Geipot Tarifa I

Geipot Tarifa I

(Parte 3 de 4)

Recomenda-se o uso do Método de Cole, (ou Método da Soma dos Dígitos Decrescentes), por representar mais fielmente a desvalorização do veículo rodoviário, caracterizada por uma perda acentuada de valor no início de sua utilização e que se atenua com o passar dos anos. Por esse método, o fator de depreciação anual é obtido aplicando-se a seguinte fórmula:

Fj =x (1 – VR/100)
1 + 2 ++ VU

VU – j + 1 onde:

Fj = fator de depreciação anual para o ano j J = limite superior da faixa etária (anos) VU = vida útil adotada (anos) VR = valor residual adotado (%)

O quadro a seguir apresenta os fatores de depreciação anual para cada faixa etária, por tipo de veículo, de acordo com o critério descrito.

Faixa Etária (anos) Veículo Leve Veículo Pesado Veículo Especial 0 – 1 0,80 x 7/28 = 0,2000 0,85 x 10/5 = 0,1545 0,90 x 12/78 = 0,1385 1 – 2 0,80 x 6/28 = 0,1714 0,85 x 9/5 = 0,1391 0,90 x 1/78 = 0,1269 2 – 3 0,80 x 5/28 = 0,1429 0,85 x 8/5 = 0,1236 0,90 x 10/78 = 0,1154 3 – 4 0,80 x 4/28 = 0,1143 0,85 x 7/5 = 0,1082 0,90 x 9/78 = 0,1038 4 – 5 0,80 x 3/28 = 0,0857 0,85 x 6/5 = 0,0927 0,90 x 8/78 = 0,0923 5 – 6 0,80 x 2/28 = 0,0571 0,85 x 5/5 = 0,0773 0,90 x 7/78 = 0,0808 6 – 7 0,80 x 1/28 = 0,0286 0,85 x 4/5 = 0,0618 0,90 x 6/78 = 0,0692 7 – 8 zero 0,85 x 3/5 = 0,0464 0,90 x 5/78 = 0,0577

8 – 9 0,85 x 2/5 = 0,0309 0,90 x 4/78 = 0,0462

1 – 120,90 x 1/78 = 0,015
> 12zero

9 – 10 0,85 x 1/5 = 0,015 0,90 x 3/78 = 0,0346 10 – 1 zero 0,90 x 2/78 = 0,0231

Os coeficientes de depreciação anual são obtidos multiplicando-se o fator de depreciação anual de cada faixa etária pela quantidade de veículos (do tipo considerado) enquadrados nessa faixa. O coeficiente de depreciação anual da frota, para cada tipo de veículo, é obtido somando-se os coeficientes de todas as faixas etárias.

A depreciação mensal por veículo, para cada tipo de veículo, é obtida multiplicando-se o coeficiente de depreciação anual pelo preço do veículo novo sem rodagem, dividindo-se o resultado pela frota de veículos do tipo considerado e dividindo-se o novo resultado por 12 (número de meses do ano).

B.1.2 Depreciação de Máquinas, Instalações e Equipamentos

A depreciação mensal relativa a máquinas, instalações e equipamentos, correspondente a um veículo, é obtida multiplicando-se o preço do veículo leve novo completo pelo fator 0,0001. Esse fator foi obtido por meio de levantamentos realizados em diversas cidades, por ocasião da elaboração das Instruções Práticas para o Cálculo da Tarifa de Ônibus Urbano, editadas pelo GEIPOT em 1982. Ressalte-se que o fator de depreciação refere-se ao preço do veículo leve, independente da composição da frota.

B.2 Remuneração do Capital

Para o cálculo da remuneração do capital imobilizado em veículos, almoxarifado, máquinas, instalações e equipamentos, adota-se a taxa de 12% ao ano.

B.2.1 Remuneração do Capital Imobilizado em Veículos

Para calcular o valor da remuneração anual do capital imobilizado em veículos, aplica-se a taxa de remuneração (12%) sobre o valor do veículo novo, sem pneus, câmaras-de-ar e protetores, deduzindo-se a parcela já depreciada.

Os quadros a seguir apresentam os fatores de remuneração anual de cada faixa etária, por tipo de veículo.

