estruturalismo

estruturalismo

(Parte 1 de 2)

Os experimentalistas de Titchener: Proibido para mulheres4
Conceito5
Métodos de estudo e aplicações do Estruturalismo7
Conclusão13

Edward Bradford Titchener(1867-1927)

Os anos mais produtivos de Titchener foram os que passou na Universidade de

Cornell, em Nova York. Ele vestia com classe a toga de catedrático na Universidade de Oxford e fazia de cada aula uma grandiosa produção. O cenário era preparado com cuidado por seus assistentes com a sua rigorosa supervisão. Os alunos mais novos, obrigados a assistirem suas aulas, faziam filas na porta para tomarem os primeiros lugares na sala, enquanto Titchener entrava diretamente por outra porta dirigindo-se ao tablado. Embora só houvesse estudado dois anos com Wundt, seus modos eram muito parecidos com os dele, uma verdadeira imitação do estilo autocrático, da formalidade das aulas e até mesmo do uso da barba.

A Biografia de Titchener

Nasceu em Chichester, na Inglaterra em uma família tradicional, mas de poucos recursos. Graças a sua capacidade intelectual considerável, obteve bolsa de estudos para freqüentar a faculdade. Freqüentou a Malvern College e mais tarde a Universidade de Oxford onde estudou filosofia e os clássicos, além de trabalhar como assistente de pesquisa em fisiologia. Interessou-se pela psicologia de Wundt, entusiasmo não compartilhado e nada incentivado pela universidade. Por isso, naturalmente teve que partir para Leipzig, a Meca dos cientistas pioneiros, para estudar com o próprio Wundt, lá obtendo o doutorado em 1892.Durante a vida estudantil, criou uma relação muito estreita com Wundt e sua família, a cuja casa muitas vezes era convidado, e passou pelo menos um Natal na residência dos Wundt, nas montanhas.

Ao receber o doutorado, Titchener esperava tornar-se o inglês pioneiro na nova psicologia experimental de Wundt, mas, quando regressou a Oxford, seus colegas ainda estavam céticos em relação à chamada abordagem científica dos seus temas filosóficos favoritos. Ali permaneceu alguns meses até perceber que as melhores oportunidades estavam em outro lugar. Foi convidado para trabalhar na Universidade de Cornell, nos Estados Unidos onde, lecionaria psicologia e dirigiria um laboratório. Estava com 25 anos, e ali passou o resto da vida até falecer de tumor cerebral, aos 60 anos.

De 1893 a 1900, Titchener implementou seu laboratório, conduziu pesquisas e escreveu artigos acadêmicos, publicando, por fim, 60 trabalhos.Devido ao grande numero de alunos atraídos a Cornell por causa da sua psicologia teve que abrir mão da tarefa de participar pessoalmente dos estudos de pesquisa deixando a cargo dos estudantes a condução da experiência.Desse modo, sua posição sistemática atingiu o auge do desenvolvimento por meio da sua orientação das pesquisas realizadas pelos alunos.

Titchener traduziu vários livros de Wundt do alemão para o inglês. Entre as obras de sua autoria estão: An outline of psychology (1896), Primer of psychology (1898) e, em quatro volumes, Experimental psychology: a manual of laboratory practice (1901-1905). Esses últimos, mais conhecidos como manuais, incentivaram o trabalho de psicologia nos Estados Unidos.Seus livros foram traduzidos para vários idiomas como o russo, italiano, alemão, espanhol e francês.

Com o passar dos anos, Titchener afastou-se do convívio social e acadêmico, adquirindo status de lenda viva de Cornell, embora muitos alunos sequer houvessem conhecido ou visto.Preferia trabalhar em casa e, a partir de 1909, lecionava apenas as tardes de segunda –feira, durante a primavera.

Embora sustentasse o modo autocrático como um estereótipo de professor alemão, era gentil e solícito com colegas e estudantes, desde que fosse tratado com a deferência e o respeito que acreditava ser merecedor.

Às vezes as relações de Titchener com os psicólogos fora de seu grupo também eram tensas.Eleito pelos fundadores como membro da APA em 1892, renunciou logo depois porque a associação negou-se a expulsar um membro que ele acusava de plagiário.Conta-se que um amigo pagou as taxas de Titchener durante vários anos para que o nome dele continuasse sempre aparecendo na lista de membros.

4 Figura 1: Fotografia de Edward Bradford Titchener

Figura2: Universidade de Cornell, Estados Unidos.

Os experimentalistas de Titchener: Proibido para mulheres

Em 1904, um grupo de psicólogos autodenominados “os experimentalistas de

Titchener”começou a se reunir para comparar as informações obtidas nas pesquisas.Além de selecionar os participantes e os temas, Titchener conduzia as reuniões.Uma das regras era a proibição de mulheres. E.G.Boring conta que Titchener desejava” ouvir relatos com liberdade para interromper, debater e criticar, em um ambiente encoberto pela fumaça dos charutos e sem a presença das mulheres(...) elas são delicadas demais para fumar”.

