Reações à doença e àhospitalização

Reações à doença e àhospitalização

(Parte 2 de 6)

•caráter breve ou duradouro

•implicações quanto ao prognóstico

• limitações acarretadas

•valor simbólico das funções corporais ou dos órgãos atingidos (SPITZ, 1997)

Doen Doençç as agudas as agudas

Doen Doençç as crônicas as crônicas

Doen Doençç as terminais as terminais

Impacto ainda + dramático (BOTEGA, 1993)

1. Doen 1. Doençç as Agudas as Agudas

1.Ameaça básica àintegridade narcísica

Fantasias onipotentes (imortalidade) Fantasias catastróficas

2.Ansiedade de separação Pessoas, objetos, estilo de vida

3.Medo de estranhos

4.Culpa e medo de retaliação Doença =castigo

5.Medo da perda do controle Fala, esfíncteres, marcha

6.Perda de amor e aprovação Autodesvalorização

Sobrecarga financeira, dependência

7.Medo da perda de, ou dano a, partes do corpo

8.Medo da morte, da dor (BOTEGA, 1993)

Dor Dor

Culpa (por não ter vindo Culpa (por não ter vindo antes) antes)

Expectativa de cura Expectativa de cura

Descr Descréé dito dito

Ang Angúú stia pelo diagn stia pelo diagnóó stico stico

Medo (incapacita Medo (incapacitaçç ão e morte) ão e morte)

Fantasias Fantasias

Reco mpor Reco mpor-- se e ampliar seus interesses (= se e ampliar seus interesses (= luto normal) luto normal)

Não conseguir elaborar a perda, mesmo Não conseguir elaborar a perda, mesmo com sinais de melhora (= luto patol com sinais de melhora (= luto patolóó gico) gico)

Tentar retomar o comando (= hostilidade Tentar retomar o comando (= hostilidade aos aos cuidadores cuidadores )

Raiva na equipe Raiva na equipe

Grupo de transtornos freqüentes entre pacientes internados no hospital geral

CID- 10 Síndrome parcial de um transtorno específico do humor patológico

Pre ocupa Pre ocupaçç ões excessivas ões excessivas

Ansiedade Ansiedade

Depre ssão Depre ssão

Insônia Insônia

Melhoram com Melhoram com

Boa comunica Boa comunicaçç ão ão

Apoio psicol Apoio psicolóó gico gico

Recupera Recuperaçç ão, alta ão, alta

Reações de ajustamento

Mecanismos de adaptação

•atitude suave e equilibrada do doente que lhe torna possível mudar seu modo de funcionamento habitual sem por isso se desorganizar

Adaptação ≠ ≠≠

≠aceitação passiva ou submissão àdoença

•processo dinâmico, permanente, de tentar buscar uma “convivência razoável”com a doença, através de um trabalho emocional complexo e doloroso

(JEAMMET, REYNAUD, CONSOLI, 2002)

Reação que a equipe deseja e espera do paciente

Adaptação

Sópode ser avaliada em função da personalidade anterior e o modo habitual de reagir e lidar com situações difíceis

(Parte 2 de 6)

Comentários