(Parte 1 de 5)

APOSTILA DE LATEX Programa Especial de Treinamento

Telecomunicações

PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense

Niterói-RJ 2004

Prefácio

Tendo em vista as diretrizes do MEC em Pesquisa, Ensino e Extensão, o Programa Especial de Treinamento do curso de Engenharia de Telecomunicações da Universidade Federal Fluminense (UFF) desenvolveu um projeto de elaboração de apostilas, com o intuito de auxiliar os alunos do curso no aprendizado de temas importantes a sua formação, mas ausentes em quaisquer ementas de disciplinas; E, além disso, servir de material didático para o cursos de capacitação que são dados pelos alunos do programa para os corpos dicente e docente da graduação. Abaixo segue a lista de apostilas preparadas neste projeto:

HTML Linguagem de programação para hipertextos, principalmente empregada na construção de páginas da Internet (webpages).

LaTeX Sistema de edição de texto largamente utilizado em meios acadêmicos e científicos, bem como por algumas editoras nacionais e internacionais.

LINUX Introdução ao sistema operacional LINUX.

Linguagem C : Linguagem de programação amplamente utilizada em problemas de engenharia e computação.

MATLAB Ambiente de simulação matemática, utilizado em diversas áreas profissionais.

SPICE Ambiente de simulação de circuitos elétricos (analógicos e digitais), utilizado em projeto de circuitos discretos e integrados.

Esta apostila destina-se a introduzir o usuário ao editor de texto LaTeX, explicando como elaborar um documento com os comandos básicos do LaTeX, e não como instalar o programa LaTeX.

Os comandos tratados nesta apostila permitem ao usuário elaborar um bom documento, porém esta apostisla não pretende abordar a todos comandos existentes devido as diferentes áreas onde o LaTeX pode ser usado e a quantidade de funções que são criados a todo momento (veja secção2.1.1). Para maiores informações e um estudo mais aprofundado ao LaTeX consulte as referências bibliográficas no fim do documento.

Este documento é de distribuição gratuita, sendo proibida a venda de parte ou da integra do documento.

Sumário

Prefácio i

1 O que é o LATEX? 3

2.1 Estrutura5
2.1.1 Pacotes6
2.2 Texto7
2.2.1 Acentuação7
2.2.2 Sentenças e Parágrafos8
2.2.3 Alinhamento8
2.2.4 Símbolos especiais9
2.2.5 Traços (-)9
2.2.6 Estilos de letras e Tamanhos9
2.2.7 Prevenindo a quebra de palavras10
2.2.8 Notas10
2.2.9 Fórmulas10
2.2.10 Comentário1
2.2.1 Título do documento1
2.2.12 Resumo1
2.2.13 Secções1
2.2.14 Identação12
2.2.15 Listas12
2.2.16 Versos13
2.2.17 Símbolos14
2.2.18 Textos pré-formatados14

2 Documento 5

3.1 Onde fica a fórmula ?15
3.2 Construindo fórmulas16
3.2.1 Sobescritos e Sobrescritos16
3.2.2 Frações16
3.2.3 Raízes16
3.2.4 Símbolos matemáticos16
3.2.5 Funções16
3.2.6 Array17
3.2.7 Delimitadores18
3.2.8 Fórmulas em várias linhas19
3.2.9 Linhas20
3.2.10 Empilhando21
3.2.1 O comando phantom21
3.2.12 Espaçamento nas fórmulas21
3.2.13 Teoremas2
3.2.14 Tipos especiais de letras2

Sumário Sumário

4.1 Tabbing24
4.2 Tabular25
4.2.1 Tabelas Longas26
5.1 Referência cruzada28
5.2 Dividindo o arquivo29
5.3 Bibliografia29
5.4 Figuras32
5.4.1 Subfiguras3
5.5 Sumário34
5.6 Índice35
5.7 Tipos de arquivos36

5 Movendo informações 28

6.1 Cabeçalho e Rodapé da página38
6.2 Área de impressão40
6.3 Espaços e Medidas41
6.4 Caixas4
6.5 Cores4
6.6 Minipage45
6.7 Novos comandos e ambientes46

6 Estrutura visual 38

A Utilizando o LaTeX através de um Terminal de Comando 48 B Símbolos matemáticos 50

C Outros símbolos 53 Referências Bibliográficas 54

Universidade Federal Fluminense 2 PETTELE)))

Capítulo 1

O que é o LATEX?

