Enade Prova Automação Industrial 2009.pdf IFSP Automação

Enade Prova Automação Industrial 2009.pdf IFSP Automação

(Parte 1 de 5)

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP

01 - Você está recebendo o seguinte material: a)este caderno com as questões de múltipla escolha e discursivas, das partes de formação geral e componente específico da área, e das questões relativas à sua percepção sobre a prova, assim distribuídas:

Ministério da Educação

2008 Novembro 2008 b)1 Caderno de Respostas em cuja capa existe, na parte inferior, um cartão destinado às respostas das questões de múltipla escolha e de percepção sobre a prova. As respostas às questões discursivas deverão ser escritas a caneta esferográfica de tinta preta nos espaços especificados no Caderno de Respostas. 02 -Verifique se este material está completo e se o seu nome no Cartão-Resposta está correto. Caso contrário, notifique imediatamente a um dos Responsáveis pela sala. Após a conferência do seu nome no Cartão-Resposta, você deverá assiná-lo no espaço próprio, utilizando caneta esferográfica de tinta preta. 03 -Observe no Cartão-Resposta as instruções sobre a marcação das respostas às questões de múltipla escolha (apenas uma resposta por questão). 04 -Tenha muito cuidado com o Cartão-Resposta, para não o dobrar, amassar ou manchar. Este Cartão somente poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens - superior e/ou inferior - onde se encontra a barra de reconhecimento para leitura ótica. 05 -Esta prova é individual. São vedados o uso de calculadora e qualquer comunicação e troca de material entre os presentes, consultas a material bibliográfico, cadernos ou anotações de qualquer espécie. 06 -Quando terminar, entregue a um dos Responsáveis pela sala o Cartão-Resposta grampeado ao Caderno de Respostas e assine a Lista de Presença. Cabe esclarecer que você só poderá sair levando este Caderno de Questões, decorridos 90 (noventa) minutos do início do Exame. 07 -Você terá 04 (quatro) horas para responder às questões de múltipla escolha, discursivas e de percepção sobre a prova.

Números dasQuestõesPeso de cada partePartes

Formação Geral/Múltipla Escolha

Formação Geral/Discursivas Componente Específico/Múltipla Escolha Componente Específico/Discursivas Percepção sobre a prova

1 a 8 9 e 10 1 a 37 38 a 40 1 a 9

15 % _

TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 2

QUESTÃO 1

O escritor Machado de Assis (1839-1908), cujo centenário de morte está sendo celebrado no presente ano, retratou na sua obra de ficção as grandes transformações políticas que aconteceram no Brasil nas últimas décadas do século XIX. O fragmento do romance Esaú e Jacó, a seguir transcrito, reflete o clima político-social vivido naquela época.

Os personagens a seguir estão presentes no imaginário brasileiro, como símbolos da Pátria.

Das imagens acima, as figuras referidas no fragmento do romance Esaú e Jacó são (A)I e I(B)I e V(C)I e I(D)I e IV(E)I e V

Podia ter sido mais turbulento. Conspiração houve, decerto, mas uma barricada não faria mal. Seja como for, venceu-se a campanha. (...)

Deodoro é uma bela figura. (...)

Enquanto a cabeça de Paulo ia formulando essas idéias, a de Pedro ia pensando o contrário; chamava o movimento um crime.

— Um crime e um disparate, além de ingratidão; o imperador devia ter pegado os principais cabeças e mandá-los executar. ASSIS, Machado de. Esaú e Jacó. In:_. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1979. v. 1, cap. LXVII (Fragmento).

LAGO, Pedro Corrêa do; BANDEIRA, Julio. Debret e o Brasil: Obra Completa 1816-1831. Rio de Janeiro:Capivara, 2007. p. 93.

LAGO, Pedro Corrêa do; BANDEIRA, Júlio. Debret e o Brasil: Obra Completa 1816-1831. Rio de Janeiro: Capivara, 2007. p. 78.

ERMAKOFF, George. Rio de Janeiro, 1840-1900: Uma crônica fotográfica. Rio de Janeiro: G. Ermakoff Casa Editorial, 2006. p.38.

ERMAKOFF, George. Rio de Janeiro, 1840- 1900: Uma crônica fotográfica. Rio de Janeiro: G. Ermakoff Casa Editorial, 2006. p.189.

Disponível em: http://www.morcegolivre.vet.br/tiradentes_lj.html

QUESTÃO 2

Quando o homem não trata bem a natureza, a natureza não trata bem o homem.

Essa afirmativa reitera a necessária interação das diferentes espécies, representadas na imagem a seguir.

(C)ingerência do homem na reprodução de espécies em cativeiro.

