A IMPORTÂNCIA DOS EPIS PARA SEGURANÇA DO TRABALHADOR EM MARMORARIAS DO CENTRO DE SÃO GONÇALO

A IMPORTÂNCIA DOS EPIS PARA SEGURANÇA DO TRABALHADOR EM MARMORARIAS DO CENTRO...

(Parte 1 de 2)

Edison de Oliveira Machado

Ana Regina de Souza Almeida Rubem Oliveira Galvão

Michéle Tancman C. da Silva

Os EPIS são equipamentos de proteção individual, destinados a proteger a integridade física durante a atividade de trabalho, nas marmorarias a importantes de seu uso esta ligado ao fato do desenvolvimento das atividades trazerem riscos aos trabalhadores devido a geração de poeira, ruído, vibrações, riscos de acidentes e doenças ergonômicas.Cabe as empresas fornecer os EPIS adequados, exigir o uso deste, realizar treinamentos sobre o uso e conservação devida, além de substituir guando necessário como é estipulados na NR 6.

Palavra chave: Importância dos EPIS, Segurança do Trabalhador em marmoraria

INTRODUÇÃO Pretende-se com este trabalho compreender e revelar a importância do uso correto dos EPIs para segurança dos trabalhadores, com foco na saúde, prevenção e danos físicos ocasionais. Os motivos dos índices altos de acidentes relacionados com os trabalhadores de marmorarias tem sido em alguns casos o uso inadequado dos EPIs. Na definição da pesquisa, avaliou-se que, diante da exposição ocupacional à poeira contendo sílica, os trabalhadores podem estar expostos a outros agentes químicos, como aqueles presentes nas colas, na massa plástica, nas ceras e nos produtos utilizados para uniformizar a superfície das chapas e para realizar atividades de limpeza em geral.Os solventes das colas como, por serem tóxicos, podem contribuir com doenças do sistema nervoso central, doenças do sistema respiratório, irritação da pele e olhos e queimaduras. Outro agente que causa impacto na saúde dos trabalhadores é o ruído gerado principalmente pelas serras de corte e ferramentas manuais motorizadas utilizadas nos processos de acabamento. A exposição ao ruído pode resultar em um grave problema que é a Perda

Auditiva Induzida pelo Ruído (PAIR). Nas operações de acabamento em marmorarias o uso de ferramentas manuais motorizadas, como as esmerilhadeiras ou lixadeiras angulares, esmeris retos e serras-mármore, expõe os trabalhadores à vibração em mãos e braços. Além dos riscos citados anteriormente, observam-se problemas relacionados com o levantamento, transporte e movimentação de chapas e peças pesadas, bem como posturas, organização do trabalho e bancadas inadequadas. Nesses ambientes também podem ocorrer acidentes relacionados com quedas de chapas e peças, projeção de partículas e choque elétrico devido à deficiência e improvisação nas instalações. DESENVOLVIMENTO

A marmoraria constitui na etapa na industrialização de mineral granito ou mármore chamado também de beneficiamento. E constituída pelos setores de corte, polimento, acabamento e montagem. O ramo de atividade das marmorarias é classificado como indústria e comercio de artefatos de mármores e granitos (SINTICOM-SG).

A marmoraria produz peças de várias formas, de rara beleza e de grande importância econômica que são aplicáveis na construção civil. São utilizadas na produção rochas como granitos, ardósias, mármores e também produtos fabricados como o Silestone e o Limestone.Os processos e procedimentos utilizados em marmorarias envolvem transporte de chapas, polimento, corte e acabamento. Para o desenvolvimento destas atividades existem riscos para os trabalhadores devidos à geração de poeira, ruído, vibração, além de riscos de acidentes e problemas ergonômicos. Segundo dados do Sindicato das Indústrias de Mármore e Granitos do Município de São Gonçalo (SINTICOM-SG, 2012), existem nas proximidades do centro de São Gonçalo mais de 75 marmorarias operando com polimento, lustro e recorte final de chapas. Elas atendem preferencialmente à demanda de menor porte e estão distribuídas por bairros próximos ao centro do município elas. Esse quadro, no entanto, é bastante dinâmico, podendo ser alterado substancialmente ao longo do tempo. Em São Gonçalo podem ser encontradas empresas de diferentes portes econômicos, porém, devido à relativa simplicidade do processo produtivo, é comum encontrar empresas instaladas com investimento reduzido e pequeno número de funcionários (geralmente com pouca qualificação e equipamentos relativamente simples). Esse conjunto de características vem acompanhado de grande falta de informação por parte de trabalhadores e empregadores com relação aos riscos ocupacionais, típicos desse ramo de atividade

