apostila de irrigação completa

apostila de irrigação completa

(Parte 6 de 8)

=(I.2)

em que:

ETpc = evapotranspiração média da cultura [m d-1]; Va = volume de água aplicado [L]; Vp = volume de água percolado [L]; A = área do tanque [m2]; T = intervalo entre medições [dia]; e P = precipitação ocorrida no período considerado [m].

Para culturas de pequeno porte, é comum a utilização de tanque de cimento amianto ou de plástico com volume de 1 m3 , o mesmo que é utilizado como caixa d’água em residências. Exemplo de aplicação I.1

Com o objetivo de determinar a evapotranspiração para uma cultura de milho por meio de um lisímetro de percolação, foram levantados os seguintes dados:

- volume de água aplicado (Va): 0,10 m3; - volume de água percolado (Vp): 0,05 m3;

- área do lisímetro (A): 1,2 m2;

- intervalo entre medições (T): 7 dias; e

- precipitação no período considerado: não houve.

a) Volume de água retido (Vr):

Vr = Va - Vp

IRRIGAÇÃO CAP.I - 1 b) Lâmina equivalente ao volume retido (LVr):

equivale a 1 m, tem-se que:LVr = 41,67 m

Sabendo-se que 1 L m-2 c) Evapotranspiração média do período considerado (ETpc)

LETpc =

2.5.1.2 – Parcelas experimentais no campo

Pela dependência de vários fatores, este método só deve ser utilizado para a determinação da evapotranspiração total, durante todo o ciclo da cultura, e nunca a ETpc diária ou semanal, pois, nestes casos, os erros seriam grandes. A água necessária, durante todo o ciclo da cultura, é calculada pela soma da quantidade de água aplicada nas irrigações, precipitações efetivas, mais a quantidade de água armazenada no solo antes do plantio, menos a quantidade de água que ficou retida no solo após a colheita.

2.5.2 – Métodos indiretos

A estimativa da evapotranspiração por meio de equações matemáticas constitui-se no processo mais comum e mais usual para obter a perda de água que se observa em uma área vegetada.

Viu-se, anteriormente, que os métodos diretos (lisímetros), quando bem conduzidos, permitem a determinação da evapotranspiração de uma área vegetada com bastante confiabilidade, mas necessitam de uma infra-estrutura muito específica e até certo ponto muito complexa para o fim a que se propõem, além de demandarem um tempo relativamente grande para que as medições realizadas possam ser tomadas como referência para o planejamento e manejo de uma área. Via de regra, os lisímetros são equipamentos que ficam muito restritos a centros de pesquisas e tem a sua importância fundamental na calibração dos métodos indiretos para se estimar a evapotranspiração.

IRRIGAÇÃO CAP.I - 12

Dificilmente um equipamento deste tipo é instalado em áreas agrícolas para o seu manejo. Em virtude deste fato, a adoção dos métodos indiretos faz-se necessária pela sua maior facilidade de operação, podendo oferecer bons resultados quando utilizados criteriosamente.

Dos métodos indiretos disponíveis para a estimativa da evapotranspiração, vamos destacar os seguintes: tanque evaporimétrico “Classe A”, método de Thornthwaite, método de Blaney-Criddle modificado, método da radiação, método de Hargreaves-Samani e método de Penman-Monteith-FAO.

2.5.2.1 – Tanque evaporimétrico “Classe A”

Para a estimativa da evapotranspiração de uma certa cultura, o modelo de tanque evaporimétrico mais utilizado em todo o mundo e adotado pela FAO (Food and Agricultural Organization) é o “Classe A” (Figura I.2). Essa estimativa é feita por meio de dois passos: o primeiro é a estimativa da evapotranspiração de referência utilizando a Equação I.3, e o segundo, é a estimativa da evapotranspiração da cultura de interesse, por meio da Equação I.1.

KtxEvETo= (I.3)

em que:

ETo = evapotranspiração da cultura de referência [m d-1]; Ev = evaporação medida no tanque “Classe A” [m d-1]; e Kt = coeficiente do tanque [adimensional].

Para se determinar a evaporação ocorrida no tanque, utiliza-se um micrômetro de gancho (Figura I.3), e as leituras são feitas em um poço tranqüilizador instalado em seu interior, que tem por finalidade evitar perturbações na superfície líquida, principalmente pequenas ondas formadas por ventos e, dessa forma, possibilitar a estabilidade do nível da água quando da realização das leituras. Cuidado especial deve ser tomado com a localização do poço tranqüilizador dentro do tanque. Para isso, é comum marcar com tinta no fundo do tanque a posição que deve ser mantido o poço tranqüilizador, o qual deve ser nivelado para evitar erros de leituras.

IRRIGAÇÃO CAP.I - 13

Figura I.2 – Tanque evaporimétrico “Classe A”.

Figura I.3 – Detalhes do micrômetro de gancho e poço tranqüilizador.

A seleção do coeficiente do tanque depende basicamente das características climáticas da região e do meio no qual está instalado.

O Kt é dependente das condições de umidade relativa (UR, em %), velocidade do vento (U, em km d-1) e do comprimento da bordadura (L, em m), nas quais o tanque está instalado. Para determiná-lo, podemos utilizar a Tabela I.3, segundo Doorenbos e Pruitt (1977), ou por meio da equação proposta por Snyder (Equação I.4).

UR0045,0U000376,0)L(LN024,0482,0Kt×+×−×+=(I.4)

Pereira et al. (1995), utilizando o método de Penman-Monteith, aplicando a um gramado e ao Tanque Classe A, propuseram um modelo alternativo para Kt, representado pela Equação I.5.

IRRIGAÇÃO CAP.I - 14 rc 1

Kt Ktmax(I.5)

em que:

Ktmax = valor máximo de Kt, igual a 0,85; rc = resistência do dossel (gramado), igual a 69 sm-1; ra = resistência aerodinâmica ao transporte de vapor d’água, (Equação I.6); δ = declividade da curva de pressão de vapor, em kPa.oC-1 (Equação I.7); γ = constante psicrométrica (0,0622 kPa oC-1).

ra=(I.6)
×=δ(I.7)

+ em que ea é a pressão de vapor de saturação, determinada pela Equação I.8.

ae 6108,0e(I.8)

Esse método de estimativa de ETo é bastante utilizado no manejo da irrigação, sendo recomendado pela FAO (Doorenbos & Pruitt, 1977), pois é de fácil determinação e de relativo baixo custo. Sua utilização, no entanto, apresenta algumas limitações, entre elas: a) para a obtenção dos valores de Kt são necessários dados de velocidade do vento na altura do tanque; b) a leitura do nível da água é dificultada quando a aquisição dos dados não é automatizada; c) o tanque deve estar protegido quanto ao acesso de animais na área; d) o local de instalação em área irrigadas é problemático (dentro ou fora?); e) normalmente o método apresenta superestimativas de ETo em comparação a outros métodos e medidas.

Para a operação adequada do tanque é necessário que o nível de água em seu interior oscile entre 5 e 7,5 cm da borda. Quando o nível da água estiver próximo de 7,5 cm da borda, o tanque deverá ser reabastecido após a leitura, elevando o nível aos 5 cm.

IRRIGAÇÃO CAP.I - 15

Tabela I.3 - Valores dos coeficientes do tanque “Classe A” (Kt)

Exposição A

Tanque circundado por grama

Exposição B Tanque circundado por solo nu

UR média(%) UR média(%)

Vel. do vento (U) (m s-1)

Posição do tanque

R (m) Baixa

Alta

Baixa

Alta

(Parte 6 de 8)

Comentários