O estudo da velhice no século xx:histórico, definição do campo etermos básicos

O estudo da velhice no século xx:histórico, definição do campo etermos básicos

(Parte 1 de 4)

Capítulo1 oESTUDO DA VELHICE NO SÉCULOXX:

o processodeenvelhecimentoesuaconseqüêncianatural,a velhice,sãoumadaspreocupaçõesdahumanidadedesdeo início dacivilização.A Históriaestáaíparademonstrarqueasidéiassobre avelhicesãotãoantigasquantoaorigemdahumanidade.Leme (1996)lembraquepoucosproblemastêmmerecidotantaaten- çãoepreocupaçãodohomemcomoo envelhecimentoeainca- pacidadefuncionalassociadaaesseprocesso.Comoagerontologiaeageriatriasãocamposcientíficoseprofissionaisrelativamente novos,pareceamuitosqueapreocupaçãocomavelhiceteveori-

gemnosnossosdias,masessaéumafalsacrença. Feitasessasressalvas,éprecisodeixarclaroque,realmente,o séculoXX marcougrandesavançosnaciênciadoenvelhecimento,graçasaosconhecimentosadquiridospormeiodosestudosque sedesenvolveramdesdequeospioneirosMetchnikoffeNascher, em1903eem 1909,respectivamente,estabeleceramosfunda- mentosdagerontologiaedageriatria.Acreditavamambosqueestas ciênciascorrelatasiriamsetransformar,emumfuturopróximo, emcamposprofícuosderealizaçõescientíficas. Emboraaindaresteumlongocaminhoaserpercorridopara elucidarospontosobscurosdofenômenodoenvelhecimento,a verdadeéque,principalmentenasúltimasdécadasdoséculoXX, pôdeserobservadoumaumentodosomatóriodeconhecimentos nessescamposdeestudo.Alémdeapresentarumresumohistóricodosestudossobreavelhice,estecapítulofocalizaráadefinição docampodeatuaçãodosdiversosramosdaciênciadoenvelhecimentoedeumconjuntodetermosbásicosmaisfreqüentemente utilizadosemgeriatriaegerontologia.

o séculoXX marcoudefinitivamenteaimportânciadoestudo davelhice,fruto,deumlado,danaturaltendênciadecrescimento dointeresseempesquisareestudaroprocessodeenvelhecimento, quejáseanunciavanosséculosanteriores.Poroutrolado,oaumento donúmerodeidososemtodoomundoexerceupressãopassivasobre osdesenvolvimentosdessecampo.Foinoiníciodesseséculo,mais precisamenteem1903,queElieMetchnikoff,sucessordePasteur

MatheusPapaléoNetto e,comoeste,renomadocientista,defendeuaidéiadacriaçãodeuma novaespecialidade,agerontologia,denominaçãoobtidaapartirdas expressões8ero(velhice)el08ia(estudo).Esseautorpreviaqueesta áreadeestudoseriaumdosramosmaisimportantesdaciência,em virtudedasmodificaçõesqueocorremnocursodoúltimoperíodo davidahumana.Propunha,naverdade,umcampodeinvestigação dedicadoaoestudoexclusivodoenvelhecimento,davelhiceedos idosos.Emvezdeaceitarainevitabilidadedadecadênciaedadege- neraçãodoserhumanocomoavançardosanos,Metchnikoffpensavaquealgumdiaumavelhicefisiológicanormalpoderiaseralcan- çadapelohomens(Achenbaum,1995).SegundoLapes(2000),no entanto,suaposturarígidaeo compromissocomapesquisanão foramsuficientesparaganharo apoioeaatençãodacomunidade científicaparaoassuntoquevinhaestudando.

Apesardeosconhecimentosarespeitodafisiologiadoenvelhecimentonãoteremsofridograndesmudançasconceituais,na ocasiãohouveinteresseemcriarumanovaespecialidadename- dicina,quevisavatratardasdoençasdosidososedaprópriavelhi- ce.Em 1909,estaespecialidadepassouaserdenominadageriatria,ouoestudoclínicodavelhice,comopropôsIgnatzL.Nascher, médicovienenseradicadonosEstadosUnidos.Esteestudioso,que estimuloupesquisassociaisebiológicassobreo envelhecimento e,porestemotivo,foiconsideradopaidageriatria,fundouaSociedadedeGeriatriadeNovaIorqueem 1912,publicouo livro

Geriatrics:theDiseasescifOldA8eandTheirTreatment,Includin8

Physiolo8icalOldA8e,HomeandInstitUtionalCare,andMedico-le8al Relationsem 1914e foi convidadoparasereditordasessãode geriatriadarevistaTheMedicalReviewcifReviewsem1917,oquedá idéiadointeresseinicialdespertadopeloassunto.

