Livro de filosofia

Livro de filosofia

(Parte 3 de 10)

É bem verdade, alguns dirão, sempre houve e ainda haverá pensadores que bajulam os poderosos e que emprestam suas vozes e argumentos para defender tiranos. Nesse caso, porém, estamos diante das fra quezas do ser humano, seja por estar sujeito a enga nos, seja por sucumbir ao temor ou ao desejo de pres tígio e glória.

m Informa~ão, conhecimento e sabedoria

Para melhor entender o campo da experiência filo sófica, o filósofo espanhol Fernando Savater faz uma distinção entre informação, conhecimento e sabedoria. Aproveitamos os três tópicos para comentá-los livre mente a seguir.

., Informação

Ao lermos um jornal, uma determinada notícia pode nos chamar a atenção, como a que simulamos a seguir, a partir de dados recolhidos na mídia.

A gravidez na adolescência quase sempre é uma gravidez não planejada e, por isso, indesejada. Desde 1970, a incidência de casos tem aumentado significativamente, ao mesmo tempo que tem diminuído a média de idade das adolescentes grávidas. Na maioria das vezes, a gravidez na adolescência ocorre entre a primeira e a quinta relação sexual, e a jovem grávida procura o serviço de saúde para fazer o pré-natal apenas entre o terceiro e o quarto mês de gravidez.

., Conhecimento

Para explicar essa notícia, podemos lançar mão de uma série de conhecimentos. Por exemplo:

• a ciência da história descreve as transformações do comportamento sexual desde a década de 1960 e analisa suas causas, mostrando o afrou xamento das regras que proibiam a atividade sexual antes do casamento, principalmente para as mulheres;

• a sociologia investiga a repercussão desses compor tamentos nos novos modelos de farruila (aumento do número de divórcios; liberação da mulher; ampliação do espaço da mulher no mercado de trabalho; as famílias monoparentais, em que as crianças vivem apenas com um genitor, na maior parte das vezes, a mãe; as uniões de pessoas do mesmo sexo);

• a biologia descreve como se dá a concepção -e descobre processos de contracepção -, conheci mentos que podem explicar os riscos da gravidez precoce para a saúde das mais jovens;

Status quo. Expressão latina que significa estado atual das coisas, situação vigente.

CHÂTELET, François. História dafilosofia: ideias, doutrinas. v. VJII. Rio de Janeiro: Zahar, s. d. p. 309.

Aexperiência filosófica Capítulo 1 3

• a antropologia (científica) compara esse tipo de comportamento e suas consequências em diver sas culturas;

• a psicologia investiga os conflitos de uma gravi dez indesejada, o difícil confronto com a família, a reação emocional do jovem futuro pai, a brusca ruptura dos projetos de vida diante de novos e inesperados encargos etc. Inúmeras outras ciências ocupam-se desse assunto, sem nos esquecermos de que mesmo as pes soas não especializadas analisam esse fato pelo senso comum, baseando-se nos seus conhecimentos, valores e crenças.

Proteet mefrom what I want.lntervenção de Jenny Holzer. Londres, 1988.

Jenny Holzer é urna artista conceitual que ao final da década de 1970 e durante a década de 1980 fazia intervenções nos espaços públicos de diversas cidades. Suas frases instigantes propiciavam a reflexão filosófica: o que significa Protect me fram what I want ("Proteja-me do que eu desejo")? Quero que alguém me prateja? Ou sou eu mesmo que devo fazê-lo? E por que (ou quando) haveria eu de me proteger do meu desejo? Qual é a relação entre desejo e razão?

.. Sabedoria

O conceito de sabedoria recebeu vários significados ao longo da história humana. Vamos escolher aquele que diz respeito às decisões refletidas que visam buscar um caminho para o bem-viver. Nesse sentido, por sabedoria entendemos um conceito amplo, que tanto inclui a ati tude do filósofo como também de qualquer pessoa.

