Território de identidade 20

Território de identidade 20

(Parte 1 de 2)

Território de identidade 20:Vitoria da Conquista

Anagé

Anagé foi fundada pelo bandeirante cel. João Gonçalves da Costa, no ao de 1784, quando abria a estrada ligando o Arraial da conquista a Caetité e ao Rio São Francisco. Sua população em 2010 de acordo com o IBGE (Instituto brasileiro de geografia e estatística) e de 25.516 habitantes, o tipo climático dessa região é semi árido, período chuvoso novembro a março, sua área é de 1.947.40km2, em uma densidade demográfica de 13,10 hab./km2.

Aracatu

Sua mesorregião geográfica e no centro sul baiano, microrregião geográfica 27 Brumado, sua região econômica em Serra Geral e administrativa 19 Brumado, predomina também o clima semiárido. Aracatu teve sua origem da fazendo São Pedro de propriedade do coronel Salustiano Rodrigues de Souza Machado, em 1933 o lugarejo elevado a categoria de distrito, e teve seu topônimo substituído pelo de Aracatu.

Pela lei estadual n° 1708, de 12 de julho de 1962,foi elevada a categoria de município desmembrado do município de Brumado, e em 7 de abril de 1963 deu-se sua instalação. Seus 13.473 hab. 3938hab se encontra na zona urbana, e seus 9.805 estão em domicilio rural. Sua população residente alfabetizada é de 9.262 pessoas, seu eleitorado é de 10.510 eleitores. De acordo com a economia seu PIE per capita a preços correntes são 2.470.08 reais, receitas orçamentaria realizadas correntes são 1.694.537.021 reais, o valor do fundo de participação dos municípios (FPM) é de 731.960.904 reais.

Ao todo são 71 estabelecimentos de ensino, 17 estabelecimento de saúde, e 8estabelecimento de saúde (SUS).

Barra da Choça

Terra de poetas e contadores de historias, além da hospitalidade tem entre suas riquezas a terra fértil, onde se produzem os melhores grãos de café da Bahia. Sua população e de 34,788 hab,seu município de origem é Vitoria da Conquista, seu clima é subsumido a seco, sua vegetação floresta estacional decídua /semidecidua/floresta ombrófila densa, sua bacia hidrográfica e a bacia do rio Prado, seu principais rios são: Riacho Choça, rio dos canudos,riacho catolé grande, riacho dos monos e ribeirão agua fria. Dos 34,788 hab., 22.407 situam se na zona urbana, e os demais 12,381 na zona rural.

A economia predominante do município é a atividade agropecuária, a cultura do café corresponde a 83% da atividade econômica do município e da mão de obra, em segundo o feijão, milho, leite, como nova diversificação da cultura aparece a apicultura.

Seu PIB per capita a preços correntes são de 8,442,05 reais, valor do fundo de participação dos municípios é 1,171,148,617 reais, ao total 342 empresas locais.

Belo campo

A região era primitivamente pelos índios imborás e mongóis. A fertilidade do solo atraiu novas famílias, que no local se fixaram formando o povoado Belo Campo. Em 1915 criou o município subordinado a Vitoria da Conquista. Mesorregião geográfica centro sul baiano, tipo de clima subúmido a seco, seu solo corresponde ao latossolos e luvissolos. Sua população residente é de 16,021 pessoas, população residente alfabetizada 10.966 pessoas. Seu PIB per capita a preços correntes e de 3,197,66 reais, e seu Valor do fundo de participação dos município(FPM) é de 732,072,616 reais.

Bom Jesus da Serra

O município de Bom Jesus da Serra originou-se da fazendo bom jesus de baixo, localidade pertencente ao município de Poções estas terras pertenciam inicialmente ao Capitão Timóteo Gonçalves da Costa. Por ocasião de sua morte, passaram a pertencer aos seus filhos Bernardo Roberto e Timóteo Filho. Bernardo Gonçalves da Costa muito se esforçou pelo povoamento do Arraial dos Poções. Os últimos proprietários dessas terras, chamadas de Bom Jesus de Baixo, foram Daniel Ferreira da Costa e Vicência Ferreira Campos, que depois as venderam para o Capitão Raimundo Pereira de Magalhães, passando, posteriormente, aos herdeiros que tinham como objetivo desenvolver a agricultura e a pecuária. O comércio do arraial ganhou grande impulso, foi criada uma feira livre onde os produtores rurais vendiam suas mercadorias, tais como: laticínios, carnes de todas as espécies. A mamona, o milho, feijão, a farinha de mandioca e outros gêneros que eram enviados para Poções A partir de 1945, com o desativamento da usina houve uma forte decadência. A feira livre semanal foi extinta e transferida para a fazenda Bomfim do Amianto. Mais ou menos nesta mesma época foi desativada a exploração da mina de amianto por ter trazido sérios problemas de saúde para muitas pessoas. .atualmente, é constituído pela sede, pelo distrito de Água Bela e pelos povoados de Bonfim do Amianto e Diamante. Limita-se com os municípios de Poções, Boa Nova, Planalto, Mirante, Caetanos e Anagé. Bom Jesus da Serra faz parte da região Econômica do Sudoeste do Estado da Bahia. Localiza-se entre as coordenadas geográficas de 14º 10’a 14º 30’de latitude Sul e 40º 20’ a 40º 49’de longitude W. Gr., abrangendo uma área de 411,5 km². O município de Bom Jesus da Serra, Bahia, fica distante aproximadamente 395 km da capital, no sudoeste da Bahia. Com uma área territorial de 410 mil km2, Bom Jesus tem aproximadamente 10.113 habitantes, conforme o Censo de 2010. Sua receitas orçamentarias correntes é de 1.393.792.516 reias,seu fundo de participação do município é de 585.661.699.

