Tabela Doenças virus

Tabela Doenças virus

DOENÇA

FAMÍLIA/NOME

CONTÁGIO

CARACTERÍSTICAS

SINTOMAS

TRATAMENTO

SIDA - AIDS

Retroviridae (retrovírus envelopado)

relações sexuais

uso de seringas ou material cirúrgico

mãe-filho (gestação ou lactação)

vacinação ineficaz alta capacidade de mutação viral

Inicialmente assintomático

Febre, fadiga, inchaço nos gânglios linfáticos, diminuição do número de linfócitos

herpes

infecções oportunistas

drogas inibidoras de enzimas que atuam no ciclo viral à ex: AZT, 3TC, DDI e DDC (inibem a transcriptase reversa)

DENGUE

genero: Flavivírus

(RNA envelopado)

Transmissão: picada da fêmea do Aedes aegypti contaminada;

endêmica no Brasil desde a década de 80

Febre alta;

Dores no corpo(Abdominal);

Erupções avermelhadas;

Hemorragias nos casos graves

Controle da

proliferação do mosquito

Aedes aegypti: não deixar

água parada em vasos,

pneus, garrafas, cacos de

vidro no muro ou

tampinhas.

FEBRE AMARELA

genero: Flavivírus

(RNA envelopado)

Urbana: femea Aedes aegypti

Silvestre: especies do genero Haemagogus

Endêmica em países de clima tropical.

Após contágio: Febre, dores, irritação, pulso baixo, enjôo;

Pessoa amarelada;

Complicações no fígado, rins e hemorragias;

Sintomático e controle do mosquito.

CONJUNTIVITE

GASTROENTERITES

FARINGITES

Adenovirus são um grupo de vírus muito frequentes de genoma de DNA duplo Não Possuem envelope bilipídico e são extremamente resistentes.

A infecção é por contaminação com detritos fecais ou mais raramente secreções de outros órgãos. 

Transmissível em locais de concentração maior de público, crianças e idosos

Inflamação local

Náuseas, vômitos

Irritação e inflamação local

Sintomático, antibióticos nos casos mais graves, colírios e antissépticos.

PNEUMONIA

(POR MIMIVIRUS)

Acanthamoeba polyphaga mimivirus (APMV).

Pelo ar , gotículas suspensas, saliva, beijo.

Atualmente acredita-se que ele infecta apenas as amebas, e estas causam a pneumonia

O mimivírus já foi considerado um possível causador de algumas formas de pneumonia,

Antibióticos e sintomático

(HPV) CONDILOMA ACUMINADO

Papillomaviridae

VPH ou HPV, do inglês human papiloma virus

Sexualmente

 infecta os queratinócitos da pele ou mucosas, e possui mais de 200 variações diferentes. A maioria dos subtipos está associada a lesões benignas, tais como verrugas

Assintomático, desconforto pelas verrugas.

VACINA

As opções de tratamento dependem do tipo e extensão das lesões causadas pelo HPV, podendo ser empregue um tratamento destrutivo ou excisional (destruição e/ou remoção das lesões), ou um tratamento à base de medicamentos imunomoduladores como interferão eimiquimod.

VERRUGAS

HPV 1 E HPV 2

transmissão do vírus inclui o contacto casual com zonas infectadas,

Este tipo de manifestação está geralmente associada a indivíduos mais jovens, e não aparenta estar relacionada com um aumento do risco de cancro

Assintomático, desconforto pelas verrugas.

Agentes tópicos — Aplicados sobre a lesão, promovem a dissolução da queratina e/ou morte das células que constituem a lesão. Ex: podofilina5-fluorouracilácido tricloroacético.

Imunomoduladores — Substâncias que estimulam o sistema imunitário no combate à infecção. Ex: imiquimod , retinóides,interferão.

Procedimentos cirúrgicos — Remoção das lesões através de diversos processos, como, por exemplo, excisão com bisturi, cirurgia de alta frequência, laserterapia e crioterapia.

VARÍOLA

Vírus: Poxvirus (DNA envelopado)

saliva

contato direto com as lesões uso de utensílios contaminados

O protótipo da família poxvírus é o vírus vaccínia, o qual tem sido usado com sucesso como vacina para erradicar o Vírus da Varíola

feridas grandes e numerosas na pele que deixam cicatrizes. Coceira e prurido.

Vacina – Doença já erradicada

CONSTIPAÇÃO/RESFRIADO

Rinovirus  família dos picornavirus, comgenoma de RNA de sentido positivo simples

 A transmissão é pela inalação de gotículas infectadas deespirros e tosse.

Há mais de 100 sorotipos. Estes vírus preferem temperaturas mais baixas que os 37 °C, razão pela qual não se disseminam e permanecem no nariz e faringe mas nunca provocando pneumonia

Congestão nasal, dispneia vias aéreas superiores, coceira trato respiratório, tosse alérgica, geralmente seca, coriza

Sintomático

CATAPORA

HERPES SIMPLEX

HERPES GENITAL

Vírus: Herpesvirus (DNA envelopado)

Contato Direto

Relação sexual

Isolamento, e isolamento dos utensílios usados pelo doente evita disseminação da doença

erupções cutâneas que causam coceira intensa; geralmente não deixa cicatriz.

Vacina uma a partir dos 12 meses e outra aos 4 a 6 anos para catapora(varicela)

Para Herpes – Aciclovir.(retroviral)

GRIPE

Familia Picornaviridae

Influenzavirus(RNA envelopado)

Contato direto, saliva, beijo,

Influenza A (diferentes animais), B e C (humanos)

  • febre,tosse, coriza, dor de garganta, dores no corpo, dor de cabeça, calafrio e fadiga.

