Curso - Semiotecnica Aplicada a Enfermagem

Curso - Semiotecnica Aplicada a Enfermagem

(Parte 2 de 8)

Curativo Técnicas de desinfecção de cânulas

7 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Técnicas de troca de cânula Retirada do conjunto de cânula de traqueostomia Oxigenoterapia

8 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Precauções Universais, atualmente denominadas Precauções Básicas, são medidas de prevenção que devem ser utilizadas na assistência a todos os pacientes, na manipulação de sangue, secreções e excreções, e contato com mucosas e pele não-íntegra.

Essas medidas incluem a utilização de Equipamentos de Proteção Individual

(E.P.I.), com a finalidade de reduzir a exposição do profissional a sangue ou fluidos corpóreos, e os cuidados específicos recomendados para manipulação e descarte de materiais pérfuro-cortantes, contaminados por material orgânico.

Têm por objetivo evitar a transmissão de infecções (conhecidas ou não) do paciente para o profissional de saúde.

1. Orientações gerais

Cuidados com as mãos As mãos são as maiores responsáveis pela transmissão de microorganismos e, conseqüentemente, a infecção. É necessário, portanto, uma boa higiene das mãos antes e após o contato com paciente ou depois de manusear materiais contaminados. Devem-se manter unhas curtas e limpas, proteger lesões das mãos, não usar anéis ou jóias, que dificultará uma higiene correta das mãos.

Equipamentos de proteção individual Os equipamentos de proteção individual são: luvas, máscaras, gorros, óculos de proteção, capotes (aventais) e botas, e atendem às seguintes indicações:

9 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

• Luvas - sempre que houver possibilidade de contato com sangue, secreções e excreções, com mucosas ou com áreas de pele não-íntegra (ferimentos, escaras, feridas cirúrgicas e outros);

• Máscaras, gorros e óculos de proteção - durante a realização de procedimentos em que haja possibilidade de respingo de sangue e outros fluidos corpóreos, nas mucosas da boca, nariz e olhos do profissional;

• Capotes (aventais) - devem ser utilizados durante os procedimentos com possibilidade de contato com material biológico, inclusive em superfícies contaminadas;

• Botas - proteção dos pés em locais úmidos ou com quantidade significativa de material infectante (centros cirúrgicos, áreas de necropsia e outros).

Recomendações para utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) nas Precauções Básicas

Procedimento Lavar as mãos

Luvas Capote

(avental)

Máscara e óculos de proteção

Exame de paciente sem contato com sangue, fluidos corporais, mucosas ou pele nãoíntegra

Exame de paciente, incluindo contato com sangue, fluidos corporais, mucosas ou pele não-íntegra

Coleta de exames de sangue, urina e fezes X X - -

Realização de curativos X X -* - **

Aplicações X X - - **

10 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores parenterais de medicações

Punção ou dissecção venosa profunda X X X X

Aspiração de vias aéreas e entubação traqueal X X X X

Endoscopias, broncoscopias X X X X

Procedimentos dentários X X X X

Procedimentos com possibilidade de respingos de sangue e secreções

Fonte: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Manual de Condutas em Exposição Ocupacional a Material Biológico. 1999.

* A utilização de capotes (aventais) está indicada durante os procedimentos em haja possibilidade de contato com material biológico, como na realização de curativos de grande porte, em que haja maior risco de exposição ao profissional, como grandes feridas cirúrgicas, queimaduras graves e escaras de decúbito.

**O uso de óculos de proteção está recomendado somente durante os procedimentos em que haja possibilidade de respingo, ou para aplicação de medicamentos quimioterápicos.

Cuidados com materiais pérfuro-cortantes Recomendações específicas devem ser seguidas durante a realização de procedimentos que envolvam a manipulação de material pérfuro-cortante:

1 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

• Jamais utilizar os dedos como anteparo durante a realização de procedimentos que envolvam materiais pérfuro-cortantes;

• As agulhas não devem ser reencapadas, entortadas, quebradas ou retiradas da seringa com as mãos; • Não utilizar agulhas para fixar papéis;

• Todo material pérfuro-cortante (agulhas, scalp, lâminas de bisturi, vidrarias, entre outros), mesmo que estéril, deve ser desprezado em recipientes resistentes à perfuração e com tampa;

• Os recipientes específicos para descarte de material não devem ser preenchidos acima do limite de 2/3 de sua capacidade total, e devem ser colocados sempre próximos do local onde é realizado o procedimento.

Isolamento e precauções O isolamento e precaução é uma forma aplicada a todos os pacientes com transmissão de microorganismos por aerossóis, por contato e via respiratória.

O profissional deverá manter as Precauções Padrão, a todos os pacientes com doenças transmissíveis, que consiste em: lavagem das mãos; o uso de luvas, máscara e óculos; cuidados no manuseio de materiais pérfuro-cortantes e equipamentos; e quarto privativo para os pacientes com doenças infecciosas, onde o ambiente também é considerado.

Tipos de isolamento e precaução

PRECAUÇÃO RESPIRATÓRIA São indicadas para pacientes portadores de microrganismos transmitidos por gotículas de tamanho superior a 5 microns, que podem ser geradas durante tosse, espirro, conversação ou realização de diversos procedimentos. (Exemplo: coqueluche, difteria, streptococos pneumoiae, neisseria meningitides e caxumba).

12 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Estas precauções consistem em: 1. Quarto privativo ou coorte de pacientes com o mesmo agente etiológico. A distância mínima entre dois pacientes deve ser de 1 metro. A porta pode permanecer aberta; 2. Máscara deve ser utilizada se houver aproximação ao paciente, numa distância inferior a um metro. Por questões operacionais, as máscaras podem ser recomendadas para todas as vezes que o profissional entrar no quarto. Devem-se incluir os visitantes e acompanhantes; 3. O transporte dos pacientes deve ser limitado ao mínimo indispensável e, quando for necessário, o paciente deve usar máscara.

PRECAUÇÕES COM AEROSSÓIS São indicadas para pacientes com suspeita ou infecção comprovada por microrganismos transmitidos por aerossóis (partículas de tamanho < 5 microns) que ficam suspensos no ar e que podem ser dispersos a longas distâncias. (Exemplo: varicela, sarampo, tuberculose).

Consistem em: 1. Quarto privativo (ou coorte, que deve ser evitada) que possua pressão de ar negativa em relação às áreas vizinhas; um mínimo de 06 trocas de ar por hora; e, cuidados com o ar que é retirado do quarto (filtragem com filtros HEPA) antes da recirculação em outras áreas do hospital. As portas devem ser mantidas fechadas; 2. Proteção respiratória com máscara que possua capacidade adequada de filtração e boa vedação lateral, máscara nº 95. Indivíduos suscetíveis a sarampo e varicela não devem entrar no quarto de pacientes com suspeita ou portadores destas infecções; 3. O transporte dos pacientes deve ser limitado, mas se for necessário eles devem usar máscara (a máscara cirúrgica é suficiente).

PRECAUÇÕES DE CONTATO Estão são indicadas para pacientes com infecção ou colonização por microrganismos com importância epidemiológica e que são transmitidos por contato

(Parte 2 de 8)

Comentários