Nor - tde - 101

Nor - tde - 101

(Parte 1 de 8)

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO NOR-TDE-101 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA 13,8 KV

NORMATIZAÇÃO MAN-TDE-100
FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DENOR-TDE-101
DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA - 13,8 KV
REVISÃO2/10/2001
01 FINALI DADE01
02 CONCEITOS BÁSICOS01
03 ROTEIRO DE CONSULTA A NORMA02
04 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO03
05 ENTRADA DE SERVIÇO07
06 ESCOLHA DA SUBESTAÇÃO APROPRIADA12
07 MEDIÇÃ O16
08 PROTEÇ ÃO18
09 ATERRAME NTO21
10 EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS23
1 DETERMINAÇÃO DO TIPO DE ENTRADA DE SERVIÇO26
12 CÁLCULO DE DEMANDA PROVÁVEL27
13 PROJ ETO ELÉTRICO29
14 PEDIDO DE LIGAÇÃO31
15 SEGURA NÇA3

ITEM ASSUNTO PÁGINA 16 CASOS OMISSOS..................................................................................35

NORMATIZAÇÃO MAN-TDE-100
FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DENOR-TDE-101
DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA - 13,8 KV
REVISÃO2/10/2001 PAG. 1

1.0 FINALIDADE

Esta norma tem por finalidade estabelecer os critérios, condições gerais, e limites de fornecimento de energia elétrica em tensão de distribuição primária –13,8 KV, na área de concessão da ENERSUL, para as instalações consumidoras novas, bem como em reformas e ampliações das unidades já existentes.

2.0 CONCEITOS BÁSICOS

2.1 CONSUMIDOR

É a pessoa física ou jurídica ou comunhão de fato ou de direito legalmente representada, que ajustar com a ENERSUL o fornecimento de energia elétrica e ficar responsável por todas as obrigações regulares e/ou contratuais.

2.2 UNIDADE CONSUMIDORA

Corresponde ao conjunto de cargas e respectivos sistemas elétricos associados, de um único consumidor, para o qual é efetuada a medição individualizada de energia, em um único ponto.

2.3 PONTO DE ENTREGA

É o ponto até o qual a ENERSUL se obriga a fornecer energia elétrica, com participação nos investimentos necessários, bem como responsabilizando-se pela execução dos serviços de operação e pela manutenção, não sendo necessariamente o ponto de medição.

2.4 ENTRADA DE SERVIÇO

Conjunto de equipamentos, condutores e acessórios instalados entre o ponto de derivação da rede de distribuição da ENERSUL e a proteção, medição ou transformação, inclusive.

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃOREV. 2/10/2001
FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA - 13,8 KV PAG.2

2.5 RAMAL DE LIGAÇÃO

Conjunto de condutores, equipamentos e respectivos acessórios de conexão que liga a rede de distribuição da ENERSUL ao ponto de entrega.

2.6 RAMAL DE ENTRADA

Conjunto de condutores, equipamentos e acessórios que interligam o ponto de entrega ao ponto de proteção, medição ou transformação, inclusive

2.7 SUBESTAÇÃO

Instalação elétrica da unidade consumidora destinada a receber o fornecimento de energia em tensão de distribuição primária, com uma ou mais das funções de manobra, proteção, transformação ou medição.

2.8 POSTO DE TRANSFORMAÇÃO Subestação montada em postes ou cabines.

2.9 CARGA INSTALADA Soma das potências nominais dos equipamentos de uma unidade consumidora.

3.0 ROTEIRO DE CONSULTA A NORMA

Com a finalidade de orientar a consulta a esta Norma, apresentamos o seguinte roteiro:

a) Conhecer as “Condições Gerais de Fornecimento” (item 4); b) Verificar a subestação apropriada (item 6); c) Verificar a necessidade de projeto elétrico (item 13); d) Verificar as informações atinentes ao Pedido de Ligação (item 14);

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃOREV. 2/10/2001
FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA - 13,8 KV PAG.3

4.1 CAMPO DE APLICAÇÃO

A presente Norma é aplicável ao fornecimento de energia elétrica às unidades consumidoras individuais, a serem atendidas na tensão de distribuição primária de 13,8 KV por rede aérea a 3 (três) condutores, na freqüência nominal de 60 Hz.

