DATY Meios de Cultura Empregados nos Exames Microbiológicos ANVISA

DATY Meios de Cultura Empregados nos Exames Microbiológicos ANVISA

(Parte 2 de 18)

Bordetella pertussis ATCC 9340

Conservação e validade

  • Conservar embalado de 4 a 8°C por 1 a 2 semanas.

Inoculação

  • O material biológico deve ser coletado com auxílio de um "swab" estéril com haste de madeira;

  • Após a coleta, introduzir imediatamente o "swab" no meio de cultura e quebrar a ponta da haste, de modo que a parte que contém o algodão fique no meio de cultura;

  • Fechar o tubo;

  • Manter em temperatura ambiente até o momento de semear nos meios seletivos adequados.

Interpretação

  • Cor original do meio: Branco opalescente.

  • Como este é um meio de transporte, não há evidência de crescimento bacteriano.

Recomendações

  • Não deixar o meio com a tampa aberta ou semi aberta após a semeadura.

ÁGAR NUTRIENTE

Princípio

  • O Nutriente Ágar é um meio relativamente simples, de fácil preparação e barato, muito usado nos procedimentos do laboratório de Microbiologia.

Utilidade

  • nutriente ágar tem várias aplicações no laboratório de Microbiologia, e pode ser utilizado para análise de água, alimentos e leite como meio para cultivo preliminar das amostras submetidas à exames bacteriológicos e isolamento de organismos para culturas puras.

  • uso mais freqüente é para a conservação e manutenção de culturas em temperatura ambiente neste ágar, como método opcional para os laboratórios que não dispõem do método da crioconservação (congelamento das cepas em freezer à - 70ºC).

  • Usado para observar esporulação de espécies de bacilos Gram positivos.

Fórmula / Produto

  • Produto: Nutriente Ágar

  • Fórmula:

  • Extrato de carne 3 g

  • Peptona 5 g

  • Ágar ágar 15 g

  • Água destilada 1000 ml

  • pH: 6,8 +/- 0,2

Procedimentos

  • Pesar e hidratar os componentes;

  • Fundir;

  • Distribuir 3 ml por tubo;

  • Esterilizar em autoclave;

  • Após retirar da autoclave, inclinar os tubos ainda quentes para que solidifiquem com a superfície em forma de "bico de flauta" (ângulo de 45º).

Controle de qualidade

  • Crescimento bom a excelente:

Escherichia coli ATCC 25922

Streptococcus pneumoniae ATCC 6305

Conservação e validade

  • Conservar embalado de 4 a 8°C por até 3 meses.

Inoculação

  • Estriar a superfície inclinada do meio;

  • Incubar.

Interpretação

  • Cor original do meio: branco opalescente

  • Positivo: Crescimento na superfície do ágar;

  • Negativo: Ausência de crescimento.

Recomendações

  • Usar tubos com tampa de rosca para evitar ressecamento do ágar.

  • Repicar as cepas conservadas a cada 3 meses.

  • Conservar as cepas após o crescimento no meio em temperatura ambiente.

  • Por ser um meio nutritivo, a ausência de crescimento não deverá ocorrer.

3. Meios para crescimento e isolamento

ÁGAR CHOCOLATE

Princípio

  • Meio de Ágar Chocolate é amplamente utilizado para o cultivo de microrganismos exigentes, embora cresçam neste meio quase todos os tipos de microrganismos.

  • À base do meio, é adicionado sangue de cavalo, carneiro ou coelho em temperatura alta, o que faz com que as hemácias lisem, liberando hemina e hematina, compostos fundamentais para o crescimento dos microrganismos exigentes.

Observação: se utilizar sangue de carneiro ou coelho no lugar do sangue de cavalo, adicionar os suplementos a base de NAD (coenzima I) e cisteína após resfriar a base achocolatada à aproximadamente 50ºC.

Utilidade

  • Crescimento de microrganismos exigentes Haemophilus spp., Neisseria spp., Branhamella catarrhalis e Moraxella spp.

Fórmula / Produto

  • Meios comerciais: BHI Ágar *, Columbia Ágar Base, Blood Ágar Base, Mueller Hinton Ágar.

  • Sangue de cavalo, carneiro ou coelho desfibrinado.

  • Recomenda-se o uso da base de BHI Ágar, por apresentar melhor crescimento das cepas exigentes, principalmente cepas de Haemophilus spp.