No primeiroquartodo séculoXX, alémdeMetchnikoffe Nascher,destacou-seG. StanleyHall, psicólogoqueem 1922 publicouoSenescence:theLastHaifcifL!fi.SegundoLopes(2000), por meiodeevidênciashistóricas,médicas,literárias,biológicas, fisiológicasecomportamentais,nessaobraeleprocuroucompro- varqueaspessoasidosastinhamrecursosatéentãonãoaprecia- dos,contradizendoacrençaqueavelhiceé simplesmenteo reversodaadolescência.

Percebe-senessestrêsautoresumavisãootimistadaspossi- bilidadesqueaspesquisassobreoestudodoenvelhecimentopo- o EstudodaVelhicenoSéculoXX:Histórico,DefiniçãodoCampoeTermosBásicos / 3 deriamproporcionare,alémdisso,umaconcepçãomenospessimistasobreaevoluçãodadecadênciaedadegeneraçãodoser humanocomoavançardosanos,expressõesestasextraídasdas observaçõesdeMetchnikoff,anteriormentereferidas.Nascher, assimcomoMetchnikoff,tevedificuldadesparadisseminarsuas idéiasentreosmédicos,comoresultadodeumaculturaentão dominantequeoslevavaacrerqueasfronteirasdesuadiscipli- naeramimpenetráveis.Esseautortevequeenfrentaro desafio dedivulgarsuasposiçõessobreosaspectosbiomédicosdave- lhicee,aomesmotempo,nãosecomprometercomosproble- masrelativosàsciênciassociais,queeletambémjulgavaimportanteparaoestudodoprocessodeenvelhecimento.Essasocor- rênciascolocamemevidênciaqueeleseadiantavaaonatural crescimentodaciênciadoenvelhecimento,aoanteveraneces- sidadedeumaabordagemmaisabrangentedofenômeno.Durantemaisdeduasdécadas,atéo aparecimentodotrabalhode MarjoryWarren(apudMatthews,1984)nadécadade1930,a gerontologiaficoupraticamenterestritaaosaspectosbiológicos doenvelhecimentoedavelhice.O méritodeWarrennessecon- textofoi delinearosprimórdiosdaavaliaçãomultidimensional eaimportânciadainterdisciplinaridade.

Emboraavisãoabrangentedaatençãoàsaúdedoidosoedas pesquisassobreavelhicesejamrealmenteimportantesparaque sepossaconstruirumsaberque,apesardemultifacetado,tem comoobjetivocomumaconstruçãodeumaciênciadirigidaao processodeenvelhecimento,nãosepodeminimizaraimportânciadetrabalhoscientíficosespecíficosdecadaáreaquecompõea gerontologia.Defato,elestêmcolaboradodemaneiradecisivapara aconstruçãodosconhecimentossobreofenômenodoenvelheci- mento.Assim,pesquisasdecaráterbiofisiológicopuderamestabelecerque,como avançardosanos,vãoocorrendoalterações estruturaise funcionaisque,emboravariemdeumindivíduoa outro,sãoencontradasemtodososidososesãoprópriasdoprocessodeenvelhecimento(PapaléoNettoePontes,1996).Através

deestudosrealizadosnessaárea,foipossívelestabelecero limite entresenescênciaesenilidade,ouseja,entreo envelhecimento primárioe o secundárioe osprocessospatológicosquesãoco- munsnasidadesmaisavançadasdavida,eentreoenvelhecimento saudávelou bem-sucedidoe o envelhecimentocomum.Foi tambémpossívelestabelecerosmotivospelosquaisamorbidade eataxademortalidadesãomaioresnosidososdoquenaspessoas jovens,entreoutrosconhecimentosimportantesparaacaracterizaçãodosfenômenosvelhicee envelhecimento.Os resultados dessesestudospuderamserúteisaoutrasáreasdoconhecimento gerontológico,emseusrespectivoscamposdeabrangência. SeNascherfoi o paidageriatria,MarjoryWarrenpodeser consideradaamãedessaespecialidade,porterintroduzidoocon- ceitoeimplementadoaçõesdeavaliaçãogeriátricaespecializada, pontodepartidadaavaliaçãomultidimensionaleinterdisciplinar. No iníciodosanos1930essaestudiosatrabalhavanaIsleworth

