Cartilha de Agroecologia

Cartilha de Agroecologia

(Parte 7 de 10)

Permanganato de potássio e cal Para controle de míldio e oídio, dilua 125g de

Permanganato de Potássio (KMnO4) e 1Kg de cal virgem, separadamente, em água morna. Mistu- re as soluções, completando com água, até obter 100 litros.

Requisitos para o uso rotineiro das caldas: o sulfato deve apresentar 98% de pureza e a cal não conter menos que 25% de CaO – óxido de cálcio. Usar logo após o preparo. Aplicar somente durante o dia e com o tempo seco. Usar o equipamento de proteção individual (EPI). Não descartar os excedentes em nascentes, açudes, cursos d’água. E obedecer aos intervalos de 15 a 20 dias entre as aplicações.

Café me deixa muito acelerado!

Produtos orgânicos

Estes podem ser utilizados sozinhos, misturados com outros e aos extratos de plantas.

Farinha de trigo Misture 20 g de farinha a 1 litro de água e pulverize em um dia quente e seco. Esta mistura impede que os insetos fiquem nas folhas.

Farinha de osso, casca de ovo triturada, carvão vegetal

Misture meio copo de farinha de osso, meio copo de casca de ovo triturada e meio copo de carvão moído em um recipiente. Distribua o resultado em volta dos canteiros para repelir as formigas cortadeiras.

Café Usar pó de café, diluído em água na dosagem de 0,1% (para repelir) ou 2% (para controlar). Indicado para lesmas e caracóis.

Sabão Dissolva 1Kg de sabão em 5 litros de água quente. Misture a solução resultante em 95 litros de água. Uso para tripes, pulgões, cochonilhas e lagartas.

Plantas defensivas

Algumas plantas nos canteiros das hortas, com características atrativas, repelentes, controladoras ou inibidoras, podem afastar insetos das plantações, como alfavaca, alho, alecrim, urtiga, cravo-de-defunto, mastruço, mandioca, gergelim, hortelã ou girassol.

Manipueira (Manihot esculenta Crantz)

Costuma-se dizer que é o suco da mandioca, depois de prensada para o preparo da farinha. Em outras regiões, após processo de fermentação, é parte da culinária, sendo utilizada em diversos pratos. Ela pode ser usada como defensivo pela grande quantidade de ácido cianídrico, que acaba sendo tóxico para os insetos, ácaros ou carrapatos.

Para o controle de nematóides, usar 1 litro diluído em 1 litro de água para cada 6 m2 de solo infestado. Após o uso deixar o solo repousar por oito dias e revolver para o plantio.

Para o controle de insetos, fazer três pulverizações foliares de manipueira diluída em igual volume de água em intervalos semanais.

Para o controle de formigas, utilizar 2 litros de manipueira. Ideal para ser utilizado nos olheiros de formigueiros. A dose deve ser repetida a cada cinco dias.

A manipueira pode ser usada como adubo em canteiros, bastando, para isso, aplicar 4 litros por m2, 15 dias antes do plantio.

eita, dona vaca, chá de erva cidreira acalma até carrapato!

Angico (Anadenanthera colubrina) Para as pragas em geral, pode-se usar 1 Kg de folhas e vagens e 10 litros de água. Bastando deixar as folhas e vagens de molho durante oito dias, coando logo em seguida. Na hora de utilizar, diluia 1 litro da solução em 5 a 10 litros de água, dependendo do grau de infestação.

Iscas e armadilhas

Sementes de gergelim 30 a 50g da semente ao redor do olheiro do formigueiro. No interior do formigueiro serão liberadas substâncias que inibirão o crescimento do fungo que alimenta as formigas. A falta do alimento acarretará a morte das mesmas.

Garrafa como armadilha Pode ser montada com garrafas PET. Na parte superior são feitos três ou quatro furos com 1 cm de diâmetro; despeja-se, no fundo, suco de frutas ou mel diluído em água. A garrafa é, então, amarrada com barbante ou fio de nylon nos ramos das árvores, no interior das copas, a 1,80 m de altura do solo. Assim, as moscas das frutas são atraídas pelo alimento e entram na garrafa pelos furinhos laterais e morrem por afogamento ou asfixia.

