(Parte 1 de 4)

Armazenamento

BLH-IFF/NT- 36.04 – Congelamento de LHO Processado BLH-IFF/NT- 37.04- Estocagem do LHO Pasteurizado BLH-IFF/NT – 38.04 – Controle de Temperatura dos Freezers BLH-IFF/NT – 39.04 – Controle de Temperatura das Geladeiras

FEV 2004 BLH-IFF/NT- 36.04

Congelamento do

Leite Humano Ordenhado

Processado Rede Nacional de

Bancos de Leite

Humano

FIOCRUZ/IFF-BLH Av. Rui Barbosa, 716 – Flamengo Rio de Janeiro CEP 20550-020 Tel/fax: (021) 2553-9662 w.redeblh.fiocruz.br

Origem Centro de Referência Nacional para Bancos de Leite Humano – Instituto Fernandes Figueira / Fundação Oswaldo Cruz / Ministério da Saúde

Autores Vander Guimarães; João Aprígio Guerra de Almeida & Franz Reis Novak

Palavras-Chave: Congelamento. Leite humano processado. 2 páginas

1. Objetivo 2. Documentos Complementares 3. Definições 4. Condições Gerais 5. Condição Específica

1. Objetivo

Esta Norma tem por objetivo estabelecer as condições necessárias para congelamento do leite humano ordenhado processado e faz parte do controle de qualidade em Banco de Leite Humano.

2. Documentos Complementares Na elaboração desta Norma foram consultados: BLH-IFF/NT 31.04 – Embalagem para o Leite Humano Ordenhado. 2003

BLH-IFF/NT 34.04 – Pasteurização do Leite Humano Ordenhado. 2004

Portaria MS-322/8. Normas para Implantação e Funcionamento de Bancos de Leite Humano. DOU – 26/05/1988

Para efeito desta Norma, aplica-se a seguinte definição:

3.1 Congelamento: transformação do estado físico de uma substância, de líquido para sólido, através da diminuição da sua temperatura.

4. Condições Gerais

4.1 A embalagem para congelar o leite humano ordenhado pasteurizado deverá obedecer às especificações de acordo com a Norma BLH-IFF/NT 31.04 – Embalagem para o Leite Humano Ordenhado. 2004.

4.2 O congelamento do leite humano pasteurizado deverá ser feito imediatamente após a etapa de resfriamento rápido, que se segue à pasteurização.

4.3 Antes de proceder ao congelamento, verificar se as tampas das embalagens foram completamente rosqueadas após a etapa de resfriamento rápido.

Apesar da notória superioridade do congelamento rápido no que diz respeito à qualidade do leite humano ordenhado, na prática trata-se de uma alternativa inviável para a estrutura operacional dos Bancos de Leite Humano, em virtude do elevado custo para dispor de uma fonte fria que possibilite operar com temperaturas inferiores a –35OC.

Assim, resta a alternativa de utilizar os freezers comumente disponíveis no mercado, que garantem uma temperatura de estocagem em torno de –16OC.

5.1 O produto fluido só deverá ser levado ao freezer após ser devidamente resfriado a uma temperatura de 5OC ou menos.

5.2 Sempre que possível, utilizar um equipamento para congelamento e outro para estocagem.

5.3 Quando não se dispõe de equipamentos que permitam operar como em 5.2, reservar a primeira prateleira do equipamento apenas para congelamento.

5.3.1 A maioria dos equipamentos dispõe de uma maior área de troca térmica na primeira prateleira, permitindo maior circulação do gás refrigerante. Por essa razão, consegue-se melhor performance de congelamento nessa parte do equipamento.

Estocagem do

FEV 2004 BLH-IFF/NT- 37.04

Leite Humano Ordenhado

Pasteurizado

Rede Nacional de Bancos de Leite

Humano

FIOCRUZ/IFF-BLH Av. Rui Barbosa, 716 – Flamengo Rio de Janeiro CEP 20550-020 Tel/fax: (021) 2553-9662 w.redeblh.fiocruz.br

Origem Centro de Referência Nacional para Bancos de Leite Humano – Instituto Fernandes Figueira / Fundação Oswaldo Cruz / Ministério da Saúde

Autores João Aprígio Guerra de Almeida; Vander Guimarães & Franz Reis Novak

Palavras-Chave: Estocagem. Leite humano. Qualidade. 5 páginas

1. Objetivo 2. Documentos Complementares 3. Definições 4. Fundamentos 5. Condições Gerais 6. Condições Específicas 7. Equipamentos

ANEXO – Formulário para Controle de Temperatura

1. Objetivo

Esta Norma estabelece os critérios para estocagem do leite humano ordenhado e pasteurizado, devendo integrar o controle de qualidade de rotina dos Bancos de Leite Humano.

2. Documentos Complementares Na elaboração desta Norma foram consultados:

BLH-IFF/NT 18.04 – Pré-estocagem do Leite Humano Ordenhado Cru. 2004

BLH-IFF/NT 2.04 – Estocagem do Leite Humano Ordenhado Cru. 2004 BLH-IFF/NT 4.04 – Controle de Termômetros. 2004

NBR 14711: 2001. Diagnóstico in vitro – Recomendações e critérios para aquisição, recepção, transporte e armazenamento de produtos

Portaria MS-322/8. Normas para Implantação e Funcionamento de Bancos de Leite Humano. DOU – 26/05/1988

Programa Nacional de Qualidade em Bancos de Leite Humano – Manual do Participante. Fundação Oswaldo Cruz – Instituto Fernandes Figueira – Rio de Janeiro. 2002

3. Definições Para os efeitos desta Norma, aplicam-se as seguintes definições:

(Parte 1 de 4)

Comentários