Infirmarye em 1935assumiuaresponsabilidadepor umasilo adjacenteaoseulocaldetrabalho,o quepermitiuaconstituição doWestMiddlesexCountyHospital,emLondres.Anteriormen- teo asiloabrigavacentenasdepessoas,muitasdasquaisidosase doentes,semdiagnósticomédicoesemqualquertratamentode reabilitação,devidoànegligênciacondenadasaviverinstitucionalizadaspelorestantedesuasvidas.Warrencomeçouapromover umarevisãosistemáticadessespacientes,iniciandomobilização ativaereabilitaçãoseletiva,obtendocomessemétododetrabalho quemuitosdoentespudessemlocomover-seeque,atémesmo, algunspudessemteraltaparaseusdomicílios. A partirdadécadade 1930começaramasurgirnumerosos trabalhosemtodasasáreasquehojecompõemaciênciadoenve- lhecimento,atravésdosquaisfoipossívelacrescentarconhecimentosaosatéentãoexistentes.Em 1942foicriadaaAmericanGeri- atricSocietyeem 1946aGerontologicalSocietyofAmericaea DivisionofMaturityandOldAgedaAmericanPsychologicalAs- sociation,criaçõesessasindicativasdointeressedaciênciapelo estudo da velhice, e tambémdo impacto das projeções demográficassobreo processodeenvelhecimentopopulacional quecomeçavaatomar-seacentuadonosEstadosUnidos. O períodosituadoentreo iníciodasdécadasde 1950e de

1970foiprofícuoquantoàformaçãodegruposdepesquisalon- gitudinalsobreavidaadultae avelhice.SãoexemplososestudosrealizadosemBonn(1951e1969),emKansasCity(1964), naPensilvânia(em1958)eemWestVirginia(em1972).Trabalhosrealizadosnestasduaslocalidadeslançaramasbasesdopa- radigmadedesenvolvimentoaolongodavida(life-span).Entre 1950e1959forampublicadosmaisestudossobrevelhicedoque nos115anosprecedentes.Entre1969e 1979,apesquisanaárea aumentou270%.Nesseperíodo,cercade60%dostrabalhos versavamsobreosprocessosintelectuais,refletindoaaceitação daidéiadequesãofundamentaisàadaptaçãodosidosos.Esse interessepermaneceacentuadoatéhoje.Nosanos1980e 1990 abriram-senovasáreasdeinteressegeradaspelasnecessidades sociaisassociadasaoenvelhecimentopopulacionale àlongevi- dade,como,porexemplo,o apoioafamiliaresquecuidamde idosos dependentes, os custos dos sistemasde saúde e previdenciário,anecessidadedeformaçãoderecursoshumanos, anecessidadedeofertaseducacionaise ocupacionaisparaido- sosepessoasdemeia-idade(Neri, 2001). Comoemtodaáreado conhecimentocientífico,osavanços obtidostiveramqueultrapassarmuitosobstáculos.Sobesteaspecto, devesercitadaa posiçãode um dos maioresnomesda biogerontologia,Hayflick,queapontaosmotivosdoatrasonabusca deconhecimentosemumdeseusramosmaisfecundosnosdias de hoje,agerontologiabiomédicae, maisespecificamente,a biogerontologia.Em 1961,esseautorafirmavaquetalatrasoera resultantedaconvergênciade,pelomenos,trêsfenômenos:primeiro,osmodernoscientistasrelutavamementraremumcam- podominadoporcharlatães,temendoarriscarsuareputaçãoem umaáreavistacomdesdém;segundo,faltariabasesuficientementeconcretaou fundamentosteóricosquepudessemlevaraum planejamentoexperimentaladequado;e,terceiro,faltavainvesti- mentoempesquisa.Aquelesquetrabalhavamnaáreaobtinham recursosemnomededisciplinasbásicasqueservemdesuporteà biogerontologia.Assim,o progressoquehojesepodeobservar ocorreugraçasàidentificaçãodaspesquisassobreoenvelhecimento comabiologiamolecularecelulareafisiologia.

