Almanaque - do - professor

Almanaque - do - professor

(Parte 1 de 11)

Virgílio Vasconcelos Vilela

Ferramentas, dicas, curiosidades e muitas outras idéias para enriquecer as atividades docentes.

"A rocha é imensa e dura. O cortador bate uma, duas, três, dez vezes, nenhuma rachadura. Ele dá 100 marteladas, só tirando lascas. Na centésima primeira batida, a rocha imensa e dura se parte em duas. O cortador de pedras sabe que não foi somente aquela martelada a que conseguiu, mas também todas as que vieram antes".

ALMANAQUE DO PROFESOR Virgílio Vasconcelos Vilela

Em um seminário de didática para professores, estes conversavam entre si, como "bons" alunos. A instrutora apontou para o quadro e disse: "Gente, olha aqui, sexo!". A "turma" imediatamente parou de conversar e lhe deu atenção. Melhor ainda que fazer algo criativo e surpreendente, é estar sempre fazendo algo diferente. O material aqui apresentado, além de apresentar ferramentas didáticas, visa também isto: ter sempre algo para mudar o estado, quebrar a rotina, romper com a monotonia, dar um toque especial, enquanto enriquece a aula. "Mudar o estado" quer dizer mudar de ouvir para ver, para agir ou fazer, para cantar, para conversar, etc., etc. Além disso, inúmeras ferramentas são apresentadas ao professor para que este possa ser mais produtivo e obter resultados de melhor qualidade.

Quando usar este material? Algumas sugestões:

Ao planejar e controlar cursos, unidades e aulas, várias das ferramentas poderão ser úteis. Instituir um intervalo na aula, e nele fazer alguma atividade diferente, como uma visualização. Segundo Michael Gelb (citado em Revolucionando o Aprendizado, pág. 280), as pessoas tendem a se lembrar mais das primeiras impressões e das mais recentes. Assim, quanto mais intervalos houver, mais "primeiros" e "últimos" terá a aula ou apresentação. Dê uma passada de olhos no material de vez em quando, só para poder lembrar quando for preciso. E deixe o resto para sua intuição. Eventualmente você vai estar falando ou fazendo algo e se lembrar de uma frase ou caso que ilustram o que está dizendo. Se eventualmente alguns minutos iniciais da aula são perdidos porque muitos alunos não chegaram, você pode enquanto espera dar alguma atividade para os que já estão lá. Alguns casos e tópicos dão idéias de novas formas de agir. Por exemplo, a seção "Aconteceu na classe" mostra que situações potencialmente desagregadoras podem ser revertidas em favor dos objetivos.

Este trabalho não pretende ser uma coletânea de tudo o que existe; sua finalidade principal é servir como um meio de registro e organização de material que vi, li ou elaborei. De fato, é apenas um arranhão da superfície de um vasto mundo de possibilidades. Outra observação que deve ser feita é que parte dos assuntos foi descrita superficialmente. Para que ocorra um melhor aproveitamento, por vezes será necessário algum aprofundamento ou prática adicional.

Virgílio Vasconcelos Vilela Brasília, dezembro/1999 - Revista em dezembro/2002. virgiliovv@ieg.com.br

Conheça também o sites

Possibilidades - percepções e estratégias para suas inteligências: w.possibilidades.com.br

Mapas Mentais - ferramentas da sua inteligência: w.mapasmentais.com.br.

1.1 Brainstorm6
1.3 Pensamento Radiante: provando que eles podem gerar muitas idéias6
1.5 Outras práticas7
2 DESCONTRAÇÃO E INTEGRAÇÃO7
2.2 Atividades físicas8
2.4 Brincadeiras9
4 ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO E FEEDBACK10
4.1 Idéias para diretrizes de avaliação10
4.2 Idéias para critérios de avaliação10
4.3 Feedback: chamadas diferentes10
5 ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM11
5.2 Estruture graficamente as informações11
5.3 Pergunte1
5.4 Busque as respostas1
6 ESTRATÉGIAS DE ENSINO12
6.3 Métodos independentes14
6.4 Jogos e brincadeiras14
6.5 Técnicas14
7 ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO16
7.1 Se valer algo, eu faço16
7.3 Dar um sentido, um significado16
7.4 Trabalhar os objetivos do curso16
7.7 Identifique e elimine bloqueios17
8 FERRAMENTAS DE AUTO-CONHECIMENTO17
8.2 Perguntas18
10.2 Metáforas20
10.3 Aconteceu na classe2
1.1 Conceitos23
1.2 Princípios24
12 MODELOS DE PLANEJAMENTO25
12.1 Plano de Curso25
12.3 Cronograma29
13 MODELOS DE CONTROLE30
13.1 Informações de alunos30
13.2 Controle de notas31
14 PERGUNTAS DO PROFESSOR31
14.7 Avaliação35
15 REPRESENTAÇÃO DE INFORMAÇÃO35
15.2 Gráfico36
15.3 Diagrama espinha de peixe (Ishikawa)36
15.4 Mapas mentais37

ALMANAQUE DO PROFESSOR 6

© 1999 Virgílio Vasconcelos Vilela

1 CRIATIVIDADE

Práticas de criatividade que podem ser úteis em vários contextos, inclusive relacionados a um conteúdo específico. De maneira geral, praticá-las desenvolve a fluência criativa e outros processos mentais, e tendem a beneficar a pessoa em vários aspectos de sua vida.