Antes de saber o que é o LaTeX é preciso conhecer o TEX. O TEX é um programa criado por Donald Knuth na década de 70 com a finalidade de aumentar a qualidade de impressão com base nas impressoras da época e é utilizado para processar textos e fórmulas matemáticas.

LaTeX é um programa que reúne comandos que utilizam o TEX como base de processamento e foi criado por Leslie Lamport na década de 80 com o objetivo de facilitar o uso do TEX através de comandos para diferentes funções.

É um editor de textos especialmente voltado para a área matemática contendo comandos para montar as mais diversas fórmulas. Gera textos de alta qualidade tipográfica (espaçamento entre palavras, combinação de letras etc...). Além de ser muito bom para fazer textos grandes como livros.

O LaTeX é um processador baseado no estilo lógico. Os programas de processamento de texto podem ser divididos em duas categorias:

Estilo visual Nestes processadores de texto, existe um menu na tela apresentando os recursos que podem ser usados, sendo selecionados através do mouse. E o texto que você digita aparece na tela da mesma forma que vai ser impresso. Isso é conhecido como WHAT-YOU-SEE-IS-WHAT-YOU-GET (WYSIWYG). Ex: Word.

Estilo lógico Nesta categoria o processamento é feito em duas etapas distintas.

• O texto a ser impresso e os comandos de formatação são escritos em um arquivo fonte com o uso de um editor, (isso não impede que também haja um menu na tela onde os comandos podem ser selecionados, isto é apenas um adicional oferecidos por fabricantes para facilitar a digitação).

• Em seguida este arquivo é compilado e gera uma arquivo de saída que pode ser visualizado. Ex: HTML.

Os comandos LaTeX foram criados com base em diversos estudos sobre diagramação. Isto foi importante para fazer com que o LaTeX entenda o que o autor deseja fazer, por exemplo, como diferenciar um texto matemático de uma citação de fala. Segundo os estudos, existem formas que permitem tornar o texto muito mais claro. O tamanho deve ter um limite ideal para facilitar a leitura assim com o da fonte, o espaçamento das linhas, letras e palavras também têm uma medida ideal.

Geralmente, quando o autor está trabalhando com a um processador visual, ele comete muitos erros por não conseguir conciliar uma boa estética com uma estrura lógica e bem

Capítulo 1. O que é o LATEX? compreensível. Utilizando o LaTeX, que é um processador lógico, o autor se preocupará mais com o conteúdo. Dessa forma, seu texto não terá apenas uma boa estética e estrutura coerente, mas também com um bom conteúdo. Além disso, com a troca de apenas um comando, algo pode ser mudado futuramente com facilidade, o que deixa o documento muito mais flexível.

Vamos ver o que acontece tecnicamente: O autor escreve seu documento usando os comandos do LaTeX. O LaTeX entende o que o autor quis dizer e transforma os comandos digitados em uma linguagem inteligível pelo TEX, ou seja, o texto escrito em linguagem LaTeX é processado por um compilador seguindo as regras dessa linguagem. Isto é, transforma um arquivo *.tex (que possui o código tex) em um arquivo *.dvi (device independent). Este último é o documento pronto para ser visualizado.

Claro que não se pode esquecer que seu computador deve ter a biblioteca do LaTeX para fazer isso. Alguns dos sistemas TEX, atuais, disponíveis no mercado são: fptex, pctex, miktex (Windows) e tetex (Linux, embora provavelmente já o tenha instalado).

Esse arquivos *.dvi podem ser lidos independentemente da versão do editor usado, logo pode ser lido em qualquer sistema, contanto que ele tenha um programa específico para lê-lo.

Outra vantagem do LaTeX é sua estabilidade, ou seja, a probabilidade de se encontrar um bug nele e mínima e justamente por ser free software seu sistema é aberto, o que permite que qualquer um corrija possíveis bugs ou que possa adaptá-lo às suas necesidades. A cada momento surgem novos pacotes com funções criadas por usuários espalhados por todo o mundo.

Universidade Federal Fluminense 4 PETTELE)))

Capítulo 2 Documento

2.1 Estrutura

A linguagem LaTeX funciona a base de comandos que são iniciados com \ que é um marcador ( tags, de Tag languages).

Os comandos são escritos nas formas \comando ou \begin{comando}...\end{comando}.

Quando vem escrito nesta última forma, ele é chamado de ambiente.