Caetanos

Sua mesorregião geográfica é centro-sul-baiano, o clima predominante na região é o semiárido,o tipo de solo desse município é o latossolo,cambissolos e luvissolos. A cidade de Caetanos originou-se de um pequeno vilarejo, formado a partir da vinda do Sr. João Caetanos juntamente com seu irmão José Caetanos e suas respectivas famílias, instalando-se no assentado onde hoje é a Praça da Matriz. Ali construíram suas casas e deram origem a uma pequena vila que recebeu o nome de Caetano

Entre os primeiros fundadores estava o capitão Joaquim da Silva, que comprou as terras da família Caetanos e construiu ali a igreja.

No dia 02 de dezembro de 1910, o capitão Antônio Joaquim da Silva veio a falecer e suas terras passaram a pertencer à igreja que recebeu o nome de igreja Santo Antônio, santo este que é o padroeiro da cidade e comemora-se no dia 13 de junho, com grandes festas até a presente data.

Nessa época, Caetanos ainda era uma pequena vila pertencente ao antigo distrito de Vista Nova, município de Poções.

Com o passar dos anos, novas famílias vieram morar em Caetanos e com o aumento da população, aumentaram também os problemas, como por exemplo, a falta d'água, que obrigava que a população fosse até o rio e abrisse cacimbas para conseguir água. Havia apenas fontes d'água conhecidas como Fonte Velha e Cacimba de Luiz.

O primeiro açude foi construído pelo prefeito de Poções, no ano de 1960.

Sua população atualmente é de 13,639,população urbana 3,291 hab,é população rural 10,348 hab. Seu eleitorado é de 9.121 pessoas. Nesse município ¼, ou seja, 1.157 pessoas vivem com a renda nominal mensal de um salario mínimo. Seu valor de fundo de participação dos municípios é de 585.685.099 reais.

Cândido Sales

O território de Cândido Sales que integrava o município de Vitória da Conquista, teve a sua origem na metade do século XIX, com o povoamento por fazendeiros que ali se estabeleceram, formando o povoado Porto de Santa Cruz. Em 1943, com a transferência da sede distrital para o povoado o nome foi alterado para Quaraçu e 1954 tranferiu-se a sede do distrito para o povoado de Nova Conquista.

O município se emancipou em 5 de julho de 1962, desligando-se do município de Vitória da Conquista. No início do povoado, o local chamava-se "Nova Conquista" e teve o seu desenvolvimento acelerado com a construção da Rodovia Federal Rio-Bahia, sobretudo com a construção da ponte sobre o Rio Pardo, que margeia a cidade. O nome "Cândido Sales" é uma homenagem a um antigo proprietário de terras da região onde se formou a localidade. O clima dessa região é subúmido a seco.

Sua população é de 27,918 pessoas, seu PIB per capita a preços correntes é de 3.320.22 reais, receitas orçamentarias correntes 2,775.379.86 reais, valor do fundo de participação dos municípios e de 1.024.771.341 reais.

Caraíbas

Elevado à categoria de município com a denominação de Caraíbas, pela Lei Estadual nº 4842, de 24-02-1989, desmembrado de Tremedal. Sede no antigo Distrito de Caraíbas. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1990.

Seu tipo climático é o semiárido, sua vegetação e arbórea aberta, sem palmeiras/caatinga aberta arbórea com palmeiras. Seus principais rios Riachinho, ribeirão da anta gorda e ribeirão do gentio. Sua população é de 10.222 hab,seu eleitorado é de 6.548 pessoas, seu PIB per capita a preços correntes é de 2.693.95 reais.

A população urbana é 2,515 pessoas e a rural 7,709 pessoas.

