Como Vencer o Medo de Falar em Público

Como Vencer o Medo de Falar em Público

(Parte 1 de 4)

Não existe fórmula milagrosa para vencer o medo de falar em público, mas uma série de recomendações que em conjunto o ajudarão neste sentido:

1. Domine o assunto sobre o qual irá falar.Não acredite na sorte porque só com o seu trabalho e estudo obterá êxito. Se não tiver tempo para dominar totalmente o assunto use roteiros simplificados e projeções. Não abuse destes recursos para não evidenciar falta de preparo. Procure saber mais do que irá expor. Imagine as perguntas que a platéia poderá fazer. Estude as respostas. Reduza toda possibilidade de risco de se perder, esquecer ou confundir assuntos.

2. Pratique, pratique e pratique o que vai falar. O ensaio é importante para você fazer uma boa apresentação. Organize uma seqüência ideal para falar. Treine em casa e no local um pouco antes da apresentação. Siga as dicas para o ENSAIO:

• Use inicialmente suas anotações. Depois, aos poucos, livre-se delas. • Só use anotações em última necessidade.

• Pratique situações em que você olha seu roteiro e em seguida volta o olhar para a platéia.

• Desenvolva a espontaneidade dominando totalmente o tema. Ganhará confiança.

• Depois que ensaiou olhando as suas anotações, treine falar de improviso, sem uso de roteiros, para inspirar mais credibilidade diante da platéia.

• Pratique usando gestos, variando a intensidade da voz e a velocidade, as pausas, depois decida qual o modo ideal de comunicar determinado ponto.

• Pratique na frente do espelho para se observar.

• Pratique na frente de amigos e peça para que corrijam você quanto à postura, gestos, fisionomia, tiques, vícios de linguagem e intensidade da voz. Seja receptivo às críticas ou sugestões.

• Tente reproduzir as condições da apresentação para tornar mais real o ensaio.

• Cada vez que você ensaia percebe que sua fala acaba sendo um pouco diferente do que ensaiou. É assim mesmo. Na sua memória ficam os pontos principais que servem de gatilho para você improvisar o resto.

3. Procure se conhecer. Saiba como as pessoas o vêem. Use um gravador: se familiarizará com o volume da sua voz, pronúncia, velocidade e outros aspectos dela. Use uma filmadora para ajudá-lo a treinar sua expressividade física e vocal. Faça gravações com textos diferentes. Poderá se ver sorrindo, sério, com raiva. Verifique suas falhas de comunicação, mas se esforce também para identificar os aspectos positivos. Gere a autoconfiança que precisa. O autoconhecimento permite que a pessoa saiba quem é, como os outros a vêem e ouvem. Em geral a imagem que fazemos da nossa pessoa é pior do que aquela que os outros de fato observam. Com o autoconhecimento desenvolvido você não terá dúvidas sobre sua capacidade.

4. Faça contato com os ouvintes antes de falar. Funciona como quebra-gelo. Você ficará mais à vontade por não ter de lidar com ouvintes totalmente estranhos. Cumprimente os ouvintes na entrada do auditório. Converse. Sorria!

5. Use todas as possibilidades para falar em público. Nas reuniões de condomínio, na empresa, igreja, clube, sala de aula. Poderá praticar mais e ganhar autoconfiança. Quanto mais apresentações fizer, melhor se sairá nas próximas.

6. Não elimine totalmente o medo, controle-o. O que precisa ser combatido é o medo excessivo e descontrolado. Oradores experientes são eficientes porque controlam o medo. Sempre haverá algo desconhecido que nos deixa com receio. Isto é positivo porque nos mantêm atentos. Uma pessoa totalmente segura, despreocupada, correrá o risco de se tornar negligente ou arrogante. Trabalhe para controlar o medo, não para eliminá-lo.

7. Canalize a energia do nervosismo para o entusiasmo. Nervosismo controlado ajuda o orador a produzir mais diante do público. Aproveite a energia nervosa e canalize-a para a fala, colocando emoção nas palavras e dar vida ao discurso. Adrenalina e emoção são duas coisas intimamente ligadas. Faça-as trabalharem em sintonia, não uma contra outra. O entusiasmo pode ser transmitido pela voz, gestos e o sorriso. O entusiasmo ajuda a conquistar o público.

