Como fazer um plano de negócios

Como fazer um plano de negócios

(Parte 1 de 3)

Como Fazer o seu Plano de NegóciosPara dar uma idéia do que é um Plano de Negócio, aí vai uma sugestão:

Sumário Executivo:

Nome ou Razão Social da Empresa

CPF ou CGC e Inscrição Estadual

Endereço

Telefone, Fax

Enunciado do Projeto

Competência dos Responsáveis

Os Produtos e a Tecnologia

O Mercado Potencial – a Oportunidade

Elementos de Diferenciação

Previsão de Vendas

Rentabilidade e Projeções Financeiras

Necessidades de Financiamento

A Empresa:

A Missão

Os Objetivos da Empresa

Estrutura Organizacional e Legal

Plano de Operações

O Plano de Marketing:

Análise de Mercado

Estratégia de Marketing

O Plano Financeiro:

Investimento Inicial

Demonstração dos Resultados

Receitas

Impostos e Contribuições

Projeção de Fluxo de Caixa

Balanço Patrimonial

Ponto de Equilíbrio

Análise dos Investimentos

Anexos

O Sumário Executivo do Plano de NegócioO Sumário Executivo funciona com um espécie de introdução ao Plano. É dada uma visão geral sobre a empresa, o empreendedor, o produto ou o serviço a ser oferecido, o mercado e os elementos de diferenciação, e o que se espera do negócio sobre o ponto de vista financeiro. Em maiores detalhes, após a necessária identificação da empresa:

Enunciado do Projeto – aqui você vai explicar, em grandes linhas, sobre o que versa o seu Plano de Negócio. Fale um pouco sobre seu produto/serviço, sobre o mercado que você pretende atingir e como você pretende estruturar a empresa. A idéia é dar uma visão geral e ampla sobre sua proposta, para interessar o leitor a ir em frente e estudar os detalhes.

Competência do(s) responsável(eis) – agora, é preciso explicitar bem quem é você (e sua equipe), e qual é a competência estabelecida para tocar o negócio. Sabe-se que é impossível, ou mesmo muito arriscado, empreender em uma área desconhecida para o empreendedor. Então você vai provar aqui que é competente para criar a sua empresa. No caso de um grupo, é conveniente citar aqui as competências individuais e onde serão aplicadas, ou seja, se Fulano é bom em vendas, é lá que ele vai atuar; por outro lado, como Beltrano é bom em desenvolvimento, então ele será o elemento de laboratório etc.

Os Produtos/Serviços e a Tecnologia – aqui você vai apresentar a sua idéia, de maneira sucinta. O leitor deverá entender sua proposta, e interessar-se por ela. Assim, redija esta parte pensando em explicar o produto/serviço de modo bem claro e atrativo.

O mercado potencial – trata-se agora de provar ao leitor que sua idéia é realmente uma boa oportunidade mercadológica, ou seja, que realmente tem um mercado a ser explorado. Você vai então descrevê-lo, se possível quantizando-o, colocando números. Como exemplo: o serviço deverá ser utilizado por 80% do total dos estudantes de escolas superiores de Sta. Rita, o que dá aproximadamente 1.100 consumidores por mês. Você também deve colocar aqui os argumentos que tiver, mostrando que realmente seu mercado potencial vai tornar-se um mercado efetivo.

Os Elementos de Diferenciação – o que seu produto/serviço tem de diferente do dos concorrentes? O que você está oferecendo de novo ao seu mercado potencial? Como você pretende acessá-lo? Se você já fez seu estudo sobre o mercado concorrencial (Plano de Marketing), terá mais facilidades para gerar esta parte. Aliás, é pelos elementos de diferenciação, pelo novo que você está propondo, é que você conquistará seu mercado...

Previsão de Vendas – lembre-se sempre de que o Sumário Executivo é uma introdução ao Plano, e que deve convencer o leitor a aprofundar-se nos capítulos posteriores, interessando-o no negócio. Então aqui você vai colocar os volumes financeiros que pretende atingir na execução do plano, com prazos, etc.

Resumo da parte financeira – finalmente, você dará uma idéia geral sobre os volumes financeiros envolvidos no negócio, mostrando as necessidades de financiamento (se for o caso), o lucro líquido a ser obtido, etc. É melhor preenchê-lo após o estudo da parte financeira do plano.

Como pode ser visto, o Sumário Executivo é um resumo do plano, e serve para interessar o leitor a aprofundar-se em sua proposta e interessá-lo no negócio.

A Empresa

A Missão da empresa

Como não poderia deixar de ser, a descrição da empresa começa com a sua Missão. A Missão da empresa é a descrição sucinta do que a empresa pretende realizar. Ao ler uma missão empresarial, você deve ficar com a clara impressão de como aquela empresa atua, de modo bem amplo, incluindo suas crenças e valores, seu relacionamento para com o mercado, seus clientes e colaboradores, etc. A Missão de uma empresa pretende ser o seu retrato.

