3= sistema nervoso terap. ocupacional

3= sistema nervoso terap. ocupacional

Tipos de célula: neurônios e neuróglia

  • Tipos de célula: neurônios e neuróglia

  • Neuróglia: sustenta, nutre e protege os neurônios

  • Neurônios: têm a capacidade de produzir potenciais de ação ou impulsos

  • Partes do neurônio: corpo celular, dendritos e axônio

  • Dendritos: input

  • Axônio: não ocorre síntese de proteínas. Contém axoplasma e axolema

Neurônios multipolares: diversos dendritos e um axônio. Encéfalo e medula espinhal

  • Neurônios multipolares: diversos dendritos e um axônio. Encéfalo e medula espinhal

  • Neurônios bipolares: dendrito principal e um axônio. Retina do olho, ouvido interno e região olfatória do encéfalo

  • Neurônios unipolares: axônio e dendrito se fundem em um só processo, que se divide em dois ramos a pouca distância do corpo celular. São pseudo-unipolares. Tato e estiramento

Interneurônios: conduzem impulsos de um neurônio para o outro. São nomeados em homenagem ao histologista que o descreveu ou pela sua forma.

  • Interneurônios: conduzem impulsos de um neurônio para o outro. São nomeados em homenagem ao histologista que o descreveu ou pela sua forma.

  • Célula de Purkinje(cerebelo)

  • Célula de Renshaw(medula espinhal)

  • Célula piramidal: encéfalo

Metade do volume do SNC

  • Metade do volume do SNC

  • Glia=cola

  • Tem participação ativa

  • São menores que os neurônios

  • Não gera e nem propaga impulsos nervosos

  • São capazes de se multiplicar e se dividir

  • Gliomas- tumor encefálico derivados de glias

Astrócitos,oligodendrócitos(produz mielina), micróglia e células ependimárias(revestem o canal da medula espinhal): só no SNC

  • Astrócitos,oligodendrócitos(produz mielina), micróglia e células ependimárias(revestem o canal da medula espinhal): só no SNC

  • Células de Shwann(produz mielina) e células satélite: só no SNP

Neurônios são eletricamente excitáveis

  • Neurônios são eletricamente excitáveis

  • Potencial de membrana e potencial de ação

  • Canais iônicos regulados por voltagem, ligante e mecanicamente

  • Propagação dos impulsos nervosos ou condução: Na+ entrando na célula=despolarização.

comunicação entre dois neurônios ou neurônios e uma célula efetora

  • comunicação entre dois neurônios ou neurônios e uma célula efetora

  • As extremidades de alguns terminais axônicos se dilatam: botões terminais

    • Outras apresentam uma série de regiões dilatadas: varicosidades
    • Tanto os botões quanto as varicosidades possuem vesículas sinápticas (neurotransmissor está armazenado)

Sinapse Química: A transmissão da informação é feita através de um mediador químico.

  • Sinapse Química: A transmissão da informação é feita através de um mediador químico.

  • Esta a condução é mais lenta que na elétrica.

  • As membranas não se tocam

  • Só ocorre em um sentido

Divididos em 2 classes com base no seu tamanho:

  • Divididos em 2 classes com base no seu tamanho:

  • 1. De molécula pequena

    • Acetilcolina
    • Aminoácidos:
      • glutamato e aspartato(excitatórios)
      • GABA e glicina (inibitórios)
    • Aminas biogênicas:NE, E e DA(catecolaminas) e a serotonina
    • Gases:NO

Síntese –

  • Síntese –

  • Armazenamento-

  • Liberação-

  • Degradação-

  • Captação de colina-

No axoplasma:

  • No axoplasma:

    • Tirosina___hidroxilação-_____dopa
    • Dopa____descarboxilação____dopamina
    • Transporte de dopamina para as vesículas
    • Dopamina______norepinefrina
  • Na medula adrenal

    • Mais uma etapa adicional
    • 80% da norepinefrina________epinefrina(adrenalina)