8. Imagine sempre seu sucesso. É comum produzirmos acontecimentos futuros negativos: "Vou dar vexame", "ficarei nervoso". Tais pensamentos limitam o potencial de comunicação e a profecia muitas vezes se realiza. De tanto você pensar que vai dar errado, acaba acontecendo. Substitua cenas desastrosas por vencedoras: aplausos, elogios da audiência. Mantenha atitude positiva. Lembre o tempo que você gastou preparando-se. Lembre que mesmo preparado todos ficam nervosos. Simplesmente mantenha o controle da situação, "desligue" um pouco os nervos e visualize fazendo uma apresentação de sucesso: pessoas animadas, interessadas, tomando notas, interagindo, fazendo perguntas.

9. Desenvolva a auto-imagem e a auto-estima. A extinção das idéias negativas sobre nós ocorre quando condicionamos a mente com pensamentos construtivos. Você precisa estimular idéias positivas a seu próprio respeito, antes de iniciar uma palestra. Sua auto - estima se elevará, ficando mais fácil lidar com situações difíceis.

10. Veja você como uma pessoa normal. Ter medo de falar em público está entre os primeiros lugares nos tipos de medos que sentimos. Pensar que você é alguém anormal, azarado, inferior, sem talento para falar em público, só agrava a situação. A maioria das pessoas tem medo de falar em público.

1. Falar para um público deve ser aceito como uma honra. São poucas as pessoas que têm condições de falar para uma platéia. Você é uma pessoa privilegiada. Parta deste princípio e invista toda sua energia para preparar um ótimo discurso. Recompense seu público por conceder-lhe o privilégio de poder falar.

12. Pense menos nos seus problemas e mais no seu público. O público quer ouvi-lo e merece atenção. Pare de pensar em seus problemas. Pense naqueles que deixaram suas casas, trabalho e foram ouvir você. O público quer ver uma apresentação bem sucedida. À platéia interessa o que você está falando, não o que está sentindo. Agarre-se a está idéia e siga em frente.

13. Falar em público se aprende, não é um dom. Bons oradores se fazem através de muito trabalho e treinamento. Em qualquer atividade pessoas aprendem mais facilmente que outras, mas todas podem exercê-la com sucesso. Os melhores artistas, atletas, cientistas vencem porque treinam bastante e são disciplinados. Exercite muito!

14. Mesmo os oradores mais experientes ficam nervosos. Fazer uma palestra não é um acontecimento comum. Você enfrenta situações diversas, algumas sem a possibilidade de obter total controle, o que provoca tensão, expectativas e nervosismo. Por isso não espere ficar totalmente relaxado. Freqüentemente você percebe ou escuta um profissional da televisão dizer que fica nervoso quando fala em público.

15. Só você sabe que está nervoso. Nunca revele o seu nervosismo para o público. Raramente demonstramos o quanto estamos nervosos. Nas aulas de oratória peço aos alunos que dêem uma nota para o grau de nervosismo para o colega que se apresenta. Sempre as notas são inferiores às que o aluno imaginou para ele mesmo. Uma coisa é o que você sente, outra o que transmite e fica visível para a platéia. Se o público não nota o seu grau de nervosismo vá em frente e faça sua apresentação.

16. Memorize a introdução e a conclusão da palestra. "Bom dia! Meu nome é Roberto. Peço cinco minutos da atenção de vocês para falar sobre..." Percebendo que começa seguro, terá mais autoconfiança para continuar. Então é preciso memorizar a introdução e também a conclusão para não vacilar na hora de concluir.

17. Saúde os presentes com voz alta, segura. " Bom dia ! " Entre em cena de forma decidida. Comece bem para terminar bem.

18. Tome água fresca, não gelada, porque prejudicará sua voz. Evite cafezinho. Nunca tome bebida alcoólica.

19. Tudo em ordem. O medo que algo dê errado durante a apresentação pode deixar você muito nervoso. Certifique-se que todo o material de apoio e os recursos audiovisuais estejam em ordem. A organização completa traz a segurança de que tudo vai dar certo. Faça uma Lista de Verificação e use-as a fim de preparar-se para a palestra. Assim poderá se concentrar mais em sua própria preparação.

20. Respiração adequada. Ciclo completo: inspire pelo nariz contando quatro segundos, segure quatro durante segundos, expire pela boca durante 4 segundos. Repita o ciclo cerca de cinco vezes, calmamente. Procure um local isolado. Nunca respire apressada e seguidamente. Poderá sentir tonturas.

