Wikinomics

Editora Nova Fronteira


Wikinomics: Como a Colaboração em Massa Pode Mudar o Seu Negócio O livro mostra, com uma abordagem simples e atraente, que a humanidade está entrando num segundo estágio da Revolução da Informação, que vai mudar para sempre o conceito de uma economia - e até mesmo de uma sociedade - hierarquizada e há séculos montada sobre estruturas de poder.

Descrição

O livro "Wikinomics - Como a Colaboração em Massa Pode Mudar o seu Negócio", do renomado autor Don Tapscott e Anthony D. Williams (diretores da empresa de consultoria e inovação New Paradigm, no Canadá), mostra, com uma abordagem simples e atraente, que a humanidade está entrando num segundo estágio da Revolução da Informação, que vai mudar para sempre o conceito de uma economia - e até mesmo de uma sociedade - hierarquizada e há séculos montada sobre estruturas de poder. Estas começam a decair por causa das velocidades cada vez maiores de conexão da internet, que dão mais poder às pessoas comuns e lhes permitem interferir nos processos de produção de conhecimento e no próprio consumo.

A colaboração tradicional, em salas de reuniões, teleconferências e centros de convenções, vem sendo sistematicamente superada por colaborações em escala astronômica. Atualmente, enciclopédias, sistemas operacionais, fundos mútuos e até aviões são produzidos por equipes formadas por milhares ou mesmo milhões de pessoas. Enquanto alguns executivos temem o crescimento exponencial dessas enormes comunidades online, “Wikinomics” prova que tal medo é pura insensatez. Empresas inteligentes podem explorar competência e genialidade do coletivo para estimular inovação, crescimento e sucesso. Baseado em um projeto de pesquisa de US$9 milhões, “Wikinomics” nos mostra que multidões de pessoas podem participar da economia como nunca aconteceu antes. Através da colaboração em massa, os indivíduos agora criam uma ampla gama de bens e serviços gratuitos e de código aberto que qualquer um pode utilizar ou modificar. Assim, produzem novos programas de TV, sequenciam o genoma humano, remixam suas músicas favoritas, elaboram softwares, descobrem curas para doenças, editam textos, inventam novos cosméticos e até constroem motocicletas.

Críticas