Biologia 1 - apostila ceesvo

Biologia 1 - apostila ceesvo

(Parte 7 de 9)

São os animais que apresentam o corpo segmentado (dividido) em anéis. Possuem vida livre e podem ser aquáticos ou terrestres. Apresentam os sistemas digestivo, respiratório (cutâneo), excretor, nervoso e circulatório. A minhoca e a sanguessuga são exemplos deste grupo.

Artrópodes São os animais de patas articuladas e esqueleto externo (exoesqueleto). Podem sofrer mudas (trocas) de esqueleto para permitir o crescimento do animal. Estes animais estão divididos em classes, como os: os insetos, os aracnídeos e os crustáceos.

Schistoso

Conheça também

Neste filo estão os animais mais desenvolvidos que existem. Possuem coluna vertebral e caixa craniana para proteção do cérebro. Vamos estudar a classe tetrapoda que incluem os animais que possuem patas em número par. Este grupo compreende a classe dos anfíbios, répteis, peixes, aves e mamíferos.

Os Anfíbios Possuem a pele lisa e sem estruturas que impeçam a transpiração. São pecilotérmicos (temperatura corporal varia de acordo com o ambiente).

O sistema digestivo é completo e a circulação é fechada. A fecundação é externa. Nos sapos e rãs, representantes deste grupo, as larvas são chamadas de girinos.

Embora os dois sejam anfíbios, há diversas diferenças anatômicas entre eles. As rãs têm a pele lisa e suas patas são especializadas para saltar e nadar (à esquerda). A pele do sapo (como a do sapo verde à direita) é seca e coberta de protuberâncias glandulares chamadas verrugas. Os sapos não saltam tão bem quanto as rãs.

Os Répteis Os répteis são os primeiros vertebrados equipados para a vida terrestre. Sua pele é seca, sem glândulas e rica em queratina (proteína impermeabilizante), pode ser coberta por escamas. São pecilotérmicos. A respiração é do tipo pulmonar e o sistema circulatório é fechado. São ovíparos com fecundação interna. São representantes deste grupo as tartarugas (marinhas), os jabutis (terrestres), os cágados (água doce), além dos jacarés, cobras e crocodilos.

OS EQUINODERMOS formam um grupo de animais exclusivamente marinhos e de vida livre. Os representantes deste grupo são bastante conhecidos, a estrela- do- mar, o ouriço- do- mar e a bolacha- de- praia.

Os Peixes Este grupo de vertebrados é composto por animais aquáticos. Têm as seguintes características: são pecilotérmicos, apresentam respiração branquial, o sistema digestivo é completo e a excreção é realizada por rins. Alguns possuem bexiga natatória (estrutura que se enche de ar para que o peixe possa vir à superfície).

As Aves As aves surgiram na Terra provavelmente na mesma época dos mamíferos. As maiorias das aves possuem membros adaptados para o vôo. São encontradas nos mais diversos ambientes. São homeotérmicos (temperatura corporal constante). Apresentam o corpo coberto de penas, a pele possui uma glândula que secreta um líquido oleoso para a impermeabilização das penas (glândula uropigiana), são homeotérmicos, respiração pulmonar. Os seus representantes são bastante comuns: os pássaros, os patos, corujas, etc.

Os Mamíferos Constituem o grupo mais avançado de animais. A principal característica deste grupo é a ocorrência de glândulas mamárias nas fêmeas, que produzem leite para a nutrição de sua prole. São homeotérmicos (a temperatura corporal é constante). A respiração é pulmonar e o sistema nervoso bastante desenvolvido. Na sua maioria, são vivíparos (os filhotes desenvolvem-se completamente no interior do corpo da fêmea), uma exceção é o ornitorrinco, que põe ovos. Como representantes dos mamíferos podemos citar o homem, macaco, elefante, golfinho, morcego.

Você sabe qual é a importância da reprodução humana ? Se alguém lhe perguntasse isso você responderia rapidamente: “Para a manutenção ou perpetuação da espécie”.

Esse raciocínio é correto e não serve apenas para a espécie humana. Todas as espécies de seres vivos realizam a reprodução para a continuação da vida.

Já vimos que as características dos seres vivos são determinadas por genes, e que esses genes são passados de uma geração para outra.

Esse processo descrito acima faz parte da reprodução das espécies.

A reprodução garante a continuidade da vida de cada espécie preservando as suas características principais e alterando outras.

1) Reprodução Assexuada 2) Reprodução Sexuada

Reprodução Assexuada

Algumas espécies de seres vivos geram seus descendentes de maneira ASSEXUADA. Isto é, um indivíduo dá origem a outro indivíduo geneticamente idêntico. Essa reprodução é muito comum nos seres vivos unicelulares, como as bactérias. A reprodução assexuada produz pouca variabilidade entre os indivíduos formados. As diferenças que aparecem ficam por conta das mutações.

