DATY Meios de Cultura Empregados nos Exames Microbiológicos ANVISA

DATY Meios de Cultura Empregados nos Exames Microbiológicos ANVISA

(Parte 10 de 18)

A solução de cloreto férrico 10% é utilizada para revelar a atividade da enzima fenilalanina desaminase no meio de fenilalanina.

Procedimentos

  • Pesar e hidratar o meio conforme instruções do fabricante;

  • Aquecer sob constante agitação até fundir o meio;

  • Ajustar o pH para 7,3 ±0,2;

  • Distribuir em tubos com tampas de rosca;

  • Esterilizar em autoclave;

  • Retirar os tubos da autoclave e incliná-los ainda quentes para que solidifiquem com a superfície em forma de bico de flauta (ângulo 45°). Deixar solidificar em temperatura ambiente.

Controle de qualidade

  • Positivo: Proteus vulgaris ATCC 8427ou Proteus mirabilis ATCC 12453.

  • Negativo: Escherichia coli ATCC 25922.

Inoculação

  • Fazer um inóculo denso;

  • Inocular colônia pura de 18 a 24 horas;

  • Incubar a 35°C por 18 a 24 horas.

Interpretação

Adicionar diretamente o cloreto férrico no tubo inoculado, antes da interpretação do resultado e distribuir o reagente sobre a superfície do meio.

  • Cor original do meio: amarelo palha.

  • Positivo: formação de uma coloração esverdeada na superfície do meio após a adição do cloreto férrico.

  • Negativo: o meio permanece inalterado.

Conservação e validade

  • Conservar de 4 a 8°C, de seis a oito semanas.

Recomendações

  • Um resultado positivo deve ser interpretado imediatamente após a adição do reagente, pois a cor verde desbota rapidamente. A interpretação deve ser feita em até 5 minutos.

CTA – CYSTINE TRYTICASE Agar

Princípio

  • CTA é um meio semi-sólido, recomendado para o estudo de fermentação de carboidratos de microrganismos exigentes.

Utilidade

  • Usado para diferenciar espécies de Haemophilus spp., Neisseria spp., Branhamella catarrhalis e Corynebacterium spp.

Fórmula / Produto

  • Meio comercial Cystine Tryticase agar Medium.

  • Carboidratos mais utilizados: glicose, maltose, lactose, sacarose, frutose, mannose.

Carboidrato 10 g

Água destilada 100 ml

pH: 7,3 +/- 0,2

Procedimentos

  • Esterilizar os carboidratos, separadamente, por filtração e reservar;

  • Pesar o CTA conforme instruções do fabricante, acrescentar 900 ml de água e homogeneizar bem;

  • Esterilizar em autoclave;

  • Esfriar a base a aproximadamente 50ºC;

  • Adicionar o carboidrato esterilizado por filtração;

  • Distribuir em 3 ml por tubo;

  • Deixar os tubos esfriar na posição vertical.

Controle de qualidade

POSITIVO

NEGATIVO

Glicose

Maltose

Lactose

Sacarose

Frutose

Manose

Neisseria sicca

Neisseria sicca

Neisseria lactamica

Neisseria sicca

Neisseria sicca

Haemophilus parainfluenzae

Branhamella catarrhalis

Branhamella catarrhalis

Neisseria sicca

Branhamella catarrhalis

Branhamella catarrhalis

Haemophilus influenzae

Conservação e validade

  • Temperatura ambiente por 3 meses.

Inoculação

  • Fazer um inóculo bem denso, no centro do meio;

  • Incubar à 35ºC em jarra com vela acesa e gaze embebida em água de torneira para manter a umidade da atmosfera.

Interpretação

  • Cor original do meio: alaranjado

  • Positivo: cor amarela, indicando acidificação (fermentação) do meio e turvação.

  • Negativo: Ausência de crescimento. O meio permanece com a cor original, alaranjado, e sem turvação.

Recomendações

  • Para provas negativas, incubar um período maior (72 horas);

  • Não autoclavar a base com o carboidrato, pois a alta temperatura pode degradar o carboidrato;

  • Fazer inóculo denso, pois inóculos fracos podem dar resultado falso negativo.

Caldo triptona e SIM

Princípio

  • Determinam a habilidade do microrganismo de metabolizar o triptofano em indol. Triptofano é um aminoácido que pode ser oxidado por certas bactérias resultando na produção de indol, após a adição de reagentes de Erlich ou Kovacs.

Utilidade

  • Diferenciar gêneros e espécies de enterobactérias, não fermentadores, Haemophilus e anaeróbios.

Fórmula /Produto

  • Meio comercial: Caldo Triptona.

  • Meio comercial: SIM (sulfato/indol/motilidade ágar).

Reativo Erlich

Paradimetilaminobenzaldeído 1 g

Álcool etílico (95%) 95 ml

Ácido clorídrico concentrado 20 ml

  • Guardar em frasco âmbar em temperatura ambiente (22-25°C).

  • Cor original do reativo de Erlich: amarelo

Ou

Reativo de Kovacs (pode ser adquirido comercialmente pronto para uso) ou ser preparado no laboratório:

Álcool isoamílico 150 ml

Paradimetilaminobenzaldeído 10,0 g

Ácido clorídrico concentrado 50 ml

  • Dissolver o aldeído em álcool e adicionar lentamente o ácido clorídrico;

  • Guardar em frasco âmbar e no refrigerador quando não estiver em uso.

Obs: Não conservar em temperatura ambiente por longo período a cor pode ser alterada de

amarelo palha para marrom, perdendo assim a sensibilidade.

Xilol : pode ser adquirido comercialmente pronto para uso.

Procedimentos

Meio Caldo Triptona

  • Pesar e hidratar conforme instruções do fabricante;

  • Aquecer sob agitação, até fundir o meio;

  • Distribuir aproximadamente 3,0 ml em tubos com tampas de rosca;

  • Esterilizar em autoclave;

  • Retirar os tubos da autoclave;

  • Deixar esfriar em temperatura ambiente na posição vertical.

Meio SIM

  • Pesar e hidratar o meio conforme instruções do fabricante;

  • Aquecer sob agitação, até fundir o meio;

  • Distribuir aproximadamente 3,0 ml em tubos com tampas de rosca;

  • Esterilizar em autoclave;

  • Retirar os tubos da autoclave;

  • Deixar solidificar em temperatura ambiente na posição vertical.

Controle de qualidade

Controle qualidade para meio Caldo Triptona:

  • Positivo: Escherichia coli ATCC 25922.

  • Negativo: Enterococcus faecalis ATCC 29212.

Controle qualidade para meio SIM:

Microrganismo H2S INDOL MOTILIDADE

Proteus vulgaris + + +

Shigella sonnei neg neg neg

Escherichia coli neg + +

Proteus vulgaris ATCC 13315, Shigella sonnei ATCC 25931, Escherichia coli ATCC 25922

(Parte 10 de 18)

Comentários