(INFORMAÇÕES DO SINDICATO PATRONAL-SG). Em relação aos equipamentos de segurança conhecido como EPI , entendido como todo e qualquer dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. As empresas são obrigadas a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, sempre que, as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e para atender a situações de emergência. Cabe ainda para a empresa, exigir o uso dos EPIs pelos seus funcionários durante a jornada de trabalho, realizar orientações e treinamentos sobre o uso adequado e a devida conservação, além de substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado. DIREITOS E DEVERES NO USO DE EPI’S

Os EPI são equipamentos de proteção individuais, destina-se a proteger a integridade física do trabalhador durante a atividade de trabalho. Sua função é neutralizar ou atenuar uns possíveis riscos, contra o corpo do colaborador que o usa. Os EPI evitam lesões ou minimizam a sua gravidade, em casos de acidentes ou exposições a riscos, também podem proteger contra efeitos de substâncias alérgicas ou agressivas, que podem causar as chamadas doenças ocupacionais. Neste artigo optou-se classificar os EPI em quatro grupos. Proteção para a cabeça; (capacete, óculos, protetor facial e protetor ouricular) de acordo com a fig. 1 Proteções para os membros superiores e inferiores; (botas, luvas) de acordo com a fig. 2 Proteção para o tronco; (macacão, blusa de manga longa). de acordo com a fig. 3 Proteção das vias respiratórias e cintos de segurança. De acordo com a fig. 4

Fig. 1fig. 2

Fonte: royalmaquinas.com.br (2012) Fonte:amclef.com.br (2012)

Fonte: vivastreet.com.br (2012)Fonte: medicinatatica.blogsport.com (2012)

Fig. 3 fig. 4

É também importante saber, a respeito dos EPI, o seu CA, (certificado de aprovação) bem como a maneira que o mesmo é fornecido, sendo assim define-se como (NR 6):

6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR,considerase Equipamento de Proteção Individual -EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

6.1.1. Entende-se como Equipamento Conjugado de Proteção Individual,todo aquele composto por vários dispositivos, que o fabricante tenha associado contra um ou mais riscos que possam ocorrer simultaneamente e que sejam suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. 6.2. O equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importada, só poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação - CA, expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho do Ministério do Trabalho e

Emprego. 6.3. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:

a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e, c) para atender a situações de emergência. 6.4. Atendidas as peculiaridades de cada atividade profissional e observado o disposto no item 6.3, o empregador deve fornecer aos trabalhadores os EPI adequados, de acordo com o disposto no anexo I desta NR. 6.4.1. As solicitações para que os produtos que não estejam relacionados no anexo I, desta NR, sejam considerados como EPI, bem como as propostas para reexame daqueles ora elencados, deverão ser avaliadas por comissão tripartite a ser constituída pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho, após ouvida a CTPP, sendo as conclusões submetidas àquele órgão do Ministério do Trabalho e Emprego para aprovação. 6.5. Compete ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT, ou a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA, nas empresas desobrigadas de manter o SESMT, recomendar ao empregador o EPI adequado ao risco existente em determinada atividade. (Fonte: normas regulamentadoras do M.T. NR 6 EPI).

A importância do tamanho das partículas

O comportamento das poeiras depende diretamente do tamanho das partículas que as compõem. Deposição devido à gravidade. A escolha de equipamentos e materiais para reduzir as concentrações de partículas no ar depende do tamanho das partículas a serem capturadas. Partículas pequenas o suficiente para estarem suspensas no ar podem ser inaladas pelo nariz ou pela boca.trabalhadores não estão expostos apenas devidos à geração de poeira, ruído, vibração, além de riscos de acidentes mais também a problemas ergonômicos. Na fig.5 observa-se um trabalhador de marmoraria em seu posto de trabalho, na função de polidor de pedras.

Fonte: Edson (2012) A altura de cada bancada é adaptada a estatura do funcionário que ira trabalhar. No objetivo que o mesmo não force a sua coluna com isso desenvolva sua função de maneira saudável e produtiva para ele e para empresa. A distância de uma bancada para outra é de 5 metros nesta empresa, dando assim mobilidade de trabalho e fazendo de forma real acontecer à higiene ocupacional. De acordo com a fig. 6 Fig. 6

Linha de montagem: ( Acabamento ). Fonte Edison Machado (2012)

A importância do uso dos EPIs

Objetivou-se obter informações sobre o perfil dos colaboradores, o treinamento que a empresa oferece sobre saúde e higiene do trabalho, e sua opinião sobre o uso de EPIs e a importância da utilização dos mesmos. A pesquisa verificou as mudanças necessárias para concretização dos objetivos almejados. Com o grau de conhecimento que os colaboradores têm sobre a importância da utilização dos EPI e como estes podem ser identificados como fatores que podem garantir a integridade física dos colaboradores. Os processos e procedimentos utilizados em marmorarias envolvem transporte de chapas, polimento, corte e acabamento. Para o desenvolvimento destas atividades existem riscos para os trabalhadores devidos à geração de poeira, ruído, vibração, além de riscos de acidentes e problemas ergonômicos. A utilização prolongada dessas ferramentas durante a jornada diária e ao longo dos anos pode ocasionar problemas de ordem vascular, neurológica, ósteo- articular, muscular, entre outros efeitos. De acordo com a fig. 7 Fig. 7

