Sucessões ecológicas

Sucessões ecológicas

Criado e Desenvolvido por:

Todos os direitos são reservados ©2017 tioronnicabral.blogspot.com.br

Processo gradual, no qual as comunidades de um ecossistema vão se alternando, ao longo do tempo, até estabelecer um equilíbrio (direcional e previsível). Resultado da ação do ambiente sobre os seres vivos, e dos seres vivos sobre o ambiente.

Fase inicial ou ecese

Instalação de organismos pioneiros (líquens, musgos, gramíneas, insetos).

Organismos pioneiros: bastante resistentes, pouco exigentes, com grande produtividade primária líquida, criam condições para a instalação de organismos mais complexos.

Fase inicial ou ecese

Processo gradativo de colonização de um habitat, no qual a composição das comunidades – e do próprio ambiente – se altera ao longo do tempo.

Ambiente inóspito – apresentam diversas condições que inviabilizam o surgimento e manutenção da vida.

• Matéria orgânica aumenta • Umidade aumenta

• Temperaturas mais amenas (sem extremos)

• Luminosidade diminui nos estratos mais baixos

• Estabilidade aumenta

Ao longo da sucessão, as características do ambiente se alteram

Fase inicial ou ecese

Espécies que modificam, pouco a pouco, as condições naturais do ambiente inóspito: - Reduzem a amplitude das variações térmicas.

- Aumentam a retenção de água na região (umidade).

- Aumentam a quantidade de matéria orgânica (atividade decompositora).

- Aumentam a estabilidade do solo (raízes).

Fase inicial ou ecese

Espécies que modificam, pouco a pouco, as condições naturais do ambiente inóspito: - Reduzem a amplitude das variações térmicas.

- Aumentam a retenção de água na região (umidade).

- Aumentam a quantidade de matéria orgânica (atividade decompositora).

- Aumentam a estabilidade do solo (raízes).

Fase intermediária ou sere (séries)

Instalação de organismos mais complexos que os pioneiros (arbustos e ervas, roedores…):

- Maior sombreamento e retenção de umidade. - Aumento da diversidade biológica e de nichos.

- Diminuição da produção primária líquida em função do maior gasto de matéria orgânica.

Fase final ou clímax

- Comunidade mais desenvolvida que pode ocorrer no ecossistema, sob as condições do local. - Grande quantidade de biomassa, de diversidade biológica e de nichos ecológicos, com predomínio de espécies mais complexas e exigentes. - Baixa produtividade primária líquida.

- Caracteriza-se por atingir o “equilíbrio”

rochas nuas dunas ilhas vulcânicas lagos recém-formados rochas nuas dunas ilhas vulcânicas lagos recém-formados

Inicia-se numa área na qual anteriormente existiam seres vivos

Inicia-se numa área na qual anteriormente existiam seres vivos

Sucessão SecundáriaSucessão SecundáriaSucessão SecundáriaSucessão SecundáriaSucessão PrimáriaSucessão PrimáriaSucessão PrimáriaSucessão Primária

Inicia-se numa área na qual anteriormente não existiam seres vivos

Inicia-se numa área na qual anteriormente não existiam seres vivos zonas ardidas campos abandonados zonas alagadas zonas ardidas campos abandonados zonas alagadas

Sucessões EcológicasSucessões Ecológicas

Sucessão Ecológica: Primária

É a sucessão que ocorre em ambientes que não possuíam comunidades biológicas instaladas e que apresentam condições desfavoráveis ao estabelecimento de vida. São exemplos destes locais as rochas, dunas e poças de lava vulcânica recémsolidificada.

Sucessão Ecológica: Secundária

É o caso da sucessão que ocorre em um ambiente parcialmente destruído, mas que já foi anteriormente ocupado por outra comunidade biológica. Embora degradado, este ambiente oferece condições mais favoráveis à ocupação de novas comunidades, o que torna a colonização das espécies pioneiras mais rápida. São exemplos de locais que sofrem sucessão secundária áreas destruídas por queimadas ou desmatamento e campos de cultivo abandonados.

SUCESSÕES ECOLÓGICASSUCESSÕES ECOLÓGICAS Sucessão Ecológica: Secundária

Campo de cultivo abandonadoTerreno baldio.

Áreas desabitadasÁreas queimadas

Produtividade de um Ecossistema:

Corresponde ao total de matéria orgânica produzida, em gramas (g), durante um certo período de tempo em uma dada área. - Produtividade Primária Bruta (PPB) = massa total de matéria orgânica produzida/tempo/área. O processo biológico diretamente relacionado à PPB é a fotossíntese. Descontando desse total a quantidade de matéria orgânica consumida pela comunidade na respiração (queima – ou combustão – da matéria orgânica para fornecimento de energia celular). Neste caso, temos a produtividade primária líquida (PPL), que pode ser representada pela equação: PPL = PPB – R

A produtividade de um ecossistema depende de diversos fatores, dentre os quais os mais importantes são a luz, a água, o gás carbônico e a disponibilidade de nutrientes.

Produtividade de um Ecossistema:

- As espécies pioneiras são gradativamente substituídas pelas espécies seres e clímax (mais exigentes), pois perdem na competição por recursos naturais; - Aumento da biodiversidade, criando novos nichos ecológicos;

- A complexidade do ecossistema aumenta;

- Surgem novos microclimas: conjunto de condições ambientais particulares do habitat ao qual estão adaptadas determinadas espécies; - Aumento da estabilidade do ecossistema e de suas comunidades, estabelecendo-se um equilíbrio dinâmico (Homeostase); - Aumento da PPB (e sua estabilização na comunidade clímax) e diminuição da PPL (pois ao longo da sucessão a taxa de respiração da comunidade aumenta: lembrar que PPL = PPB – R).

Unidades Variáveis tempo PPL respiração

PPB biomassa

Comentários