Condeúba

Seu tipo climático é subumido a seco, seu período chuvoso é de novembro a março

Na primeira metade do século XVIII, o território era habitado pelos índios botucudos

Com a chegada dos portugueses à procura de riquezas minerais, formou-se o povoado, em 1745.

Segundo o documento "Memória Descritiva do Município de Condeúba", no início do século XVIII, os habitantes da Fazenda Serra Talhada mandaram construir no pequeno povoado, a margem direita do Rio Gavião, uma capela denominada Santo Antônio da Barra do Sítio de Condeúba, em homenagem a Santo Antônio. A mesma foi abençoada em 30 de junho de 1745, pelo Padre João de Vasconcelos Pereira, da Freguesia de Nossa Senhora do Rio Pardo. Estando a capela destruída, foi demolida, e outra maior construída no ano de 1765.

O povoado foi fundado em 1805, pelo desbravador João Gonçalves da Costa. Sua população atualmente possui 16.898 habitantes, sendo 7.462 hab. pertence a zona urbana e 9.436 hab. na zona rural. Em 2010 sua população de 16.898, em uma área de 1.285.90 km2 sua densidade demográfica era de 13,14 hab./km². O município tem um potencial turístico a ser explorado, com suas nascentes e cachoeiras, situados próximo à região do Morro do Chapéu, região montanhosa, onde localiza várias nascentes: Areal, Jacaré e com destaque a nascente do rio Condeúba, que passa por várias comunidades e deságua na Barragem do Chamarão, pertencente ao DNOCS - Departamento Nacional de Obras Contra a Seca, a barragem que abastece com água potável os municípios de Condeúba e Cordeiros.

Cordeiros

Nos meados do século XIX, o capitão Manoel Cordeiros da Silva iniciou a construção da capela do Senhor Bom Jesus da Boa Vida numa localidade pertencente ao município de Condeúba.

Formou-se o povoado de Candeal em volta da mesma.

O seu desenvolvimento deve-se à fertilidade de suas terras, seu clima ameno, que atraíram outras pessoas em busca de dias melhores.

Passou a denominar Cordeiros em 1938, devido a influência da família do sr. Manoel Cordeiros, porém em 1944 houve nova mudança desta vez para Mandacaru, e finalmente com a criação do município voltou a denominar-se Cordeiros.

Os nativos de Cordeiros são chamados cordeirenses.

Cordeiros possui uma população de 8.168 Hab,onde a população urbana é de 2.551 e a rural 5.617. Distante cerca de 660 quilômetros da capital.

Vizinho dos municípios de Condeúba, São João do Paraíso e Piripá, Cordeiros se situa a 32 km a Norte-Leste de São João do Paraíso a maior cidade nos arredores.

Situado a 718 metros de altitude, de Cordeiros as coordenadas geográficas do município Latitude: 15° 2' 24'' Sul Longitude: 41° 56' 6'' Oeste. Produção dos principais produtos de origem animal no município de Cordeiros, no estado da Bahia 2007-2010 são o leite (1.133 mil litros ) e ovos de galinha (58 mil dúzias).

Encruzilhada

No ano de 1885, o sertanejo Antônio Cardoso Cerqueira, vindo da zona de Condeúba, estabeleceu-se às margens do Rio Água Preta. Achando o local ideal para suas atividades, instalou uma selaria no cruzamento de estradas que iam em várias direções, inclusive, do Estado de Minas Gerais para o sul e sudoeste da Bahia.

A passagem forçada dos boiadeiros e tropeiros procedentes do Estado de Minas Gerais pelo local, muito contribuiu para maior saída dos produtos de sua fabricação. Outros prédios foram construídos, a partir do ano de 1891, e o lugarejo evoluía lentamente, apesar de localizado em zona pecuária por excelência.

O topônimo originou-se do cruzamento de estradas, comumente chamado de encruzilhada onde surgiu a povoação.

Sua população é de 23.766 hab,sua área de unidade territorial(km²) é de 1.982.472 em uma densidade demográfica (hab/km²) de 11.99,distacia da capital é 611 km. A principal atividade econômica é agricultura, tendo o município atualmente mais de 20.000.000 (vinte milhões) DE pés de café. Além do café tem ainda: feijão, milho, mandioca, arroz, laranja e batata-doce. A pecuária é outro tipo de atividade que desde o início de sua fundação até os dias atuais têm se desenvolvido. Encontrando-se grande quantidade de bovinos, suínos, eqüinos e caprinos.

Pequenas indústrias de queijo, requeijão, farinha, manteiga, telhas, tijolos e cachaça. Na mineração o solo é muito rico em minérios, porém sua exploração tem sido feita de forma rudimentar. Podemos destacar alguns minerais encontrados em jazidas exploradas e não exploradas.