Fonte: Edison Machado (2012)

Fig. 8

Linha de confecção do cortes ( Maquinas que serra ).. Fonte. Edson(2012)

Essa forma de trabalho é sustentada por uma enorme quantidade de água, pois o sistema hídrico deve de percolar constantemente nos discos de cortes. Os recursos hídricos para uma marmoraria é tão importante quanto a matéria prima (o mármore e o granito). Para a implantação da umidificação no processo de acabamento são necessárias adequações nas instalações da marmoraria para a utilização de ferramentas pneumáticas ou elétricas com abastecimento contínuo de água. Todas as instalações devem ser projetadas, reformadas, ampliadas, reparadas e inspecionadas de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores. No caso das instalações elétricas deve-se atender aos requisitos e procedimentos da Norma Regulamentadora NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade e NBR 5410 - Instalações Elétricas de Baixa Tensão (ABNT, 2004). FOTOS DOS TANQUES DA EMPRESA RAMON DISTRIBUIDORA DE MARMORES E GRANITOS LTDA. Nestas empresas existe um sistema inteligente de reutilização de água a onde a água que desce das maquinas passa por uma serie de tanques ex: Tanques de Nº1, Nº2, Nº3, Nº4, Nº5, Nº6 quando esta água chega no sexto tanque ela já esta própria para ser utilizada novamente na produtividade da empresa materializando assim de forma clara um projeto de sustentabilidade. Fig. 9

Fonte: Edison Machado (2012) Como vimos anteriormente uma das formas mais significativas de se prevenir

nem da falta de sorte

os acidentes é o uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual) veja a baixo: Verificou-se que existem argumentos para as desculpas mais comuns, segundo José Cardoso, operário da industria de marmoraria ele afirma em entrevista que: ‘’ah, mas estou com dedo doendo, não vou colocar a bota! ,ah mas a máscara aperta meu rosto!, Há mas os óculos incomoda.’’ . ACIDENTE é uma ocorrência indesejável, inesperada e imprevisível instantânea ou não relacionada com o exercício do trabalho de que resulte ou possa resultar lesão pessoal. Ex: causando ferimentos, danos, perdas humanas ou materiais. NBR 14280 Um acidente pode mudar totalmente a rotina e a vida de uma pessoa, modificar sua razão de viver ou colocar em risco seus negócios e propriedades. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam o acidente não é obra do acaso e Denomina-se SEGURANÇA, a disciplina que congrega estudos e pesquisas visando eliminar ou reduzir os efeitos de fatores perigosos que conduzem ao acidente. Seu campo de atuação vai desde uma simples residência até complexos conglomerados industriais.

Sob o ponto de vista dos especialistas em Segurança, os acidentes são "causados" por fatores conhecidos, que podem ser previsíveis e

controláveis

Fonte: Edison Machado (2012) DEPOIS Fig. 1

Fonte: Edison Machado (2012) Funcionário José Cardoso: Como se sente utilizando os EPIs bota, avental, óculos de proteção e protetor de audição?

Resp: Puxa que sensação boa me sinto muito bem tenho com uso do EPI sensação de bem estar de segurança de proteção, sinto a harmonia e a guarda

do meu próprio corpo VALEU

Conclusão Os resultados gerados pelo presente estudo concluem que todas as dificuldades sugeridas, as que se apresentaram mais presentes na realidade das empresas foram antes de examinar os resultados. Os desperdícios foram detectados, tanto no processo produtivo, quanto em outras áreas. As máquinas dispostas de maneira inadequada para o trabalho, sem manutenção preventiva, acarretando desperdício de água, tempo e movimentação de pessoas e materiais, expondo ainda mais estes trabalhadores aos perigos e riscos existentes dentro da empresa em diferentes setores, que é refletido também no tempo de produção, além de evidenciar o desgaste precoce dessas máquinas. vale verificar que, para a grande maioria das opções listadas, o peso que elas possuem para o total de empresas segue a mesma proporção para ambos os grupos estudados mais importantes e relevantes dificuldades, e assim, podemos concluir que esta opção é tida como dificuldade para grande parte das empresas de pequeno e médio porte terá que rever seus conceitos em relação aos atuais sistemas de segurança para o trabalhador.

(Parte 1 de 2)

Comentários