Embora Titchener continuasse a excluir mulheres das reuniões do experimentalistas, encorajava e apoiava seu progresso na psicologia. Ele aceitava mulheres nos programas de pós-graduação de Cornell, mas as universidade de Harvard e Columbia não as aceitavam. Mais de um terço dos 56 doutorados concedidos por Titchener foi para mulheres.Nenhum psicólogo daquela época concedeu tanto títulos de doutorados para mulheres como Titchener.

A primeira mulher a obter doutorado em psicologia foi Margaret Floy Washburn, que foi a também a primeira orientada de doutorado de Titchener.Depois do doutorado ela escreveu um livro importante sobre psicologia comparativa e foi a primeira psicóloga eleita para Academia Nacional de Ciências e chegou a ser presidente da APA.

Esse trecho sobre Margaret Floy Washburn tem a idéia de evidenciar o continuo apoio de Titchener à mulher na psicologia.Apesar de não abrir mão da proibição de mulheres nas reuniões dos experimentalistas, se empenhou para abrir as portas totalmente fechadas, pela maioria dos psicólogos, às mulheres.

Os experimentalistas mantiveram sua política de serem um grupo exclusivamente masculino até 1929, dois anos depois da morte de Titchener.

Conceito

Titchener, apesar de jurar ser seguidor leal de Wundt, modificou as teorias postuladas por ele, alterando drasticamente o sistema de Wundt. Daí, ele propôs sua própria abordagem, o estruturalismo, a qual afirmava representar fielmente a forma de psicologia de Wundt; mas o título de estruturalismo só pode ser dado à obra de Titchener e não a de Wundt.

Para Wundt a mente tem o poder de sintetizar espontaneamente elementos, enquanto que Titchener, se centra nos elementos que compõe a estrutura da consciência, desvalorizando a sua associação. Segundo este, a tarefa fundamental da Psicologia é descobrir a natureza das experiências conscientes elementares, ou seja, analisar a consciência nas suas partes constituintes para assim determinar a sua estrutura. Para tal Titchener modificou o método introspectivo de Wundt, tornando-o mais próximo do de Külpe, sendo designado introspecção qualitativa e consistia em, observadores descreverem o seu estado consciente após sujeitos a um dado estímulo. Titchener opôs-se à abordagem wundtiana no aspecto do uso de equipamentos e a sua concentração em medidas objetivas.

De acordo com Titchener, o objeto da Psicologia é, à semelhança de Wundt, a experiência consciente e afirmou que todas as ciências compartilham deste mesmo objeto, ocupando-se cada qual de um aspecto diferente. O objeto de estudo é assim a experiência enquanto dependente das pessoas que passam por ela. Por exemplo, a luz e o som são estudados por físicos e psicólogos; os físicos vêem esses fenômenos da perspectiva dos processos físicos envolvidos, não necessitando que as pessoas passem pela experiência para estudarem os fenômenos, sendo por tal independentes da experiência das pessoas; pelo contrário, os psicólogos estudam os fenômenos, as sensações, em termos do modo como são vivenciados pelo indivíduo, dependendo assim das experiência das pessoas. Titchener define a consciência como a soma das nossa experiências num dado momento de tempo, e a mente como a soma das nossas experiências acumuladas ao longo da vida. Mente e consciência são realidades semelhantes mas, enquanto a consciência envolve processos mentais que ocorrem no momento, a mente envolve o acumulo total destes processos.

Para Titchener, os problemas ou finalidades da Psicologia seriam: 1.Reduzir os processos conscientes nos seus componentes mais simples; 2.Determinar as leis mediante as quais esses elementos se associam, e 3.Conectar esses elementos às suas condições fisiológicas. Logo, os objetivos da Psicologia coincidem com os das ciências naturais.

A era do estruturalismo acaba quando Titchener morre, pois embora Titchener fosse uma

Titchener propôs 3 estados elementares de consciência: as sensações, as imagens os estados afetivos. As sensações são os elementos básicos da percepção e ocorrem nos sons, nas visões, nos cheiros e em outras experiências evocadas por objetos físicos do ambiente; as imagens são elementos de idéias e estão no processo que reflete experiências não concretamente presentes no momento, como a lembrança de uma experiência passada; os estados afetivos (afetos ou sentimentos) são elementos da emoção que estão presentes em experiências como o amor, o ódio ou a tristeza. figura influente na história da psicologia americana, seus contemporâneos estavam desenvolvendo diferentes definições de psicologia.

Métodos de estudo e aplicações do Estruturalismo

O principal método de observação de Titchener era a introspecção que é a observação da experiência consciente como dependente da própria experiência do individuo. A introspecção era realizada por observadores treinados a reaprender a perceber para enfim descrever seu estado consciente, não o estímulo em seus estudos sobre a experiência consciente. Titchener alertou sobre o que denominou erro de estímulo, que gera uma confusão entre o processo mental e o objeto da observação, ver uma maçã e a descrever como a fruta maçã ao invés de descrever seus elementos como a cor, o brilho e forma.

