O plano de negócios

O plano de negócios

(Parte 1 de 2)

Tema 1: Empreendedorismo

Assunto 3: O plano de negócios

Unidade 1: O projeto do empreendimento

Olá, caro(a) aluno(a). Este material destina-se ao seu uso como aluno(a) inscrito(a) no Curso Aprender a Empreender pela Internet, promovido pelo Sebrae. Conforme você já leu no Guia do curso, este é um recurso adicional do qual você dispõe para apoiá-lo(a) e está disponibilizado para download. Para facilitar o manuseio do material, seguir-se-á a seqüência estabelecida para o curso em temas, assuntos e unidades. O material está disponibilizado por tema, na 1ª unidade de cada assunto, indicando-se as unidades a que se refere. Nas atividades educacionais propostas e realizadas com recursos tecnológicos especiais, você deve navegar no curso pela internet. Neste material, ao encontrar a palavra Atenção! vá ao ambiente do curso e localize a unidade e passo indicados. Você deve percorrer todos os passos e clicar em Concluir no final de cada unidade. Quando todas as unidades de um mesmo assunto estiverem concluídas no ambiente do curso na internet, você terá acesso aos textos do próximo assunto para download.

Bem-vindo ou bem-vinda a esta unidade.

Você já estudou alguns assuntos do tema ‘Empreendedorismo” que lhe foi apresentado, no coreto, pelo Maestro Mozart. Já estudou “ O Empreendedor “ e o ”Comportamento Empreendedor”.

Neste percurso, deve ter falado com muitos participantes. Também conheceu o(a) tutor(a) que o acompanha, tira suas dúvidas e troca idéias. Enfim, fez muitos amigos virtuais.

Quem poderia imaginar, há 10 anos, que isto estaria acontecendo na vida de cada um de nós?

Se a nossa vida pessoal mudou tanto, o nosso jeito de fazer negócios também tem de ser diferente. A improvisação, o “chute“, ”o deixar prá lá, prá ver como é que fica“, a falta de planejamento e o descompromisso com o cliente não cabem mais na rotina do(a) empreendedor(a).

Já vimos como é importante para a vida do país a atividade dos pequenos negócios. Há um livro sobre o empreendedorismo, sobre o qual já falamos para você, que se intitula “O Segredo de Luísa“. Ele traz como subtítulo a seguinte frase:

Nas outras unidades, conversamos sobre a importância de se ter uma idéia e transformá-la em uma boa oportunidade de negócio. Falamos sobre sonhos e como é necessário tê-los. Falamos do(a) empreendedor(a) e das características que deve ter. Falamos de como é preciso planejar, estabelecer metas, buscar informações para se obter sucesso nos negócios.

Nesta e nas próximas duas unidades, vamos conhecer, então, o que ainda nos falta: o plano de negócios. É um instrumento importante para o(a) empreendedor(a) tornar viável o seu negócio, garantindo-lhe maiores chances de sucesso.

Neste material, vamos tratar do Plano do Negócio, o que significa, como deve ser feito, qual a sua finalidade e importância. Você vai saber como se faz um plano de negócio.

Fique tranqüilo ou tranqüila. Você vai poder acompanhar passo a passo os assuntos destas unidades. Se ficarem dúvidas, você já sabe como pode se conectar com o(a) tutor(a) para fazer perguntas. Para trocar experiências, conecte-se à Comunidade (lapela lateral do ambiente do curso). NÃO ESTAMOS SOZINHOS.

Lembra-se da comparação com o navegador Amyr Klink? Você é o navegador e nós somos a equipe de terra que lhe dá todo o suporte que vai precisando.

SOMOS UMA EQUIPE, o SEBRAE e VOCÊ.

O que é o Plano de Negócios? É, ao mesmo tempo, o retrato da empresa HOJE e uma projeção do FUTURO.

É uma forma de pensar sobre o futuro do negócio, onde se quer chegar, como se vai até lá, como ir mais rapidamente, o que fazer e o que evitar, durante o caminho, para evitar incertezas e riscos.