  • diarreia e vômitos.

Vacina HiB 2º 4º 6º mês e 15º mês

POLIOMIELITE

Familia Picornaviridae

poliovírus (RNA não-envelopado)

saliva

ingestão de água ou alimentos contaminados por excretas de pessoas contaminadas

Esse vírus é capaz de chegar ao sistema nervoso através da corrente sanguínea, podendo ocasionar paralisia total, principalmente das pernas

 Os sintomas iniciais são parecidos com uma gripe associada com náuseas, vômitos e dores abdominais.

Vacina – VIP/VOP

2º 4º 6º mês e 15º mês

4 a 6 anos

HEPATITE

Familia Picornaviridae

Vírus (tipos A,B,C,D,E,F,G).

contagio direto, água, alimentos e utensílios contaminados, sangue contaminado e contato sexual (DST).

Hepatite A prevenção por higiene.

Hepatite b – prevenção no uso de camisinhas, transfusão de sangue, e contato da mãe com bebê no parto.

mal-estar, fraqueza, falta de apetite, náuseas, dores abdominais, icterícia, cirrose hepática.

vacinas, medidas de higiene, uso de preservativos, controle dos bancos de sangue.Hepatite AA consiste em vacinar a criança e ensiná-la adotar hábitos de higiene. A vacina é realizada por injeção em duas doses em um período de seis meses e só pode ser aplicada após o primeiro ano de vida , normalmente aos doze meses e a segunda dose aos dezoito.

Hepatite B- 12 primeiras horas após o nascimento –

Pentavalente

CAXUMBA

Familia Paramyxorividae

Paramixovirus (RNA envelopado)

via respiratória

uso comum de utensílios domésticos sem a devida higienização

inflamação das glândulas salivares (parótidas). Pode infectar testículos (esterilidade em casos raros), ovários, pâncreas e cérebro.

Dor local, dificuldade deglutição, aumento dos gânglios linfáticos. Dor abdominal, cefaleia progressiva

Vacinação Tríplice viral(MMR. SRC)

Evitar contato com pessoa doente, separar utensílios de uso pessoal. . injeção em dose única aos 12 meses de idade e um reforço entre os quatro e seis anos de vida 

SARAMPO

Familia Paramyxorividae

É uma doença transmissível de pessoa para pessoa através das secreções do espirro, fala e tosse, principalmente em ambientes fechados.

A transmissão acontece quatro dias antes da aparição das manchas avermelhadas pelo corpo e até quatro dias depois.

Os sintomas aparecem depois de dez dias da infecção: febre alta, tosse, coriza e manchas avermelhadas pelo corpo. Podem ocorrer complicações principalmente em crianças menores de cinco anos, como diarreia, otite e pneumonia. A encefalite (acometimento do sistema nervoso central) pode ocorrer de um para cada mil casos.

Vacinação Tríplice viral(MMR. SRC)

Evitar contato com pessoa doente, separar utensílios de uso pessoal. . injeção em dose única aos 12 meses de idade e um reforço entre os quatro e seis anos de vida 

RUBÉOLA

Familia Paramyxorividae

Rubivirus (RNA envelopado)

saliva

contato direto com pessoas contaminadas

Pode ser grave se ocorrer em gestantes (surdez e catarata)

febre baixa, aumento dos linfonodos do pescoço e pequenas manchas vermelhas no corpo.

Vacinação Tríplice viral(MMR. SRC)

Evitar contato com pessoa doente, separar utensílios de uso pessoal. injeção em dose única aos 12 meses de idade e um reforço entre os quatro e seis anos de vida 

Raiva(Hidrofobia)

Rabdovirus

mordida de cão e gato, morcego, furão..

Incubação - 20 e 60 dias

O vírus da raiva multiplica-se inicialmente de forma localizada no músculo ou tecido conjuntivo

e é transportado dentro do axônio do neurônio chegando ao encéfalo

dificuldade para engolir; - salivação abundante; - mudança de comportamento; - mudança de hábitos, inclusive os alimentares; - paralisia das patas traseiras.

A aplicação pode ser feita pelas vias subcutânea ou intramuscular, na região do deltoide. Em crianças menores de dois anos, pode ser administrada na região do músculo vasto lateral da coxa A região glútea não deve ser utilizada, pois pode ocorrer falha no tratamento. A dose é de 1 ml, independentemente da idade, sexo ou peso do paciente. A conservação da vacina deve ser feita entre +2 e +8ºC.

a) a vacinação profilática pré-exposição;

b) a imunização preventiva pós-exposição + Soro antirrábico

Meningite viral

incluem enterovírus, vírus do herpes simplex tipo 2 (e menos comumente tipo 1), vírus varicela zoster (conhecido por causar a varicela e herpes zoster), vírus da caxumba, HIV 

Contato direto , indireto com pessoas e objetos contaminados.

Nas meningites virais, o quadro é mais leve. viroses.

Os sintomas se assemelham aos das gripes e resfriados. A doença acomete principalmente as crianças, que têm febre, dor de cabeça, um pouco de rigidez da nuca, inapetência e ficam irritadas.

Tratamento sintomático. Uma vez que os exames tenham comprovado tratar-se de meningite viral, a conduta é esperar que o caso se resolva sozinho, como acontece com as outras.

Comentários