Livro: Aprender a Aprenderuma técnica de aprendizagem

Livro: Aprender a Aprenderuma técnica de aprendizagem

(Parte 4 de 4)

O novo profissional deve entender que se aprende ou se é substituído. Uma pessoa multifuncional pode ser remanejada, levada a aprender novas disciplinas, a operar uma nova máquina. É importante ter flexibilidade.

Celio Murillo Menezes da Costa

Assim como é importante que o aluno acredite em si próprio e na sua capacidade de vencer, de alcançar os objetivos e de transformar a realidade, deixando de lado o negativismo e a descrença.

O estudante deve ter entusiasmo pela vida e pela carreira. Nesta atitude positiva, reside a diferença.

No mundo atual, o profissional deve ter conhecimento de informática e saber, pelo menos, uma língua estrangeira. Dificilmente encontrará espaço no mercado de trabalho um profissional que não possua tais conhecimentos.

Capítulo IX

Entre os instrumentos que a Simonsen está utilizando para implementar a filosofia da “Técnica de Aprendizagem Aprender a Aprender – TAAA”, a prática investigativa, principalmente, como Trabalhos Acadêmicos Efetivos - TAEs reveste-se de especial relevância, uma vez que os estudantes terão a oportunidade de construir o conhecimento, sob a orientação dos professores, fortalecendo desta maneira a relação entre os corpos docente e discente da Instituição.

A prática investigativa permite aos alunos não apenas um importante exercício de elaboração do saber, mas também uma oportunidade de colocar em prática as discussões teóricas realizadas em sala de aula, conciliando, desta forma, os binômios teoria/prática e ensino/aprendizagem, que são elementos fundamentais para a formação profissional.

O eixo central da prática investigativa na Simonsen está relacionada à preservação, à conservação e à defesa do meio ambiente, com o intuito de preparar o profissional para pensar e trabalhar no sentido do “desenvolvimento sustentável”. Assim, satisfazem-se as necessidades das gerações presentes e, ao mesmo tempo, não se comprometem as gerações futuras, garantindo recursos através de uma gestão eficiente.

Para este primeiro eixo, usamos a Pesquisa Cidadania desenvolvida para o PVZO - Programa de Valorização da Zona Oeste, que permitirá ao professor facilitador implantar a técnica de aprendizagem usando os itens da pesquisa para desenvolver os conceitos de cidadania e, principalmente, promover a educação ambiental como uma prática integrada, contínua e permanente em todos os níveis e modalidades de ensino, com o intuito de preparar o ser humano a se orientar, individual e coletivamente,

Celio Murillo Menezes da Costa no sentido de construir valores sociais, conhecimentos, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e à sua sustentabilidade.

A preservação, a conservação e a defesa do meio ambiente, dentre outros escolhidos pelo professor facilitador, são temas para o desenvolvimento das aulas, a fim de “preparar o ser humano para autodesenvolver-se, de forma continuada, capacitando-o para exercer atividades profissionais, sociais e culturais”, orientando a empresa na qual trabalha a estar sempre preocupada com o Desenvolvimento Sustentável.

Hoje, as questões relativas ao meio ambiente são cada vez mais destacadas na sociedade, quer pelos aspectos positivos, como o turismo e o lazer, quer por aspectos negativos, que vão da poluição à perda de recursos naturais, além da deterioração da qualidade de vida no planeta.

No Brasil, a legislação estabeleceu recentemente que a

Educação Ambiental deve estar presente em todos os níveis de ensino, do pré-escolar ao universitário.

A Simonsen, visando sempre atingir novos patamares de qualidade, já há muito tempo, integra a visão ambiental em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão. A iniciativa oficial, com a lei, só veio reforçar a posição assumida.

A Simonsen mantém um permanente programa, com o intuito de conscientizar os alunos, corpo docente e a todos que freqüentam suas instalações de que:

Capítulo X

Estudo prévio do assunto da aula (Se houver tempo) a) Mantenha em ordem livros, dicionários, cadernos, mapas e demais materiais, para quando precisar usá-los.

b) Prepare seu ambiente de estudo, cercando-se do material necessário, não esquecendo papel para rascunho.

c) Inicie o estudo fazendo antes um relaxamento mental (exemplo: inspirar contando mentalmente até 8, prender a respiração contando até 4, expirar contando até 8 e prender contando até 4, repetindo até se sentir tranqüilo), e uma breve recordação do que já sabe da matéria relendo, principalmente os trechos assinalados na primeira leitura, e se ainda tiver dúvidas e tempo, esclareça-as em seus livros ou utilizando dicionários e enciclopédias. Se isto não for possível, anote as dúvidas, para esclarecê-las posteriormente com os professores ou colegas.

d) À medida que avançar na leitura, procure relacionar o assunto com o que já sabe de sua experiência.

e) No final de cada tópico importante, faça uma síntese ou organize um resumo, preferencialmente em forma de gráfico, que lhe possa facilitar a revisão da matéria. Dele devem constar apenas as idéias principais ou os fatos marcantes.

f) Sublinhe as afirmações ou termos essenciais para reforço das idéias básicas, para quando for reler o assunto, dar mais atenção a estes.

g) Cultive a velocidade de leitura, porém de forma que não prejudique a compreensão.

h) Se possível, leia/estude toda a bibliografia indicada e

Celio Murillo Menezes da Costa utilize os demais recursos paradidáticos (vídeos, CD-Rom, Internet etc.) sobre o assunto.