UmaoutrarazãofoilevantadaporWalford(1985),queseacha expressanoseuposicionamentocontraaidéiadequeoprocesso deenvelhecimentonãopodeseralterado,comoadmitemmuitos gerontologistas,entreosquaisFrieseCrapo(1981),emseulivro

Vitali~andABinBImplications.Sementrarnoméritodesuaposição,Walford(1985)argumenta,combaseempesquisas,aodizer queécontratalpontodevista.Parao autor,elenãosóébiologicamenteerrado,comoconduzaumaposturadefatalismofisioló- gicocomrelaçãoaoenvelhecimento,umfatalismoqueretardaa pesquisaeumadequadoplanejamentosocial,alémdejustificara faltadeconhecimentosbásicossobrebiologiadoenvelhecimento porpartedemuitosgeriatras.Emapoioaestaposição,em1935

McCayecolaboradoreshaviamdemonstradoqueratoshipoalimentados,ousubmetidosàalimentaçãocombaixoteorcalórico,apre- sentavamaumentosignificativodaduraçãomáximadevida.In- vestigaçõescomamesmafinalidadeerealizadascomoutrasraças animaisdemonstraramosmesmosresultados.

4 / O EstudodaVelhicenoSéculoXX:Histórico,DefiniçãodoCampoeTermosBásicos

Outrosmotivosassociadosàpesquisabiológicapoderiamser citados,masdeveserassinaladaumaoutrarazãoparaarelativalentidãocomquesedesenvolveramosestudossobreo processodo envelhecimento,estadeordemsocial,eparticularmenteimpor- tantenospaísesemdesenvolvimento.A políticadedesenvolvimento quedominaassociedadesindustrializadaseurbanizadassem- pretevemaisinteressenaassistênciamaterno-infantiledirigida aosjovens.O investimentonumacriançatemumretornopoten- cialde50a60anosdevidaprodutiva,enquantocuidadosmédico-sociaisdirecionadosàmanutençãodeumavidasaudáveldeum idosonãopodemserencaradoscomoinvestimento.Sãonaverdadeumdeverdasociedadeàquelesquederamtantodesiparaas geraçõesfuturas(Verasecol.,1987).Porconstituíremumgrupo etáriopoliticamenteaindamuitofrágil,osidososnãotiveramvez evoznoatendimentoasuasreivindicaçõesmaiselementares.Entre tantasoutras,essafoi,possivelmente,aprincipalcausadalentidãonaproduçãodosconhecimentosemgeriatria,gerontologia biomédicaegerontologiasocialdurantedécadas.Felizmente,notasehojequeascircunstânciasmudaram,deumladodevidoàto- madadeconsciênciadaexistênciadeumapopulaçãocujonúme- rotemcrescidoacentuadamenteequetemproblemasmédicos, psicossociaiseeconômicos, e de outro, em decorrênciada mu- dançadamentalidadearespeitodagerontologia.Cresceonúmerodegerontologistasealgunsrenomadospesquisadorescomeçam aseridentificadoscomasváriasáreasquecompõemovastocampo depesquisa,deestudoedeconhecimentosqueaciênciado envelhecimentooferece(PapaléoNettoePonte,1996).

Muitopoderiaserexpostosobreoestudoeapesquisasobrea velhiceemtodoomundonoséculoXX, masacreditamosque,de formaresumida,algunsaspectosfundamentaisforamlevantados. Vamosagoratratardosproblemasgeradospeloaumentodapo- pulaçãoidosa,frutodo aumentodaexpectativamédiadevida, observadaparticularmentenasúltimasdécadas.Vamostambém

focalizarosconhecimentosadquiridossobreavelhiceeoprocessodeenvelhecimentonoBrasil.