Então quando o observador concentra-se no objeto de estimulo, ou seja, a maça, não faz distinção entre o objeto que já conhece da experiência do momento então ele se ate ao passado e não ao presente a experiência imediata. Quando o observador comete esse erro de estimulo ele está somente interpretando o objeto e não o observando.

Titchener adotou o rótulo de Kulpe, introspecção experimental sistemática, ele usava relatos detalhados, qualitativos e subjetivos das atividades mentais do sujeito durante o ato da introspecção.

Ao contrário de Wundt sua psicologia era a analise da experiência consciente complexa em termos de seus componentes, ou seja, Wundt privilegiava o todo e ele as partes. Seu objetivo era descobrir os chamados átomos da mente. As sensações e imagens para ele formavam a estrutura da consciência.

Titchener transpôs o conceito de reagentes a sua psicologia, ou seja, reagente é um elemento passivo que é aplicado a alguma coisa para provocar reações. Os sujeitos eram elementos de registro que somente anotavam de forma objetiva as características do estímulo que observaram; para ele a observação treinada chegaria a tornar-se mecanizada ou habitual deixando de ser um processo consciente.

A proposta de Titchener era abordagem experimental para a observação introspectiva na psicologia. Era preciso obedecer rigorosamente às normas de experimentação e aperfeiçoada para uma menor margem de erros.

Para isso os reagentes de Titchener faziam introspecções com vários estímulos, lhe fornecendo detalhadas informações de suas experiências. A introspecção era uma técnica séria que exigia dos estudantes uma grande dedicação para realizar corretamente o que Titchener nomeava de “o duro trabalho de introspecção”.

9 Alguns estímulos para o trabalho de introspecção:

● Engolir um tubo que ia até o estomago durante a manhã até o fim do dia, entre aulas e outras atividades eles iam ao laboratório, para que fosse jogado no tubo água aquecida ou gelada para que fizessem a introspecção das sensações que vivenciaram.

● Era pedido que levassem livros de anotações quando fossem ao banheiro e registrassem suas sensações e sentimentos ao urinar e defecar.

●Estudantes casados teriam que anotar suas sensações e sentimentos elementares durante o ato sexual e também a ligar instrumentos de medida ao corpo para registrar mudanças fisiológicas.

Essa pesquisa não foi publicada sendo revelada em 1960 por uma de suas alunas

Cora Friedline, mas, era conhecida no campus da Universidade Cornell, dando ao laboratório de psicologia uma má reputação.

Titchener apresentou três propostas básicas para a psicologia:

1 - Reduzir os processos conscientes aos seus componentes mais simples ou mais básicos; 2 - Determinar as leis mediante as quais esses elementos se associam; 3 - Conectar esses elementos às suas condições fisiológicas.

Portanto os objetivos da psicologia eram os mesmos das ciências naturais, a maioria de seus esforços foi no primeiro problema – a descoberta dos elementos da consciência. Então Titchener propôs três estados elementares de consciência:

− O estado da sensação: são os elementos básicos da percepção e ocorrem nos sons, nas visões, nos cheiros e em outras experiências evocadas por objetos físicos do ambiente.

− O estado da imagem: São elementos de idéias e estão no processo que retrata ou reflete experiências não concretamente presentes. Ex: lembranças.

− O estado afetivo (afetos ou sentimentos): São elementos da emoção, estando presentes em experiências como o amor, o ódio e a tristeza.

Cada elemento consciente é distinto dos outros podendo ser combinados a outros para a formação das percepções e das idéias.

Elementos mentais: Básicos e irredutíveis os elementos mentais podem ser categorizados, são dotados de atributos diferentes Titchener considerava os atributos qualidade e intensidade de Wundt mais os dois que incluiu a duração e a nitidez eram características básicas de todas as sensações.

A qualidade é a característica, como frio e vermelho e diferencia facilmente um elemento dos demais. A intensidade se refere à força ou fraqueza, sonoridade ou brilho de uma sensação.

A duração ao curso de uma sensação ao longo do tempo. A nitidez com função da atenção na experiência consciente; uma experiência no foco de nossa atenção é mais nítida do que uma que não está em foco.

As sensações e imagens têm esse quatro atributos, mas os estados afetivos só têm qualidade, intensidade e duração, faltando à nitidez já que para Tichener era impossível concentrar a atenção diretamente em um elemento da emoção ou sentimento. A visão e o tato são dotados ainda de um outro atributo, a extensão, já que envolvem a noção espacial.

No fim da vida Tichener alterou de forma significativa a sua psicologia estrutural, não abordava mais os conceitos de elementos mentais em suas aulas, e chegou a escrever a um alunos dizendo que estavam desatualizados, essa mudança foi drástica e se tivesse tido tempo teria alterado radicalmente o destino e a visão de sua psicologia estrutural.

Críticas e contribuições

As críticas mais rigorosas ao estruturalismo tinham muito mais relação com a introspecção praticada nos laboratórios de Titchener e de kulpe e, que estava voltada para relatos subjetivos dos elementos da consciência, do que com método Wundtiano de percepção interior, que estava voltado para respostas mais objetivas a estímulos externos.

(Parte 1 de 2)

Comentários