Procedimentos

  • Pesar e hidratar o meio conforme instruções do fabricante;

  • Esterilizar em autoclave;

  • Esfriar a base à temperatura de aproximadamente 80ºC;

  • Adicionar 5 ml de sangue desfibrinado de cavalo para cada 100 ml de base;

  • Homogeneizar bem até lisar totalmente as hemácias e o meio apresentar uma cor castanho escuro (chocolate);

  • Distribuir em placas de Petri de 90 mm de diâmetro.

Controle de qualidade

  • Crescimento bom a excelente: Haemophilus influenzae ATCC 10211.

Conservação e validade

  • Conservar de 4 a 10°C por 4 meses.

Inoculação

  • Estriar a superfície do meio, usando a técnica de semeadura para isolamento;

  • Incubar a 35ºC por 24 horas.

Interpretação

  • Cor original do meio: castanho escuro (chocolate).

  • Colônias de tamanho pequeno a médio, com pigmento amarelo: sugestivo de Neisseria spp, Branhamella catarrhalis ou Moraxella spp.

  • Colônias pequenas e delicadas, com pigmento creme claro: sugestivo de Haemophilus spp.

Recomendações

  • Lembrar que é um meio rico e crescem vários tipos de microrganismos.

  • Fazer esfregaço de todas as colônias suspeitas e corar pela técnica de Gram, para confirmar se trata-se ou não de Neisseria spp., Branhamella catarrhalis ou Moraxella spp. (cocos Gram negativos reniformes) ou Haemophilus spp. (bacilos Gram negativos delicados e pleomérficos).

  • Não usar sangue de cavalo vencido.

  • Por ser um meio rico, o crescimento a partir de materiais biológicos em geral costuma ser abundante. Sempre que necessário, isolar a colônia em estudo para os procedimentos de identificação, para não correr o risco de trabalhar com cepas misturadas.

Ágar THAYER-MARTIN CHOCOLATE

Princípio

  • É um meio rico e superior a outros meios de cultivo destinados para o isolamento de Neisseria gonorrhoeae e Neisseria meningitidis , pois contém em sua fórmula antibióticos que inibem o crescimento de Neisserias saprófitas e outras bactérias, quando em amostras colhidas de sítios contaminados.

Utilidade

  • Usado para o isolamento seletivo de Neisseria gonorrhoeae e Neisseria meningitidis, a partir do material de investigação.

Fórmula / Produto

  • Meio comercial: Thayer-Martin Ágar Base.

  • Sangue desfibrinado de carneiro.

  • Suplemento I: mistura de inibidores (antibióticos).

  • Suplemento II: mistura de fatores de crescimento.

Procedimentos

  • Dissolver os suplementos liofilizados conforme instruções do fabricante (normalmente em água destilada estéril que já acompanha o kit) e reservar;

  • Pesar e hidratar o meio conforme instruções do fabricante (normalmente prepara-se 200 ml de base para cada frasco de suplementos I e II );

  • Esterilizar em autoclave;

  • Esfriar a base a 80ºC;

  • Adicionar 5 ml de sangue desfibrinado de carneiro para cada 100 ml de base;

  • Homogeneizar bem até lisar totalmente as hemácias e o meio apresentar uma cor castanho escura (chocolate);

  • Deixar resfriar a base a 50ºC;

  • Adicionar assepticamente à base resfriada os suplementos previamente dissolvidos;

  • Homogeneizar delicadamente para não formar bolhas;

  • Distribuir em placas de Petri de 90 mm ou 4 ml por tubos e inclinar para a superfície ficar em forma de "bico de flauta" (ângulo de 45º).

ÁGAR Salmonella-Shigella (SS)

Princípio

  • Ágar SS possue componentes (sais de bile, verde brilhante e citrato de sódio) que inibem microrganismos Gram positivos.

  • A incorporação de lactose ao meio permite diferenciar se o microrganismo é lactose positiva (bactérias que fermentam a lactose produzem ácido que na presença do indicador vermelho neutro resultando na formação de colônias de cor rosa), e bactérias que não fermentam a lactose formam colônias transparentes.

  • Tissulfato de sódio e o citrato férrico permitem a detecção de H²S evidenciado por formação de colônias de cor negra no centro.

Utilidade

  • Selecionar e isolar espécies de Salmonella e Shigella, em amostras de fezes, alimentos e água.

Fórmula / Produto

(Parte 2 de 18)

Comentários