Guia técnico ambiental da indústria de produtos lácteos série p l

Guia técnico ambiental da indústria de produtos lácteos série p l

(Parte 1 de 11)

Produtos

GUIA TÉCNICO AMBIENTAL DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS LÁCTEOS SÉRIE P+L Lácteos

Governo do Estado de São Paulo

Secretaria do Meio Ambiente CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental

FIESP - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Governador

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE Secretário

CETESB - Companhia de TeCnologia de SaneamenTo ambienTal

Diretor Presidente

Diretor de Gestão Corporativa

Diretor de Controle de Poluição Ambiental

Diretor de Engenharia, Tecnologia e Qualidade Ambiental

FIESP - Federação daS indúSTriaS do eSTado de São paulo Presidente

José Serra Francisco Graziano Neto

Fernando Rei Edson Tomaz de Lima Filho Otavio Okano

Marcelo de Souza Minelli

Paulo Skaf

Depto. de Desenvolvimento, Tecnologia e Riscos Ambientais

Divisão de Tecnologias Limpas e Qualidade Laboratorial

Setor de Tecnologias de Produção mais Limpa

Coordenação Técnica

Angela de Campos Machado Meron Petro Zajac

Flávio de Miranda Ribeiro

Angela de Campos Machado Flávio de Miranda Ribeiro Meron Petro Zajac

Diretoria de Engenharia, Tecnologia e Qualidade Ambiental

Departamento de Meio Ambiente - DMA

Coordenação do Projeto Série P+L

Nelson Pereira dos Reis – Diretor Titular Arthur Cezar Whitaker de Carvalho – Diretor Adjunto Nilton Fornasari Filho – Gerente

Luciano Rodrigues Coelho - DMA

Maganha, Martha Faria Bérnils

Guia técnico ambiental da indústria de produtos lácteos/

Disponível em : <http://w.cetesb.sp.gov.br>. ISBN

. Água - reúso . Laticínios . Leite processado . Poluição – controle . Poluição – prevenção . Processo industrial – otimização 7. Produção limpa 8. Resíduos industriais – minimização I. Título. I. Série.

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (CETESB – Biblioteca, SP, Brasil)

CDD (.ed. Esp.)7.08  CDU (ed. 9 port.) 8. : 7.

Elaboração Martha Faria Bérnils Maganha - Setor de Tecnologias de Produção mais Limpa

Colaboração

CETESB Antonio Carlos Miranda - Agência Ambiental de Taubaté Hélio Tadashi Yamanaka – Setor de Tecnologias de Produção Mais Limpa José Wagner Faria Pacheco - Setor de Tecnologias de Produção Mais Limpa Lucas Moreira Grisolia - Setor de Tecnologias de Produção mais Limpa Wagner Ferreira Quirino - Agência Ambiental de Tatuapé

ITAL – Instituto de Tecnologia de Alimentos Sílvia Germer – Grupo Especial de Meio Ambiente Izildinha Moreno – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Laticínios/ Tecnolat Ariene Gimenes F. Van Dender – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Laticínios/Tecnolat

EMPRESAS Cooperativa de Laticínios do Médio Vale do Paraíba – COMEVAP/Taubaté S.A. Fábrica de Produtos Alimentícios Vigor

João Luiz del Cura - SINDILEITE

7 GUIA TÉCNICO AMBIENTAL DE PRODUTOS LÁCTEOS SÉRIE P+L

8 PALAVRA DO PRESIDENTE DA CETESB

No decorrer dos últimos anos a CETESB vem desenvolvendo Guias Ambientais de Produção mais Limpa, com o intuito de incentivar e orientar a adoção de tecnologias limpas nos diversos setores produtivos da industria paulista, além de fornecer uma ferramenta de auxílio para a difusão e aplicação do conceito de P+L, tanto para o setor público como o privado.

A experiência tem mostrado que os guias mais recentes, publicados a partir do final de 0 , tornaram-se fundamentais para o estabelecimento de novas formas de ação com o objetivo de assegurar maior sustentabilidade nos padrões de produção.

Não há dúvidas de que a adoção da P+L como uma ferramenta do sistema de gestão da empresa, pode trazer resultados ambientais satisfatórios, de forma contínua e perene, ao invés da implementação de ações pontuais e unitárias. Estes dados permitirão estabelecer, em futuro próximo, indicadores como a produtividade, a redução do consumo de matérias-primas e dos recursos naturais, a eliminação de substâncias tóxicas, a redução da carga de resíduos gerados e a diminuição do passivo ambiental, sendo que os resultados positivos destes indicadores implicam diretamente na redução de riscos para a saúde ambiental e humana, bem como contribuem sobremaneira para os benefícios econômicos do empreendedor, para a sua competitividade e imagem empresarial, tendo em vista os novos enfoques certificatórios que regem a Gestão Empresarial.

Neste contexto, o intercâmbio maduro entre o setor produtivo e o órgão ambiental é uma importante condição para que se desenvolvam ferramentas de auxílio tanto na busca de soluções adequadas para a resolução dos problemas ambientais, como na manutenção do desenvolvimento social e econômico sustentável.

Esperamos assim que as trocas de informação e tecnologias iniciadas com a elaboração dos guias da série P + L, oriundos da parceria entre o órgão ambiental e o setor produtivo, gerem uma visão crítica, de modo a se identificar oportunidades de melhoria nos processos produtivos, bem como subsidiem um aumento do conhecimento técnico, podendo assim disseminar e promover o desenvolvimento de novas tecnologias, com vistas ao sucesso do desenvolvimento sustentável.

Fernando Cardozo Fernandes Rei

Diretor Presidente CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental

0 PALAVRA DO PRESIDENTE DA FIESP

(Parte 1 de 11)

Comentários