FILO ARTHROPODA Profª. MainaraFigueiredo Cascaes

Introdução

•Arthropoda= “arthron”, articulação + “podos”, pé.

•900.0 espécies registradas.

–Maior filo animal.–Maior filo animal. –Distribuídos por todas as regiões da Terra.

•Eumetazoários (com tecidos), •Simetria bilateral, celo mados protostô mios,celo mados protostô mios, •Esqueleto externo (exoesqueleto) quitinoso, característica exclusiva, possui as funções de proteção, sustentação e impede a perda de água.

Por que os Artropodes conseguiram atingir tamanha conseguiram atingir tamanha diversidade e abundância?

Características principais

• Exoesqueletoversátil

– Cutícula quitinosa = revesti mento secretado pela epider meco m altacapacidade de proteção.

Características principais

• Exoesqueletoversátil

– Quitina = polissacarídeo nitrogenado.

• A cutícula éfor mada pela quitina co m agregados de proteína.proteína.

• Pode m ocorrer a i mpregnação de sais de cálcio (calcificação) –redução daflexibilidade.

Características principais

• Exoesqueletoversátil

– Não expansível = restrições aocresci mento.

• Ecdise ou muda = processo de troca do revesti mento externo.externo.

• 4à 7trocas pode m ocorrer até aidade adulta.

• Alguns grupos, ainda faze m a ecdise, mes mo após a idade adulta.

Características principais • Ecdise

Características principais

• Seg mentação e apêndices

– O corpo dos artrópodes é dividido e m 3 partes essenciais( metâ meros).

Características principais

• Seg mentação e apêndices

– Cada metâ mero apresenta u m par de apêndices seg mentados.

– A musculatura interna, basica mente constituída– A musculatura interna, basica mente constituída de músculo estriados, per mite açõesrápidas.

– Os apêndices são articulados, e possue m cerdas sensoriais.

Características principais

• Condução do ar direta mente àscélulas

– Siste ma traquealleva o oxigênio direta mente às células = altovalor metabólico.

– Siste ma branquial para– Siste ma branquial para os aquáticos.

Características principais

• Órgãossensoriais alta mente desenvolvidos

– Olhos co mpostos,tato, olfato, audição, equilíbrio, recepção quí mica.

Características principais

• Padrõesco mporta mentaisco mplexos

– Co mporta mentoinatocontrola muitas ações. – A aprendizage mta mbé m é marcante.

Características principais

• Li mitação daco mpetiçãointra-específica

– A meta morfose é ferra menta chave nesse processo, poisfor maslarvais usual mente utiliza m outros nichos.outros nichos.

Anatomia geral de ArthropodaAnatomia geral de Arthropoda Anatomia geral de ArthropodaAnatomia geral de Arthropoda

Parede do corpo

• Cavidade celo mática foi reduzida (vestigial), devido principal mente ainutilidade docelo ma co mo esqueleto hidrostático perante arigidez docorpo.docorpo.

– He mocele(câ marasanguínea).

Parede do corpo Parede do corpo

Parede do corpo

• Cadaseg mento docorpo(so mito) possui duas grandesregiões:tergito(dorsal) e o esternito (ventral).

Tergito Esternito

Parede do corpo

• A maioria dosgruposte m u mafortetendência para u ma especialização regional efor mação detag mas(cabeça,tórax e abdô men).

So mito

Apêndices dos artrópodes

• Cada so mito verdadeiro possui u m par de apêndices.

• Apêndices – projeções articuladas da parede docorpo.docorpo.

– Presença de músculos entre o me mbro e o corpo, eso mentelocalizados no me mbro.

Apêndices dos artrópodes Apêndices dos artrópodes

Apêndices dos artrópodes

• Cada peça do apêndice é cha mada de artículo.

Coxa PROTOPODITO

Apêndice birremede crustáceos Apêndice unirremede insetos

Base

Exópode Ísquio Mero

Carpo Própodo

Dáctilo

Apêndices dos artrópodes

• Diversidade de apêndices e m artrópodes = expressão dogene ho meobox(Hox).

Pernas verdadeiras Pernas falsas

(abd minais)

Sustentação e Locomoção

• A ausência do esqueleto hidrostático per mitiu que os artrópodes desenvolvesse m ca madas musculares.

•Como uma musculatura pode funcionar se está “presa” em um exoesqueleto?

Sustentação e Locomoção

• Os músculos estão organizados e m feixes curtos, e posiciona m-se e m locais co m articulação.

Sustentação e Locomoção

• Nos pontos de articulação, a cutícula é visivel mente maisfina eflexível.

– Me mbranas articulares.

• Feixes e m pares:

– Flexores: dobra m ocorpo no ponto de articulação. – Extensores: estica m ocorpo ou apêndice.

Sustentação e Locomoção Sustentação e Locomoção

Sustentação e Locomoção

• Loco moção: natação,vôo, pedestres.

– Tipos diferente de loco moção serão verificados co m maior profundidade e mcada Classe.

Cresci mento

• O processo de eli minação do exoesqueleto é deno minado muda.

• E mtodos os artrópodes, ocontrole das mudas• E mtodos os artrópodes, ocontrole das mudas éreguladovia hor monal.

– Hor mônio = ecdisona. – Muda = ecdise.

