Relatorio Propriedades Coligativas UERJ

Relatorio Propriedades Coligativas UERJ

  1. Introdução:

As propriedades coligativas são características físicas de uma solução, que podem ser alteradas de acordo com a concentração de soluto na solução. A adição de soluto pode ocasionar redução da sua pressão de vapor, elevação da sua temperatura de ebulição, redução da sua temperatura de congelamento e pressão osmótica. Neste relatório serão abordados somente os conceitos crioscopia e ebulioscopia.

A crioscopia estuda a diminuição da temperatura do ponto de congelamento em um solvente quando um soluto não-volátil é adicionado a ele. Essa propriedade pode ser explicada quando as partículas deste soluto dificultam a cristalização do solvente dando origem à propriedade crioscopia. Por exemplo: a água poluída possui partículas não-voláteis que dificultam o congelamento da água, já a água pura, isenta de corpo estranho, cristaliza-se mais rapidamente.

A ebulioscopia estuda o aumento da temperatura de ebulição de uma solução líquida pura através da adição de um soluto de natureza não-volátil. Isso acontece porque a água, por exemplo, só entrará em ebulição novamente se receber energia suficiente para que sua pressão de vapor volte a se igualar à pressão externa (atmosférica), o que irá acontecer numa temperatura superior a 100°C. Em um caso onde se tenha água pura, seu ponto de ebulição será 100ºC e, em outro caso, água contendo sacarose possuirá seu ponto de ebulição um pouco acima de 100ºC.

  1. Objetivo:

Analisar, através de dados experimentais, o comportamento das soluções (água, sacarose, cloreto de sódio e cloreto de cálcio) quando as mesmas são colocadas em condições necessárias para se observar a crioscopia e a ebulioscopia.

  1. Materiais Utilizados

  • Bécher

  • Tubo de ensaio

  • Termômetro

  • Erlenmeyer

  • Rolha com dupla perfuração

  • Água

  • Sacarose

  • Cloreto de Sódio

  • Cloreto de Cálcio

  • Gelo

  • Chapa de Aquecimento

  1. Procedimentos:

  • Ebulioscopia:

Inicialmente, colocou-se 100ml de água destilada em um Erlenmeyer e, em seguida, o tampou com um rolha duplamente perfurada. Através de um dos furos dessa rolha, colocou-se um termômetro, fazendo com que o bulbo do mesmo fique um pouco acima do nível da água, sem tocá-la. Posteriormente, levou-se o conjunto ao aquecimento e analisou-se as marcações no termômetro, observando, dessa forma, a temperatura inicial de ebulição, em como a sua variação ao longo do experimento. Em seguida, repetiu-se esse procedimento para as soluções 1 molar de Sacarose, Cloreto de Sódio e Cloreto de Cálcio. O Erlenmeyer e o termômetro foram devidamente limpos no a cada troca de solução.

  • Crioscopia:

Primeiramente em um bécher de 500 mL, preparou-se uma solução de gelo e sal grosso (3 partes por 1, respectivamente). O intuito era diminuir a temperatura dentro do bécher e simular uma possível situação de ambiente com baixa temperatura. Tão baixa a ponto de provocar o processo de solidificação nas diversas soluções pertencentes ao experimento.

Após isso, foram preparadas e despejadas em tubos de ensaios, soluções de 1 molal de sacarose, cloreto de sódio e cloreto de cálcio, além de uma outra solução de 3ml de água. Totalizando 4 tubos de ensaios que serão utilizados neste experimento.

Cada solução foi mergulhada no bécher, juntamente a um termômetro dentro do tubo de ensaio. Esse termômetro servirá para constatar a diferença de temperatura num determinado período até o momento em que a solução sofre mudança de estado físico.

  1. Resultados e Discussões:

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

  1. Bibliografia:

Comentários