GUIA Técnico Ambiental de Indústria de Cerâmica - série P L

GUIA Técnico Ambiental de Indústria de Cerâmica - série P L

(Parte 9 de 9)

Queima

Esmaltação Decoração

3. Consumo e Impactos Ambientais

No capitulo anterior foram identificados, como entradas e saídas, os principais aspectos ambientais das operações genéricas desenvolvidas pelo setor cerâmico. A cada aspecto ambiental mencionado está associado pelo menos um impacto ambiental, que pode ser definido como qualquer alteração das propriedades fisico-químicas e/ ou biológicas do meio ambiente, devido a qualquer forma de matéria ou energia por atividades humanas.

A seguir, são apontados os principais impactos ambientais que podem resultar de atividades das empresas do setor cerâmico, assim como são sucintamente discutidas as relações de causa e efeito entre os processos produtivos e o meio ambiente. Os dados numéricos apresentados nas tabelas a seguir foram obtidos a partir de estudos de casos de algumas indústrias de cerâmica da União Européia e extraídos da referência denominada “Draft Reference Document on Best Available Techniques in the Ceramic Manufacturing Industry - EIPPCB – European Integrated Pollution Prevention and Control – disponível em http://eippbc.jrc.es “.

No caso da caracterização dos efluentes líquidos também foram obtidos dados junto ao Setor de Efluentes Líquidos da CETESB de uma indústria de pisos e revestimentos cerâmicos da Região de Rio Claro, a partir dos quais pode-se verificar uma diferença significativa nos valores apresentados, quando comparados com os dados da bibliografia anteriormente citada.

Também, no caso da geração de resíduos, os dados apresentados neste guia, foram extraídos de um trabalho de tese desenvolvido por meio de ensaios analíticos nas matérias-primas utilizadas e nos resíduos gerados no processo produtivo de placas cerâmicas na região de Santa Gertrudes.

3.1 Uso de Insumos a. Água A água é usada em grande quantidade em quase todas as etapas do processo de fabricação dos produtos cerâmicos, sendo que sua qualidade é essencial na preparação da argila e de esmaltes líquidos, nos corpos de argila para extrusão e moldagem, e na moagem por via úmida.

a.1. Pisos e Revestimentos: Consumo de água e de matéria-prima: A quantidade de água e de matéria-prima empregadas, depende do tipo de matéria-prima utilizada, do processo de fabricação envolvido e das propriedades do produto desejado.

Na via seca, a matéria-prima é moída a seco em moinhos de martelo ou de rolos. A mistura é, então, umedecida entre 7 e % do peso seco. Neste caso, o material granulado é secado até uma umidade de -7%.

Na via úmida, a matéria-prima é moída úmida em moinhos de bolas por meio da mistura com água até um conteúdo de umidade de % do peso seco. Após a granulação, o

(Parte 9 de 9)

Comentários