21. Relaxamento: isole-se numa sala para relaxar, antes de iniciar a palestra. Desligue-se. Faça alongamento. Exercícios simples ajudarão você a reduzir a tensão e ganhar mais controle sobre o corpo.

2.Crie um ritual como fazem atletas, atores e lutadores de boxe: respiração adequada, alongamento, relaxamento e atitude positiva. Repita a mesma rotina antes de cada apresentação ou ensaio que irá enfrentar.

23. Reze. Lembre que Deus não ajuda preguiçoso. Treine, treine, treine!

Texto de Flávio Pereira, professor do Curso de Oratória, Cérebro & Comunicação - Desenvolvimento Pessoal.

Os fatores básicos para vencer nos estudos são a força de vontade e a determinação. A força de vontade é mantida quando você sabe exatamente o que deseja fazer na vida, qual o curso a realizar, sua vocação e metas pessoais para o futuro. Quem não sabe o que quer acaba se frustrando e isto afeta a concentração e a assimilação na hora de estudar. Muitos alunos sentem preguiça ao estudar porque não identificaram a verdadeira vocação. Você já fez análise vocacional?

Busque o estado ideal para estudar. O nível ideal de concentração é obtido após um aquecimento inicial. Antes de estudar faça alongamento, meditação, yoga ou uma rápida caminhada a fim de ajudá-lo a criar disposição e sair do estado inercial.

Procure um lugar calmo, com boa ventilação e iluminação. Identifique as causas que não o deixam se concentrar: barulhos, pessoas, preocupações, conflitos. Controlando-as renderá mais.

Evite o estresse porque ele é o maior inimigo da memória. Tenha um tempo de descanso e lazer. Reconheça seus limites.

Durma bem. No sono o cérebro "salva" o conhecimento novo. Para dormir bem deverá evitar: fumo, bebidas alcoólicas, cafeína, refeições pesadas antes de dormir, preocupações.

Tenha uma boa alimentação.

Elimine mitos: "Minha memória é fraca", "fulano é um gênio, por isto vai bem nos exames". Os campeões de notas nos vestibulares, concursos públicos e faculdades revelam que não são gênios pois estudam muito.

Elimine vícios de leitura que consomem suas energias: estudar deitado, ler sentado com postura inadequada, ler sem objetivo definido, ler muito sem fazer pausas para descanso.

Planeje seu tempo de estudo. Crie uma estratégia. Estabeleça metas diárias, semanais e mensais. Faça um cronograma para cumprir até o dia da prova. Estude uma quantidade de matéria por dia. Concilie tempo de estudo x trabalho x lazer. Encontre sua melhor hora para render. Manhã? Tarde? Noite? Os melhores estudantes sabem o que, como, quando e quanto estudar. Estudar todo dia um pouco é melhor do que tudo num só dia.

Tenha todo o material de estudo organizado perto de você, assim evitará interrupções.

Leia a matéria antes da aula para ficar inteirado do assunto. Isto facilita muito a assimilação porque motiva a prestar mais atenção durante a exposição do professor. Conhecendo técnicas de Leitura Dinâmica poderá fazer a pré-leitura minutos antes da aula. Ler antes da aula gera dúvidas que ajudam a manter a concentração para tentar elucida-las.

Faça uma pré-leitura do texto antes de aprofundar o estudo. Não grife nada nesta fase inicial porque ela serve apenas para ter uma visão geral do assunto.

Procure sempre a essência do texto fazendo perguntas: sobre o quê é o assunto? Qual sua importância ou aplicação? Como é ou funciona? Quem disse? Quando e onde aconteceu? De que forma a informação se relaciona com as demais? Quais as semelhanças e diferenças? Que conclusões tirar? O que é importante e o que é secundário? Faça possíveis perguntas que podem ser feitas nas provas.

Sublinhe os tópicos mais importantes para facilitar a criação de resumos, esquemas e as revisões. Sublinhar gera concentração.

Leia e releia em voz alta tentando explicar o assunto, como se estivesse dando uma aula para si próprio ou para alguém. Faça isto várias vezes se o assunto for difícil. Faça perguntas e tente responde-las a fim de verificar se realmente aprendeu o assunto.

Nas matérias Exatas pratique bastante os exercícios.

(Parte 1 de 4)

Comentários