algas protistas

algas protistas

(Parte 2 de 2)

Ceratiaceae (Ceratium)

Subclasse: Phytodiniformes

Ordem Rhizodiniales

Dinocapsales

Dinococcales

Dinotrichales

DIVISÃO CHRYSOPHYTA

I Características Gerais E MORFO-FISIOLOGIA

  • Três classes: Diatomáceas, Crisofíceas e Xantofíceas. Unicelulares autotróficos;

  • Principal constituinte do fitoplâncton marinho e dulcícola, embora vivam com epífitas;

  • Clorofila a e c, mais fucoxantina exceto nas xantofíceas (carotenóide castanho-dourado), a fucoxantina mascara a cor verde, como em Phaeophyta;

  • Cloroplastos bioquimicamente semelhantes aos das Phaeophyta e de algumas Pyrrophyta;

  • Substância de Reserva: Crisolaminarina (semelhante a laminarina de Phaeophyta), e gotículas de óleo armazenadas fora do cloroplasto;

  • Flagelos desiguais, mas de estrutura similar como em Phaeophyta;

  • Presença ou não de celulose na Parede Celular, também de Sílica;

  • Evolutivamente próxima da Divisão Phaeophyta, conforme descrito nas três características acima;

  • Diferença básica para Phaeophyta: Parede celular composta de substâncias pécticas impregnadas ou não de materiais silicosos que lhes dá extrema rigidez e nas Phaeophyta presença de ácido algínico que confere aspecto gelatinoso ao talo;

II CLASSIFICAÇÃO

  1. CLASSE: BACILLARIOPHYCEAE (DIATOMEAE)

  • Diatomáceas;

  • 60.000 spp. Incluindo as vivas e extintas. Apenas 5.600 spp. vivas;

  • Unicelulares isoladas, às vezes formam cenóbios gelatinosos;

  • Níveis de monadal a trical;

  • Constituição diplóide dos cromossomos na fase vegetativa (elevado nível de desenvolvimento);

  • Principalmente no Plâncton, mas no Bentos ou epífitas (marinhas e dulcícolas);

  • Substância de Reserva: Crisolaminarina. Maioria Autotrófica. Algumas são heterotróficas obrigatórias, e outras são simbiontes, sem a carapaça, de protozoários da Ordem Foraminiferida;

  • Diferem das outras crisofíceas pela: ausência de flagelos, exceto em alguns gametas masculinos;

  • Elevada diversidade em pequenas áreas

  • Parede celular ou Frústula encontra-se dividida em duas metades;

  • Frústula (Sílica e Opalina – SiO2.nH2O) chega a 50% do peso total e formada por duas valvas em encaixe;

  • A maior é denominada de Epiteca e fecha a menor, Hipoteca. Fechadas por contos que se interligam, as Pleuras. Muito ornamentada com poros, depressões e canalículos que ligam o Protoplasma ao meio externo e servem como auxiliar de locomoção;

  • Reprodução Assexuada: Fissão binária complexa: cada teca vai para o indivíduo filho, assim há uma redução do tamanho de parte dos descendentes através das gerações até que quando atinge 30% de redução eventualmente ocorre Reprodução Sexuada (Meiose (R!));

  • Reprodução Sexuada: Isogâmica, Anisogâmica ou Oogâmica com gametas com 1 ou sem flagelo, dependendo da classe;

  • Uso da carapaça (Terra de Diatomáceas com Diatomito) em agroindústria, indústria bélica, produtos de saúde, microlixadores,…

Apresenta duas ordens definidas, sobretudo, de acordo com o plano de Simetria:

    1. Ordem Centrales

  • Simetria Radial

  • Valvas redondas ou triangulares, maior flutuabilidade e, portanto maior abundância e diversidade em oceanos e grandes lagos.

  • Reprodução Sexuada por Oogamia através de meiogametas flagelados (flagelo pinado) e oosferas. O zigoto formado recebe o nome de Auxozigoto devido ao grande volume (dilatação e silicificação). Típica alternância gamética.

