Medição de Vazão - SENAI - MG

Medição de Vazão - SENAI - MG

(Parte 3 de 8)

Medição de Vazão

∆P = 64 %

PFT = (∆P % /100 x 12)+3 ====> PFT = 0,64 x 12 +3

PFT = 10,68 PSI O sinal de saída de um transmissor de vazão por pressão diferencial variável, varia linearmente em função do ∆P é quadraticamente em função da vazão, portanto quando é acoplado um indicador para fazer a leitura de vazão vinda do transmissor, sua escala deve ser quadrática para termos leitura direta. Para linearizar o sinal de saída do transmissor em função de vazão, faz-se necessário o uso de um EXTRATOR DE RAIZ QUADRADA, conforme mostrado no fluxograma abaixo.

A pressão de entrada no extrator (EFY), é linearmente proporcional ao ∆P e a pressão de saída do extrator (SFY), é linearmente proporcional à vazão Q, então:

SFY =√ EFY - 312 + 3 (PSI)

Daí: 12

Medição de Vazão

Supondo que na entrada do extrator a pressão seja 10,68 PSI,qual a pressão em sua saída?

EFY = 10,68PSI

12

SFY=√10,68-3 .12+3 = 0,8.12+3 = 12,6 SFY = 12,6 PSI

Dos muitos dispositivos inseridos numa tubulação para se criar uma pressão diferencial, o mais simples e mais comum empregado é o da placa de orifício.

Consiste em uma placa precisamente perfurada, a qual é instalada perpendicularmente ao eixo da tubulação.

É essencial que as bordas do orifício estejam sempre perfeitas, porque, se ficarem, imprecisas ou corroídas pelo fluído, a precisão da medição será comprometida. Costumeiramente são fabricadas com aço inox, monel, latão, etc., dependendo do fluído

Medição de Vazão

.VANTAGENSDESVANTAGENS
-Instalação fácil-Alta perda de carga
-Econômica-Baixa Rangeabilidade

17 -Construção simples

-Manut. e troca simples

Tipos de Orifícios

A. Orifício concêntrico

Este tipo de placa é utilizado para líquidos, gases e vapor que não contenham sólidos em suspensão.

B. Orifíco excêntrico

Utilizada quando tivermos fluído com sólidos em suspensão, os quais possam ser retidos e acumulados na base da placa, sendo o orifício posicionado na parte de baixo do tubo.

C. Orifício segmental

Esta placa tem a abertura para passagem de fluido, disposta em forma de segmento de círculo. É destinada para uso em fluídos laminados e com alta porcentagem de sólidos em suspensão.

Tipos de Bordo A. Bordo Quadrado (Aresta viva): Usado em tubulações normalmente maiores que 6".

Não usada em fluxo com baixos N° de RD.

B. Bordo Arredondado (Quadrante edge ou quarto de círculo):

Usado em fluídos altamente viscosos, onde o N° de RD inferior está em torno de 250.

Medição de Vazão

Bordo quadrado Bordo arredondado

C. Bordo com entrada cônica:

Usado em aplicações, onde o N° de RD inferior é 25 e em condições severas de viscosidade

Medição de Vazão

Tipos de tomada de impulso

Denominação na literatura inglesa

Denominação sugerida em português

Distân-cia da tomada à face montante K1

Distân-cia da tomada à face jusante K2

Flange taps

Tomadas em flanges 1” 1”

Radius taps

Tomadas à D e 1/2D1D1/2D

Vena contracta taps

Tomadas de vena contracta

1/2 à 2DDepende de β

Corner taps

Tomadas de canto Junto Junto

Pipe taps Tomadas à 2 ½ D e8D 2 ½ D8D

Medição de Vazão

A. Tomadas em flange: São as mais populares, onde os furos das tomadas já são feitos no próprio flange.

B. Tomadas na vena contracta: Utiliza flanges comuns, sendo o centro da tomada de alta pressão entre 1/2 e 2D (em geral 1D) e o centro da tomada de baixa estará no ponto de pressão mínima conforme figura abaixo, dependendo do β.

C. Tomadas D e D/2: Usada em tubulações de 2" a 30" com Reynolds entre

(Parte 3 de 8)

Comentários