Cresci mento

Crescimento dos não-artrópodes

Crescimento dos artrópodes Muda

Muda Crescimento dos tecidos

Cresci mento

• O estágio entre as mudas são cha mados de ínstares.

Cresci mento Vídeo 1

Passo a passo da ecdise

• Entre u m muda e outro, o corpo dos artropodes passa por u m cresci mento de tecidos, “preenchendo” o exoesqueleto.

• Nesta etapa atinge-se o estado pré- muda.• Nesta etapa atinge-se o estado pré- muda.

– Glândulas da epider me secreta m enzi mas que digere m a endocutícula.

– Co m a di minuição da cutícula antiga, a epider meinicia a secreção de u ma nova, ainda mole.

– A cutícula antiga se abre, e o ani mal co m o corpo ainda mole, podese desvencilhar.

Passo a passo da ecdise

• Co m a novacutícula ainda mole, ocorpo expande-se e mcontatoco m o ar ou água.

• Inicia-se o período pós- muda, onde a cutícula é endurecida.endurecida.

Ecdise

• Ecdise ação hor monal – ecdisona.

– Controle hor monal atua de diferentes for mas e m crustáceos einsetos.

Ecdise

• Ecdise e m Crustáceos

– A muda é controlada pela inibição da produção da ecdisona.

– A ecdisona ésecretada pelaglândula órgão Y,localizada na– A ecdisona ésecretada pelaglândula órgão Y,localizada na base das antenas.

– A atividade deste órgão é controlada pela ação do hor mônio MIH (hor mônioinibidor de muda), produzi do pelo órgão X,localizado no pedúnculo ocular.

– Níveis altos de MI H no sangue,i mpede m a produção de ecdisona econsequente mente a muda.

Ecdise em Custáceos

Ausência do estímulo externo

Células do órgão X produzam MIH

Estímulo externo e ou interno apropriado

Sistema nervoso central

Níveis de MIH caem no sangue

MIH é armazenado na glândula do seio, e o hormônio liberado no sangue.

MIH inibe a produção de ecdisonapelo órgão Y

Não há muda

Inibição da produção de MIH pelo órgão X

Órgão Y produz ecdisona

Ocorre a muda

Ecdise

• Ecdise e mInsetos

– Para osinsetos, não há u minibidor de muda.

– Estí mulo adequado: siste ma nervoso central, ativa m célulassecretoras dogângliocerebral.célulassecretoras dogângliocerebral.

• Secreção da ecdisi otropina.

– Este hor mônio é carregado até o cérebro esti mulando a produção eliberação da ecdisona.

Ali mentação

• Grandevariação nafor ma de obtenção dos ali mento.

– Característicaco mpartilhada = ausência decílios externos. – Obtenção de ali mentosserátratado e mcadaclasse.

Sistema digestivo

• Siste ma digestivoco mpleto.

Esto modeu (ecto)

Proctodeu (ecto)

Mesênteron (endo)

Siste ma circulatório

• Siste ma circulatório aberto, co m a presença de u m coração.

– Osangue é bo mbeado pelocoração,conduzid o porvasoscurtos até a he mocele , onde banha os órgãos.

Osanguevolt a aocoração, por meio de u mseio peric árdic o e dos óstio s.

Trocas gasosas

• Exoesqueleto –i mpedi mento dastrocas gasosas via parede docorpo.

– Superfícies detrocasgasosas = per meáveis e ú midas.

• Co mo os artrópodes resolvera m este proble ma?

– Aquáticos =surgi mento de brânquias. – Terrestres = pul mões outraqúeias.

Trocas gasosas

• Artrópodes aquáticos(crustáceos).

– Copépodes –trocasrealizadas na superfície do corpo, e m áreas onde acutícula é maisfina( me mbranascuticulares).

Trocas gasosas

• Artrópodes aquáticos(crustáceos).

– Desenvolvi mento de brânquias – evaginações da cutícula preenchidas por he molinfa.

Evaginações= projeções da MC para fora da célula

Trocas gasosas

• Artrópodesterrestres(insetos e aracnídeos).

– Invaginações dacutícula. – Aracnídeos = pul mõesfoliáceos.

Invaginações= dobras da MC para dentro da célula.

Trocas gasosas

• Artrópodesterrestres(insetos e aracnídeos).

– Insetos = possue m túbulos ra mificados cha mados de traquéias, que se abre m para o exterior por meio dos espiráculos(poros).

Excreção

• Diversostipos de unidades excretoras.

– Crustáceos adultos = u m par de nefrídios associado a cabeça =glândulas antenais.

Excreção

• Diversostipos de unidades excretoras.

– Artrópodesterrestres =túbulos de Malpighi.

• Tubos de fundo cego que se entende m para dentro da he mocele a partir dotudo dig estiv o.

Excreção

• Aretirada das excretas(he mocele) érealizada portransporte ativo.

– Flu id o entra no nefríd io , onde ocorre a reabsorção de sais min erais e nutrie ntes.

• Túbulos de Ma lpighi executa m o mes mo processo, mas não• Túbulos de Ma lpighi executa m o mes mo processo, mas não te m a capacidade de reabsorção, porisso a porçãofinal do siste ma digestivote m esse papel.

Comentários