QUESTÃO 3 A exposição aos raios ultravioleta tipo B (UVB) causa quei- maduras na pele, que podem ocasionar lesões graves ao longo do tempo. Por essa razão, recomenda-se a utilização de filtros solares, que deixam passar apenas uma certa fração desses raios, indicada pelo Fator de Proteção Solar (FPS). Por exemplo, um protetor com FPS igual a 10 deixa passar apenas 1/10 (ou seja, retém 90%) dos raios UVB. Um protetor que retenha 95% dos raios UVB possui um FPS igual a (A) 95 (B) 90 (C) 50 (D) 20 (E) 5

QUESTÃO 4 CIDADÃS DE SEGUNDA CLASSE?

As melhores leis a favor das mulheres de cada país-membro da União Européia estão sendo reunidas por especialistas. O objetivo é compor uma legislação continental capaz de contemplar temas que vão da contracepção à eqüidade salarial, da prostituição à aposentadoria. Contudo, uma legislação que assegure a inclusão social das cidadãs deve contemplar outros temas, além dos citados.

QUESTÃO 5 A foto a seguir, da americana Margaret Bourke-White (1904-71), apresenta desempregados na fila de alimentos durante a Grande Depressão, que se iniciou em 1929.

STRICKLAND, Carol; BOSWELL, John. Arte Comentada: da pré-história ao pós-moderno. Rio de Janeiro: Ediouro [s.d.].

Disponível em: http://curiosidades.spaceblog.com.br Acesso em: 10 out. 2008.

TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 4

Apesar do progresso verificado nos últimos anos, o Brasil continua sendo um país em que há uma grande desigualdade de renda entre os cidadãos. Uma forma de se constatar este fato é por meio da Curva de Lorenz, que fornece, para cada valor de x entre 0 e 100, o percentual da renda total do País auferido pelos x% de brasileiros de menor renda. Por exemplo, na Curva de Lorenz para 2004, apresentada ao lado, constata-se que a renda total dos 60% de menor renda representou apenas 20% da renda total. De acordo com o mesmo gráfico, o percentual da renda total correspondente aos 20% de maior renda foi, aproximadamente, igual a (A) 20% (B) 40% (C) 50% (D) 60%

(E) 80%

Disponível em: http://w .ipea.gov.br/sites/0/2/livros/ desigualdaderendanobrasil/cap_04_avaliandoasignificancia.pdf

LE MONDE Diplomatique Brasil. Atlas do Meio Ambiente, 2008. p. 82.

QUESTÃO 6 CENTROS URBANOS MEMBROS DO GRUPO “ENERGIA-CIDADES”

QUESTÃO 7

QUESTÃO 8

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche(1844-1900), talvez o pensador moderno mais incômodo e provocativo, influenciou várias gerações e movimentos artísticos. O Expressionismo, que teve forte influência desse filósofo, contribuiu para o pensamento contrário ao racionalismo moderno e ao trabalho mecânico, através do embate entre a razão e a fantasia. As obras desse movimento deixam de priorizar o padrão de beleza tradicional para enfocar a instabilidade da vida, marcada por angústia, dor, inadequação do artista diante da realidade. Das obras a seguir, a que reflete esse enfoque artístico é

(A)(B)(C)

Menino mordido por um lagarto Michelangelo Merisi (Caravaggio) - National Gallery, Londres Disponível em: http://vr.theatre.ntu.edu.tw/artsfile/ artists/images/Caravaggio/Caravaggio024/File1.jpg

Figura e borboleta Milton Dacosta Disponível em: http://www.unesp.br/ouvidoria/ publicacoes/ed_0805.php

O grito - Edvard Munch - Museu Munch, Oslo Disponível em: http://members.cox.net/ claregerber2/The%20Scream2.jpg

Homem idoso na poltrona Rembrandt van Rijn - Louvre, Paris Disponível em: http://www.allposters.com/ gallery.asp?startat=/ getposter.aspolAPNum=1350898

Abaporu - Tarsila do Amaral Disponível em: http://tarsiladoamaral.com.br/index_frame.htm

TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 6

O caráter universalizante dos direitos do homem (...) não é da ordem do saber teórico, mas do operatório ou prático: eles são invocados para agir, desde o princípio, em qualquer situação dada. François JULIEN, filósofo e sociólogo.

Neste ano, em que são comemorados os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, novas perspectivas e concepções incorporam-se à agenda pública brasileira. Uma das novas perspectivas em foco é a visão mais integrada dos direitos econômicos, sociais, civis, políticos e, mais recentemente, ambientais, ou seja, trata-se da integralidade ou indivisibilidade dos direitos humanos. Dentre as novas concepções de direitos, destacam-se:

(Parte 1 de 5)

Comentários