Biologia 1 - apostila ceesvo

Biologia 1 - apostila ceesvo

(Parte 8 de 9)

Cloaca – abertura comum aos sistemas digestivo, excretor e reprodutor.

Os clones não chamaram muita atenção durante anos, pois a clonagem era aplicada a plantas e protozoários. Porém em 1996, um anúncio marcou a história da genética. O escocês Ian Wilmut, um brilhante embriologista, conseguiu a proeza de mostrar que era possível a partir de uma célula somática diferenciada clonar um mamífero, tratava-se de uma ovelha, chamada de Dolly. O maior feito do cientista, foi fazer com que uma célula adulta se tornasse totipotente (células-tronco) de novo. As células-tronco (ou totipotentes) possuem a capacidade de se diferenciarem em diferentes tipos de células, em um processo antes considerado irreversível. Entenda como ocorreu:

Eles isolaram uma célula mamária congelada de uma ovelha da raça Finn Dorset de seis anos de idade e a colocaram numa cultura com baixa concentração de nutrientes. Com isso a célula entrou em um estado de latência parando de crescer. Em paralelo, foi retirado o óvulo não fertilizado de uma outra ovelha, da raça Scottish Blackface, de cor escura. Desse óvulo não fertilizado foi retirado o núcleo, transformandoo em um óvulo não fertilizado e sem núcleo. Através de um processo de eletrofusão ocorreu a união do núcleo da ovelha da raça Finn Dorset com o óvulo sem núcleo da ovelha da raça Scottish Blackface, dando início à divisão celular: uma célula em duas, duas em quatro, quatro em oito e assim por diante.

A evolução passa pelo sexo há cerca de 500 milhões de anos. Havendo espermatozóides e óvulos trocando cargas genéticas, as possibilidades de nascerem indivíduos diferentes são maiores, pois os genes do pai se misturam aos da mãe num organismo novo. Indivíduo diferente significa mais chance de evolução. Se todos fossem como as bananeiras, os filhotes seriam sempre idênticos aos pais, geração após geração, e a evolução seria muito lenta, causada só por uma ou outra mutação dos genes.

Nas espécies que se reproduzem por óvulos e espermatozóides, que são a maioria, a natureza criou uma sábia proibição: nenhuma outra célula do corpo está autorizada a participar da reprodução. Só as células sexuais cuidam disso. Foi aí que Wilmut anunciou um revertério assustador, derrubando a velha lei.

Reprodução humana O que você entende por reprodução?

A reprodução é o processo que possibilita, ao mesmo tempo, a continuidade e a renovação da espécie humana.

Todos os seres vivos têm um ciclo vital compreendido entre o nascimento e a morte. A reprodução é um processo que permite à espécie perpetuar-se e renovar-se. A fusão de gametas aciona mecanismos que originam um indivíduo com uma nova combinação gênica, o que leva a espécie a uma maior variabilidade genética, um fator evolutivo.

O sistema reprodutor humano é composto de vários órgãos e estruturas em cada um dos sexos. Relaciona-se com ele, ainda, o sistema hormonal, que estimula o desenvolvimento dos órgãos sexuais, a reprodução de gametas e o impulso sexual, além de outras funções.

óvulo espermatozóides

Você conhece o sistema reprodutor masculino? Observe o esquema, vamos ;

Sistema reprodutor masculino O aparelho reprodutor masculino tem por função produzir e conduzir até o aparelho reprodutor feminino os gametas masculinos ou espermatozóides. É formado pelos seguintes órgãos:

testículos ou gônadas. Vias espermáticas: epidídimos, canais deferentes, e uretra. Pênis. Escroto. Glândulas anexas: vesículas seminais, próstata, glândulas bulbo-uretrais.

Pênis É o órgão de cópula masculino, de formato cilíndrico e erétil. Constitui-se internamente pela uretra, veias e capilares sangüíneos modificados em tecidos esponjosos ricos em vasos sangüíneos, o corpo cavernoso e o corpo esponjoso. Durante a excitação sexual, ocorre um acúmulo de sangue nesses tecidos, provocando a ereção. A região anterior do pênis forma a glande (cabeça) peniana, recoberta por uma prega protetora, denominada prepúcio.

Saco escrotal Também denominado escroto, é uma bolsa de pele localizada abaixo do pênis, dentro da qual ficam alojados os testículos.

