Educação Inclusiva

Educação Inclusiva

(Parte 1 de 9)

INSTITUTO AÇÃO POSITIVA

CURSO TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO – TGD

suzenir moreira dias

EDUCAÇÃO INCLUSIVA

jOSENOPOLIS

2014

Marineuza dos reis silva

EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Atividade apresentada para a conclusão de cursos de Educação Inclusiva, Transtornos Globais do Desenvolvimento – TGD com carga horária de 180 horas, ministrado pelo Instituto Ação Positiva

JOSENOPOLIS

2013

ROTEIRO DE ESTUDO

DESENVOLVER TEXTOS COM OS TEMAS ABAIXO

1-DIVERSIDADE NA ESCOLA.

A escola muitas vezes não ter conseguido acompanhar o ritmo de informações que ocorrem na complexidade da sociedade atual.Na maioria das vezes ,nossa falta de segurança sobre determinados temas nos direcionam para um postura não satisfatória ao senso critico.Isto é continua a manter a função da escola de reprodutora de estereótipos ultrapassados que não condizem mais com o perfil da sociedade contemporânea,ou seja ,a escola continua a ignorar o trabalho com temas relacionados á diversidade ,ao preconceito racial,as questões de gêneros etc.

Segundo Frei Betto “Fazer educação inclusiva implica,entre outras coisas ,trabalhar com diversidade e,sobretudo,com alunos portadores de direitos especiais”.(FREI BETTO, apud Vasconcellos ,2002.p.74).Porém,o que vêem a ser a ser esta diversidade?

Um escola que eduque para a pluralidade culturas ,que perceba o outro como legitimo outro,respeitando sua maneira de ser ,sua cor ,sua raça ,seu modo de vestir,ou seja,todos na qual possui uma história,uma cultura uma etnia e que perceba a turma de alunos como heterogênea,visto que cada um possui um diferencial,pois provém de lugares ,culturas e famílias distintas,apresentando ritmos diferentes para aprender,o que caracteriza a pluralidade no espaço escolar.

A educação deve acompanhar os progressos e trabalhar em vistas para diminuir as desigualdades que originam devida aos avanços ,visto que há pessoas que ficam desprovidas dessas inovações .Para tanto, faz –se necessárias proporcionar esses “confortos”,também para aqueles que não tem acesso,e a ponte mediadora entre essas diferenças é a escola .

Na sala de aula há alunos de diversas culturas,o que requer do educador um olhar diferenciados para seu planejamento,bem como para o currículo escolar ,através de adaptações aos conteúdos e atividades desenvolvidas em sala de aula .Tmbém é importante pesquisar a historias dos alunos para que o conteúdo a ser estudado esteja de acordo com seus interesses e realidade..O professor é o mediador do saber crítico,onde poderá questionar esses valores e saberá utilizar do conhecimento o que tem dde valor respeitando a desigualdade e a diferença.

Mudar não é tarefa fácil e todos sabemos disso,mas o prazer da mudança surge quando a própria escola se torna espaço de (trans)formação.E somente através desta prática (trans)formadora é que poderemos construir uma sociedade mais justo ,que inclui e não exclui,que perceba a escola como espaço de construção ,através da valorização das individualidade,do respeito para as diferencias ,com a cultura de cada um ,onde a educação é o elemento essencial para um mundo melhor .A escola precisa encontrar seu caminho para a diversidade ,engajando os alunos no mundo das diferencias ,preparando- os para ser legítimos cidadãos .

Referencias:

Gestãoescolar.abril.com.br

Meuartigo.brasilescola,com>educação

Http:metodista.pedagogia6.blogspot.com

Revistas.unincor.br>capa>v.3,n.1(2012)

2- O PROFESSOR FRENTE AOS TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO.“A escolarização destas crianças precisa estar lastreada no desejo do professor,pois este,ao apontar seu desejo para o aprendizado da criança,supõe nela um sujeito também desejante e,portanto ,capaz de aprender.Desta disposição da subjetividade é que poderão surgir as curiosidade que abrirão acesso ao sujeito em aprendizagem.”(COLLE ET AL ,1997,p.40)

Os alunos com transtornos globais do desenvolvimento são descritos como sujeitos que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuropsicomotor ,comprometimento nas relação sócias ,na comunicação ou estereotipias.