Reprodução Assexuada.

No esquema ao lado, temos a reprodução de uma bactéria por cissiparidade ou bipartição. Com esse processo uma bactéria é capaz de dar origem a duas outras bactérias em apenas 20 minutos. a) bactéria, b) DNA replicando, c) envaginação da membrana plasmática, d) DNA totalmente replicado, e) surgem duas bactérias filhas e idênticas a anterior.

MUTAÇÃO – são alterações no material genético que ocorrem com pouca freqüência e gera características diferentes nos organismos. É muito importante saber que nem todas as mutações causam doenças ou aberrações, e sim aumentam a variabilidade das espécies.

A propagação vegetativa é um tipo de reprodução assexuada muito comum em plantas diversas, como a batata, a cana-de-açúcar e a roseira. Nesse caso, utilizam-se normalmente pedaços do caule, que atuam como “mudas”. Os caules possuem gemas ou

Observe a figura abaixo. Ela mostra a reprodução assexuada da hidra.

Reprodução assexuada nas plantas Mas, o que são mutações?

Reprodução Sexuada

O tipo de reprodução mais freqüente é a SEXUADA . Para ocorrer este tipo de reprodução é preciso a participação de dois indivíduos para que ocorra a mistura do material genético de cada um deles.

Vamos compreender melhor o que significa mistura de material genético.

Os seres vivos produzem gametas de dois tipos: feminino e masculino.

gameta feminino – óvulo

gameta masculino – espermatozóide

Para ocorrer a reprodução sexuada é preciso que o material genético contido no núcleo do óvulo entre em contato com o material do núcleo do espermatozóide. Essa mistura se dá através da fecundação.

Fecundação Externa

Em animais que vivem em ambientes aquáticos, é comum que o encontro do óvulo e do espermatozóide ocorra no ambiente, fora do corpo da fêmea.

Fecundação Interna Na maioria dos animais que vivem em ambientes terrestres, o encontro do óvulo e do espermatozóide ocorre dentro do corpo da mãe.

Resumindo os tipos de fecundação temos:

Ciclo de vida e Metamorfose

A fecundação interna ocorre dentro do corpo da mãe e tem mais facilidade de ocorrer, enquanto que a fecundação externa ocorre fora do corpo da mãe e encontra mais dificuldades para ocorrer.

Metamorfose completa da borboleta

Vamos conhecer a reprodução nos animais vertebrados. Faremos um breve resumo da reprodução nos peixes, nas aves, nos anfíbios, répteis e mamíferos.

Os peixes de água doce sobem até a cabeceira dos rios para a desova. Ali encontram águas mais tranqüilas, mais oxigenadas e com menor número de predadores. A fêmea coloca os óvulos na água e o macho deposita sobre eles os espermatozóides. Mesmo assim o número de filhotes que atingem a idade adulta não é muito grande.

Nos anfíbios, os machos e as fêmeas executam um abraço nupcial, para a excitação dos animais. Nesse momento ocorre a eliminação dos gametas (óvulo e espermatozóide). Podemos afirmar que a fecundação é externa como nos peixes.

Os filhotes nascem completamente diferentes dos adultos, passando por uma seqüência de transformações chamada de metamorfose.

A REPRODUÇÃO NOS RÉPTEIS Nos répteis ocorre a fecundação interna geralmente por órgãos copuladores, ou seja, o macho introduz o órgão copulador na fêmea e lá deposita os seus espermatozóides.

São animais ovíparos. Algumas cobras são vivíparas, outras são ovovivíparas, isto é, quando o ovo é colocado para fora o embrião já está desenvolvido.

Todas as aves são ovíparas, isto é, põem ovos. Apenas o pato e o avestruz possuem órgão copulador. Nas demais, o encontro sexual se dá apenas pelo encontro das cloacas do macho e da fêmea.

Se o óvulo for fecundado pelo espermatozóide, haverá a formação do ovo, caso contrário ele será eliminado da mesma maneira. É o que acontece com a maioria dos ovos das granjas que comemos. Na realidade, são óvulos não fecundados e não ovos.

Em geral, a reprodução dos mamíferos é realizada com fecundação interna. O desenvolvimento do filho se dá no interior do corpo da fêmea (vivíparos). Uma rara exceção é o ornitorrinco que bota ovos.

Estudamos até agora os tipos de reprodução que podem ocorrem naturalmente, sem a interferência e manipulação do homem. Vamos conhecer um pouco de um processo muito falado nos meios de comunicação, a clonagem.

(Parte 7 de 9)

Comentários