1.1 Brainstorm

Tipicamente escrito, consiste em produzir livremente uma grande quantidade de idéias. Após, passa-se à etapa de "filtragem", na qual são julgadas as idéias segundo algum critério de finalidade ou utilidade. O mais importante aqui é não julgar durante a etapa de geração, para não obstruir a fluência. Variações: a) Sem direção. Desenvolve a fluência isoladamente. b) Com direção, finalidade ou objetivo. Por exemplo: - Drenar e conscientizar preocupações

- Achar solução de algum problema

- Identificar oportunidades de melhoria

- Idéias para ganhar dinheiro

- Soluções ou oportunidades pessoais, escolares, etc. etc. c) Coletivo d) Corporal e) Linguístico f) Desenhos, imagens e rabiscos

Escolher um assunto ou tema e pedir para identificarem: - Pontos positivos

- Pontos negativos

- Pontos interessantes

O nome vem de "Plus, Minus, Interesting". Outras variações: a) em grupo b) um tipo de aspecto de cada vez c) combinado com brainstorm d) combinado com estratégias de reunião.

1.3 Pensamento Radiante: provando que eles podem gerar muitas idéias

Mais uma vez. A conclusão: 10x10x10e tem-se centenas de idéias, e uma só que for

Instrua os alunos a fazerem um círculo no centro do papel e escrever nele uma idéia. Pode ser algo relacionado a um tema do conteúdo ou algo abstrato ou genérico, como "paixão" ou "vida". Do círculo central eles vão desenhar 10 "perninhas" e em cada uma escrever uma palavra que se relaciona com a palavra central (se houver bloqueios, por qualquer palavra que vier). Das 10 palavras, eles vão escolher uma e fazer o mesmo, isto é, 10 perninhas com palavras relacionadas. aproveitada já valeu o esforço.

1.4 Páginas matinais

Providencie um caderno. A cada manhã, você deve escrever três páginas com tudo o que lhe vier à cabeça. Qualquer coisa! "Ah, meu Deus, que vontade de ficar na cama! Ih, tenho que levar o

ALMANAQUE DO PROFESSOR 7

© 1999 Virgílio Vasconcelos Vilela carro pra consertar. Que saco, ter que trabalhar! Pensando bem, até que tem coisas boas por ali.. blá, blá, blá...". Sugerida por Julia Cameron, esta prática pode ser vista de várias formas: como uma drenagem mental, um jorro de consciência, um exercício de liberdade interior. Ela sugere e recomenda: - Não existe uma forma errada de se escrever as páginas.

- As páginas não precisam ser uma obra literária.

- Nada é demasiado belo, tolo, estúpido ou estranho para ser incluído.

- Não crie expectativas de que as páginas serão inteligentes (embora às vezes possam ser).

- As páginas matinais são inegociáveis: não omita, não economize, não se importe com o seu estado de espírito nem com que seu Censor diga.

As páginas matinais são a principal ferramenta de recuperação criativa da proposta da autora. Vale a pena aprofundar-se no tema (veja a bibliografia).

1.5 Outras práticas

1. Utilidades de objeto

poeira

Escolha um objeto comum e descubra utilidades diferentes da normal para o objeto. Por exemplo, para óculos escuros: esconder olhos de choro, modificar a aparência, esconder um aparelho auditivo, parecer com artista de cinema, prender o cabelho, proteger os olhos da

2. Texto alfabético

Bateu Como Devia Em Frederico, Gostei Horrores, Inclusive".

Escreva um texto em que cada palavra comece com uma letra do alfabeto, de A a Z: "Aquilo

3. Perguntas Escolha um tema qualquer, vinculado ou não a um objetivo, e elabore 30 perguntas (ou quem sabe 40) sobre o tema.

2 DESCONTRAÇÃO E INTEGRAÇÃO

Segundo o livro Revolucionando o Aprendizado, o aprendizado tende a ser maior no início e no fim das sessões. Torna-se importante então "quebrar" a seqüência de vez em quando. Nesta seção você vai encontrar várias idéias para isso ou somente para descontrair, pura e simplesmente.

2.1 Apresentação das pessoas

Apresentação tradicional Cada pessoa, no início, se apresenta, dizendo seu nome, o que faz, interesses, hobbies, etc.

Heteroapresentação com cochicho Para melhor apresentar os alunos, ao invés da auto-apresentação, dar alguns minutos para que,

"cochichando" aos pares, cada aluno descubra informações sobre um colega: de onde é, o que faz, o que tem por hobby, etc. Após, um apresenta o outro à classe.

Qualidades pessoais Cada pessoa se apresenta a várias outras, uma de cada vez, dizendo uma qualidade que possui:

(Parte 1 de 11)

Comentários