Biomecânica do ciclismo

Discentes:

Discentes:

Alecsandra Martins

Cleonice Nascimento

Maria Angélica

Magna Valéria

Taioana Cristina Maciel

Tatiana Martins

Docente: Alex Augusto Ferreira

A BIOMECÂNICA

Posicionamento sobre a bike

Sobrecargas articulares

Técnica de pedalada

Lesões no ciclismo

ETC...

Ciclo da Pedalada

O principio básico da pedalada é desenvolver movimentos circulares e suaves com regularidade de aplicação de força ( no sentido vertical ) sobre os pedais em todo o ciclo.

A pedalada consiste em dois movimentos básicos: EMPURAR e PUXAR o pedal.

O ciclo da pedalada é dividido em duas fases:

Fase de propulsão – de O° a 180°

Fase de Recuperação – 180°a 360°

Além da divisão por fases, o ciclo da pedalada também pode ser dividida em quatro partes iguais ou quadrantes:

Além da divisão por fases, o ciclo da pedalada também pode ser dividida em quatro partes iguais ou quadrantes:

Cinesiologia do Ciclismo

Cadeia cinética: Cadeia fechada

Tipos de contração Muscular:

Durante a fase de propulsão: Contração concêntrica dos músculos posteriores da coxa, glúteo e quadríceps.

Durante a fase de recuperação: o movimento é realizado por inércia e não por um grupo muscular especifico.

O ciclismo

No ciclismo os eventos mais importantes são determinados pela rotação do pedal da bicicleta.

A direção das forças aplicadas ao pedal muda durante a extensão do joelho, ocorrendo coativação de agonistas e antagonistas durante todo o ciclo.

A direção das forças aplicadas ao pedal muda durante a extensão do joelho, ocorrendo coativação de agonistas e antagonistas durante todo o ciclo.

No ápice do ciclo da pedalada 0° a 90° :

No ápice do ciclo da pedalada 0° a 90° :

  • Quadriceps femoral – ativo

No Arco de 200° até 130° do ciclo seguinte:

  • Reto femoral – ativo

300° a 135° do ciclo seguinte

  • Vasto medial – ativo

315° a 130° do ciclo seguinte

  • Vasto lateral - ativo

De 90° até 270°

De 90° até 270°

  • Isquiocrurais contribuem mais para produção de potência.

5° a 265°

  • Bíceps femoral – ativo

10° a 265°

  • semimembranáceo – ativo

Contração do quadríceps femoral e dos isquiocrurais ao longo das partes iniciais do ciclo.

De 270° 360°

  • Reto femoral - ativo

No tornozelo, o gastrocnêmio contribui na potência do ciclo, ele fica ativo de 30° a 270°

No tornozelo, o gastrocnêmio contribui na potência do ciclo, ele fica ativo de 30° a 270°

De 280 até Ponto Morto Superior (PMS --> 0°)

  • Tibial anterior – ativo, contribui para o levantamento do pedal.

  • Ao cessar a atividade do tibial anterior o gastrocnemio entra em atividade.

O tornozelo não realiza contração.

Comentários