Você vai estar aprendendo uma nova metodologia. Ainda é pouco usada no Brasil, mas é muito comum em outros países como, por exemplo, no Canadá.

Grandes e pequenos empresários, novos e velhos empreendedores canadenses utilizam esta ferramenta que dá conta de todos os aspectos do negócio.

Em unidades anteriores, você já viu como é importante o planejamento para qualquer negócio, independente do porte que ele tenha. Você já estabeleceu metas e traçou estratégias para o seu negócio, fez vários exercícios sobre este assunto, tirou suas dúvidas com o(a) tutor(a).

Descobriu que costumava fazer este planejamento “de cabeça“. Neste material, você vai ver como os especialistas elaboram um plano de negócios, utilizando as informações com as quais você lida na rotina de sua atividade.

Atenção! Preparamos para você um espaço especial no ambiente do curso pela internet nos passos 6 e 7 da unidade “O projeto do empreendimento”, do assunto que estamos estudando neste material. Vá até lá! Você vai gostar muito das falas do Maestro Mozart utilizando o recurso da animação.

O planejamento envolve o registro o mais completo possível do que é importante para o negócio, como por exemplo:

o seu destino o as estratégias para chegar lá o onde você gostaria de estar em datas específicas o os obstáculos que pode encontrar o o que fazer para vencer esses obstáculos

Você não precisa de instrumentos complicados para começar um plano de negócios. Você deve fazê-lo,quando precisar:

o conhecer bem o negócio o ampliar o negócio o investir em outros equipamentos o divulgar a sua marca o contratar mais empregados

o obter maiores lucros o identificar oportunidades o conseguir financiamento o comunicar-se com parceiros e fornecedores o gerenciar as atividades diárias.

É um instrumento para você negociar com seus empregados, mostrar-lhes como quer que eles se comportem no trabalho em relação a clientes, sócios e fornecedores. É a maneira de se apresentar a empresa para os novos empregados.

É também um instrumento necessário para você se candidatar a financiamentos, empréstimos, a convencer os futuros sócios da oportunidade de negócios que sua empresa representa.

Como você vê, deve ser utilizado com freqüência, consultado, atualizado. Não é só para dizer que tem um plano de negócios, é para que ele lhe sirva de guia, lhe dê as bases para que você possa decidir com segurança as questões do empreendimento.

Um desafio para você

Se alguém, disposto a investir em um novo negócio, lhe pedisse para falar sobre o seu empreendimento, o que você lhe diria?

Você não precisa partilhar conosco a sua resposta, mas dedique um pouco de tempo para refletir sobre isto.

Quando queremos que as pessoas “comprem” a nossa idéia (convençam-se do que estamos a lhes comunicar) temos que saber “vender” bem a nossa idéia. O poder de convencimento é outra característica importante do comportamento empreendedor.

Você já ouviu falar do escritor Jorge Amado, nascido na região do cacau, no sul da Bahia e falecido em 2001, aos 86 anos de idade. Escreveu muitos romances, alguns dos quais transformaram-se em filmes ou novelas, tais como:

Gabriela Cravo e Canela, Tieta do Agreste, Dona Flor e seus dois maridos etc.

Jorge Amado conseguiu que pintores, compositores, escultores e, também, todos os que conheceram a sua obra ficassem deslumbrados pela beleza das paisagens da região e dos personagens de seus livros. Ele soube convencernos das suas idéias.

Leia este trecho do romance “São Jorge dos Ilhéus “ e observe a pintura de uma paisagem local.

“E, de repente, o avião se desviou da rota para o sul, e a cidade apareceu ante os olhos dos viajantes. Agora já não voavam mais sobre o mar verde. Primeiro

foram os coqueiros e logo depois o morro da Conquista. O piloto inclinava o avião e os passageiros que iam do lado esquerdo podiam ver, como num postal, a cidade de Ilhéus se movimentando. Descia em ruas pobres e ziguezagueantes pelo morro proletário, se estendia rica entre o rio e o mar em avenidas novas, cortadas na praia, continuava na ilha do Pontal, em casas de jardins alegres, subia mais uma vez proletária pelo morro do Unhão, casas de zinco e de madeira.