O texto de cada tipo de documento começa com \begin{document} e termina com \end{document}. Tudo o que vem antes disso é considerado o preâmbulo e tudo o que vem depois de \end{document} é ignorado. É no preâmbulo que são colocadas todas as imformações referentes às principais caracterís- ticas que terá seu documento. Começa com \documentstyle{estilo} no caso do LATEX2.09 e com \documentclass{estilo} no caso do LATEX2ε segunda edição. No lugar de estilo é colocado o nome de um dos estilos pré-definidos, como:

article Textos pequenos; report Relatórios; book Livros, apostilas; letters Cartas.

Obs: Os estilos não são apenas estes. Geralmente congressos, universidades e outros meios disponibilizam outros estilos de formatação para apresentação de trabalhos. Isso mostra uma das vantagens do LaTeX, que é a flexibilidade para se criar novas formatações que atendem a diferentes nescessidades. Podendo, também, ser selecionadas algumas opcões dentro do estilo escolhido, como:

• Tamanho: Padrão da letra: 11pt ou 12pt(pontos), o último é usado com mais frequência;

• twoside: Que imprime em ambos os lados da página;

• oneside: Imprime em um só lado da página;

• twocolumn: Produz o texto disposto em duas colunas na página;

Capítulo 2. Documento 2.1. Estrutura

• onecolumn: Produz o texto disposto em uma coluna; • landscape: Produz uma página na forma de paisagem;

• leqno: Isto faz com que a numeração das fórmulas sejam colocadas a esquerda em vez de a direita;

• fleqn: Faz com que a fórmula fique localizada na margem esquerda em vez de estar centralizada;

• openright: Faz com que os capítulos sejam iniciados apenas nas páginas ímpares;

• openany: Permite que os capítulos sejam iniciados nas páginas ímpar ou par.

• Tamanho da folha: Pode ser a4, letterpaper etc...

Obs: Existe o comando \twocolumn que inicia uma nova página produzindo duas colunas nela a partir do ponto onde foi colocado no meio do texto. Caso isto não tenha sido declarado no preâmbulo o comando \onecolumn faz o inverso. Para reverter à mesma maneira que está no preâmbulo use o comando oposto.

Essas opções são colocadas entre colchetes sem espaço entre as palavras e com vírgula. Ex:

\documentstyle[twocolumn,12pt,a4]{article} \usepackage{pacote}

Pode-se definir pacotes como um conjunto de arquivos que implementam uma determinada característica adicional para os documentos escritos em LaTeX.

Quando o usuário quiser montar um documento um pouco mais elaborado, perceberá que os comandos básicos que o LaTeX contém não são suficientes, sendo necessário, o uso de algo que aumente a sua capacidade.

Alguns pacotes já vem como distribuição básica do LaTeX, outros podem ser encontrados separadamente, veja a referência [4], pois a todo momento novos pacotes são criados por usuários em todo o mundo.

Estes pacotes são inseridos no preâmbulo usando o comando \usepackage[opcional]{pacote}

Ao longo de toda a apostila será apresentado pacotes com diferentes funções. Abaixo, segue a lista com uma breve descrição de alguns deles. O funcionamento de cada um será explicado posteriormente. Os principais são:

graphicx Para inserir gráficos. Veja seção 5.4;

Universidade Federal Fluminense 6 PETTELE)))

Capítulo 2. Documento 2.2. Texto color Para usar cor no seu texto. Veja secção 6.5; babel Para traduzir nomes que aparecem em inglês na estrutura do documento. Ex: chapter, section, tableofcontents, etc. Neste caso para que estas palavras sejam traduzidas para o português use o comando opcional [brazil].

fontenc Permite que o LaTeX compreenda a acentuação feita direto pelo teclado. É usado com o opcional [T1].

amsfonts Define alguns estilos de letras para o ambiente matemático; fancyhdr Para fazer cabeçalhos personalizados.Veja secção 6.1.

Obs: Nem todos os pacotes são compatíveis com qualquer versão do LaTeX. Os criadores sempre quando criam novos pacotes, tentam deixá-los compatíveis com qualquer versão do LaTeX, porém alguas vezes isso não é possível.

É muito simples saber se seu sistema possui determinados pacotes, ou instalá-los, basta consultar o manual dele. Caso o usuário esteja escrevendo algum documento e precise mudar constantemente de computador, mas não sabe se o sistema deste possui o pacote que seu documento precisa, é só copiar todos os arquivos do pacote e deixar no mesmo diretório em que seu documento está. Quando o LaTeX está compilando o documento, o arquivo do pacote será procurado no caminho padrão do sistema ou no prórpio diretório do seu documento.