Testículos Os dois testículos são as gônadas masculinas, localizadas no interior do saco escrotal ou escroto, onde são produzidos os espermatozóides. No interior dos testículos há pequenos tubos enovelados – os túbulos seminíferos – dentro dos quais são produzidos os espermatozóides. Entre os túbulos seminíferos, encontram-se células especiais denominadas células intersticiais ou de Leydig, cuja função é produzir o hormônio sexual masculino, a testosterona.

Epidídimo São dois tubos enovelados que partem dos testículos, onde os espermatozóides são armazenados.

Canais deferentes, duto ejaculador e uretra. Os canais deferentes são dois tubos musculosos que saem do epidídimo, sobem para o abdômen. Sob a bexiga os dois canais unem-se, formando um só, o duto ou canal ejaculador, que desemboca na uretra, que é um canal comum ao sistema reprodutor e ao sistema urinário masculino, que percorre o interior do pênis e se abre para o exterior na extremidade da glande.

Glândulas anexas Juntamente com os espermatozóides, as secreções dessas glândulas formam o sêmen ou esperma.

Vesículas seminais As vesículas seminais são duas glândulas localizadas atrás da bexiga urinária e desembocam no duto ejaculador. Produzem uma secreção, que constitui cerca de 60% do volume total do sêmen, e é rica em substâncias nutritivas. Uma dessas substâncias é a frutose, que serve como fonte de energia para os movimentos da cauda do espermatozóide e facilita sua sobrevivência.

Próstata A próstata, está localizada sob a bexiga urinária do sistema reprodutor masculino. Ela produz uma secreção clara, aquosa que neutraliza a acidez da uretra e das secreções vaginais, facilitando a movimentação dos espermatozóides. O conjunto dos espermatozóides, do líquido seminal e do líquido prostático, constitui o esperma ou sêmen.

Glândulas bulbouretrais As duas glândulas bulbouretrais ou de Cowper estão localizadas sob a próstata e também desembocam na uretra. Durante a excitação sexual, produzem um líquido, cuja função é ainda pouco conhecida. Admite-se que essa secreção limpa o conduto uretral antes da passagem do sêmen e auxilia na lubrificação dos órgãos sexuais durante a cópula. Pelo sêmen também são eliminados linfócitos. A presença dessas células, contendo o vírus da Aids, explica por que a doença pode ser transmitida pelo sêmen.

Ejaculação, o que é? Eliminação do esperma ou sêmen, o que ocorre durante o orgasmo. No homem, ocorre no momento do auge da excitação sexual. A cada ejaculação são eliminados cerca de 400 milhões de espermatozóide em 3 a 4 ml de esperma.

Saiba mais e cuide do seu corpo! Fimose

O prepúcio é a pele que envolve a glande, deve ser puxado e higienizado a fim de se retirar dele o esmegma (uma secreção sebácea espessa e esbranquiçada, com forte odor, que consiste principalmente em células epiteliais descamadas que se acumulam debaixo do prepúcio). Quando a glande não consegue ser exposta devido ao estreitamento do prepúcio, diz-se que a pessoa tem fimose.

A circuncisão, também é chamada de postectomia.

Agora vamos ao sistema reprodutor feminino.

Sistema reprodutor feminino O sistema reprodutor feminino é formado por um par de ovários, um par de tubas uterinas, útero, vagina e vulva.

Veja a seguir cada uma dessas partes: Vulva e clitóris A vulva é constituída por duas pregas de pele cobertas por pêlos pubianos, os grandes lábios, que envolvem duas pregas menores e mais delicadas, os pequenos lábios, os quais protegem a abertura vaginal e a uretra. Um pouco acima do orifício da uretra, há um pequeno órgão, o clitóris, formado pela união da parte superior dos pequenos lábios e por tecido esponjoso erétil, homólogo ao pênis do homem. O clitóris possui muitas terminações nervosas, sendo muito sensível a estímulos.

Vagina A vagina é o órgão copulador feminino. É um canal musculoso e elástico de 8 a 15 cm de comprimento, que comunica o útero com a vulva. É o órgão de cópula, recebendo o pênis durante o ato sexual; também se constitui no canal do parto. A extremidade interna da vagina comunica-se com o útero por um canal do colo uterino denominado canal cervical.