O aumentoacentuadodonúmerodeidosostrouxeconseqüênciasparaasociedadee,obviamente,paraosindivíduosquecom- põemessesegmentoetário.Eranecessáriobuscarosdeterminantesdascondiçõesdesaúdee devidadosidosose conheceras múltiplasfacetasdavelhiceedoprocessodeenvelhecimento.Ver essesfenômenossimplesmentepeloprismabiofisiológicoédes- conheceraimportânciadosproblemasambientais,psicológicos, sociais,culturaiseeconômicosquepesamsobreeles.Aocontrá- rio,érelevanteterumavisãoglobaldoenvelhecimentocomoprocessoedoidosocomoserhumano.Continuaraceitando,como queremosbiogerontologistas,queo envelhecimentoécaracterizadopelaincapacidadefuncional,acarretandomaiorvulnerabili- dadeemaiorincidênciadeprocessospatológicosqueterminam porlevaroidosoàmorte,ésatisfazer-seapenascomameiaverdade.Hoje, felizmente,todasasáreasdo sabersobreavelhice encontram-seemgrandeevolução.

No Brasil,oimpactosocialécomalgumafreqüênciamaisimportante que o biológico. Paralelamenteàs modificações demográficasqueestãoocorrendo,crescetambémanecessidade deprofundastransformaçõessocioeconômicasnospaísesdoTer- ceiroMundo, que,alémdeserempolíticae economicamente dependentesdeoutrasnações,possuemumaestruturasocioeconômicaarcaicaqueprivilegiaalgunsemdetrimentodamaioria.O quadroatual,ouseja,decrescimentodapopulaçãoidosaacompanhadodefaltadedisponibilidadederiquezaou,o queémais comum,desuaperversadistribuiçãoderenda,contrasta,por exemplo,como existentenaInglaterra,ondeo envelhecimento dapopulaçãojáseevidenciavaapóso iníciodaRevoluçãoIndus- trial,noperíododoImpérioBritânico,quandoo estadoeasociedadepuderamdisporderecursosparaatenderàdemandaqueo cre~centenúmerodeidososexigia. A precáriacondiçãosocioeconômica,associam-semúltiplas afecçõesconcomitantes,perdasnãorarasdaautonomiae inde- pendênciae dificuldadedeadaptaçãodo idosoàsexigênciasdo mundomodernoque,emconjunto,levamovelhoaoisolamento social.É grandeo impactodessasocorrênciasparaassociedades quetêmqueenfrentarestedesafioemcurtoperíodo.Asociedade modernaencontra-sehojediantedeumasituaçãocontraditória: deumlado,defronta-secomocrescimentoaceleradodapopula- çãodeidosos,e,deoutro,omite-seperanteavelhiceou adota atitudespreconceituosascontraapessoaidosa,retardandodestarte aimplementaçãodeaçõesquevisamminoraropesadofardodos queingressaramnaterceiraidade.Nãoseentendeessaomissão quandosesabequeapreocupaçãocomavelhiceétãoantigaquanto aorigemdacivilização.Comojáfoireferido,segundoLeme:"Pou- cosproblemastêmmerecidotantoaatençãoeapreocupaçãodo homemcomoosrelacionadosaoenvelhecimentoeàincapacidadefuncionalcomumenteassociadaaeste".Nassociedadesprimi- tivasosvelhoseramobjetosdeveneraçãoederespeito.Confücio, nascidoem551a.c. efalecidoem479a.c., consideravaquetodososmembrosdeumafamíliadevemobedeceraosmaisidosos.

Éóbvioqueemsuadoutrinaháumasupervalorizaçãodatradição edosensinamentosdosmaisvelhos.Bois,em1994,emsuaHistoire deIa Vieillesse,afirmavaqueo séculoXVIII eradeotimismoem relaçãoàvelhice,talveznuncavistoemséculosanteriores.Hoje,o quesenotaéumainversãodessesvalores,queéfruto,entreoutrosfatores,daRevoluçãoIndustrial,dosavançostecnológicose davalorizaçãoexcessivadetesesdesenvolvimentistas,quetêm comoobjetivoaforçadeprodução,obviamentemuitomaispró- ximadosjovensdoquedosidosos.