Por exemplo, imagine que você esteja escrevendo um trabalho e que ele deva seguir um determinado modelo que o congresso exija. Provavelmente, seu sistema não terá instalado o pacote que faz isto. O que fazer então? É só pegar os arquivos deste pacote e deixar no mesmo diretório do arquivo do trabalho. Quando compilar, o LaTeX lerá os arquivos deste pacote e gerará o documento no formato desejado. E se for preciso mudar o sistema operacional, não haverá problema algum, basta andar sempre com estes arquivos (que são pequenos, poucos Kilobytes) junto com arquivos de seus documentos.

Cada pacote possui um manual com os comandos e suas funções. Alguns dos pacotes descritos nesta apostila foram explicados de acordo com o manual deles que estavam disponíveis no próprio sistema. Lembrando, basta um pouco de curiosidade para descobrir a quantidade de recursos oferecidos pelo LaTeX. Basta ler o manual do sistema e descobrir como trabalhar com pacotes. Há uma infinidade deles com as mais diferentes funções.

2.2.1 Acentuação

Quando o pacote fontenc não tiver sido declarado, a acentuação no LaTeX é feita com comandos da seguinte maneira:

Universidade Federal Fluminense 7 PETTELE)))

Capítulo 2. Documento 2.2. Texto

Outros tipos de acentos estão no apêndice C.

2.2.2 Sentenças e Parágrafos

Estamos acostumados a visualizar o espaçamento entre palavras de acordo com o número de vezes em que apertamos a tecla de espaçamento. Já no LaTeX, isso não importa dado que sempre será contado apenas um independentemente da quantidade de espaços inseridos.

O primeiro parágrafo será iniciado sem indentação, como pode ser observado logo acima.

O comando \indent adiciona uma largura igual ao tamanho da indentação do paragrafo normal e o comando \noindent retira a indentação do local onde ela deveria aparecer. Estes comando funciona somente para alguns estilos.

Para ser fazer o próximo parágrafo basta pular uma linha ou utilizar o comando \par no lugar em que será iniciado o novo parágrafo.

Para passar para a linha abaixo da qual se está digitando coloque \\ e a linha será quebrada neste ponto. Ex:

observe que esta linha está\\ quebrada após o\\ uso das duas barras.

observe que esta linha está quebrada após o uso das duas barras.

Usando o comando \linebreak a linha é quebrada e a parte anterior ao comando fica justificada.

Ex: Esta linha está \linebreak justificada.

Esta linha está justificada.

Quando é usado o comando \newpage o texto passa para a próxima página. O comando \pagebreak[num] força a quebra da página, onde o argumento opcional [num] é um valor inteiro de 1 a 4 que definem a prioridade do funcionamento do comando, onde 4 é o maior valor. O comando \nopagebreak[num] faz o inverso de pagebreak, ou seja, impede a página de ser quebrada no local onde o comando foi colocado.

Obs: Os comandos \\* e \\[medida] tem a mesma função do comando \\. A diferença está no fato de que \\* impede que o texto mude de página na quebra daquela linha e que \\[medida] quebra a linha,porém acrescentando o espaço que está determinado entre colchetes. Veja as unidades de medida na secção 6.3

2.2.3 Alinhamento

Usando o ambiente center o texto poderá ser centralizado.

Com o ambiente flushleft o texto é alinhado a esquerda. E com o ambiente flushright o texto é alinhado a direita.

Universidade Federal Fluminense 8 PETTELE)))

Capítulo 2. Documento 2.2. Texto

\begin{center} texto \end{center} texto

\begin{flushleft} texto \end{flushleft} texto

\begin{flushright} texto \end{flushright} texto

Obs: As linhas são apenas para facilitar a visualisação.

2.2.4 Símbolos especiais

Para que alguns desses apareçam no texto, ponha \ na frente. Veja a tabela de símbolos no apêndice.

Podem ser feitos três diferentes tamanhos de traços se digitados uma, duas ou três vezes ( - ) Ex:

2.2.6 Estilos de letras e Tamanhos As palavas podem ser colocadas em:

\textbf{negrito} negrito \textsf{sans serif} sans serif

\textsl{slanted} slanted

(Parte 1 de 5)

Comentários