MICROBIOTA NORMAL

  • População de microrganismos que habita a pele e as mucosas de normais e sadias

RELAÇÃO PARASITO-HOSPEDEIRO

CLASSIFICAÇÃO DA MICROBIOTA

  • Residente:

    • Microrganismos encontrados regularmente em determinada idade e área da superfície, sendo perturbada, recompõe-se com facilidade
  • Transitória:

    • Microrganismos não patogênicos ou potencialmente patogênicos que permanecem na pele ou mucosa por horas, dias ou semanas, provenientes do meio externo, não provocando doença e não se estabelecendo em definitivo na superfície

BENEFÍCIOS DA MICROBIOTA NORMAL

  • Antagonismo bacteriano

  • Impedir a colonização por patógenos do meio externo e o possível desenvolvimento de doença por meio de interferência bacteriana

  • Estimular o sistema imune (RN)

  • Metabolismo e na nutrição humana (vitamina k)

  • Digestão e absorção de nutrientes

CONDIÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE DOENÇA

  • Deslocamento do sítio normal do corpo (S. epidermidis – bacteremia)

  • Vantagem competitiva entre microrganismos

  • Conversão de nutrientes em derivados

  • Indivíduos imunocomprometidos

MICROBIOTA DA PELE

  • Devido ao grande contato com o meio ambiente, a pele abriga microrganismos transitórios

  • Apresenta uma microbiota residente bem definida e constante

    • diferenciada na região anatômica por secreções, uso habitual de roupas ou proximidade de mucosas (boca, nariz e áreas perineais)

MICRORGANISMOS DA PELE

  • Predominantes são:

    • bacilos difteróides aeróbios e anaeróbios;
    • estafilococos aeróbios e anaeróbios não hemolíticos;
    • bacilos gram (+) aeróbios, estreptococos alfa-hemolíticos e enterococos; bacilos coliformes gram(-) e Acinetobacter; fungos e leveduras nas pregas cutâneas;
    • micobactérias não patogênicas em áreas ricas em secreções sebáceas
  • O pH baixo, os ácidos graxos nas secreções sebáceas e a lisozima - fatores importantes para eliminação da flora não residente da pele

  • A sudorese profusa, a lavagem e o banho não conseguem eliminar ou modificar significativamente a flora residente

BOCA E VIAS AÉREAS SUPERIORES

  • Ao nascimento, as mucosas da boca e da faringe são estéreis - contaminadas durante a passagem pelo canal de parto

  • Nas primeiras 4-12h de vida, os Streptococcus viridans colonizam, e se tornam os membros mais importantes da microbiota residente, permanecendo por toda vida

  • No início da vida, aparecem os estafilococos aeróbios e anaeróbios, os diplococos gram(-), os difteróides e lactobacilos

Trato Respiratório Superior

  • Com a dentição - espiroquetas anaeróbias, espécies de Prevotella, espécies de Fusobacterium...

  • As leveduras - Candida

  • Nariz - corinebactérias, estafilococos e estreptococos

  • Faringe e traquéia - estreptococos alfa-hemolíticos e não hemolíticos, neissérias, estafilococos, difteróides, pneumococos, haemophilus, Mycoplasma e Provetella

  • Os bronquíolos e alvéolos são normalmente estéreis

PRINCIPAIS BACTÉRIAS DA BOCA

BACTÉRIAS DA BOCA

DENTES

    • Streptococcus mutans
    • Bacteroides
    • Fusobacterium
    • Estreptococos
    • Actinomyces

TRATO GASTRO-INTESTINAL

  • Ao nascimento o intestino é estéril

    • Os microrganismos são introduzidos através dos alimentos
    • Lactentes amamentados ao seio - intestino é repleto de microrganismos aeróbios e anaeróbios, Gram(+) e imóveis, destacando-se os estreptococos e lactobacilos.
    • Lactentes – mamadeiras – microbiota mista com pouco lactobacilos

INTESTINO

  • As bactérias intestinais são importantes

    • na síntese de vitamina K, conversão de pigmentos e ácidos biliares , absorção de nutrientes e produtos de degradação e no antagonismo a patógenos microbianos
  • A microbiota intestinal produz amônia e outros produtos de degradação que são absorvidos pelo organismo

  • Antimicrobianos pode suprimir temporariamente os membros da microbiota fecal suscetíveis a fármacos

Microbiota do Colon

  • No cólon 96-99% da microbiota residente é constituída de anaeróbios: especies de Bacterioides, principalmente B. fragilis; espécies de Fusobacterium; lactobacilos anaeróbios; clostrídios (Clostridium perfringens) e cocos gram(+) anaeróbios

  • 1-4% da microbiota normal do cólon é constituída de aeróbios facultativos

  • 10% dos traumatismos intestinais leves podem induzir a bacteremia transitória

VAGINA

  • Após o nascimento, aparecem lactobacilos aeróbios que persistem enquanto o pH estiver ácido(várias semanas)

  • Quando o pH se torna neutro( até a puberdade), aparece uma flora mista composta de cocos e bacilos

URETRA

  • A uretra anterior de ambos os sexos contém pequeno número de microrganismos provenientes da pele e períneo

  • Os microrganismos aparecem regularmente na urina normal eliminada

VAGINA

  • Na puberdade os lactobacilos aeróbios e anaeróbios reaparecem em grande quantidade e contribuem para manutenção do pH ácido

  • Quando os lactobacilos são suprimidos por algum agente antimicrobiano, as leveduras ou bactérias aumentam em número, causando inflamação e irritação local

  • Após a menopausa, os lactobacilos diminuem em número, e reaparece uma flora mista

VAGINA

  • A microbiota vaginal normal é constituída

    • estreptococos hemolíticos do grupo B, estreptococos anaeróbios, espécies de Provetella, clostrídios, Gardnerella vaginalis, Ureaplasma urealyticum e algumas espécies de Listeria ou Mobiluncus
  • O muco cervical contém lisozima e possui atividade antibacteriana

CONJUNTIVA OCULAR

  • Os microrganismos predominantes da conjuntiva são difteróides, Staphylococcus epidermides e estreptococos não hemolíticos.

  • Com frequência, encontramos espécies do gênero Neisseriae e bacilos gram (-) semelhantes a Haemophylus ( espécies de Moraxella)

  • A microbiota da conjuntiva é controlada pelo fluxo de lágrimas (contém lisozima)

OUVIDO EXTERNO

    • Staphylococcus coagulase negativo
    • Staphylococcus aureus
    • Difteróides
    • Estreptococo
    • Pseudomonas aeruginosa

Comentários