4.2 LIMITES DE FORNECIMENTO

A ENERSUL efetuará o fornecimento de energia, na tensão de distribuição primária de 13,8 KV, nos locais onde essa tensão seja disponível, às unidades consumidoras, cujas instalações se enquadrem em pelo menos uma das situações a seguir:

a) Possua carga instalada superior a 75 KW, e a demanda contratada ou estimada pela ENERSUL para o fornecimento seja igual ou inferior a 2.500 KW; b) Possua um ou mais dos seguintes aparelhos:

- Motor monofásico da classe de 120 V, superior a 2 CV; - Motor monofásico da classe de 220 V, superior a 6 CV;

- Motor trifásico da classe de 220 V, superior a 20 CV;

- Aparelho de raio X com potência superior a 20 kVA; - Máquina de solda com transformador, 220 V, 2 fases superior a l5 kVA

- Máquina de solda com transformador, 220 V, 3 fases superior a 20 kVA; - Máquina de solda, grupo motor-gerador, superior a 20 CV.

c) Possua tensão de distribuição secundária diferente de 220/127V.

Nota: A ENERSUL poderá, a seu critério, fornecer energia na tensão de 13,8

KV fora dos limites acima, quando as condições técnicas e econômicas do seu sistema o permitirem.

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃOREV. 2/10/2001
FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA - 13,8 KV PAG.4

4.3 REVENDA OU FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA A TERCEIROS

É vedado ao consumidor, assenhorar-se dos direitos da ENERSUL, estendendo redes que se interliguem com redes de outrem, para fornecimento de energia elétrica, ainda que graciosamente.

4.4 FATOR DE POTÊNCIA

Todos os consumidores deverão manter o fator de potência indutivo médio de suas instalações, o mais próximo possível da unidade. Caso a ENERSUL verifique, através de medição apropriada em caráter transitório ou permanente, de acordo com os critérios fixados na Resolução 456 da ANEEL, fator de potência inferior à 0,92 %, será efetuado o ajuste de faturamento previsto na legislação vigente.

A montagem de dispositivo para correção de fator de potência, no lado de tensão primária, de instalações ligadas à rede de distribuição, deverá ser previamente analisada pela ENERSUL.

A instalação dos equipamentos para correção do fator de potência deverá ser efetuada preferencialmente de forma distribuída junto as cargas do cliente, de modo a serem energizados simultaneamente com estas.

4.5 AUMENTO DE CARGA

Todo e qualquer aumento de carga pretendido, além do limite correspondente ao seu tipo de fornecimento, deverá ser previamente solicitado pelo interessado e autorizado pela ENERSUL, cabendo ainda a verificação quanto a necessidade da apresentação de projeto elétrico em caso de alteração ou ampliação da configuração existente.

4.6 PREPARAÇÃO DA ENTRADA DE SERVIÇO

A ENERSUL propiciará, através de seus órgão técnicos, toda a orientação necessária à perfeita execução da entrada de serviço, cabendo ao consumidor prepará-la, observando os requisitos mínimos aqui fixados, ficando ao encargo desta concessionária a instalação e ligação dos equipamentos de medição. Para os casos em que deverá ser apresentado o projeto elétrico, visando a análise da ENERSUL, caso o cliente execute obras, antes do parecer da mesma, este estará sujeito a efetuar as alterações que se fizerem necessárias, de forma que a mesma fique de acordo com o projeto analisado. Nos casos que não se faz necessária a apresentação do projeto, porém exista algum particularidade especifica que difere do exposto na presente norma, a ENERSUL deverá ser consultada.

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃOREV. 2/10/2001
FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA - 13,8 KV PAG.5

4.7 ACESSO À MEDIÇÃO

Os equipamentos de medição instalados na unidade consumidora e seu acesso privativo, são de propriedade da ENERSUL, cabendo ao consumidor zelar pela sua integridade e privacidade. Os lacres dos medidores e caixas onde forem instalados os equipamentos de medição e proteção, somente podem ser rompidos pela ENERSUL ou por empresa contratada por esta, sempre com apresentação das credenciais dos funcionários, sob pena de cobranças conforme artigo 36 da Resolução 456 de 29 de Novembro de 2000 da ANEEL.

4.8 CARACTERÍSTICA INDESEJÁVEIS

Os equipamentos elétricos das unidades consumidoras, não deverão provocar fenômenos elétricos indesejáveis ex: queda de tensão, flutuação de tensão na rede, interferência, baixo fator de potência, etc, acima dos níveis de tolerância aceitáveis ao bom desempenho de outras unidades consumidoras do sistema elétrico, especificados por normas da ABNT ou da ENERSUL. Na eventualidade da ocorrência de disturbios acima dos niveis aceitáveis, as correções e eventuais danos/ressarcimentos serão de responsabilidade do consumidor proprietário da carga causadora das perturbações, conforme resolução 456 da ANEEL de 29/1/2000.

(Parte 1 de 8)

Comentários