Após a secreção ela pode ser removida por 3 processos:

  • Após a secreção ela pode ser removida por 3 processos:

    • Reabsorção pelas próprias terminações nervosas adrenérgicas (50%)
    • Difusão para líquidos corporais circundantes e sangue
    • Degradação pela MAO(terminações nervosas) e COMT(tecidos)

Podem ser excitatórios ou inibitórios

  • Podem ser excitatórios ou inibitórios

  • São formados no corpo celular neuronal e empacotados nas vesículas

  • Encefalinas- analgésico(inibem a liberação de P)

  • Peptídeos opióides: endorfinas e dinorfinas(matadores da dor)

  • Substância P- aumenta a percepção à dor

  • Angiotensina II-

Malha complexa, muito organizada, de bilhões de neurônios e número ainda maior de neuróglia

  • Malha complexa, muito organizada, de bilhões de neurônios e número ainda maior de neuróglia

  • Estruturas que o compõe:

    • Encéfalo
    • nervos cranianos e seus ramos
    • Medula espinhal
    • Nervos espinhais
    • Gânglios
    • Plexos entéricos
    • Receptores sensoriais

Sensorial

  • Sensorial

    • Neurônio Sensorial ou aferente: Carrega a informação da periferia do corpo para o sistema nervoso, possuindo a função de controle de percepção e coordenação motora. Ex: acidez sangue, chuva na pele
  • Integrativa- processa

    • Interneurônio: Células presentes no SNC. Podem ser locais ou de projeções.
  • Motora

    • Neurônio Motor ou eferente: leva a informação do cérebro ou da coluna espinhal para os músculos e glândulas.

  • Aferente

  • Sistema Nervoso

  • Somático

  • Eferente

  • Aferente (víscero-receptores)

  • Sistema Nervoso

  • Visceral Simpático

  • Eferente = S.N. Autônomo Parassimpático

Controla pressão arterial

  • Controla pressão arterial

  • Motilidade gastrintestinal

  • Secreção gastrintestinal

  • Esvaziamento urinário da bexiga

  • Sudorese

  • Temperatura do corpo

  • etc

Ativado nos centros localizados:

  • Ativado nos centros localizados:

    • Medula espinhal
    • Tronco cerebral
    • Hipotálamo
    • Córtex cerebral

Regula a atividade do músculo liso, cardíaco e de certas glândulas

  • Regula a atividade do músculo liso, cardíaco e de certas glândulas

  • Possui neurônios sensoriais- que levam informações dos sentidos especiais e dos sentidos somáticos(dor, sens.térmica, táctil e proprioceptiva) e

  • neurônios motores que regulam as atividades viscerais por inibirem ou excitarem os órgãos efetores

  • Todas as vias motoras autonômicas liberam Ach ou NE. Consistem em 2 neurônios em série-

  • Divisão Simpática ou Toracolombar.

  • ( Adrenérgica )

  • Divisão Parassimpática ou Craniossacral.

  • ( Colinérgica )

Parte Cranial:

  • Parte Cranial:

  • - III par craniano ou oculomotor - músculo ciliar da íris.

  • - VII par ou facial – glândulas salivares.

  • - IX par ou glossofaríngeo – glândula parótida.

  • - X par ou vago – faz sinapse nos plexos, perto das vísceras: coração, tubo gastrointestinal, brônquios,etc.

  • É o componente mais extenso e de território mais espalhado do parassimpático.

Parte Sacral:

  • Parte Sacral:

  • - A parte sacral do parassimpático é formada pelos II, III, IV nervos sacrais. As fibras sacrais vão até os plexos pélvicos e daí se dirigem ao cólon distal, ao reto e à bexiga.

  • - O parassimpático é essencialmente anabólico. É considerado um sistema de conservação da vida.

Dupla camada de gânglios para-vertebrais.

  • Dupla camada de gânglios para-vertebrais.

  • Neurônio eferente pós-ganglionar longo.