Guajeru

Guajeru é um município brasileiro do estado da Bahia, distante cerca de 657 quilômetros da capital. Sua população estimada em 2006 era de 15.973 habitantes. Tem a sua origem no Povoado de Santa Rosa do Panasco, criado como distrito de Santa Rosa do município de Condeúba no final do século XIX pela Lei municipal n° 4 de 19 de fevereiro de 1893. O município de Guajeru passou a figurar no cenário poíitico em 1911 quando então o Povoado de Santa Rosa do Panasco passou a fazer parte da Divisão Administrativa do Município de Condeuba, como um de seus varios distritos da época. Sua história confunde-se com a deste município, explorado, no início do século XVIII, pelos portugueses em busca de riquezas minerais. A criacao do Município de Guajeru foi decretada pela Lei Estadual N° 4.402 de 25 de Fevereiro de 1985 assinada pelo Governador do estado da Bahia João Durval Carneiro.

O município de Guajeru teve suas origens históricas no início do século XIX, tudo indica que nessa época houve a exploração do sertão da região sudoeste do estado da Bahia. Fazendeiros penetram no sertão e servindo-se de trabalho escravo, formaram povoados e vilarejos. Alguns desses povoados prosperaram-se, mas a maioria acabou em pouco tempo. A seca fez do sertão um lugar difícil de se morar, os sertanejos acabaram se tornando nomades. E bem provável que na região onde se situa a cidade de Guajeru, um grupo de familias resolveram fixar moradia no local que hoje e chamada " Rua Velha", como o próprio nome justifica, esse e o lugar onde foram edificadas as primeiras habitações da cidade atual.

Durante muitos anos, varias familias viveram neste lugar, trabalhavam na agricultura e na criação de animais, principalmente de gado, galinha e cabra. Relacionavam-se com os povoados vizinhos e viviam com costumes sertanejos, herdados dos índios. Nos povoados vizinhos, que hoje e a zona rural do munícipio, a maneira de viver era a mesma, mas ambos enfrentaram um grande problema: A seca. Essa rotina pode ter durado muito tempo, e em porções menores e resistentes até hoje, e verdade que o progresso e a maneira de viver do povo tenham mudado muito, mas mesmo assim, temos que admitir que ainda conservássemos muitos costumes desses nossos antepassados.

O povoado no lugar onde hoje e conhecido por " Rua Velha", deve ter durado cerca de 100 anos, mas na época das chuvas esse lugar ficava inundado as casas caíam e era preciso reconstruí-las novamente, assim as pessoas que moravam nesse povoado naquela época resolveram mudar suas casas para um lugar mais alto, bem próximo de onde moravam. Essa mudança deve ter ocorrido por volta de 1920. A mudança foi muito demorada porque o chefe do povoado, Eugenio Bispo de Souza era contra, falava que so mudaria se levasse a sua casa, pois ele não queria construir outra. Quando ele mudou para Condeúba, Jesuíno Pereira de Souza convidou o povo para mudar, o povo aceitou e a mudança foi feita. Em pouco tempo essas casas foram construídas ao redor da Igreja, que foi erguida quando o povoado era ainda "Rua Velha". Eram duas ruas de casas que formavam o povoado de Santa Rosa do Panasco, nome dado pelos moradores a cidade em homenagem a padroeira. O nome Panasco figurou na denominação porque na região havia uma espécie de capim conhecido por Panasco.Atualmente possuiu uma população de 10.412 km²,em uma densidade demográfica de 11.12 hab./km²,sua área de unidade territorial 936.089km².O município de Guajeru não é servido por estradas asfaltadas, por esse motivo é mal servido por linhas de transporte. Não há empresas de transporte rodoviário atuando na região e as viagens intermunicipais são feitas em veículos particulares.

Há viagens permanentes para os municípios vizinhos, principalmente para Brumado e Caculé.

Existem estradas vicinais que ligam a sede do município aos povoados da zona rural e ainda estradas que ligam a sede do município aos municípios vizinhos. São todas estradas sem asfalto, conhecidas na região apenas como “estradas de terra”, as quais apresentam grande dificuldade de tráfico nos períodos chuvosos.

A cidade por ser de pequena extensão não possui transporte coletivo, há no município grande quantidade de Motocicletas usadas nas viagens mais curtas. Por está localizado na região do Polígono das secas, historicamente o município de Guajeru sempre sofreu bastante com a escassez de água nos períodos de seca prolongada, situação que permanece até os dias atuais em algumas regiões. O município de Guajeru está situado no Alto Sertão baiano e tem como clima predominante o semiárido. Em geral, as chuvas são escassas na região, os índices pluviométricos oscilam entre 400 mm a 600 mm As secas prolongadas são comuns no município, o que dificulta a agricultura. A distribuição das chuvas no território guajeruense não é uniforme, ou seja, chove mais em um lugar que em outro e há lugares em que quase não chove.

(Parte 1 de 2)

Comentários