Diante do tema que propusemos discutir -a gravi dez precoce -, as questões que se colocam são inúme ras: o que significa para esses jovens se descobrirem futu ros pais? Qual é o sentido desse acontecimento para suas vidas? Que atitude tomar diante do fato consumado: levar a gravidez até o final ou abortar? Dúvida dramá tica, que exige reflexão ética e envolve questões como liberdade dos jovens versus direito à vida da criança.

A propósito do tema da liberdade e da escolha autônoma, transcrevemos trechos de dois filósofos franceses, que podem servir como ponto de partida para uma reflexão sobre a gravidez precoce e não planejada. A filósofa francesa Simone de Beauvoir diz:

Nenhuma questão moral se coloca para a criança, enquanto el1a é incapaz de se reconhecer no passado, de se prever no futuro; ésomente quando os momentos de sua vida começam a organizar-se em conduta que ela pode decidir e escolher. Concretamente, é através da paciência, da coragem, da fidel'idade que se confirma o valor do fim escolhido e que, reciprocamente, manifesta-se a autenticidade da escolha. Se deixo para trás um ato que pratiquei, ao cair no passado ele se torna coisa; não é mais do que um fato estúpido e opaco. Para impedir essa metamorfose, é preciso que, sem cessar, eu o retome e o justifique na unidade do projeto em que estou engajado. [...] Assim, não poderia eu hoje desejar autenticamente um fim sem querê-lo através de minha existência inteira, como futuro deste momento presente, como passado superado dos dias a vir: querer é comprometer-me a perseverar na minha vontade. 4

Leia agora este trecho de outro filósofo francês, Georges Gusdorf:

A liberdade é uma das maiores reivindicações da adolescência, mas a liberdade que ela reivindica é uma sombra da liberdade autêntica, tanto quanto a espontaneidade criadora que se imagina descobrir na criança não passa de uma sombra e o simulacro de BEAUVOIR, Simone de. Moral da ambiguidade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970. p. 20. U.nidade 1 Descobrindo a filosofia um verdadeiro poder criador. A liberdade adolescente é uma adolescência da liberdade, uma liberdade de aspiração, uma aspiração à liberdade, sem conteúdo preciso, na onda das paixões e a confusão dos sentimentos e das ideias. [...] A juventude não é a idade da liberdade, mas o tempo de aprendizado da liberdade, a liberdade não sendo definível pela ausência e restrição, ou a revolta contra as restrições. O homem I,ivre é aquele que, tendo feito a prova dos diversos aspectos, dos componentes da personalidade, chegou a pôr em ordem a consciência que tem de si mesmo, no projeto de sua afirmação no mundo. É absurdo imaginar que a criança, o rapaz, possa um belo dia entrar no gozo de sua liberdade, vinda a ele como uma dádiva do céu. A liberdade de um ser humano se faz dificilmente, ela se conquista dia a dia, ela é o desafio de uma conquista, ausente nos começos da vida , desenha-se no decorrer dos anos de formação que correspondem a um percurso através do labirinto mítico das significações e possibilidades da existência. Procura do sentido, procura do centro, tomada de consciência da autenticidade pessoal, não sem angústia nem sofrimentoS

A partir dos dois trechos transcritos, de Beauvoir e Gusdorf. levante as características pelas quais eles expõem o que entendem por escolha livre. Em seguida, estabeleça uma relação com anotícia de jor nalsobre a gravidez de adolescentes.

D É possivel definir filosofia?

Talvez você esteja se perguntando: Como então definir o que é fIlosofia? O filósofo alemão Edmund Husser! diz que ele sabe o que é filosofia, ao mesmo tempo que não sabe. Isto é, a explicitação do que é a filosofia já é uma questão filosófica. E adverte que apenas os pensadores pouco exigentes se contentam com definições cabais.

Filosofia. A palavra filosofia (philos-sophia) significa "amor à sabedoria" ou "amizade pelo saber".Pitágoras (séc. VI a.c.), filósofo e matemático grego, teria sido o primeiro a usar o termo filósofo, por não se considerar um "sábio" (sophos), mas apenas alguém que ama e procura asabedoria.