  • Respostas e reações gerais.

  • Sistema catabólico.

1º neurônio- tem seu corpo celular no SNC. Seu axônio mielinizado se estende do SNC até o gânglio autonômico

  • 1º neurônio- tem seu corpo celular no SNC. Seu axônio mielinizado se estende do SNC até o gânglio autonômico

  • 2º neurônio - fica nesse gânglio, seu axônio amielinizado vai inervar músculo liso, cardíaco e glândulas

  • ATENÇÃO: No SNS- Para contrair a fibra muscular esquelética basta um neurônio motor somático saindo do SNC até o efetor. Todos os neurônios motores somáticos liberam Ach

A saída do SNA tem dois ramos:

  • A saída do SNA tem dois ramos:

    • Divisão simpática- tóraco-lombar: luta e fuga
    • Divisão parassimpática- craniossacral: repouso e digestão
    • a maioria dos órgãos recebe dupla inervação do S e P. Em geral, um excita e outro inibe
    • Todos os axônios pré-ganglionares liberam Ach
    • Todos os axônios pós-ganglionares simpáticos que inervam as glândulas sudoríparas liberam Ach
    • Todos os neurônios pós-ganglionares parassimpático liberam Ach
    • Todos os neurônios pós-ganglionares simpáticos-liberam Noradrenalina

Receptores colinérgicos nicotínicos:

  • Receptores colinérgicos nicotínicos:

    • presentes nas membranas plasmáticas dos dendritos e corpos celulares dos neurônios pós-ganglionares simpáticos e parassimpáticos e na placa motora da JNM
  • Receptores colinérgicos muscarínicos:

    • Estão presentes nas membranas plasmáticas de todos os efetores(liso, card. e glândulas ) inervados por axônio parassimpático
    • A maior parte das glândulas sudoríparas recebe inervação a partir de fibras pós-ganglionares simpáticas colinérgicas

Receptores adrenérgicos

  • Receptores adrenérgicos

  • ligam tanto a epinefrina e e norepinefrina

    • a maioria dos neurônios pós-ganglionares simpáticos é adrenérgica
  • A norepinefrina excita principalmente os receptores alfa e em menor grau a os beta.

  • Epinefrina excita ambos de forma igual

Tipos principais de receptores adrenérgicos: 1, 2,1,2,3

  • Tipos principais de receptores adrenérgicos: 1, 2,1,2,3

  • Ativação de 1 e 1 - produz geralmente excitação

  • Ativação de 2 e 2, produz inibição

  • Ativação de 3 ativa termogênese

  • A atividade da adrenalina é determinada pela captação pelo axônio que a liberou ou quando a NE é enzimaticamente inativada pelo COMT ou MAO

AGONISTAS E ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES

  • AGONISTAS E ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES

  • Grande variedade de substâncias e produtos naturais que podem ativar ou bloquear (seletivamente ou não) receptores colinérgicos ou adrenérgicos

  • Agonista- se ligar e ativar o receptor

  • Antagonista- se ligar e bloquear o receptor

  • Ex: fenilefrina- ativa receptores 1 - vasoconstricção, produção de muco

  • Ex:propranolol- bloqueador  não seletivo- hipertensão arterial

Efeitos fisiológicos do SNA

  • Efeitos fisiológicos do SNA

  • Balanço entre as atividades simpática e parassimpática é controlado pelo hipotálamo

  • Quando ele aumenta o tônus simpático ele diminui o parassimpático e vice versa

  • Estruturas que recebem só inervação simpática: glândulas, músculos piloeretores presos aos folículos pilosos da pele, os rins,a maior parte dos vasos sangüíneos e a medula adrenal

Hipotálamo e Homeostase:

  • Hipotálamo e Homeostase:

  • - Temperatura;

  • - Regulação do volume do sangue;

  • - Salinidade;

  • - Acidez;

  • - PO²;

  • - Glicose

RESPOSTAS SIMPÁTICAS: durante o estresse físico ou emocional a divisão simpática domina parassimpática

