(Parte 1 de 3)

Prof. João Catarino

Corrente Alternada Corrente Alternada

MarMarçço 2006 o 2006

Existe proporcionalidade entre o peso do indivíduo e a intensidade necessária para a fibrilação, varia entre 70 a 100 mA.

Varia com as condições psicológicas do sujeito, trajecto da corrente no corpo, resistência do organismo, tensão, tipo de contacto, tempo de passagem da corrente etc.

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

Correntes da ordem dos 20 a 30 mA, a contracção muscular pode levar àparalisação dos músculos respiratórios, originando uma paragem cardíaca.

Certos indivíduos sentem-se «colados»ao condutor com intensidades inferiores a 10 mA, outros libertam-se com intensidades superiores. Depende do sexo, idade, saúde, nível de atenção etc.

O nível de percepção émuito variável de indivíduo para indivíduo. Alguns sentem claramente correntes inferiores a 1 mA, outros só sentem intensidades mais elevadas, da ordem dos 2 mA.

Téo períododa corrente (tempo entre dois pontos iguais da função) e fa frequência [Hz], númerode voltasporsegundoda espira. Éo númerode períodos/segundo

O tipo de corrente alternada prático, utilizado nas redes de distribuição de energia eléctrica, éa corrente alternada sinusoidal .

Representada pela equação:

Chama-se corrente alternada a um transporte de cargas que se faz tanto num sentido como no sentido oposto, e cuja intensidade varia periodicamente.

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA tsenIi máx ⋅= ω

I máx iéo valor da intensidade de corrente no instante t ou valor instantâneo da corrente, Imáx a amplitude da intensidade ou intensidade máxima , e ωa pulsaçãoda corrente, sendo

[rad/s]

Em vez de uma espira os alternadores das centrais tem N espiras, cada uma com uma área S, e o campo écriado por um electroíman. Valendo a f.e.m. induzida:

A f.e.m. écaptada pelos anéis e escovas ae a’ Éinduzida uma f.e.m. e que varia conforme o fluxo Øcortadopelaespira.

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

Uma espira girando a uma velocidade constante num campo magnético uniforme, aproveitando o fenómeno da indução electromagnética.

Éum alternador elementar, em que o íman NS representa o indutor e a espira o induzido.

Fazendo será então:

ωNSBEmáx = tsenEe máx ⋅= ω e tsenUu máx ⋅= ω

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

6 Este vector vai tomando sucessivamente as posições 1; 2; 3; 4; 5; 6….12…nos instantes t correspondentes.

Considere-se o vector Imáx girando com uma velocidade angular ωno sentido da seta.

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

INTERPRETAINTERPRETAÇÇÃO GEOMÃO GEOMÉÉTRICA DA FUNTRICA DA FUNÇÇÃOÃOsensenωωt t

I m á x

A projecção no sistema de eixos, das sucessivas posições que o vector Imáx toma ao longo do circulo, dáorigem a uma sinu s sinu sóóide ide.

Os valores eficazes da tensão ou da corrente alternada sinusoidal, são os valores que, em função de V me Im , são iguais aos de uma corrente contínua que produz o mesmo trabalho ou eficácia.

Demonstra-se que:

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

Tensões alternadas não sinusoidais

O valor eficaz de uma função éo seu valor médio quadrático pelo que a literatura de língua inglesa o designa de rms, abreviatura de rootmeansquare.

V m ef =

I m ef =

Não existe desfasamento entre a tensão e a corrente (máximos e mínimos no mesmo instante.

O ângulo de desfasagemézero (φ=0º).

A intensidade e a tensão estão em FASE. A intensidade e a tensão estão em FASE.

Curvas V e I num osciloscópio

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

Circuito Circuito Resistivo Resistivo

Quando uma tensão alternada éaplicada a uma resistência R, a corrente I que a percorre éa mesma que em corrente continua.

V A relaçãoconserva o mesmo valor.

Tensão aplicada e corrente numa carga resistiva

A oposição oferecida àtensão alternada émaior. A bobina estásubmetida àprópria variação do fluxo, sendo sede de uma f.em. de auto-indução, que se opõe às variações de corrente (lei de Lenz)

Prof. João Catarino ELECTROTECNIA CA

Circuito Indutivo Circuito Indutivo

Aplicando sucessivamente a mesma tensão alternada e continua àmesma bobina L verifica-se: A corrente Iabsorvida em corrente alternada éMENOR:

(Parte 1 de 3)

Comentários