Além disso, a filosofia não está à margem do mundo, nem constitui uma doutrina, um saber aca bado ou um conjunto de conhecimentos estabeleci dos de uma vez por todas. Ao contrário, a filosofia pressupõe constante disponibilidade para a inda gação. Por isso, Platão e Aristóteles disseram que a primeira virtude do filósofo é admirar-se, ser capaz de se surpreender com o óbvio e questionar as ver dades dadas. Essa é a condição para problematizar, o que caracteriza a filosofia não como posse da ver dade e sim como sua busca.

.. O processo do filosofar Kant, filósofo alemão, assim se refere ao filosofar:

[] só é possível aprender a filosofar, ou seja,

Não é possível aprender qualquer filosofia; exercitar o talento da razão, fazendo-a seguir os seus princípios universais em certas tentativas filosóficas já existentes, mas sempre reservando à razão o direito de investigar aqueles princípios até mesmo em suas fontes, confirmando-os ou rejeitando-os 6

Em que essa citação de Kant pode orientar seu contato com a filosofia? Ela serve para advertir que, mesmo estudando o pensamento dos grandes filóso fos-eéimportantequeseconheçaoquepensaram-, você mesmo deve aprender a filosofar, exercer o direito de refletir por si próprio, de confirmar ou rejeitar as ideias e os conceitos com os quais se depara. Em outras palavras, a filosofia é sobretudo a experiência de um pensar permanente. Mais que um saber, a filosofia é uma atitude diante da vida, tanto no dia a dia como nas situa que exigem decisões cruciais. Por isso, no seu encontro com a tradição filosófica, é preferível não recebê-la passivamente como ,um produto, como algo acabado, mas compreende-la como processo, reflexão crítica e autônoma a res peito da realidade.

Simulacro. Representação,imitação.

Situação-limite. Expressão que se refere asituações extremas de adversidade, como aameaça de morte, uma doença, a perda de um ente querido, experiéncias que modificam nosso olhar sobre nosso cotidiano.

GUSDORF, Georges. Impasses eprogressos da liberdade. São Paulo: Convívío, 1979. p. 107-108. 6 KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. São Paulo: Abril Cultural, 1980. p. 407.

A experiência filosófica Capítulo 1

• A reflexão filosófica

Já dissemos que a reflexão não é privilégio do filó sofo. O que, portanto, distingue a reflexão filosófica das demais? O filósofo brasileiro Dermeval Saviani, no livro

Educação brasileira: estrutura e sistema, na tentativa de se aproximar de uma definição possível, concei tua a filosofia como uma reflexão ~,rigorosa e de conjunto sobre os problemas que a realidade apre senta. Explicaremos esses três tópicos.

Reflexão. Reflectere, em latim, significa "fazer retroce der", "voltar atrás". Portanto, refletir é retomar o pró prio pensamento, pensar o já pensado, voltar para si mesmo e questionar o já conhecido. Radical. Em latim, rad;x, rad;c;s significa "raiz", mas também "fundamento", "base".

a) Radical

A filosofia é radical, não no sentido corriqueiro de ser inflexível-nesse caso seria a antifilosofia! -, mas porque busca explicitar os conceitos fundamen tais usados em todos os campos do pensar e do agir. Por exemplo, a filosofia das ciências examina os pres supostos do saber científico: é ela que reflete sobre o que a comunidade científica define como ciência,

como a ciência se distingue da filosofia e de outros tipos de saber, quais são as características dos diver sos métodos científicos, qual a dimensão de verdade das teorias científicas e assim por diante. O mesmo se dá com a psicologia, ao abordar o conceito de liber dade: indagar se o ser humano é livre ou determinado já é fazer filosofia.