Os objetivos da empresa

Trata-se agora de entrar em detalhes sobre o que a empresa pretende. É melhor dividir este tópico nos seguintes sub-tópico:

Situação planejada desejada

Você aqui vai descrever em detalhes o que deseja com a sua empresa, desde sua formação até um horizonte visível. Fale um pouco sobre o seu mercado e qual é a porcentagem do mesmo que você acha que pode atingir, bem como quais são as estratégias de marketing que serão utilizadas para lograr este objetivo; fale também porque você escolheu a estrutura organizacional de sua empresa. Trace outras considerações de interesse, como planos de expansão, possibilidades de parceria, etc. Enfim, descreva de modo geral aonde você quer chegar e como vai fazê-lo com a empresa.

O Foco da Empresa

Descreva aqui qual é o foco de seu negócio, ou seja, em que segmento do mercado você pretende atuar. Lembre-se de que é muito perigoso atuar em diversas áreas ao mesmo tempo; se você pretende abrir uma empresa de turismo, a diversificação futura deve manter o foco; por exemplo, seria perigoso abrir um negócio de alimentação dentro da estrutura de sua empresa. Melhor seria ampliar ao negócio através de uma agência de eco-turismo, locação de veículos, etc.

 

Estrutura Organizacional e Legal

Podem ser considerados os seguintes tópicos:

Descrição Legal

É como você vai abrir legalmente sua empresa: cooperativa, sociedade por cotas, etc. Consulte um contador ou um advogado sobre qual é a melhor alternativa para você.

Estrutura Funcional

É o organograma da empresa. Lembre-se sempre de contemplar as quatro áreas fundamentais sobres as quais vai se estruturar a empresa: a - Recursos Humanos, b - Administração e Finanças, c - Produção e d - Marketing. Mesmo que no começo de suas operações você tenha que atuar em todas as quatro áreas, todas tem que ser trabalhadas com igual eficiência e profissionalismo.

Descrição da Unidade de Produção

Trata-se de descrever como funcionará a sua "fábrica", se for o caso. No caso de uma empresa de serviços, de que forma ela será "vista " pelo cliente.

Responsabilidades da Equipe Dirigente

Aqui você vai demonstrar "quem faz o que e porque". Uma boa idéia é dividir as tarefas básicas acima descritas pelos sócios (se for o caso) que demonstrem maior competência para atuação em cada uma das tarefas, ainda cabendo neste item a explicitação, de modo mais completo, dos trabalhos de cada um.

Plano de Operações

Descreva aqui, finalmente, como sua empresa vai operar no dia-a-dia. Ou seja, como ela será administrada, como venderá seus produtos, com efetuará seu controle de qualidade, com treinará sua equipe (dirigente e funcional), etc. O leitor aqui deve "ver" sua empresa funcionando e agindo no mercado.

Como você pôde ver, esta parte é destinada a estudar, em detalhes, a empresa. É bom lembrar que uma consulta com um empresário, seu "padrinho" (um empresário de confiança, um amigo com experiência empresarial, enfim, alguém que poderá estar sempre conversando com você a respeito de sua idéia de empresa), um contador ou um advogado, pode ser de grande valia.

O Plano de MarketingOs trabalhos de MKT se distribuem em dois grandes grupos:

A Análise de Mercado, em que você vai estudar detalhadamente:

O setor do mercado em que você pretende atuar. Embora esta seja uma decisão sua, estudos bem feitos e uma pesquisa consistente podem ajudá-lo a decidir melhor. Em conjunto com o segmento de mercado em que você pretende atuar, trata-se aqui de determinar o seu nicho de mercado. Por exemplo, se você pretende abrir uma firma no setor de alarmes, o seu segmento pode ser o de alarmes para bancos.

As oportunidades e ameaças que estão presentes em sua proposta de mercado. Outra vez trata-se de analisar claramente a situação, sendo que um estudo da concorrência é um grande auxiliar para que se determinem estes importantes fatores de sucesso. No exemplo acima, como ameaças estão as grandes empresas que já atuam neste setor (o que demonstra que quando mais criativo você for maior será sua chance de sucesso), mas as oportunidades poderão ser, por exemplo, atuar com um diferencial tecnológico que seus concorrentes não possuam ainda.

O Mercado Concorrente, ou seja, quem vai concorrer com você. Esta análise é importantíssima, pois você estará constantemente medindo forças com seus concorrentes. Analise preços praticados, serviços de qualidade que eles prestam, como efetuam o pós-venda, como tratam o cliente, quais são suas falhas, etc. Procure o seu concorrente, converse com ele. Vá à Internet e olhe seus sites; converse com seus clientes. Entenda perfeitamente como ele opera: de seus pontos falhos pode sair a sua grande oportunidade! No exemplo que estamos dando, o problema pode ser o alto preço praticado pelos concorrentes, ou o péssimo serviço de assistência técnica; e pode ser aí que você vai atuar...