Faixa Etária Parcela a Deduzir Fator de Remuneração Anual

0 a 1 ano sem dedução (1 - 0) x 0,12 = 0,1200 1 a 2 anos 0,8 x 7/28 (1 - 0,8 x 7/28) x 0,12 = 0,0960 2 a 3 anos 0,8 x 13/28 (1 - 0,8 x 13/28) x 0,12 = 0,0754 3 a 4 anos 0,8 x 18/28 (1 - 0,8 x 18/28) x 0,12 = 0,0583 4 a 5 anos 0,8 x 2/28 (1 - 0,8 x 2/28) x 0,12 = 0,0446 5 a 6 anos 0,8 x 25/28 (1 - 0,8 x 25/28) x 0,12 = 0,0343 6 a 7 anos 0,8 x 27/28 (1 - 0,8 x 27/28) x 0,12 = 0,0274

>7 anos 0,8 x 28/28 (1 - 0,8 x 28/28) x 0,12 = 0,0240

Faixa Etária Parcela a Deduzir Fator de Remuneração Anual

0 a 1 ano sem dedução (1 - 0) x 0,12 = 0,1200 1 a 2 anos 0,85 x 10/5 (1 - 0,85 x 10/5) x 0,12 = 0,1015 2 a 3 anos 0,85 x 19/5 (1 - 0,85 x 19/5) x 0,12 = 0,0848 3 a 4 anos 0,85 x 27/5 (1 - 0,85 x 27/5) x 0,12 = 0,0699 4 a 5 anos 0,85 x 34/5 (1 - 0,85 x 34/5) x 0,12 = 0,0569 5 a 6 anos 0,85 x 40/5 (1 - 0,85 x 40/5) x 0,12 = 0,0458 6 a 7 anos 0,85 x 45/5 (1 - 0,85 x 45/5) x 0,12 = 0,0365 7 a 8 anos 0,85 x 49/5 (1 - 0,85 x 49/5) x 0,12 = 0,0291 8 a 9 anos 0,85 x 52/5 (1 - 0,85 x 52/5) x 0,12 = 0,0236 9 a 10 anos 0,85 x 54/5 (1 - 0,85 x 54/5) x 0,12 = 0,0199

>10 anos 0,85 x 5/5 (1 - 0,85 x 5/5) x 0,12 = 0,0180

Faixa Etária Parcela a Deduzir Fator de Remuneração Anual

0 a 1 ano sem dedução (1 - 0) x 0,12 = 0,1200 1 a 2 anos 0,9 x 12/78 (1 - 0,9 x 12/78) x 0,12 = 0,1034

2 a 3 anos 0,9 x 23/78 (1 - 0,9 x 23/78) x 0,12 = 0,0882 3 a 4 anos 0,9 x 3/78 (1 - 0,9 x 3/78) x 0,12 = 0,0743 4 a 5 anos 0,9 x 42/78 (1 - 0,9 x 42/78) x 0,12 = 0,0618 5 a 6 anos 0,9 x 50/78 (1 - 0,9 x 50/78) x 0,12 = 0,0508 6 a 7 anos 0,9 x 57/78 (1 - 0,9 x 57/78) x 0,12 = 0,0411 7 a 8 anos 0,9 x 63/78 (1 - 0,9 x 63/78) x 0,12 = 0,0328 8 a 9 anos 0,9 x 68/78 (1 - 0,9 x 68/78) x 0,12 = 0,0258 9 a 10 anos 0,9 x 72/78 (1 - 0,9 x 72/78) x 0,12 = 0,0203 10 a 1 anos 0,9 x 75/78 (1 - 0,9 x 75/78) x 0,12 = 0,0162 1 a 12 anos 0,9 x 7/78 (1 - 0,9 x 7/78) x 0,12 = 0,0134

>12 anos 0,9 x 78/78 (1 - 0,9 x 78/78) x 0,12 = 0,0120

Os coeficientes de remuneração anual são obtidos multiplicando-se o fator de remuneração anual de cada faixa etária pela quantidade de veículos (do tipo considerado) enquadrados nessa faixa. O coeficiente de remuneração anual da frota, para cada tipo de veículo, é obtido somando-se os coeficientes de todas as faixas etárias.

A remuneração mensal por veículo, para cada tipo de veículo, é obtida multiplicando-se o coeficiente de remuneração anual pelo preço do veículo novo sem rodagem, dividindo-se o resultado pela frota de veículos do tipo considerado e dividindo-se o novo resultado por 12 (número de meses do ano).