b)Rigorosa

Os filósofos desenvolvem um pensamento rigo roso, justificado por argumentos, coerente em suas diversas partes. O uso de linguagem rigorosa evita as ambiguidades das expressões cotidianas, o que permite a interlocução com outros filósofos a partir de conceitos claramente definidos. Por isso criam expressões novas ou alteram o sentido de palavras usuais. Por exemplo, enquanto o termo ideia no grego arcaico (eidos: "forma") significava a intuição sensível de uma coisa (aquilo que se vê ou é visto), Platão criou o conceito de ideia para referir-se à concepção racional do conhecimento, a forma ima terial de uma coisa. Por exemplo, as pessoas e as coisas belas são percebidas pelos meus sentidos, mas a beleza é uma ideia pela qual compreendo a essência -ou seja, aquilo que faz com que uma

Unidade 1 Descobrindo a filosofia coisa seja bela. Nesse sentido, para ele as ideias são mais "reais" que as próprias coisas.

No entanto, o conceito de ideia seria rein ventado ao longo da história da filosofia, assu mindo conotações diferentes em Descartes, Kant, Hegel e assim por diante. É pelo rigor dos conceitos que se inovam os caminhos da reflexão. E isso não significa que um filósofo "suplanta" outro, porque qualquer um deles pode e deve -ser revisitado sempre.

PARA REFlETIR

Você já ouviu falar em ética aplicada? É um ramo da filosofia contemporânea que trata de questões práti cas que, por sua vez,exigem justificação racional. São ramos da ética aplicada: a bioética, a ética ambien tai e a ética dos negócios, que refletem, por exemplo, sobre a manipulação do genoma humano, o desastre ecológico e a responsabiliqade social das empresas, respectiva mente.

Fotocomposição mostrando mãos que envolvem o planeta Terra, 2000.

A partir dessa figura, faça uma reflexão sobre a ética ambiental: quais são as responsabilidades humanas (para o bem e para o mal) pelo destino do planeta? Proponha um titulo para a imagem e escreva um breve texto sobre o assunto.

c) De conjunto

A filosofia é um tipo de reflexão totalizante. de conjunto. porque examina os problemas relacio nando os diversos aspectos entre si. Mais ainda. o objeto da filosofia é tudo. porque nada escapa a seu interesse. Por exemplo, o filósofo se debruça sobre assuntos tão diferentes como a morai, a política, a ciência. o mito, a religião. o cômico, a arte, a téc nica. a educação e tantos outros. Daí o caráter trans disciplinar da filosofia, ao estabelecer o elo entre as diversas expressões do saber e do agir. Desse modo. o avanço da biologia genética desperta a discussão filosófica da bioética; a produção artística provoca a reflexão estética e assim por diante.

As áreas de investigação filosófica Os campos clássicos da investigação filosófica são: Lógica, Metafísica, Teoria do Conhecimento, Epistemologia, Filosofia Politica, Ética, Estética. Para saber de sua abrangência, consulte os verbetes no Vocabulário, no final do livro. Existem também inúmeras aplicações da filosofia a áreas específicas do conhecimento. Veja alguns exem plos:filosofia da educaçào, fi losofia da linguagem, filo sofia do direito, filosofia da religião, filosofia de cada uma das ciências (filosofia da matemática,da história, da biologia etc.) e assim por diante.

mUm filósofo

Lembremos a figura de Sócrates. Dizem que era um homem feio, mas que, quando falava, exercia estra nho fascínio. Procurado pelos jovens, passava horas discutindo na praça pública. Interpelava os transeun tes, dizendo-se ignorante, e fazia perguntas aos que julgavam entender determinado assunto: "O que é a coragem e a covardia?", "O que é a beleza?", "O que é a justiça?", "O que é a virtude?". Desse modo, Sócrates não fazia preleções, mas dialogava. Ao final, o inter locutor concluía não haver saída senão reconhecer a própria ignorância. A discussão tomava então outro rumo, na tentativa de explicitar melhor o conceito.

(Parte 3 de 10)

Comentários