Antes da aula (mesmo, e principalmente, se não tiver estudado o assunto previamente)

No mínimo dez minutos antes, ler as frases e as reflexões divulgadas pelo professor na última aula. Se possível, antes de ler as frases, faça um breve relaxamento mental. Exemplo: inspirar contando mentalmente até 8, prender a respiração contando até 4, expirar contando até 8 e prender contando até 4, repetindo até se sentir tranqüilo.

ATENÇÃO: a leitura dessas frases sobre o conteúdo da aula, pelo menos dez minutos antes de seu início, tende a aumentar o rendimento do processo da aprendizagem em cerca de 30%, e, caso tenha se dedicado ao estudo prévio do assunto, este rendimento tenderá a 100%.

Durante a aula:

a) pergunte e pergunte; se não entender da segunda vez, deixe para perguntar no final da aula; b) tome notas breves: não escreva tudo o que o professor diz, procure entender; c) anote apenas o essencial com suas próprias palavras; d) não perca a aula ou o fio da mesma para tomar notas; e) faça anotações concatenadas, e não desorganizadas, usando gráficos, de preferência; f) use o seu próprio sistema de abreviações, se a disciplina tiver uma apostila ou um livro-texto, faça anotações a lápis no próprio; g) não deixe acumular dúvidas, esclareça-as, imediatamente, quando surgirem, junto ao professor, ou após a aula, junto a um colega; h) não jogue fora o tempo em que você está em aula; i) preste toda atenção possível às aulas e afaste distrações de qualquer espécie; j) não procure descobrir defeitos no professor, mas as suas qualidades; k) tire partido do professor, não o despreze; e l) finalmente, lembre-se de que: Quem tem de vencer suas dificuldades é VOCÊ mesmo!

Depois da aula

Preferencialmente em grupo, faça uma recordação, ainda que rapidamente, debatendo o assunto com colegas e/ou fazendo um breve resumo do mesmo, sozinho ou em conjunto.

Celio Murillo Menezes da Costa 48

Capítulo XI

SUGESTÕES DE COMO ESTUDAR MELHOR Estudar não é decorar!

1. Você deve estudar compreendendo, pois só assim você assimilará o conteúdo.

2. Planeje o seu estudo para cada semana:

a) programe o tempo disponível, distribuindo-o para o estudo de cada disciplina, conforme as suas necessidades; b) altere esse planejamento sempre que houver necessidade, mas, neste caso, continue seguindo um programa de estudo para uma semana; e c) procure estudar segundo esse programa até isso se transformar num hábito.

3. Melhore os seus hábitos de leitura, conforme as sugestões a seguir:

a) procure familiarizar-se com o vocabulário da matéria, de modo que, quando for estudá-la, já saiba o que significam os termos menos comuns; b) para cada parágrafo lido, procure resumir na cabeça a idéia nele contida; c) não pare para reler cada frase, assinale-as e faça isso no fim da leitura do trecho completo, pois só assim muitas frases antes não entendidas se tornarão claras; d) procure caracterizar o esquema das idéias, a organização e as conclusões a que pretende chegar o autor do livro; e) para isso, antes de ler parágrafo por parágrafo ou um capítulo, por exemplo, passe os olhos “por alto” pelo índice e pela sequência dos capítulos e, depois, pelas partes principais dentro do capítulo em questão; e f) se quiser, faça anotações durante o estudo.

Celio Murillo Menezes da Costa

Anote, organizadamente, apenas as frases título, as palavras-chave e as idéias ou conceitos principais.

Ou, então, em vez de escrever notas, faça marcas e sublinhe a lápis as palavras na apostila ou no próprio livro, se ele for de sua propriedade.

4. Aumente o seu poder de concentração:

a) concentração é a habilidade de dirigir e controlar a própria atenção; b) qualquer pessoa pode aumentar o seu poder de concentração; e c) use o processo de “parar para perguntar”. Leia um trecho ou parte do livro e pare para se perguntar o que foi que você leu e quais os pontos importantes. Se as suas próprias respostas não forem satisfatórias, releia o mesmo trecho, mas desta vez lendo dois parágrafos de cada vez, parando para perguntar, lendo novamente dois parágrafos.

5. Tome poucas notas durante a aula. Estude o assunto de cada aula, antes de assisti-la.

(Parte 4 de 4)

Comentários