Defensivos para animais

Fumo e cal Deixar 1 Kg de fumo dentro de 2 litros de álcool em um vidro escuro durante dois dias. Depois coar, misturar a 250 g de cal hidratada diluída em 20 litros de água e pulverizar os animais com sarna e berne.

Erva cidreira Fazer infusão da erva em água (como um chá), colocar na bomba de pulverização e completar o volume total. Após, pulverizar os animais que estiverem infestados de carrapatos.

Manipueira Misturar a manipueira com óleo de mamona, sendo uma parte de cada para duas partes de água e fazer três aplicações a intervalos semanais nos animais com carrapatos.

Armadilha com garrafa no Centro Tecnológico do Serta. Glória de Goitá - PE

Forno Solar Desidratador Solar

As fontes renováveis de energia têm grandes potencialidades no meio rural do Nordeste. O sol, a terra, o vento, o clima e as atividades econômicas hoje disseminadas são favoráveis para o uso de tecnologias apropriadas que podem impulsionar a economia local, preservar o meio ambiente e levar qualidade de vida para as famílias sertanejas. Algumas tecnologias desenvolvidas para esses objetivos são:

Fogão e forno solar Usando os fogões e fornos solares, é possível economizar 5% da madeira. As temperaturas obtidas num fogão solar parabólico são de 350 °C, suficiente para o cozimento de alimentos. O fogão de caixa quente só chega, no máximo, a 150 °C.

Fogão ecoeficiente A partir da queima eficiente da lenha, este fogão reduz o consumo de biomassa e livra as famílias das doenças causadas pela fumaça no ambiente doméstico

Desidratador solar Com o aproveitamento do calor do sol, desidrata frutas sem o uso de combustível.

Biodigestor A partir de esterco e água, este equipamento produz biofertilizante e gás que pode ser utilizado como combustível.

Usina de produção de biocombustível Envolve o processamento de sementes de oleaginosas como mamona ou pinhão manso, produção de óleo vegetal in natura e o processo de transesterificação para produção de biodiesel.

Sistema fotovoltaico Transforma energia solar em energia elétrica.

Pode ser usado para eletrificar cercas ou como alternativa de fornecimento de eletricidade e bombeamento de água para vários fins.

Cataventos Transforma a energia gerada pelos ventos em trabalho, podendo ser aproveitado para o bombeamento de água ou energia elétrica, com os aerogeradores.

Energias renováveis

Os quintais caseiros são sistemas que integram vários subsistemas, como jardim, hortas, plantas medicinais e a criação de pequenos animais, complementados com a compostagem e adubação orgânica.

Para iniciar um quintal produtivo deve ser feita inicialmente uma leitura do espaço e de suas possibilidades de uso, com identificação das plantas úteis já presentes, das ervas nativas e dos animais que podem ser criados, do solo e da água disponíveis.

As possibilidades de combinar as várias espécies são infinitas e dependem do gosto e das necessidades de cada família, como plantas para enriquecer o sabor e o valor nutritivo dos alimentos, raízes, tubérculos, fruteiras, ervas medicinais, plantas ornamentais ou com outras utilidades.

O resultado de um quintal diversificado é o aumento da produção de oxigênio, da absorção de carbono e também a conservação e perpetuação das plantas nativas. No seu conjunto, as plantas filtram a poluição, absorvem ruídos, diminuem a intensidade dos ventos, alimentam e abrigam os animais e regularizam a temperatura e a umidade.

Adicionalmente o quintal produtivo gera uma sensação de bem-estar para a família ao tornar-se um local de convivência.

Capítulo 5Quintalpr odu tiv o

O quintal como área de produção e lazer

O plantio de árvores frutíferas – de preferência com espécies nativas ou adaptadas ao clima da região – é uma boa opção. As frutas preferidas da família podem ser utilizadas para consumo ao natural ou na forma de geléias, compotas ou sucos.

O local é importante para que as plantas sejam produtivas e sadias. Para isso, são necessários os seguintes cuidados:

O terreno deve ser de preferência plano ou levemente inclinado

(Parte 7 de 10)

Comentários