GUIA Técnico Ambiental de Indústria de Cerâmica - série P L

GUIA Técnico Ambiental de Indústria de Cerâmica - série P L

(Parte 5 de 9)

- Acima de 700°C: reações químicas da sílica com a alumina, formando sílicoaluminatos complexos que dão ao corpo cerâmico suas características de dureza, estabilidade, resistência física e química;

- De 800 a 950°C: carbonatos se decompõem e liberam CO ; - Acima de 000°C: os sílico-aluminatos que estão em forma vítrea começam amolecer, assimilando as partículas menores e menos fundentes, dando ao corpo maior dureza, compatibilidade e impermeabilidade.

Os fornos utilizados, em geral, são do tipo contínuos (cameras hoffmann, tunel, rolamento) ou intermitentes (periódicos).

2.1.8 Acabamento

Normalmente, a maioria dos produtos cerâmicos é retirada dos fornos, inspecionada e remetida ao consumo. No entanto, alguns produtos requerem processamento adicional para atender a algumas características que não são possíveis de serem obtidas durante o processo de fabricação. O processamento pós-queima recebe o nome genérico de acabamento e pode incluir polimento, corte, furação, entre outros.

Figura 5 - peça acabada 2.1.9 Classificação e Embalagem

Ao deixarem o forno, as peças resfriadas e acabadas são classificadas e embaladas, finalizando o processo de fabricação. O controle de qualidade do produto considera sua regularidade dimensional, aspecto superficial e características mecânicas e químicas. A análise dos aspectos superficiais e das características mecânicas, tais como cor, trinca e empeno das peças é feita visualmente por um técnico e, em função do defeito encontrado, o produto é codificado e classificado numa linha pelos embaladores e, na outra, por um sistema automatizado de embalagem. A análise dos aspectos dimensionais da peça é feita mediante sistemas automáticos (equipamentos mecânicos). Após passar pelo controle de qualidade o produto é acondicionado em pallets de madeira e armazenado para comercialização.

Figura - peças embaladas para expedição 2.2 Fluxogramas Específicos

A seguir são apresentados exemplos de fluxogramas específicos da etapa de fabricação de alguns produtos do Setor Cerâmico. As operações apresentadas em cada caso representam uma possibilidade de configuração e não são, necessariamente, a regra para todas as empresas do setor. Os fluxogramas incluem os principais aspectos ambientais, ou seja, as entradas e saídas de matéria e energia do processo.

Pisos e Revestimentos, por Via Seca

Gás natural

Resíduos do solo oriundos da extração Gases e material particulado Erosões Suspensão de sedimentos na coluna d'agua, aumento da turbidez Ruídos Vibrações

Extração da Matéria-Prima

Pré-Secagem

Mistura

Umidificação e Granulação

PrensagemEnergia elétrica

Água Energia elétrica

Energia elétrica

Argilas

Feldspato

Quartzo

Óxidos de ferro

Reagentes Material cru reaproveitado

Retro-escavadeiras

Caminhões Combustível fóssil

Decomposição da matéria orgânica do solo material em suspensão e pós

Resíduos e efluentes oriundos da limpeza de equipamentos Material particulado em suspensão Ruídos Vibrações

Resíduos e efluentes oriundos da limpeza de equipamentos e pisos Resíduos de material particulado oriundos do sistema de controle da poluição Ruídos Vibrações

Resíduos e efluentes da prensa e da limpeza de equipamento Ruídos Vibrações

Resíduos e efluentes oriundos da limpeza dos equipamentos

Moagem a Seco

Secagem

Esmaltação e Decoração

Queima

Peças trincadas e/ou quebradas

Resíduos de embalagens (papel, plástico, papelão) Pallets de madeira quebrados

Emissões atmosféricas Calor Peças trincadas e/ou quebradas Resíduos retidos no sistema de controle da poluição atmosférica

Classificação e Embalagem

Compostos Orgânicos Voláteis (COV's) Resíduos do material de esmaltação Efluentes da lavagem dos equipamentos da linha de esmaltação Resíduos de tintas

Emissões atmosféricas

Materiais de embalagem (papel, plástico, papelão) Pallets de madeira

Gás natural

Óleo Energia elétrica

Espessante para esmaltes

Esmalte Engobe

Cola

Impermeabilizante Serigrafia (tintas)

Peças trincadas e/ou quebradas

Resíduos de embalagens (papel, plástico, papelão) Pallets de madeira quebrados

Classificação e Embalagem

Materiais de embalagem (papel, plástico, papelão) Pallets de madeira

Pré-Secagem

(Parte 5 de 9)

Comentários