O Mercado Fornecedor, ou seja, quem vai fornecer insumos, componentes, etc. para você. É preciso ter certeza de entrega, com bom preço, e boa qualidade. No negócio do alarma para banco, já pensou se você fecha um ótimo negócio com uma grande rede de bancos, com curto prazo de entrega, e aquele fornecedor, que é o único, ou sobe o preço ou vai fornecer aquele micro-controlador que é fundamental só daqui a três meses?

A Estratégia de Mercado, através da qual você vai estudar e apresentar pontos tais como:

O Produto ou Serviço, que aqui deve ser descrito sucintamente, se possível mostrando suas vantagens competitivas. Aliás, as Vantagens Competitivas são tão importantes que merecem um item à parte: o que há de diferente nos seu produtos ou serviços que os diferem dos concorrentes, convencendo os seus prováveis clientes a trabalhar com você?

A Tecnologia e o Ciclo de Vida. A apresentação da tecnologia envolvida e do tempo em que você pretende atuar (principalmente no caso de produtos) é importante, até por que você fica obrigado a pensar se está atualizado e se seu produto "durará" no mercado. Muitos fabricantes de Réguas de Cálculo sumiram do mercado porque não pensaram nas calculadoras eletrônicas que já estavam vindo...

Planos de Pesquisa e Desenvolvimento. Como você evoluirá tecnologicamente, com empresa e no seu produto/serviço?

Preço, que deve ser estabelecido em função do praticado pelos concorrentes, do interesse dos cliente, dos custos de produção, etc.

Distribuição, ou seja, como você vai fazer chegar o seu produto ao mercado. Você o colocará nas lojas ou utilizará distribuidores? Você o venderá diretamente ao cliente? Qual será o melhor modo de vender o seu produto ou serviço?

Promoção e Publicidade, ou seja, como você vai acessar o seu cliente, e através de que tipo de mídia. Isto, é evidente, dependerá do seu produto ou serviço e de quem é sua clientela, já estudada anteriormente. No caso do banco por exemplo, não compensará colocar anúncios em TV; talvez um contato pessoal seja melhor.

Finalmente, quais serão os seus Serviços ao Cliente e o seu Pós-venda. Atualmente, estes são fatores absolutamente importantes para a manutenção da empresa no mercado. Quando você perde um cliente, que foi difícil de obter, ele leva vários outros consigo...

O Plano Financeiro - Parte 1Ao iniciar um planejamento financeiro de um novo negócio, é importante determinar inicialmente:

o montante de recursos necessários para que o negócio inicie bem suas atividades e se mantenha nos primeiros tempos; podemos denominar este montante de Investimentos Iniciais;

como será possível conseguir este montante.O primeiro interesse então é fixar a atenção nos investimentos iniciais, ou seja, no dinheiro necessário para abrir o negócio e mantê-lo funcionando por um determinado tempo, até que o mesmo caminhe por seus próprios recursos.

Os investimentos iniciais dividem-se em três tópicos importantes:

As Despesas Pré-operacionais, ou seja quais são os gastos que você terá antes de sua empresa entrar em operação.

Alguns exemplos:

Gastos com o registro da empresa; um contador pode ajudá-lo com este dado;

Gastos com o registro da marca no INPI; uma consulta àquele órgão, ou a um escritório especializado em marcas e patentes, pode indicar este valor;

Honorários de terceiros, como publicitários (desenvolvimento de marca, etc.), eventuais consultores especializados, advogados (para a elaboração do contrato social da empresa), etc.;

Gastos com pesquisa de mercado: questionários, telefonemas, viagens (mesmo que com carro próprio), etc;

Enfim, tudo que você vai gastar na preparação da empresa.

O Investimento Fixo, ou seja, os gastos com a aquisição da infra-estrutura básica para a empresa funcionar. Aqui você vai colocar tudo o que for necessário para que sua empresa funcione, e deve ser previsto até o que você já tem, mas que vai utilizar na empresa. Só para lembrar alguns itens:

O imóvel em que a empresa vai operar, se for necessário adquiri-lo;

Reformas, ampliações e melhoramentos, caso sejam necessários em um imóvel já existente;

Móveis e utensílios diversos, incluindo os de escritório, cozinha e copa, etc.;

Linhas telefônicas, centrais de comutação, etc.;

Computadores, ligações em rede, equipamentos de escritório, etc.;

Máquinas e utensílios que serão utilizados na produção (repare que a terceirização, hoje tão em moda, pode diminuir substancialmente o valor deste item);

Veículos – se você for utilizar o seu carro próprio, o valor deve ser colocado aqui – afinal, é um investimento que você está aplicando na empresa e que deverá ser remunerado por ela;

Enfim, após um exame detalhado de sua proposta, tudo o que for necessário para o inicio de operação da empresa.

Capital de Giro Inicial, ou seja, o dinheiro necessário para iniciar as atividades da empresa, antes que as receitas do negócio possam suprir as necessidades da mesma. Também para listar alguns itens:

(Parte 1 de 3)

Comentários