O educador deve acreditar na capacidade desses alunos ,pois se o educador acaba desacreditando da capacidade de aprendizagem desses aluno ,com certeza isso irá influenciar no processo de ensino.Jerusalinky (2001)discorre acerca da antecipação do fracasso ,a incapacidade de aprender pode acabar se cumprido no aluno ,se o educador não conseguir supor naquele sujeito,independentemente de sua singularidade ,alguém capaz de aprender.Assim,se o professor antecipar o o fracasso,o aluno poderá responder colocando-se à imagem daquele que não aprende,a fim de assegurar esse lugar no qual é reconhecido pelo professor.

É bom ressaltar que os alunos com transtornos globais do desenvolvimento desenvolvem a capacidade de aprendizagem.A escola é fundamental para o crescimento ou para a conservação das capacidades cognitivas que essas crianças já adquiriram.

A com transtornos globais do desenvolvimento,evidenciando a importância da escolarização.Em fase a Esso,é importante que o educador invista na capacidade de aprender desses alunos,lançando um olhar que os retire da solidão em que muitos se encontram.

O educador deve mudar sua rotina dentro da sala de aula ,buscando inovação, brincadeira,jogos ,músicas etc .Mudando a rotina usa o dialogo como ferramenta para explicar o que mudou.O educador deve ouvir seus alunos,tenta compreende-los ,trabalhar com amor e dedicação,pois a relação entre o professor e o aluno deve ser de afeto.Não podemos esquecer que a participação da família é suma importância ,faz a diferencia.

Referencias;

COLLI,Fernando. et .al .começando uma travessia pela ponte.in:estilos da clínica:revista sobre infância .São Paulo,1997.

Elaineaee.blogspot.com.br

WWW.amped.org.br

QUESTÕES DISCURSIVAS

  1. O QUE SÃO TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO?

Os Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) são distúrbios nas interações sociais recíprocas que costumam manifestar-se nos primeiros cinco anos de vida. Caracterizam-se pelos padrões de comunicação estereotipados e repetitivos, assim como pelo estreitamento nos interesses e nas atividades. 

  1. QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS ALUNOS COM TGD?

Com relação à interação social, crianças com TGD apresentam dificuldades em iniciar e manter uma conversa. Algumas evitam o contato visual e demonstram aversão ao toque do outro, mantendo-se isoladas. Podem estabelecer contato por meio de comportamentos não-verbais e, ao brincar, preferem ater-se a objetos no lugar de movimentarem-se junto das demais crianças. Ações repetitivas são bastante comuns. 

3 – QUAL A IMPORTÂNCIA DO PROFESSOR EM RELAÇÃO AO ALUNO COM TGD E QUAL A DIFERENÇA DO SEU PAPEL PARA O DO PSCICÓLOGO DIANTE O ATENDIMENTO DO ALUNO?

O professor tem muita importância diante da criança com TGD, pois e através da professora a criança terá oportunidades de interação social, e começar a alfabetização.,O professor ira compreende e entender o aluno perante alguma dificuldade.A diferença do professor e do psicólogo é que ele estudou melhor a questão de cada doença e pode dar uma assistência melhor a família,mas tanto o psicólogo tanto o professor tem grande valia no desenvolvimento da criança.positivas, estimular a autonomia e fazer o possível para conquistar a confiança da criança. Os alunos com TGD costumam procurar pessoas que sirvam como 'porto seguro' e encontrar essas pessoas na escola é fundamental para o desenvolvimento.

4 – APRESENTE EM FORMA DE PLANEJAMENTO DIDÁTICO DUAS EXPERIÊNCIAS DE PROFESSORES COM ATENDIMENTO DE ALUNOS COM TGD? CASO NÃO CONSIGA FAÇA O SEU PLANO.

Plano de aula

1-Dados do educando:

NOME:

ANO:

PERÍODO:

PROFESSOR:(REGULAR):

PROFESSOR:(AEE):

MÉDICO RESPONSAVEL:

DATA:

-OBJETIVOS:

-Facilitar o acesso do aluno com TGD ao conhecimento, a comunidade escolar e convivências social,promovendo sua autonomia e permanência na escola

-ATIVIDADES

-Conhecer a escola e os colegas

-Higiene pessoal

-Quebra –cabeça

-RECURSOS

-Escova de dente,toalhas

-papel cartão

-tesoura

-cola

-livros

-AVALIAÇÃO

Espera-se que o aluno seja capaz de estabelecer vínculos afetivos ,exerça sua autonomia e amplie suas relações sociais e consiga realizar atividade do cotidiano escolar.

COM BASE NO TEXTO E UTILIZANDO DE OUTRAS FONTES BUSQUE AS RESPOSTAS AS QUESTÕES ABAIXO.

- O QUE É UM ALUNO COM DEFICIÊNCIA?

(Parte 1 de 9)

Comentários