UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA

DISCIPLINA DE FERRAMENTAS E ELEMENTOS DE MÁQUINAS

PROFESSOR MAURO

TRABALHO POLICLORETO DE VINILIDENO (PVdC)

ALUNOS: CARLOS EDUARDO MOREORA FLORES

JEFERSON DIAS

DIA 17 DE JULHO DE 2009

INTRODUÇÃO

Vamos através deste trabalho de pesquisa, desenvolvido sobre o Policloreto de Vinilideno, mostrar as suas aplicações e composição. O nosso trabalho foi baseado em estudos realizados por empresas do ramo dos plásticos, uma vez que este elemento, ou melhor dizendo, este plástico.

DESENVOLVIMENTO

Procuramos através desta pesquisa e trabalho, desenvolver e explicar como é feito, e as suas aplicações, qual é o setor de produção que melhor fez uso deste plástico, sua características mecânicas o uso na indústria e a composição química.

Este elemento tem uma boa utilização na indústria de alimentos, pois pode ser aplicado diretamente aos alimentos, com envoltório, por que uma alta resistência mecânica, química e uma ótima barreira para vapores e líquidos. Tem uma resistência térmica ao calor e ao frio, possui uma vantagem em reação à outros plástico da indústria de alimentos que é a sua facilidade em se soldar, por isto é muito aplicados na embalagem de alimentos. O trabalho mecânico deste produto, como a capacidade de ser extrudado ou coextrudado, permite que seja feito filmes de espessura bem fina para aplicação direta aos alimentos.

Agora veremos a aplicação do policloreto de vinilideno, sua composição e a origem como a sua especificação mecânica e química.

COMPOSIÇÃO DE INTERPOLÍMERO DE POLI (CLORETO DE VINILIDENO) , PROCESSO PARA PREPARAR UM ENVOLTÓRIO PARA ALIMENTOS TERMOPLÁSTICO, PELÍCULA, COMBINAÇÃO, EMBALAGEM, ENVOLTÓRIO PARA SALSICHA, E USO DE UMA COMPOSIÇÃO DE INTERPOLÍMERO DE CLORETO DE VINILIDENO".

A presente invenção é uma composição de interpolímero de poli (cloreto de vinilideno) e cloreto de vinila compreendendo (1) um copolímero de uma alfa-olefina e um alquil éster de ácido carboxílico insaturado e (2) um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila, o copolímero estando presente em uma quantidade eficaz para melhorar a adesão de carne de um envoltório de alimento feito da composição de interpolímero tendo o copolímero comparativamente com uma composição tendo as mesmas proporções de componentes que a composição de interpolímero porém sem o copolímero adicionado (daqui por diante quantidade efetiva) . Preferivelmente, o copolímero compreende etileno e pelo menos um alquil éster de um ácido carboxílico insaturado. A invenção também é um processo para preparar um envoltório para alimentos termoplástico que compreende adicionar uma quantidade eficaz de um copolímero de uma alfa-olefina e um alquil éster de ácido carboxílico insaturado a um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila de maneira a melhorar a adesão de carne ao envoltório para alimentos. Adicionalmente, a invenção é uma película compreendendo um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila e uma quantidade eficaz de um copolímero de uma alfa-olefina e um alquil éster de um ácido carboxílico insaturado. A película é preferivelmente usada em aplicações para contato com carnes. Adicionalmente, a invenção é uma combinação de uma película compreendendo um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila e uma quantidade eficaz de uma alfa-olefina de maneira a melhorar a adesão de carne e um alquil éster de um ácido carboxílico insaturado e, adjacente a esta ou em contato com a mesma, (2) uma substância gordurosa, uma carne tendo um conteúdo de gordura, um produto de carne tendo um conteúdo de gordura, ou outro alimento tendo um conteúdo de gordura. Em um outro aspecto, a invenção é uma embalagem útil para carnes ou outras substâncias contendo gorduras, compreendendo um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila e uma quantidade eficaz de um copolímero de uma alfa-olefina e um alquil éster de um ácido carboxílico insaturado de maneira a melhorar a adesão de carne, sendo que a embalagem é projetada para contato com interpolímero de cloreto de vinilideno com a carne ou substância gordurosa. Em um outro aspecto, a invenção refere-se a envoltório para salsichas compreendendo uma película compreendendo um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila e uma quantidade eficaz de uma alfa-olefina e um ácido carboxílico insaturado. Em ainda um outro aspecto, a invenção é o uso de uma composição de cloreto de vinilideno compreendendo um interpolímero de cloreto de vinilideno e cloreto de vinila e uma quantidade eficaz de pelo menos um copolímero de uma alfa-olefina e u alquil éster de um ácido carboxílico etilenicamente insaturado em uma composição adequada para fazer uma película, a película resultante, um artigo moldado, uma embalagem, em cada caso preferivelmente adequado para contatar ou conter uma substância ou alimento gorduroso, preferivelmente um envoltório para salsichas.

PVdC - Cloreto de Poli Vinilideno: É um revestimento a ser aplicado sobre o filme base para proporcionar à embalagem uma resistência mediana à umidade e oxigênio.