Os idosos,por teremreduzidasuacapacidadefisiológicade trabalho,àqualpodemassociar-seumaoumaisdoençascrônicas,não têm como enfrentarumacompetiçãodesigual,a marginalizaçãoeaperdadasuacondiçãosocial.Esteéo quadro atualdasociedadeperanteavelhice.É importantesalientaraanálisedeSalgado(1982)aesserespeito.O autoratribuiavalores culturaisasupervalorizaçãodopotencialdajuventudeemdetrimentodopotencialdaidademaduraedavelhice,quesãointer- pretadascomoummistodeimprodutividadeedecadência. Mesmoqueseadmitaopapelhostildasociedadecontemporâ- neaparacomosidosos,nãoépossíveldesconhecerqueestestam- bémtêmumaparcelaponderávelderesponsabilidadeporessasituação.Tomemosocasodadificuldadedeadaptaçãodovelhoaomeio emquevive,aqualgeraconflitos,particularmentecomosmaisjovens.Sobpenadesecometerinjustiça,nãosepodeafirmarquea rejeiçãoéunilateral,ouseja,dosjovensemrelaçãoaosidosos.Esta étambémdestesemrelaçãoàqueles.Associa-seaistoarejeiçãodo idosoaoseupróprioenvelhecimento.Osvaloresquenorteiamavida dasgeraçõesmaisnovaseo comportamentoassumidoperanteos mesmosdiferemfrontalmentedosquenortearamasgeraçõesmais velhas,queteimamemtrazerparao presentevaloresculturaisdo passado,tentandoimpô-Iosaosdemais.A valorizaçãoexcessivade gruposetáriosmaisjovensearejeiçãodosidososaosnovostempos tomamárduaaintegraçãodestesúltimosàsociedade,principalmente selevarmosemconsideraçãoasprecáriascondiçõessocioeconômi- casemqueviveapopulaçãobrasileira. OutroaspectoqueconstruiuahistóriadavelhicenoBrasilfoi o rápidoprocessomigratórioedeurbanização.Comoconseqüên- cia,hoje,trêsquartosdapopulaçãobrasileiravivememáreasurbanas,oqueacarretaproblemassociaisaindamaisgravesparaos idososeparatodaapopulação.

o EstudodaVelhicenoSéculoXX:Histórico,DefiniçãodoCampoeTermosBásicos / 5

Outroaspectoquetemsidomotivodeinteresseéoestudoda velhicerelacionadaaosexo.SegundoVeras(1996),oaumentoda expectativadevidadamulheré maissignificativodo queo do homem,oquepodeseratribuídoafatoresbiológicoseàdiferen- çadeexposiçãoaosfatoresderiscodemortalidade.Segundoo mesmoautor,o aspectoeconômicotemlevadoaumacrescente participaçãodamulhernaforçadetrabalho,afimdecontribuir financeiramenteno orçamentodoméstico.A conseqüênciaé a ausência,nafamília,dealguémquecuidedoidosoemcasode doençae/oudeincapacidadefísica.Poroutrolado,devidoàmaiorduraçãodevidadamulheremrelaçãoàdohomem,elasestão expostasporperíodosmaislongosadoençascrônico-degenerativas,àviuvezeàsolidão.No entanto,aomesmotempo,pertencer aosexofemininodeterminaoexercíciodepapéissociaisqueco- neCtamasmulheresaomundodasrelaçõesedainterdependênda. Não só na velhice como nas outras idades, a maior conectividadeépositivamenterelacionadacomsatisfaçãoecom acessoa recursossociaise interpessoais,quefuncionamcomo mecanismosprotetores(Neri, 2001).Acrescente-sequeasmulheresidosastêmtido,emnossaexperiência,umaparticipação qualitativaequantitativamentemaiorqueoshomensemtodasas atividadesrelacionadasàspolíticasdesaúdeaoidoso,comofóruns degerontologia,conselhosmunicipaiseestaduaisdeidosos,etambémnoscursosdauniversidadedaterceiraidade.

Diantedeumquadrosocialcomooquefoiatéagoraexposto, eradeesperar,eefetivamentetemocorrido,queaumentassemos custoscomo atendimentoàsaúdedapessoaidosa.Asprojeções paraoprimeiroquartodesteséculojustificamapreocupaçãodos paísesdoPrimeiroMundoquantoànecessidadequesedelineia, deterqueatenderaumademandacrescentederecursos.O qua- droémaisdramáticoparao nossopaís,poisestetempelafrente oimpactoeodesafioenfrentadopelasnaçõeseuropéiashávárias décadas,comumadiferença,eparapior:o ritmodecrescimento dapopulaçãoidosaentrenóséproporcionalmentemuitomais

intensodoqueo presenciadoporaquelespaíses.

