Reflexões sobre a importância para o trabalho do Assistente Social de se conhecer os processos da Questão Social na contemporaneidade e as dificuldades presentes no exercício profissional a partir dessa realidade

Reflexões sobre a importância para o trabalho do Assistente Social de se conhecer...

-Reflexões sobre a importância para o trabalho do Assistente Social de se conhecer os processos da Questão Social na contemporaneidade e as dificuldades presentes no exercício profissional a partir dessa realidade.

Roberta Duarte Verazzani*

*Graduanda do 5º período de Serviço Social na Universidade Federal de Juiz de Fora.

O Serviço Social é uma profissão dinâmica que está inserida no próprio contexto sócio-histórico, com isso, cabe ao Assistente Social modificar a sua forma de atuação profissional, em decorrência da demanda que lhe é colocada e da necessidade de responder as exigências e as contradições da sociedade capitalista.

Na atualidade, os ajustes impostos às Políticas Sociais no Estado capitalista, por intermédio da política neoliberal, têm demandado ao Assistente Social uma visão crítica da realidade, levando o profissional a atuar de forma que apreenda a realidade concreta e as mudanças sociais, para assim, identificar novas possibilidades de intervenção profissional. Isso significa, ao mesmo tempo, assumir uma postura investigativa na medida em que se desvela o contraditório e produz as condições necessárias para o enfrentamento e superação da Questão Social presentes no cotidiano.

A postura investigativa, que permite enxergar a essência do problema, somada a teoria fundamentada a prática e o método, revela um norte para a prática. Por isso, ambos devem ser incorporados ao agir profissional.

Em vista disto, o trabalho do Assistente Social deve ser realizado sob a perspectiva da totalidade, não visualizando apenas o individuo, mas as relações mais amplas, buscando formas de intervenção para sua transformação, a partir de atendimentos às demandas mais imediatas que fazem presente no cotidiano profissional.

Logo, o enfrentamento da questão social, obriga ao profissional construir estratégias de ação que envolve a disponibilidade de recursos, o poder, a organização, a informação e a comunicação. A luta está centrada na capacidade de fortalecer os sujeitos sociais, por meio do fortalecimento da condição de cidadãos, desenvolvimento da sua auto-estima, valorização das condições singulares de sobrevivência individual e coletiva.

A apreensão de estratégias de intervenção pelo Assistente Social resulta no método de trabalho que modifica uma realidade e transforma o sujeito em ator e autor de sua história.

Desse modo, as requisições da profissão são para responder às demandas contraditórias do capital e do trabalho, colocando a intervenção profissional a uma dimensão instrumental, levando a redução da atuação funcional a manutenção da ordem no atendimento do projeto burguês.

Destacando as dificuldades existentes no exercício profissional, está em, o Assistente Social ter que assumir as determinações, objetivos e práticas do setor e/ou instituição em que atua, como se fossem atribuições profissionais específicas, fato esse que pode limitar as demandas profissionais ás exig6encias do mercado de trabalho. E isso impede a emancipação social e humana, que é a direção proposta pelo projeto ético-político profissional do Serviço Social. Por isso, a competência profissional fica restrita ao atendimento às demandas institucionais, e a intervenção profissional se identifica a adoção de procedimentos formais, legais e burocráticos.

Segundo Iamamoto (2003, p.20), “um dos maiores desafios que o Assistente Social vive no presente é desenvolver sua capacidade de decifrar a realidade e construir propostas de trabalho criativas e capazes de preservar e efetivar direitos, a partir das demandas emergentes do cotidiano”.

Portanto, “o Assistente Social precisa investir na aplicação de instrumental técnico-operativo, de forma a potencializar as ações nos níveis de acessória, planejamento, negociação, pesquisa e ação direta, condições essenciais que estimula a participação dos sujeitos sociais nas decisões que lhes dizem respeito, na defesa de seus direitos e no acesso aos meios de exercê-los”. (BATTINI, 2008, mimeo).

O Contexto Social ao qual vivemos, reclama por uma atuação profissional consistente, que intervenha sobre a condição, intervindo sobre os novos desafios postos a cada dia. Diante disto, o Assistente Social deve estar em permanente atualização para respostas aos temas sociais impostas pelas contradições existentes no modo de produção capitalista.

“Democracia, participação popular, domínio de conhecimentos, transparência, gestão honesta e criteriosa dos recursos são termos que resumem muito bem os desafios e as possibilidades de um trabalho profissional realizador e socialmente relevante para o Assistente Social, que atua no âmbito das políticas sociais” (FERREIRA GULLAR, 1975).

Bibliografia:

  • IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social na contemporaneidade: Trabalho e formação profissional. 6. ed. São Paulo: 2003

  • BATTINI, Odária. Fundamentos Teórico-metodológicos do Serviço Social na

Contemporaneidade. Palestra ministrada para os alunos do Mestrado em Serviço Social e Política Social, 2008, mimeo

  • FALEIROS, Vicente de Paula. Estratégias em Serviço Social. 5. ed. São Paulo:Cortez, 2005.

  • PAIVA, Beatriz. A. Texto: Reflexões sobre a pesquisa e processos de formulação e gestão. Item 4.3.2, s/ano

Comentários