O hímen é uma membrana que fecha parcialmente a abertura da vagina e se rompe na primeira relação sexual. A parede vaginal apresenta estruturas denominadas glândulas de Bartholin, que sob a ação de estímulos sexuais, produz substâncias que a lubrificam, facilitando a penetração do pênis.

Útero O útero é um órgão musculoso e oco, de tamanho e forma aproximados aos de uma pêra. Sua porção superior é alargada e está conectada às trompas ou tubas. A parede interna do útero é revestida de um tecido muito vascularizado chamado endométrio (parede na qual a placenta irá se “enraizar”). Tubas uterinas As tubas uterinas são dois tubos curvos ligados ao útero. A extremidade livre de tuba é alargada e situa-se junto a cada um dos ovários. O óvulo liberado durante a ovulação é sugado para interior de uma das tubas, deslocando-se até o útero.

Ovários Os dois ovários localizam-se na cavidade abdominal, um pouco acima das virilhas, um em cada lado do corpo. Eles têm a forma de uma pequena azeitona e medem cerca de 3 cm de comprimento. É na porção mais externa do ovário que estão localizadas as células primordiais que darão origem aos óvulos. Também são responsáveis pela produção de hormônios femininos como estrógeno e progesterona.

Ovulação, como ocorre? Os ovários começam a funcionar na fase embrionária. Por ocasião do nascimento existem cerca de 1 milhão de futuros óvulos em cada ovário, no interior de folículos ( formação vesiculosa na superfície do ovário, em cujo interior se desenvolve o óvulo) primários. Em cada folículo apenas uma ovogônia (célula primordial) cresce, transformando-se em ovócito primário e iniciando a meiose ( a meiose é um tipo especial de divisão celular no qual uma célula diplóide (2n), após uma replicação do DNA, sofre duas divisões celulares sucessivas, originando quatro células haplóides (n)).

Por ocasião da puberdade, devido à ação hormonal, a meiose continua. A cada mês alguns folículos entram em atividade, mas em geral, apenas um completa o desenvolvimento e libera o óvulo (um ovócito secundário), os demais regridem após alguns dias. O óvulo em formação é revestido por uma película gelatinosa que secreta grande quantidade de líquido, que faz o folículo crescer, formando o folículo de Graaf.

A liberação do ovócito secundário (óvulo) é a ovulação. A meiose somente se completará se houver fecundação.

Tuba uterina

O folículo rompido após a ovulação transforma-se em corpo lúteo e tem importante papel na manutenção da gravidez. Observe a seguir o processo de ovulação e fecundação.

O esquema abaixo também representa o processo de ovulação.

Preste muita atenção nas informações a seguir:

Métodos contraceptivos

Contracepção ou método anticoncepcional, é a prevenção da gravidez e pode ser feita de várias maneiras.

Coito interrompido Consiste na retirada do pênis da vagina antes da ejaculação. Pouco eficiente, pois a secreção anterior à ejaculação pode conter alguns espermatozóides.

Camisinha ou Camisa-de-vênus É um protetor de látex que deve ser colocado no pênis ereto para reter o esperma ejaculado.

A camisinha, que até a algum tempo era mais usada como método preventivo da gravidez, passou atualmente a ter uma excepcional importância na vida sexual das pessoas como forma de evitar o contágio pelo HIV, o vírus causador da Aids.

A camisinha é também eficiente na profilaxia de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), encaradas com descuido desde a descoberta dos antibióticos e que hoje mostram um grande aumento de incidência em todo o mundo, caso da gonorréia (blenorragia) e da sífilis.

Para obter proteção adequada, a camisinha deve ser usada corretamente, desenrolada depois da ereção até prender firmemente o anel de borracha à raiz do pênis. Deve ser retirada também com cuidado, para evitar vazamento, e substituída a cada relação sexual.

Método da tabela Consiste em evitar a relação sexual no período fértil do ciclo menstrual. O óvulo sobrevive até 24 horas após a ovulação e os espermatozóides até 48 horas depois da ejaculação. Geralmente a ovulação ocorre entre o décimo e o décimo - quarto dia do ciclo menstrual, mas não existem evidências claras quanto ao exato dia da ovulação. Por isso é um método pouco eficiente.

Camisinha feminina – observe com atenção as etapas para a introdução no interior da vagina.

Pílula anticoncepcional

(Parte 8 de 9)

Comentários