Osproblemascitadostrouxeramàtonaasituaçãodovelho,da velhiceedoprocessodeenvelhecimentono Brasil.Osconheci- mentosdisponíveisarespeitodessesassuntosresultamdevários estudosepesquisasrealizadosemtodoo paísnasúltimasquatro décadas.Acreditamosquequatrofatoresforamospropulsores dessesestudos:

I) A pressãopassivaexercidapelonúmerorapidamentecrescentedeidososnoBrasil.

2) O clamordasociedadeque,maishojedoqueontem,começa asentiro pesododesafiodosmúltiplosproblemasmédicos, psicossociaiseeconômicosgeradospelavelhice.

3) O interessedosprofissionaisdasaúde,dospesquisadores,das sociedadescientíficase dasuniversidadesno estudodeum processoque,por serumapreocupaçãoacadêmicarecente, of~receamplocampodeinvestigaçãocientífica,enabuscade soluçõesdosproblemasqueafligemapopulaçãoidosa.

4) A disseminaçãodosconhecimentossobreo fenômenodavelhiceemtodoo mundo.

O últimodosquatrofatorespropulsoresdosestudossobrea velhice,quesedeveuaoprocessodeinternacionalizaçãodagerontologiapromovidopelospaísesdesenvolvidos,sobaégideda

OrganizaçãodasNaçõesUnidas(ONU) edaOrganizaçãoMundialdeSaúde(OMS), foi,possivelmente,o estímuloquefaltava paraquedespontasseo interessepeloestudodavelhicenoBrasil.Assim,em1961,foifundadaaSociedadeBrasileiradeGeri- atria(SBG),quetevecomoprimeiropresidenteRobertoSegadas. Posteriormente,maisprecisamenteem1968,graçasàinclusão desóciosnão-médicospassouaserdesignadaSociedadeBrasi- leiradeGeriatriaeGerontologia(SBGG).Estaentidadetemhoje' emseuquadroprofissionaisdasmaisdiversasformações,cujo interessesãoasquestõesrelacionadasàsváriasáreasdoestudo dofenômenodoenvelhecimento.Elapossuiseçõesem18esta- dose é membrodaInternationalAssociationof Gerontology (IAG). Emsuacurtaexistência- aproximadamente40anosjárealizoumaisdeumadezenadecongressosnacionaisejornadasregionais.Seguindoatendênciamundial,começouem1980 acrescero carátermultidisciplinareinterdisciplinarnoâmbito daentidade.Em 1990,evidencia-seapresençamaissólidade gerontólogosnointeriordaentidade.Fazempartedestegrupo tantoprofissionaisquetrabalhamdiretamentecomo idosoou querealizampesquisas,comoacadêmicosvoltadossomentepara ainvestigação(Lopes,2000). Na mesmaépocadafundaçãodaSBG,o ServiçoSocialdo

Comércio(SESC)deuinícioaosseusprogramasdelazeredepre- paraçãoparaaposentadoria.Nessaentidadee nostrabalhospo~ eladesenvolvidosdestaca-seo nomedeMarceloA. Salgado.E importanteenfatizaropapelexercidopelaSBGGepeloSESCna institucionalizaçãodagerontologiaedageriatriaeno iníciodo esforçoparaformaçãoderecursoshumanosparaatenderoidoso nasáreasdesaúdeesocial.

O primeiroserviçouniversitáriofoicriadoem1975naUniversidadeCatólicadoRio GrandedoSul.Nadécadade80tem início o ServiçodeGeriatriadaUniversidadeFederaldo Rio GrandedoSul.EmSãoPaulo,o interessepelageriatriacomeça adespontarnadécadade70comacriação,em1975,daSeção SãoPaulodaSociedadeBrasileiradegeriatriae Gerontologia; sãodadososprimeirospassosparaacriaçãodo ServiçodeGeriatriado HospitaldasClínicasdaUniversidadedeSãoPaulo, sobdireção,já comcursodeextensãouniversitária,estágioe residênciamédicaemgeriatria.Poucodepoisiniciam-seosser- viçosdegeriatrianaEscolaPaulistadeMedicinaenaSantaCasa deMisericórdia.

