Memorial Descritivo Instalação elétrica Laboratorio de Usinagem - Felipe-de-Sousa-Barros-Dias

Memorial Descritivo Instalação elétrica Laboratorio de Usinagem -...

Memorial Descritivo

Construção primeiro piso bloco Mecatônica IFCE-CE campus Sobral (Laboratorio

Usinagem, Soldagem e CNC)

Felipe de Sousa Barros Dias Rondinelia

Março de 2012

1.Objetivo3
2 Caractericticas da instalação3
3. Documentos do Projeto3
4 . Materiais3
5. Instalação Elétrica3
5.1 Entrada4
5.2 Caixas de passagem4
5.3- Cabos5
5.4 - Iluminação5
5.5 Tomadas5
5.6 Aterramento5
6. Especificação do material5
6.1- Eletrodutos5
6.2 Eletrocalhas6
6.3- Caixas e quadros6
6.4. Condutores7
6.5 Interruptores, tomadas e djuntores8
6.6 Quadros8
6.7 Equipamentos em geral8

1.Objetivo

Este documento têm como objetivo descrever os critérios gerais para a execução para a obra do primeiro piso bloco Mecatônica IFCE-CE campus Sobral (Laboratorio Usinagem, Soldagem e CNC) do Instituto Federal de Educação Campus Sobral. As partes do laboratório serão entregues com quadro de distribuição de tomadas, de potência e iluminação.

2 Caractericticas da instalação

• Tensão de Fornecimento: Baixa Tensão – 13,8KV • Tensão de operação: 3 fases + neutro e terra – 220/380 V – 60Hz

3. Documentos do Projeto

• Desenho em desenho assistido pelo computador (PC) Planta baixa com ligações de iluminação, força e tomadas.

• Memorial descritivo

• Planilhas

Todos os dados referentes ao dimensionamento estarão constados nas planilhas, anexadas ao projeto, como transformador, djuntores, bitola do fio e etc, e deverão ser adotadas na execução do mesmo.

Qualquer divergência por ventura observada, que possa trazer dúvidas ou embaraços futuros ao desenvolvimento dos serviços, deverá ser esclarecida com os Projetores;

4 . Materiais

Os materiais a ser usado, deverão ser de primeira qualidade, novos, devendo obedecer às normas, marcas e especificações deste memorial, da ABNT, regulamento das Concessionárias e recomendações, prescrições dos fabricantes e padrões.

Qualquer substituição de material, produto ou marca especificada, só poderá ser proposta por motivo relevante de força maior como inexistência no mercado, prazos de entrega incompatíveis com o prazo da obra, ou outros materiais solicitados.

5. Instalação Elétrica

Obedecerá rigorosamente ao projeto de instalações Elétricas, observadas as normas da NBR 5410 e da concessionária local – COELCE (a saber NT-003/2000).

5.1 Entrada

Os serviços relacionados com a entrada de energia serão entregues completos, a alimentação elétrica da unidade no qual será feita a partir da rede de 13,2kV da COELCE, com ligação definitiva à rede pública, em perfeito funcionamento e com a aprovação da concessionária de energia elétrica local.

As medições deverão possuir registro perante a COELCE e serão aterradas conforme o projeto elétrico.

5.2 Caixas de passagem

O posto de medição e proteção deverá ser construído de acordo com as especificações do projeto, os alimentadores deverão ser remanejados até ao posto de transformação que será colocado de acordo com o projeto.

Deverão ser utilizadas caixas de passagem em alvenaria, no padrão

COELCE, nos locais definidos no projeto elétrico.

Nas redes de distribuição, a utilização de caixas será efetuada da seguinte forma, quando não indicadas em projeto: Octogonais 4”x4” em PVC de fundo móvel, nas lajes, para pontos de luz e retangulares 4”x2” em PVC, nas alvenarias.