Até no Rio de Janeiro era comentado o rápido progresso da cidade de Ilhéus. Os jornais da capital do Estado tinham arranjado um outro nome para ela: a

‘Rainha do Sul’.”

Eu nasci assim
Eu sou sempre assim
Gabriela...

Para completar o cenário, imaginem ouvir a linda voz de Gal Costa cantando:

Atenção! Você tem uma atividade a realizar no ambiente do curso na web, no passo 10 da mesma unidade e assunto que estamos estudando.

Até mais! Vamos ver na próxima unidade como se faz um plano de negócios?

O(A) empreendedor(a), além de planejar o seu negócio, necessita ter um plano contínuo de acompanhamento e avaliação, para que faça os ajustes e adequações necessários. Dessa forma, ele será capaz de: conhecer bem e ampliar o seu negócio; investir em outros equipamentos; divulgar a sua marca; contratar mais empregados; obter maiores lucros; identificar oportunidades; conseguir financiamento; comunicar-se com parceiros e fornecedores e gerenciar as atividades diárias.

Um lembrete para você! Retorne ao ambiente do curso na internet e, após percorrer todos os passos da unidade, clique no botão Concluir.

Assunto 3: O plano de negócios

6 Unidade 2: Como fazer o plano de negócios

Olá, prezado ou prezada aluno ou aluna do SEBRAE!

Estamos à sua espera para lhes apresentar um novo amigo. É o senhor Carlos Souza, morador de uma das ruas mais distantes da Vila do Empreendedor. Vamos conversar com ele?

Meu nome é Carlos, tenho 54 anos e há mais de 6 anos estou fora do mercado formal de trabalho. Moro com minha mulher e filha, mas ninguém tem emprego fixo lá em casa.

Aluno SEBRAE – De que vocês vivem, se ninguém tem emprego?

Sr. Carlos – Minha mulher tomou um curso de culinária e teve a iniciativa de fazer biscoitos para vender na rua.

Aluna SEBRAE - A quem o senhor vende?

Sr. Carlos – Agora, já tenho clientes certos, mas antes vendia pela rua sem um ponto certo.

Aluna SEBRAE – Por que seus clientes compram os biscoitos?

Sr. Carlos - Porque são bons, bem empacotados, temos muita preocupação com a limpeza, entregamos no trabalho ou na casa deles.

Aluno SEBRAE – Como é o transporte? Sr. Carlos - Transporte coletivo, ou andando entre um local e outro.

Aluna SEBRAE – Onde o senhor compra o material que precisa? Sr. Carlos – No supermercado perto de casa.

Aluno SEBRAE – Qual é o seu faturamento mensal?

Sr. Carlos – Não tenho a idéia exata. À medida que o dinheiro entra, vou tirando para as despesas com material, transporte e as despesas de casa. Sobra pouco.

Aluno SEBRAE – O senhor tem um bom produto, tem clientes, tem um local de produção, mas ganha pouco. Por que não amplia seu negócio?

Sr. Carlos – Algumas pessoas me incentivam, outras perguntam por que não recorro a um financiamento para maior investimento. Ouvi dizer que precisa de muito papel, muitos documentos. Eu tenho medo de não dar certo, de não saber fazer direito esse tal plano.

Alunos SEBRAE – Não, senhor Carlos, fazer um plano não é tão difícil assim. Por que o senhor não assiste a esta aula conosco? Vamos aprender juntos?

O caso de Senhor Carlos não é único. Você deve conhecer pessoas que poderiam organizar melhor os seus negócios, mas não conseguem fazê-lo.

Falta-lhes organizar as informações que já têm e buscar outras mais atualizadas.

Em encontros anteriores, vocês viram como planejar, estabelecer metas e possuir informações é importante para a criação ou desenvolvimento de qualquer empreendimento. Lembre-se de que as posturas e os comportamentos do empreendedor são a base para o sucesso do negócio.

Pela entrevista com o Senhor Carlos, você pôde perceber como ele precisa traçar um plano de negócios. É sobre isto que conversaremos. Aproveite para tirar todas as dúvidas, utilize as possibilidades que o curso lhe oferece.