  • RESPOSTAS SIMPÁTICAS: durante o estresse físico ou emocional a divisão simpática domina parassimpática

  • Tônus simpático elevado favorece as funções corporais que podem manter a atividade física vigorosa, com rápida produção de ATP

  • Reduz as funções corporais que favorecem o armazenamento de energia

  • Emoções- medo, raiva, embaraço

  • Situações E: exercício, emergência, excitação, embaraço

Respostas de fuga e luta:

  • Respostas de fuga e luta:

    • Pupilas se dilatam
    • Freqüência e força cardíaca e pressão arterial aumentam
    • Dilatação das vias aéreas- ar mais rapidamente para dentro e fora dos pulmões
    • Vasos sangüíneos que suprem rins e TGI se contraem
    • Vasos sangüíneos que suprem músculos que participam do exercício ou da luta(músculos esqueléticos, cardíacos, fígado e tecido adiposo) dilatam-se, permitindo maior fluxo de sangue

Continuação das respostas de fuga e luta:

  • Continuação das respostas de fuga e luta:

    • Hepatócitos no fígado, realizam a glicogenólise e as células do tecido adiposo realizam a lipólise
    • Liberação de glicose pelo fígado, aumenta o nível de glicose no sangue
    • Processos que não sejam essenciais para enfrentar a situação estressante são inibidos. Ex: movimentos musculares do trato GI e as secreções digestivas ficam lentificados

Aumenta as respostas de repouso e digestão

  • Aumenta as respostas de repouso e digestão

  • As RESPOSTAS PARASSIMPÁTICAS sustentam as funções corporais que conservam e restauram a energia corporal, durante os períodos de repouso e recuperação

  • Nos intervalos de calma entre os exercícios, os impulsos parassimpáticos, para as glândulas digestivas e o músculo liso, no TGI, predominam sobre os impulsos simpáticos, permitindo que os alimentos, supridores de energia, sejam digeridos e absorvidos

SLUDD: salivação, lacrimejamento, urinação(micção), digestão e defecação

  • SLUDD: salivação, lacrimejamento, urinação(micção), digestão e defecação

  • Três reduções: freqüência cardíaca, diâmetro das vias aéreas(broncoconstricção) e diâmetro das pupilas

  • Medo geralmente ativa o simpático, mas o “medo paradoxal” ativa o parassimpático.

  • EX: pessoa encurralada em um canto, sem escape, ou sem possibilidade de vencer. Estudante que não se preparou para prova, atleta antes da competição. Pode causar perda de controle da micção e da defecação

Em geral, envolvem alguma alteração de consciência, cognição, movimentos, tônus muscular, mecanismos de homeostase ou dor

  • Em geral, envolvem alguma alteração de consciência, cognição, movimentos, tônus muscular, mecanismos de homeostase ou dor

  • Podem causar mais de uma alteração

  • Uma alteração pode desencadear outra

Nível de percepção de si e do ambiente

  • Nível de percepção de si e do ambiente

  • Mecanismos que podem alterar a consciência

    • Destruição direta do sistema reticular ou de suas vias
    • Destruição do tronco cerebral
    • Compressão do sistema reticular por processo patológico
    • Mecanismos resultantes de distúrbios estruturais ( infecções, neoplasias, traumatismos), metabólicos (hipoxia, hipoglicemia , medicamentos) ou psicogênicos (doenças psiquiátricas, esquizofrenia)