Aoladodosserviçosdegeriatriacomeçamaprosperaratividadesde-áreasnão-médicasdagerontologia.Em 1982,o Instituto SedesSapientiaecriouoprimeirocursodeGerontologiae,apar- tir deentão,outrosforamorganizados,marcandoo processode ingressodauniversidadenaáreadoenvelhecimento(Neri,2000). Emverdade,o ingressodauniversidadenaáreadoestudodavelhice,segundoNeri(2000),quevemocorrendodesdemeadosde 1970,foi lento,seletivoe graduale manifestou-setambémna produçãoesparsadetesesedissertaçõessobreavelhiceeoenve- lhecimento.Esteprocessoacentuou-senitidamentenadécadade 90,principalmentenaRegiãoSudesteeemcursosdepós-graduaçãoempsicologia,educação,ciênciassociais,saúdepública,en- fermagememedicina.

SegundoGoldsteine Neri (1999),entre1975e1999foram identificadascercade300dissertaçõesetesesdefendidasnasáre- asdepsicologiaeciênciassociais.Váriosindicadoressãoaponta- dosporNeri(2000)comoelementoscondicionadoresdesseprocesso,naúltimadécada:

· o interesseemabrirespaçonoscursosdepós-graduação latosensu;·aaberturadeumgrandenúmerodeuniversidadesdater- ceiraidadeemtodoopaís;·apromulgaçãodepolíticasnacionaisparaoidoso(1996)e paraasaúdedoidoso(1999),comapreocupaçãoexplícita comoensinosuperioreapesquisasobreavelhiceeoenvelhecimento.

Em 1992,a UniversidadedeSãoPauloreconheceageriatria como disciplinaobrigatóriano currículo do quartoano médicoe realizao primeiro concursode livre-docênciaem

6 / O EstudodaVelhicenoSéculoXX:Histórico,DefiniçãodoCampoeTermosBásicos

Figo1.1 Número de artigoscientíficos na áreadas Ciências do Envelheci- mentoproduzidos no Brasile publicados em periódicos nacionaise internacionais. Fonte:Prossiga- CNPq.

geriatria.Em meadosdadécadade90,segundoNeri (2000), começamasergestadaspropostasdecursosdepós-graduação strictosensu:em1997odeGerontologia(MestradoeDoutora- do) na UNICAMP, em 1998o de Gerontologia Social da

PUCSP (Mestrado)e em2000o deGerontologiaBiomédica daPUCRS (MestradoeDoutorado),todoscomcarátermulti- disciplinar.O primeirotemcomoeixosapsicologia,abiolo- giaeasciênciassociaiseestáancoradonaFaculdadedeEducação.O segundooriginou-sedaatuaçãodegruposnocampo daGerontologiaSocialeestáancoradonaáreadeServiçoSocial. O terceiroderivadeumatradiçãomédicade ensinoe pesquisaestabelecidadesdemeadosdosanos1970noInstituto deGeriatriadaquelainstituição,quejá mantinhacursode pós-graduaçãostrictosensu.Em 1999foi criadoo Grupo de

GeriatrianoInstitutodeOrtopediaeTraumatologiadaFaculdadedeMedicinadaUniversidadedeSãoPauloequejá pos- suicursodepós-graduaçãostrictosensu.

No entanto,énecessárioqueseenfatizequeoestudodavelhice,doprocessodeenvelhecimentoe dosproblemasmédicoe psicossociaisdosidososétambémrealizadoforadosmurosdas universidades.Assim,porexemplo,aClínicaGeronto-Geriátrica doHospitaldo ServidorPúblicoMunicipaldeSãoPaulo,criada em1991,comumavisãorigorosamenteinterdisciplinar,temcomo áreasdeatuaçãoaassistênciaglobalaopacienteidoso,apesquisa eo ensino,proporcionandocursosanuaisdeGeriatriaedeGe- rontologiae,alémdisso,programasdedoisanosderesidência médicaedeestágioparamédicose paraoutrosprofissionaisda saúde.

Parafinalizaresteresumohistórico,éimportantequeseres- saltequeasciênciasdoenvelhecimento,apesardesuacurtaexistência,ouseja,menosdeumséculo,têmhojeproduçãocientí-

ficainvejável,comodemonstramasFigs.1.1a 1.3,cujosdados foramextraídosdelevantamentojunto aoDiretóriodosGru- posdePesquisanoBrasil- CNPq, apartirdosfiltros:geron-

(Parte 1 de 4)

Comentários