Sempre que quiser bater um papo com seus colegas, use a Comunidade ( lapela lateral na tela). Para tirar dúvidas com o(a) tutor(a), use o Tira-Dúvidas. Para acessá-lo, vá à lapela superior, no ambiente do curso.

Não existe um modelo de plano que vá ser adequado a qualquer empreendimento. Nem existe um profissional que saiba fazer um plano ideal para o negócio alheio.

O especialista pode ajudar o senhor Carlos a elaborar um plano para o seu empreendimento, mas não poderá fazê-lo sem ele. As idéias, as metas, as resoluções devem ser tomadas por Senhor Carlos que é o dono do empreendimento. É ele quem sabe a que destino quer conduzir o seu negócio.

Quanto mais você conhecer o seu empreendimento, melhor será o Plano de Negócio que você vai poder apresentar.

Como se elabora o Plano de Negócios

Primeira etapa

Reúna todas as informações que você tem sobre o empreendimento. Descreva o histórico do seu negócio, a experiência que você já tem no ramo. Caso tenha sócios, fale sobre a experiência de todos os sócios, inclusive você.

Segunda etapa

Defina o objetivo do negócio, o que você pretende fazer para iniciá-lo ou desenvolvê-lo. Quais os resultados que você pretende alcançar. Fale sobre as condições do mercado. Aquele que você atende hoje e aquele que pretende atender no futuro. Esclareça qual a sua posição em relação aos seus concorrentes e seus fornecedores. Seja claro e direto, use palavras simples para se fazer entender. Diga diretamente como pretende aumentar a sua receita.

Terceira etapa

Defina o que você vai precisar para alcançar o objetivo que traçou para o negócio. Tenha clareza dos elementos necessários (insumos), tais como: materiais (máquinas e equipamentos), aquisições tecnológicas para melhorar o processo produtivo, recursos humanos (empregados). Estes itens devem ser dimensionados criteriosamente.

Quarta etapa

A esta altura , você já tem delineado o que precisa para atingir o objetivo traçado. Agora, está na hora de calcular exatamente quanto vai precisar para torná-lo realidade. Se você está se candidatando a um financiamento, este é um momento muito importante. É aqui que você vai decidir quanto possui ( capital próprio ) para participar do projeto . A instituição financiadora precisa ser convencida de que o projeto tem condições de dar certo. O comprometimento do dono mostra que ele acredita no negócio, portanto, o empreendimento tem muitas chances de sucesso. No módulo Finanças, você aprenderá como fazer isso.

Quinta etapa

Qualquer que seja o motivo pelo qual você está fazendo um plano de negócios, defina um cronograma (dia, mês, ano) para implantar o que você decidiu fazer. É importante prever, com exatidão, o prazo de compra de material e equipamento que vai precisar, a entrega e instalação desses insumos , a contratação de pessoal, os prazos de entrega do produto ou serviço aos clientes.

Sexta etapa

Se você está se preparando para obter financiamento, deve se preocupar com as garantias que tem para oferecer. Nenhuma instituição aprova pedido de financiamento sem ter garantias de retorno. Se você se encontra nesta situação, é bom procurar o apoio do SEBRAE que poderá prepará-lo para a negociação.

Sétima etapa

Não basta oferecer garantias para se obter a liberação do crédito pelo financiador. É preciso comprovar que o negócio é capaz de gerar lucros , de forma que o(a) empreendedor(a) possa pagar o compromisso assumido com o financiador. Isto se chama viabilidade econômico-financeira. Para esta etapa normalmente o(a) empreendedor(a) vai precisar de ajuda técnica. O SEBRAE vai estar ao seu lado. Procure-o!

Você está compreendendo bem este assunto? Caso tenha alguma dificuldade, releia os textos. Pare um pouco para pensar. ANOTE AS DÚVIDAS. Se algum termo lhe parece difícil, você deve consultar o significado no Glossário ( lapela superior no ambiente do curso na internet), onde estão registradas as palavras que apresentam dificuldade de compreensão. CONSULTE-O SEMPRE!

(Parte 1 de 2)

Comentários