Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial

Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial

(Parte 4 de 20)

Hipertensão estágio � o� 2 e risco cardiovasc�lar* ** baixo o� médio

Prazo máximo de reavaliação�� 2 meses**

Considerar MRPA ou

Normotensão

MAPA/MRPA�� na s�speita de hipertensão mascarada

Contin�ar medidas de pressão arterial

Hipertensão

MAPA/MRPA�� na s�speita de hipertensão do avental branco

Contin�ar medidas de pressão arterialHipertensão do avental brancoDiagnóstico de hipertensãoHipertensão do avental brancoDiagnóstico de hipertensão

Figura 1. Algoritmo para o diagnóstico da hipertensão arterial �modificado de s�gestão do Canadian Hypertension Ed�cation Program���

2.5. Situações Especiais de Medida da Pressão Arterial

Crianças

Idosos

Pressão arterial casual de consultório

Visita 3

PAD ≥ 90

Visita 3 PA vigília ≤ 135/85

Visita 3 PA 24 horas PAS > �30 o� PAD > 80

Visita 3

Gestantes

Recomenda-se que a medida da pressão arterial seja feita na posição sentada, identificando-se a pressão diastólica na fase V de Korotkoff54 (D).

2.6. Critérios Diagnósticos e Classificação

Classificação Pressão sistólica(mmHg)

Pressão diastólica (mmHg)

Tabela 7. Classificação da pressão arterial de acordo com a medida cas�al no cons�ltório �> �8 anos�

Por outro lado, um menino com 14 anos de idade, medindo 158 cm (percentil 25) e com pressão arterial de 110/70 mmHg, seria considerado normotenso. Já outro menino de mesma idade e mesma altura, mas com pressão arterial de 122/70 mmHg, seria considerado limítrofe. Se esta segunda criança, em vez de 158 cm, tivesse estatura de 170 cm (percentil 75), a pressão arterial de 130/83 mmHg o faria ser considerado hipertenso.

Diagnóstico e Classificação

ClassificaçãoPercentil* para PAS e PADFreqüência de medida da pressão arterial NormalPA < percentil �0Reavaliar na próxima cons�lta médica agendada

LimítrofePA entre percentis �0 a �� o� se PA exceder �20/80 mmHg sempre < percentil �0 até < percentil �� Reavaliar em �� meses

Hipertensão estágio �Percentil �� a �� mais � mmHgPaciente assintomático�� reavaliar em � a 2 semanas�� se hipertensão confirmada encaminhar para avaliação diagnóstica Paciente sintomático�� encaminhar para avaliação diagnóstica

Hipertensão estágio 2PA > percentil �� mais � mmHgEncaminhar para avaliação diagnóstica

Hipertensão do avental brancoPA > percentil �� em amb�latório o� cons�ltório e PA normal em ambientes não relacionados à prática clínica

* Para idade, sexo e percentil de estat�ra��

Tabela 8. Classificação da pressão arterial para crianças e adolescentes �modificado do The Fo�rth Report on the Diagnosis, Eval�ation and Teatment of High Blood Press�re in Children and Adolescents�

Idade (anos) PercentilPA sistólica (mmHg) por percentil de estaturaPA diastólica (mmHg) por percentil de estatura

Diagnóstico e Classificação

Tabela 9. Valores de pressão arterial referentes aos percentis �0, �� e �� de pressão arterial para meninas de � a �7 anos de idade, de acordo com o percentil de estat�ra

Diagnóstico e Classificação

Idade (anos) PercentilPA sistólica (mmHg) por percentil de estaturaPA diastólica (mmHg) por percentil de estatura

Tabela 10. Valores de pressão arterial referentes aos percentis �0, �� e �� de pressão arterial para meninos de � a �7 anos de idade, de acordo com o percentil de estat�ra

Tabela 1. Gráficos de desenvolvimento para cálc�lo do percentil de alt�ra Diagnóstico e Classificação

A. Gráfico de desenvolvimento de meninas para cálculo do percentil de altura

B. Gráfico de desenvolvimento de meninos para cálculo do percentil de altura.

SOURCE�� Developed by the National Center for Health Statistics in collaboration with the National Center for Chronic Disease Prevention and Health Promotion �2000��� http��//w��cdc��gov/growthcharts

Idade (anos)

Idade (anos) a l t u r a p e s o a l t u r a p e s o

Idade (anos)

Idade (anos) a l t u r a p e s o a l t u r a p e s o

Tabela 3. Dados relevantes do exame físico Os objetivos da investigação clínico-laboratorial estão na tabela 1.

3. Investigação Clínico-Laboratorial e Decisão Terapêutica

(Parte 4 de 20)

Comentários