As caixas a serem embutidas nas lajes deverão ficar firmemente fixadas as formas. Somente poderão ser removidos os discos das caixas nos furos destinados a receber ligação de eletrodutos, as caixas embutidas nas paredes deverão facear o revestimento da alvenaria; será nivelado e aprumado de modo a não provocar excessiva profundidade depois do revestimento.

As caixas 4”x2” deverão ser fixadas de modo firme e permanente às paredes, para obter uma ligação perfeita e de boa condutibilidade entre todos os condutos e respectivas caixas; deverão também ser providas de tampas apropriadas, com espaço suficiente para que os condutores e suas emendas caibam folgadamente dentro das mesmas depois de colocadas as tampas.

As marcas das caixas, quando não estabelecidas em projeto, deverão constar no mínimo, o selo da NBR e a certificação do INMETRO.

O quadro será novo e instalado conforme diagrama em projeto, deverá possuir barramentos trifásicos e barra para neutro e terra independentes, espaço para futuras ampliações em torno de 20% da quantidade total de disjuntores. Os equipamentos internos deverão atender a IEC/ABNT, tais como disjuntores e etc. O condutor neutro será ligado diretamente à barra de neutro, bem como o de aterramento à respectiva barra de terra.

Os quadros serão instalados conforme indicação constante no projeto.

Serão construídos conforme diagramas do projeto, deverão possuir barramentos trifásicos e barra para neutro e terra independentes, espaço para futuras ampliações em torno de 20% da quantidade total de disjuntores. Os equipamentos internos deverão atender a IEC/ABNT, tais como disjuntores e etc. O condutor neutro será ligado diretamente à barra de neutro, bem como o de aterramento à respectiva barra de terra. A iluminação será setorizada por ambientes através interruptores locais ou localizados no quadro de interruptores a ser instalado, conforme indicado em projeto. Os condutores serão aplicados em eletrodutos metálicos possuirão isolação de PVC, afim de propor melhor rendimento e qualidade.

Deverão ser conduzidos por eletrocalhas. Próximos aos equipamentos serão utilizados eletrodutos metálicos roscados para garantir a blindagem, a ser definido no projeto executivo.

Todos os cabos deverão ser identificados nos diagramas unifilares, nos desenhos de distribuição de força e nas listas de cabos do projeto executivo.

5.4 - Iluminação

Todas as luminárias, lâmpadas e reatores serão instalados conforme indicação do respectivo projeto de arquitetura. A distribuição das luminárias, bem como as suas especificações são partes integrantes do projeto arquitetônico.

As luminárias serão alimentadas por cabos de 2,5 mm², derivados de eletrodutos.

5.5 Tomadas

Os circuitos das tomadas de uso geral e de uso específico serão alimentados a partir de um disjuntor a fim de proteger o usuário contra correntes acidentais. Todas as tomadas deverão ser dotadas de pólo de terra diferenciado e obedecer à norma NBR 14136/02. A disposição e quantidade dos disjuntores serão definidas no projeto.

5.6 Aterramento

O sistema de aterramento será constituído por uma malha geral, formada por malhas e pontos de aterramento, todos interligados. Todos os dispositivos conectados de alguma forma ao sistema elétrico de potência, comando, comunicação, rede de dados e outros, deverão estar aterrados, bem como todas as estruturas.

6. Especificação do material

Todos os materiais utilizados nas instalações deverão obedecer as especificações constadas no memorial; caso haja necessidade de substituição de algum material, deverá ser solicitado o permissão do projetista.

6.1- Eletrodutos

Todos os eletrodutos deverão ser de PVC na cor preta, com formato circular de parede interna e externa lisa. Terão diâmetro nominal, mínimo de 20mm, e os diâmetros de 20, 25, 40, 50, 80 e 100mm. Os eletrodutos são unidos por meio de luvas e uniões apropriadas. Os eletrodutos enterrados serão do tipo kanaflex, roscáveis com diâmetro mínimo de 20mm (3/4”). As tubulação sem fiação (seca), deverá ter, em seu interior, um arame guia para passagem futura de cabos.

