(Parte 4 de 8)

LíderLíder Líder

Brigadista Brigadista Brigadista BrigadistaBrigadista Brigadista

8NBR 14276:1999

Exemplo 3: Empresa com duas edificações, a primeira com três pavimentos e dois brigadistas por pavimento, e a segunda com um pavimento e quatro brigadistas por pavimento.

4.2.4 Programa do curso de formação de brigada de incêndio

Os candidatos a brigadista, selecionados conforme 4.2.2, devem freqüentar curso com carga horária mínima de 16 h, sendo a parte prática de no mínimo 8 h conforme anexo A. Exceção para classe residencial I-2 e estacionamentos X-I, a carga horária total deve ser de 4 h, enfocando apenas a parte de prevenção e combate a incêndio. Para subclasse I-1, não há treinamento.

NOTA - O curso deve enfocar principalmente os riscos inerentes à classe de ocupação.

4.2.4.1 A periodicidade do treinamento deve ser de no máximo 12 meses ou quando houver alteração de 50% dos membros da brigada.

4.2.4.2 Aos componentes da brigada que já tiverem freqüentado o curso anterior será facultada a parte teórica, desde que o brigadista seja aprovado em pré-avaliação com 70% de aproveitamento.

4.2.4.3 Aqueles que concluírem o curso com aproveitamento mínimo de 70% na avaliação teórica e prática receberão certificado de brigadista, expedido por profissional habilitado, com validade de um ano.

No certificado do brigadista devem constar os seguintes dados:

a)nome completo do treinando com Registro Geral (RG); b)carga horária; c)período de treinamento; d)nome, habilitação e registro do instrutor; e)citar que o certificado está em conformidade com esta Norma.

4.2.4.4 A avaliação teórica é realizada na forma escrita, preferencialmente dissertativa, conforme parte A do anexo A, e a avaliação prática é realizada de acordo com o desempenho do aluno nos exercícios realizados, conforme parte B do anexo A.

4.2.5 Atribuições da brigada de incêndio As atribuições da brigada de incêndio são as seguintes: a) ações de prevenção: - avaliação dos riscos existentes;

- inspeção geral dos equipamentos de combate a incêndio;

- inspeção geral das rotas de fuga;

- elaboração de relatório das irregularidades encontradas;

- encaminhamento do relatório aos setores competentes;

- orientação à população fixa e flutuante;

- exercícios simulados; b) ações de emergência: - identificação da situação;

- alarme/abandono de área;

Coordenador geral

Chefe dabrigadaChefe da brigada

Brigadista Brigadista

LíderLíder LíderLíder Brigadista BrigadistaBrigadista Brigadista

NBR 14276:19999

- corte de energia;

- acionamento do Corpo de Bombeiros e/ou ajuda externa;

- primeiros socorros;

- combate ao princípio de incêndio;

- recepção e orientação ao Corpo de Bombeiros;

- preenchimento do formulário de registro de trabalho dos bombeiros;

- encaminhamento do formulário ao Corpo de Bombeiros para atualização de dados estatísticos.

4.3 Procedimentos básicos de emergência

Para dar início aos procedimentos básicos de emergência, devem ser utilizados os recursos disponíveis, descritos em 4.3.1 a 4.3.9.

4.3.1 Alerta

Identificada uma situação de emergência, qualquer pessoa pode alertar, através dos meios de comunicação disponíveis, os ocupantes, os brigadistas e apoio externo, inclusive o Corpo de Bombeiros.

4.3.2 Análise da situação

Após o alerta, a brigada deve analisar a situação, desde o início até o final do sinistro, e desencadear os procedimentos necessários, que podem ser priorizados ou realizados simultaneamente, de acordo com o número de brigadistas e os recursos disponíveis no local.

4.3.3 Primeiros socorros

Prestar primeiros socorros às possíveis vítimas, mantendo ou restabelecendo suas funções vitais com SBV (suporte básico da vida) e RCP (reanimação cardiopulmonar) até que se obtenha o socorro especializado.

4.3.4 Corte de energia

Cortar, quando possível ou necessário, a energia elétrica dos equipamentos, da área ou geral.

4.3.5 Abandono de área

Proceder ao abandono da área parcial ou total, quando necessário, conforme comunicação preestabelecida, removendo para local seguro, a uma distância mínima de 100 m do local do sinistro, permanecendo até a definição final.

4.3.6 Confinamento do sinistro Evitar a propagação do sinistro e suas conseqüências. 4.3.7 Isolamento da área

Isolar fisicamente a área sinistrada, de modo a garantir os trabalhos de emergência e evitar que pessoas não autorizadas adentrem ao local.

4.3.8 Extinção Eliminar o sinistro, restabelecendo a normalidade. 4.3.9 Investigação

Levantar as possíveis causas do sinistro e suas conseqüências e emitir relatório para discussão nas reuniões extraordinárias, com o objetivo de propor medidas corretivas para evitar a repetição da ocorrência.

1 Com a chegada do órgão oficial competente, a brigada deve ficar à sua disposição.

(Parte 4 de 8)

Comentários