B.2.2 Remuneração de Máquinas, Instalações e Equipamentos

O cálculo da remuneração de máquinas, instalações e equipamentos, para efeito de simplificação, foi relacionado ao valor de um veículo leve novo completo. Admite-se que o valor anual do capital imobilizado em máquinas, instalações e equipamentos corresponde a 4% do preço de um veículo leve novo completo, para cada veículo da frota. Assim, aplicando-se sobre este valor a taxa de remuneração mensal adotada, tem-se a remuneração mensal, por veículo, do capital imobilizado em máquinas, instalações e equipamentos (R$/veículo x mês), de acordo com a seguinte expressão:

0,04 x (0,12/12) x preço do veículo leve novo = 0,0004 x preço do veículo leve novo

B.2.3 Remuneração do Almoxarifado

Admite-se que o valor anual do capital imobilizado em almoxarifado corresponde a 3% do preço de um veículo novo completo, para cada veículo da frota. Assim, aplicando-se sobre esse valor, para cada tipo de veículo, a taxa de remuneração mensal adotada, tem-se a remuneração mensal, por veículo, do capital imobilizado em almoxarifado (R$/veículo x mês), de acordo com a seguinte expressão:

0,03 x (0,12/12) x preço do veículo novo = 0,0003 x preço do veículo novo

B.3 Despesas com Pessoal

Este item engloba todas as despesas relativas a mão-de-obra e é constituído pelas despesas com pessoal de operação, de manutenção, de administração, benefícios e remuneração da diretoria assalariada.

B.3.1 Despesas com Pessoal de Operação

São considerados como pessoal de operação motoristas, cobradores e despachantes. Para se obter o valor da despesa mensal por veículo (R$/veículo x mês) deve-se multiplicar o salário mensal referente a cada uma das categorias, acrescido dos encargos sociais, pelo respectivo fator de utilização. Esse fator corresponde à quantidade de trabalhadores, por categoria, necessária para operar cada veículo da frota.

No Anexo I estão apresentados métodos específicos para o cálculo do fator de utilização de motoristas, cobradores e despachantes.

O quadro seguinte apresenta o intervalo em que se enquadraram os fatores de utilização calculados para algumas cidades brasileiras, com base no método proposto.

Fator de Utilização Categoria

Limite Inferior Limite Superior

Motorista 2,20 2,80 Cobrador 2,20 2,80 Despachante 0,20 0,50

A memória descritiva para o cálculo dos encargos sociais, de acordo com a legislação em vigor, é mostrada no Anexo I. Tendo em vista que alguns encargos são baseados em dados estatísticos, recomenda-se determiná-los de acordo com a realidade local. Segundo levantamentos realizados, a incidência dos encargos sociais gira, atualmente, em torno de 62% sobre a remuneração mensal da mão-deobra.

Ressalte-se que os cálculos do fator de utilização e dos encargos sociais são interdependentes.

Não é correto utilizar o método apresentado nos anexos deste trabalho para a obtenção de apenas um deles, já que determinados itens tradicionalmente considerados no cálculo dos encargos sociais, como repouso semanal remunerado, feriados, férias e auxílio-enfermidade, foram considerados no cálculo do fator de utilização, através da determinação da quantidade de substitutos.

O custo do pessoal de operação, expresso em R$/veículo x mês, é obtido pela soma dos salários multiplicados pelos fatores de utilização, acrescido dos encargos sociais, conforme a expressão seguinte:

PO = (SBmot x FUmot + SBcob x FUcob + SBdesp x FUdesp) x (1 + ES/100) onde: PO = despesas com pessoal de operação SB = salário base por categoria FU = fator de utilização por categoria ES = encargos sociais

B.3.2 Despesas com Pessoal de Manutenção

Este item corresponde às despesas com o pessoal envolvido na manutenção da frota. Para efeito de simplificação do cálculo, sugere-se a sua vinculação às despesas com pessoal de operação. Com base nos levantamentos realizados em diversas cidades, apresentam-se a seguir os percentuais alcançados pelas despesas com pessoal de manutenção.

Categoria Limite Inferior Limite Superior Pessoal de Manutenção 12% 15%

B.3.3 Despesas com Pessoal Administrativo

Este item corresponde às despesas com pessoal envolvido em atividades administrativas e de fiscalização. Para efeito de simplificação do cálculo sugere-se, também, a sua vinculação às despesas com pessoal de operação. De acordo com levantamentos realizados, o quadro a seguir apresenta os valores verificados em diversas cidades, relativamente às despesas com pessoal de operação.

(Parte 3 de 4)

Comentários