Policloreto de vinilideno 

O PVDC é um copolímero de cloreto de vinila e vinilideno. Apresenta densidade de 1,64 a 1,71 g/cm3, e é muito utilizado na produção de filmes e chapas coextrusadas e como revestimento de outros materiais.

Apresenta como características gerais:

  Excelente barreira ao vapor de água, gases e aromas.

  Boa resistência à gordura;

  Boa resistência química;

  Alta resistência à tração;

  Resiste ao processamento térmico dos alimentos;

  Termossoldabilidade.

Mais opções – Entre as várias novidades em resinas disponíveis aos convertedores locais, destaca-se o PVdC, policloreto de vinilideno, que pode entrar em contato direto com os alimentos, sem que seja preciso formar estrutura sanduíche. Fabricado pela Solvin, joint-venture entre o grupo Solvay e a Basf, o PVdC conjuga propriedades de barreira a gases, aromas e à umidade. No Brasil, suas principais aplicações estão sendo feitas em filmes para embalar carnes frescas, que o utilizam como barreira em coextrusão com PEBDL e EVA.

“Além de carnes, o PVdC pode ser aplicado sobre PET em embalagens stand-up pouches, pouches e sachês, visando acondicionar alimentos gordurosos e em tampas para bandejas de massas frescas ou frios, em estrutura coating de PVdC sobre PET, tendo grande demanda por sua propriedade barreira, transparência e facilidade de impressão”.

Outra vantagem do PVdC é permitir operar com baixos coeficientes de atrito, oferecendo alta produtividade nas máquinas de envase de alimentos. Disponível em resinas em pó para extrusão e/ou coextrusão, formulações prontas para uso como pré-mixes, dispersões aquosas ou resinas solúveis em solventes orgânicos, sendo as duas últimas para recobrimentos, o PVdC possui excelentes características de barreira a oxigênio, umidade, aromas, óleos e gorduras, além de propriedades de brilho, transparência, e selabilidade, destacou Alexandre. “Nas embalagens de carne, o PVdC aparece como o material líder em barreira, e com grande potencial de crescimento em função das exportações”, acrescentou.

Resinas de Policloreto de Vinilideno (PVDC) – A Mais Nova Oportunidade em Filmes de Barreira Transparentes

Os filmes coextrudados, feitos com resinas de cloreto de polivinilideno (PVDC), são o resultado dos recentes avanços da tecnologia em filmes multicamadas plano e balão. Esta nova tecnologia fornece embalagem de filme de barreira transparente e coextrudado para muitas das mais populares e crescentes aplicações de hoje, apresentando um desempenho de custo efetivo e confiável na barreira contra umidade, oxigênio e odor para as estruturas de embalagens de alta barreira.

  • Combinação de barreiras superiores contra umidade, oxigênio, sabor e aroma, independentemente da temperatura ou umidade

  • Transparência

  • Resistência ao flexcracking

  • Custo mais baixo de matéria-prima e/ou capacidade de redução de espessura

  • Barreira transparente para retort, sem degradação da barreira após esterilização

  • Maior vida de prateleira

Aplicações:

  • Cereal                                                                                      

  • Queijo

  • Café

  • Biscoitos

  • Biscoitos salgados (crackers)

  • Laminação (alimentos secos)

  • Tampas

  • Embalagem de Líquidos

  • Embalagem para Produtos Médicos

  • Carne Processada

  • Embalagens Retort

  • Molhos

  • Petiscos (snacks)

  • Sopas

Os filmes feitos a partir das policloreto de vinilideno oferecem muitas vantagens nítidas, independentemente da umidade ou temperatura.

  • Alta barreira a umidade

  • Alta barreira a oxigênio

  • Excelente barreira a sabor e aroma

  • Não sofre degradação da barreira devido à microperfurações ou após a esterilização

  • Custos mais baixos das matérias-primas para produzir o filme

  • Capacidade de redução da espessura gera maiores margens de lucro

  • Potencial para substituir selantes diferentes e camadas externas para uma barreira melhor e outras propriedades físicas

CONCLUSÃO

Observamos as aplicações, características e composição do policloreto de vinilideno (PVdC) na industria alimentícia, concluímos que este plástico tem uma grande aplicação e sua s características mecânicas como sua resistência à tração e sua características químicas como poder ter contado direto com os alimento se perder suas propriedade químicas, fez deste plástico uma unanimidade entre os plásticos de uso na industria de alimentos.

FONTES DE PESQUISA E BIBLIOGRAFIA:

  • www.setor1.com.br/embalagens/p_vdc.htm

  • quimicanova.sbq.org.br/qn/qnol/2001/vol24n3/02.pdf

  • www.cienciadoleite.com.br/termospqr.htm

  • www.cellopress.com.br/.../web/.../imprensa_006.htm

  • www.radarindustrial.com.br/.../policloreto-de-vinilideno-pvdc.aspx?&=&...

  • www.patentesonline.com.br/composicao-de-cloreto-de-vinilideno-extrudavel- filme-e-embalagem-140924.html

Comentários