquer substância que serve para temperar, aromatizar ou colorir alimentos. A maioria não tem propriedades nutritivas. São também conhecidos como temperos (15).

Vide aditivos.

Resultado de um processo onde as necessidades fisiológicas de nutrientes não estão sendo atingidas. (2). Podem ser decorrentes tanto de problemas alimentares, como por exemplo baixa ingestão de fontes de ferro, que resulta em anemia, ou de problemas orgânicos, como não absorção intestinal.

O mesmo que ingerir, engolir.

DIETSão alimentos isentos de algum tipo de nutriente, preparados para atender a restrições dietéticas específicas de várias doenças. Ex: pro- dutos sem açúcar, para diabéticos; sem sal, para hipertensos; sem colesterol, para portadores de colesterol sangüíneo alt’; e assim por diante (19).

O mesmo que alimentação.

Vide alimentação equilibrada.

Engloba todo o processo de redução da estrutura física e química do alimento durante a sua passagem pelas vias digestivas, convertendoo em formas que possam ser absorvidas pelo corpo através da corrente sangüínea.

Alimentos à base de carne vermelha ou branca que passam por processo tecnológico específico. Exemplos: salsicha, chouriço, lingüiça, salame, apresuntados, etc.

Substâncias de origem vegetal (grãos, vegetais, frutas), que não são digeridas pelo organismo humano. Elas passam intactas pelo sistema digestivo, acelerando os movimentos intestinais e sendo eliminadas pelas fezes (3).

Tipo de fibra dietética responsável por aumentar o bolo fecal, produzindo fezes macias e com maior volume, auxiliando o intestino a funcionar bem. Fontes alimentares: farelos de cereais (trigo, milho), grãos integrais, nozes, amendoim e a maioria das frutas e hortaliças (3).

(Parte 7 de 9)

Comentários