  • Principais Gêneros: Cyclotella, Stephanodiscus, Rhizosolenia, Actynoptychus, Bidulphia, Coscinodiscus,…

    1. Ordem Penales

  • Simetria Bilateral;

  • Valvas com um eixo maior com uma linha central, com forma navicular ou de bastão, e esculturas transversais ao eixo, portanto mais freqüentes nos ambientes dulcícolas, estuarinos;

  • Reprodução

  • Assexuada: célula mãe desenvolve-se num auxósporo;

  • Reprodução Sexuada: Isogâmica ou Anisogâmica com gametas sem flagelos;

  • Principais Gêneros: Navicula, Pinnularia, Entogonia, Strangulonema, Diatoma, Fragilaria, Eunotia, Synedra, …

  1. CLASSE: CHRYSOPHYCEAE

  • Crisofíceas ou algas douradas;

  • 1.000 spp, maioria isolada, algumas poucas coloniais;

  • Descobertas apenas a partir da década de 50 do século passado, pois pelo seu diminuto tamanho, não eram capturadas pelas redes de plâncton da época,

  • Principal constituinte do nanoplancton marinho (fitoplancton de dimensões microscópicas e provavelmente os grandes Produtores Primários do planeta); também abundantes em ecossistemas dulcícolas;

  • Cloroplastos grandes e presentes apenas 1 ou 2 na maioria das espécies conhecidas;

  • Com ou sem Parede Celulósica, com ou sem escamas silicosas ou orgânicas (Carbonatos), superficiais ou internas;

  • Pigmentos característicos: Luteína e Fucoxantina

  • Substância de Reserva: Crisolaminarina na forma de um volumoso grânulo e óleos;

  • Maioria das espécies possui flagelos, outras, são aflageladas ou amebóides (com pseudópodos) o que pode indicar uma relação filogenética com o Filo Sarcodina ou Rhizopoda (Amebas e afins);

  • Nutrição: Autotrófica ou heterotrófica por ingestão de bactérias e material orgânico;

  • Reprodução Assexuada: Fissão binária Longitudinal com formação de zoósporos mitóticos. Presença de formas encistadas silificadas ou palmelóides (gelatinosas) como estruturas de resistência às condições adversas do ambiente;

  • Reprodução Sexuada: rara, e quando ocorre é por Isogamia.

    1. Ordem: Chrysomonadales

    2. Ordem: Silicoflagellatae

    3. Ordem: Rhizocrisidiales

    4. Ordem: Chrysocapsales

    5. Ordem: Chrysophaerales

    6. Ordem: Chrysotrichales

Principais gêneros: Chromulina, Mallomonas, Exuviella, Distephanus, Dinobryon, Synura, Calyptrosphera, Hydrurus ,…

  1. CLASSE: XANTOPHYCEAE (HETEROKONTAE)

  • Xantofíceas ou Algas verde-amareladas;

  • 600 spp, muito delicadas;

  • Apresentam clorofila a e c, mas não apresentam a Fucoxantina;

  • Ambiente marinho, dulcícola e terrícola;

  • Substância de Reserva: freqüentemente Crisolaminarina e óleos;

  • Geralmente imóveis; flagelos, quando presentes, desiguais (heterocontes); algumas amebóides;

  • Isoladas ou Filamentosas- ramificadas ou não;

  • Cloroplastos disciformes Às vezes com pirenóides;

  • Parede celular freqüentemente em duas partes em forma de “H”, de pectina ou raramente de celulose;

  • Cistos quando presentes incrustados de SiO2;

  • Reprodução Assexuada: Zoósporos de flagelos desiguais, Aplanósporos e Autósporos;

  • Reprodução Sexuada: Isogâmica ou Oogâmica com presença no filamento de Zoosporângio, Anterídio e Oogônio (Vaucheria) com gametas de flagelos desiguais - a Meiose é gamética em Vaucheria ;

    1. Ordem: Heterochloroidales

    2. Ordem: Rhizochloroidales

    3. Ordem: Heterocapsales

    4. Ordem: Heterococcales

    5. Ordem: Heterotrichales

Principais gêneros: Vaucheria, Tribonema, Monodus, Botrydium, Goniochloris, Ophiocytium,…

BOTÂNICA II - Prof. Expedito Barroso 7

(Parte 2 de 2)

Comentários