As derivações e terminações devem ficar em quadros ou caixas de passagem, com tampa fixada com parafusos do tipo imperdíveis. As emendas dos eletrodutos serão realizadas com a utilização de luvas rígidas ou curvas rígidas, não sendo permitida a prática dos “bolsões” (emenda com calor). Quando necessário, os eletrodutos devem ser cortados a serra e as bordas aparelhadas para remover possíveis rebarbas.

Os eletrodutos, nas peças estruturais de concreto armado, serão posicionados de modo a não suportarem esforços não previstos, conforme disposição da NBR 5410.

As marcas deverão constar no mínimo o selo da NBR e a certificação do INMETRO, quando não indicadas em projeto específico.

6.2 Eletrocalhas

As eletrocalhas serão de chapa dobrada, dimensões mínimas de 100x50mm galvanizados a fogo. Os componentes do sistema deverão ser adequadamente ligados entre si, devendo ser empregados acessórios indicado pelo fabricante. A utilização das eletrocalhas, caixas e acessórios se dará nos sistemas de distribuição de iluminação, tomadas, força. Aplicação: Geral

6.3- Caixas e quadros

Quadros de distribuição em geral - Luz, Tomadas e Força

Armários executados em chapa de aço carbono dobrada de 1,2mm com porta e moldura em 1,2mm, com caixas para fixação embutida em paredes, moldura de arremate regulável, e espelho de proteção interna, em chapa de aço articulável, ou em policarbonato, com recorte para acionamento dos disjuntores, garantindo a segurança do operador.

A porta externa deverá ser dotada de porta-documentos, fechadura tipo “yale” e sinalização de presença de tensão, conforme NR-10. O espelho de proteção deverá ter porta etiquetas ou plaquetas para identificação dos circuitos. O conjunto terá grau de proteção IP-54 e será montado conforme diagramas em projeto. Serão instalados na área, em locais abrigados e embutidos em alvenaria ou “dry-wall”. Componentes: barramentos de cobre eletrolítico (9,9%) dimensionados e pintados conforme norma e disjuntores de proteção termomagnética e capacidade de ruptura compatível com a carga. Contarão ainda com botoeiras e sinalização para operação e comando local, quando solicitado. Aplicação: Distribuição dos circuitos de iluminação, tomadas e força.

- Quadro de força de ar-condicionado (QFAC)

Armários executados em estrutura auto-suportável, aparafusada com placa de montagem removível em chapa de aço carbono de 2,65mm, com porta frontal, placas traseiras e laterais removíveis construídas em chapa de aço 1,9mm, dobradiças embutidas, abertura das portas com ângulo de 120º. Sobre-porta com recorte para acionamento dos disjuntores, garantindo a segurança do operador e plaquetas para identificação dos circuitos. O conjunto terá grau de proteção IP-5 e será montado conforme diagramas em projeto. Componentes: barramentos em cobre eletrolítico (9,9%) dimensionados e pintados conforme NBR-6808, e disjuntores de proteção termomagnética e capacidade de ruptura compatível com a carga. Contarão ainda com botoeiras e sinalização para operação e comando local, quando solicitado. Deverão ser previstos espaços para 20% de disjuntores de reserva. Norma referencial: NBR-IEC 60439-1. Aplicação: Distribuição dos pontos de ar-condicionado.

No desenho assistido os circuitos CCM 1, CCM2 e QDL, estão inbutidos no QG e no QD.

6.4. Condutores

Condutores para baixa tensão

Os cabos alimentadores deverão ser de cobre, têmpera mole, classe de isolamento 0,6/1kV, com isolação PVC, com temperatura limite de 70º em regime de cobertura.

Os condutores dos circuitos terminais deverão ser do tipo Pirastic, antichama, classe de isolamneto 750V, com isolação PVC e temperatura limite de 70º em regime.

De acordo com o projeto de instalação elétrica, a seção mínima dos condutores de potencia iluminação será de 2,5mm² e de potência de 4mm² mesmo que seja por norma admitida seções inferiores a essa.

