Lógica epidemiológica e conceitos básicos

Lógica epidemiológica e conceitos básicos

Lógica Epidemiológica

  • Caráter observacional

  • Conceito de risco

    • Probabilidade de ocorrência de uma doença, agravo, óbito ou condição relacionada à saúde, em uma população ou grupo, durante um período de tempo determinado.
    • Estimado sob a forma de uma proporção

A MEDIDA DA SAÚDE COLETIVA

Valores absolutos ou freqüências

  • Limites

    • Impossibilidade de análise comparativa temporal ou geográfica

Indicadores epidemiológicos

  • Refere medidas de freqüências de doenças à grupos de população.

Elementos que compõe o risco:

  • 1- ocorrência de casos(numerador)

  • 2- base de referência populacional (denominador)

  • 3- base de referência temporal (período)

Grupo de risco

  • Grupo de risco

    • Fator de risco
    • Marcadores de risco
  • Fator de proteção

Grupo de risco

  • Grupo de risco

    • Grupo populacional exposto a um dado fator de risco ou indentificado por um marcador de risco.

Fator de risco

  • Fator de risco

    • Atributo de um grupo da população que apresenta maior incidência de um agravo à saúde em comparação com outros grupos definidos pela ausência ou menor exposição a tal característica.
    • Tipos:exógenos e endógenos
    • Prevenível (prevenção primária)
    • Não causal ou etiológico

Marcadores de risco

  • Marcadores de risco

    • Atributos inevitáveis, já dados, fora da possibilidade de controle
    • Prevenção secundária (detecção precoce, tratamento rápido)

Fator de proteção

  • Fator de proteção

    • Atributo de um grupo com menor incidência de um determinado agravo em relação a outros grupos, definidos pela ausência ou baixa dosagem deste fator

Tabela Padrão de um Estudo Epidemiológico

  • ____________________________

  • NÃO

  • DOENTES DOENTES TOTAL

  • _____________________________________________________

  • EXPOSTOS a b a + b

  • NÃO EXPOSTOS c d c + d

  • TOTAL a + c b + d a + b + c + d ___________________________________________________

  • MEDIDAS DE ANÁLISE

  • Medida de freqüência

  • Incidência

  • Medidas de associação

  • Risco Relativo (Razão de Riscos)

  • Risco Atribuível (Diferença de Riscos)

Risco

  • R= D/P (probabilidade de ocorrência de D nos membros de P)

  • Não é individual, refere-se ao grupo

Risco nos expostos

  • Risco nos expostos

    • Re = De/Pe
  • Risco nos não-expostos

    • Rne = Dne/Pne

Variável de exposição é fator de risco se:

  • Variável de exposição é fator de risco se:

    • Ie>Ine
    • RR>1.0
    • RA>0

Risco Absoluto (coeficientes de incidência):

  • Risco Absoluto (coeficientes de incidência):

    • 15 óbitos anuais por coronariopatia por mil adultos com colesterol sérico elevado.
    • 5 óbitos anuais por coronariopatia por mil adultos com colesterol sérico baixo.

Cálculo do Risco

INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS Existe associação entre fator de exposição e efeito? O risco de desenvolver a doença entre os expostos é maior que o risco da doença entre os não-expostos? Há relação de causa e efeito? Se houver associação entre exposição e efeito: a incidência/mortalidade da doença será maior no grupo de expostos que no de não expostos

INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS Quanto maior o valor do Risco Relativo maior é a “força” de associação entre o fator de exposição e doença. Risco Relativo igual a 1 significa que não há associação entre exposição e doença. O Risco Relativo calculado é estatisticamente significante ou ocorreu por acaso?

Comentários