guia 4

guia 4

(Parte 5 de 5)

Usar Prologue.ps and Epilogue.ps: Usa arquivos PostScript que, de acordo com as informações contidas, podem modificar o PDF.

Permitir que o arquivo PostScript se sobreponha às Opções de Tarefas: Determina que o config de Opções de Tarefas (Job Options) em questão será o padrão do Programa.

Preservar a semântica de página de cópia de nível 2: Preserva a compatibilidade com código PostScript nivel 2.

Processar Comentários DSC: Define a criação de um log sobre problemas com o arquivo durante o processo.

Redimensionar a página e centralizar a arte final para arquivos EPS: Determina que a página fique do tamanho da imagem. Válido somente para arquivos em EPS.

Preservar informações de EPS no DSC: Mantém informações de geração do arquivo EPS.

Preservar comentários OPI: Esta opção é válida para trabalhos que foram construídos com imagens no sistema OPI (Interface aberta de Pré-Impressão), portanto deve estar selecionada para que seja feita a substituição das imagens pelas suas equivalentes de alta resolução no ato da impressão.

Preservar informações do documento do DSC: Preserve as informações do documento PostScript, como data de criação, data de alteração, auto, título etc.

Tamanho da página padrão: Serve para determinar o tamanho da página em que vai ser gerado o PDF, caso o arquivo PostScript não contenha esta informação.

Uma vez feita as configurações de acordo com as suas necassidades,você pode salvá-las, utilizando o botão “Salvar Como (Save As)”.

Estando salvo, você poderá abri-lo já na tela inicial do Distiller:

Agora que temos do Job Options definido de acordo com as necessidades do trabalho, basta clicarmos em “Arquivo (File)” em seguida em “Abrir (Open)”. Selecione o arquivo .ps, .prn ou .eps. Após selecionado, é necessário definir o local onde o arquivo PDF deve ser salvo. Pronto, o PDF será gerado no local indicado.

Caso preferir, você pode simplesmente arrastar e soltar o arquivo sobre a janela do Distiller. Automaticamente o arquivo PDF será gerado no mesmo diretório em que encontra o arquivo PostScript.

Dicas

- Para intalar um PPD no Mac basta copiar o PPD para a pasta System Folder/ Extensions/Printer Descriptions.

- Ao “destilar” arquivos, procure não fazê-lo através da rede, pois além de ser mais demorado você aumenta o tráfego na rede. Procure gerar o arquivo PostScript na própria máquina e com ele local, gerar o PDF. Somente depois de “destilado’, copie novamente para a rede.

- Muitas vezes o distiler trava na abertura ou começa a gerar muito s erros durante a sua operação. Não é necessário reinstalar o programa, basta apagar todos os arquivos da pasta: C:\Arquivos e Programas\Adobe\Acrobat 4.0\Distiller\tmp Nesta pasta ficam os arquivos temporários do Distiller. Muitas vezes, quando se gera PDF de arquivos muito grandes, esta pasta fica cheia de arquivos temporários (cerca de 7.0). Geralmente ocorre quando o arquivo é destilado através da rede e precisa ficar durante muito tempo neste processo.

- No Corel Draw sempre desabilite a opção de cores (Color Profiles), assegurando que as cores do seu documento não sofrerão alterações durante a impressão.

- Sempre verifique se todas as imagens estão no modelo CMYK de cores e na resolução correta. Cores em RGB não tem compatibilidade com o código PostScript e por isso nem sempre são impressas corretamente. Converta antes de envar para a máquina.

- Para calcular o valor de amostragem de LPI em DPI use sempre o dobro em DPI’s ou seja para 150LPI’s utilize 300DPI’s.

- O QuarkXpress trabalha sempre com arquivos vinculados, portanto sempre verifique os links de todos os objetos e imagens antes de gerar o arquivo PostScript.

Considerações Finais

Para quem trabalha com mídia impressa, fica impossível negar a agilidade e facilidade que o formato PDF trouxe para nosso dia-a-dia.

Na impressão digital, possibilitou-se que arquivos sejam impressos sem a preocupação de erros. O cliente tem certeza de que o que esta no seu monitor é o que será impresso. Com exceção apenas das cores, que depende da calibração monitor/impressora.

Na área de impressão offset, o PDF veio para acabar com a intranquilidade que se tem com a criação de arquivos PostScript. Primeiro porque não se pode visualizar um arquivo desse tipo, sendo impossível saber se fechamos um arquivo de maneira correta e ficando na expectativa de ver o fotolito em nossa mão, sem nenhum erro. Segundo, porque esses arquivos PostScript ficam enormes, impossibilitando seu transporte via internet.

Mas é preciso conhecer o PDF para que se tenha um bom aproveitamento de seus recursos.

Durante a elaboração desse Manual, a Adobe Lançou o Adobe Acrobat 5.0.

Estamos analisando seus novos recursos para que na próxima edição você possa usufruir desta última versão junto com a gente.

Além disso, também estará nesta próxima edição um guia completo sobre PDF x Fotolito.

Aguardem e bom trabalho a todos nós.

Suporte Técnico InPrima

Rua Augusta, 1449 Fone 251-4399 01305-100 São Paulo SP paulista@inprima.com.br

(Parte 5 de 5)

Comentários