Em geral se inicia por alguma disfunção diencefálica

  • Em geral se inicia por alguma disfunção diencefálica

  • Desorientação

  • Sonolência, confusão, letargia e estupor

  • Diminuição maior da consciência resulta de disfunção do cérebro médio

  • Se a ponte e o bulbo são afetados, ocorre coma

Perda da capacidade de pensar com rapidez e clareza

  • Perda da capacidade de pensar com rapidez e clareza

  • Pensamento e tomada de decisões prejudicados

Início da perda de consciência

  • Início da perda de consciência

  • Desorientação no tempo progride para incluir desorientação no espaço

  • Memória prejudicada

  • Não reconhecimento de si mesmo

Movimentos espontâneos e fala limitados

  • Movimentos espontâneos e fala limitados

  • Despertável com facilidade com a fala ou com toques normais

  • Desorientação possível no tempo, no espaço e em relação às pessoas

Redução branda ou moderada da consciência

  • Redução branda ou moderada da consciência

  • Resposta limitada ao ambiente

  • Capacidade de adormecer com facilidade sem estímulos verbais ou táteis de outros

  • Capacidade de responder perguntas com respostas mínimas

Estado de sono profundo ou incapacidade de responder

  • Estado de sono profundo ou incapacidade de responder

  • Despertável

    • Respostas motoras ou verbais somente a estímulos vigorosos ou repetidos
  • Resposta de recuo ou de agarrar à estimulação

Ausência de resposta motora ou verbal a qualquer estímulo externo

  • Ausência de resposta motora ou verbal a qualquer estímulo externo

  • Ausência de resposta a estímulos nocivos, como dor profunda

  • Não pode ser despertado por nenhum estímulo

Capacidade de perceber, raciocinar, julgar, lembrar e usar a intuição

  • Capacidade de perceber, raciocinar, julgar, lembrar e usar a intuição

  • Reflete funções complexas do córtex cerebral, incluindo os lobos frontais, parietais e temporais e partes do tronco cerebral

  • Alterações resultam de destruição direta (isquemia, hipoxia) ou indireta (compressão, substâncias químicas)

  • Manisfestam-se por: agnosia, afasia e disfasia

Defeito da capacidade de reconhecer a forma ou a natureza dos objetos

  • Defeito da capacidade de reconhecer a forma ou a natureza dos objetos

  • Geralmente envolve apenas um sentido- audição, visão ou tato

Perda da capacidade de compreender ou de se expressar pela linguagem

  • Perda da capacidade de compreender ou de se expressar pela linguagem

Distúrbio da capacidade de compreender ou usar símbolos na linguagem falada ou escrita

  • Distúrbio da capacidade de compreender ou usar símbolos na linguagem falada ou escrita

  • Se origina no hemisfério cerebral esquerdo. Pode ocorrer em várias áreas

  • Lobo frontal póstero-inferior: não encontra palavras para falar e tem dificuldade de escrever e repetir palavras

Conjunto complexo de atividades controladas pelo córtex cerebral,

  • Conjunto complexo de atividades controladas pelo córtex cerebral,

AVC ou derrame

  • AVC ou derrame

  • Comprometimento súbito da circulação cerebral em um ou mais vasos sanguineos

  • Interrompe ou diminui o suprimento de oxigênio, e com freqüência provoca lesão séria ou necrose nos tecidos cerebrais

Trombose das artérias cerebrais que suprem o cérebro,ou dos vasos intracranianos, ocluindo o fluxo sangüíneo

  • Trombose das artérias cerebrais que suprem o cérebro,ou dos vasos intracranianos, ocluindo o fluxo sangüíneo

  • Embolia oriunda de trombo externo ao cérebro, como no coração, aorta ou artéria carótida comum

  • Hemorragia oriunda de uma artéria ou veia intracraniana provocada por hipertensão, aneurisma rompido,distúrbio hemorrágico

Fisiopatologia

  • Fisiopatologia

Tratamento

  • Tratamento

CONCEITO

  • CONCEITO

Conceito

  • Conceito

  • Altera os movimentos chamados extrapiramidais (não voluntários)

  • Rigidez muscular

  • Tremor de repouso

  • Hipocinesia- dificuldade de iniciar o movimento

  • Instabilidade postural

Tratamento

  • Tratamento

CONCEITO

  • CONCEITO

CAUSAS

  • CAUSAS

Conceito

  • Conceito

Comentários