A enfiação só poderá ser executada após a conclusão dos seguintes serviços:

• Telhado;

• Revestimento de argamassa;

• Colocação de portas, janelas e vedação que impeça a penetração de chuva;

• Pavimentação que leve argamassa.

Barramentos Blindados (Distribuição de força)

Os barramentos serão do tipo ventilado, em cobre eletrolítico, com capacidades para 1.000A, 450A, 325A e 160A, trifásico e neutro, com o terra pela carcaça. Todas as curvas e conexões deverão ser de capacidade idêntica à do barramento principal. Aplicação: Distribuição de força.

Antes da enfiação, os eletrodutos deverão ser secos com estopa e limpos pela passagem de bucha embebida em verniz isolante ou parafina. Para facilitar a enfiação, poderá ser usado lubrificante como talco, parafina.

As emendas de condutores somente poderão ser feitas nas caixas, não sendo permitida a enfiação de condutores emendados, conforme disposição da NBR 5410. Todas as emendas em condutores até 4mm² serão executadas diretamente. As bitolas superiores deverão ser feitas com conectores de pressão montados com ferramenta adequada, deverão ainda ser isolados com fitas de auto-fusão SCOTCH 3M.

O isolamento das emendas e derivações deverá ter, no mínimo, características equivalentes às dos condutores. Para enfiação de fios e cabos, as caixas e eletrodutos deverão estar limpos.

Para segurança da utilização das instalações, deverão ser executados testes de isolação em todos os circuitos, as medidas devem estar acima de 0,25 megaohms. Os testes devem ser executados entre condutores vivos tomados dois a dois e antes da conexão dos equipamentos de utilização. Testes realizados em corrente contínua.

6.5 Interruptores, tomadas e djuntores

As caixas com interruptores e tomadas deverão ser fechadas por espelhos, que completem a montagem destes dispositivos. As caixas, de tomadas e interruptores, 4“x2” serão montadas com o lado menor paralelo ao plano do piso.

As tomadas de uso geral serão do tipo universal 2P+T (cor preta) e as de computadores serão do tipo pinos chatos 2P+T.

A disposição dos interruptores e tomadas deve seguir o projeto de instalações elétricas e os modelos, desses elementos, devem seguir especificações da arquitetura.

Os disjuntores serão instalados nos quadros de distribuição e centro de medição conforme projeto elétrico. Deverão atender as normas NBR IEC 947-2 e NBR IEC 898, com capacidade de ruptura mínima de 5kA.

As marcas dos produtos utilizados deverão constar no mínimo o selo da NBR e a certificação do INMETRO.

6.6 Quadros

Será utilizado um quadro de distribuição por edificação, conforme projeto elétrico, com tamanho suficiente para abrigar todos os disjuntores previstos para cada caso.

Serão, também, utilizadas centrais de medição compostas por quadros de medições individuais e quadros de proteção geral e barramentos horizontais, ambos padronizados pela COELCE.

As centrais de medição deverão ser rigorosamente aterradas, de acordo com o projeto elétrico, com hastes de terra Cooperweld 5/8”x3M interligadas por cabo de cobre nu 50mm².

6.7 Equipamentos em geral

Nenhum componente das instalações elétricas, inclusive luminárias, soquetes, tomadas e interruptores, poderá ser fixados em madeira ou outro tipo de material combustível. Se necessário, a madeira ou outro material deverá ser forrado com chapa metálica devidamente aterrada e, posteriormente, aplicados os componentes.

Todos os pontos metálicos deverão ser aterrados ao condutor de proteção.

7. Normas

As instalações deverão obedecer aos padrões constantes nas normas da ABNT, padrões da Concessionária Local de Energia Elétrica, COELCE, desenhos componentes do projeto, bem como normas e procedimentos do Departamento de Engenharia da IPT. O projeto foi elaborado com base as seguintes normas:

Comentários