Tabela de Cabos Elétricos

Tabela de Cabos Elétricos

(Parte 4 de 6)

Os valores para tais disposições podem ser sensivelmente inferiores e devem ser determinados por um método adequado; pode ser utilizada a tabela 10.

C)Os valores são indicados para uma distância vertical entre bandejas ou leitos de 300mm. Para distâncias menores, os fatores devem ser reduzidos. D)Os valores são indicados para uma distância horizontal entre bandejas de 225mm, estando estas montadas fundo a fundo. Para espaçamentos inferiores, os fatores devem ser reduzidos.

E)Para circuitos contendo vários cabos em paralelo por fase, cada grupo de três condutores deve ser considerado como um circuito para a aplicação desta tabela.

Contíguos Contíguos

Espaçados Contíguos

EspaçadosEspaçados 20 m

2 De De

(*)De acordo com a tabela 41 da NBR 5410/1997.

• Os fatores de correção tabelados (tabelas 8 a 13) são aplicáveis a grupos de cabos semelhantes, igualmente carregados. O cálculo dos fatores de correção para grupos contendo condutores isolados ou cabos unipolares ou multipolares de diferentes seções nominais, depende da quantidade de condutores ou cabos e da faixa de seções. Tais fatores não podem ser tabelados e devem ser calculados caso a caso, utilizando, por exemplo, a NBR 11301.

NOTA: São considerados cabos semelhantes aqueles cujas capacidades de condução de corrente baseiam-se na mesma temperatura máxima para serviço contínuo e cujas seções nominais estão contidas no intervalo de 3 seções normalizadas secessivas.

• No caso de condutores isolados, cabos unipolares ou cabos multipolares de dimensões diferentes em condutos fechados ou em bandejas, leitos, prateleiras ou suportes, caso não seja viável um cálculo mais específico, deve-se utilizar a expressão:

F=fator de correção n=número de circuitos ou de cabos multipolares

NOTA: Aexpressão dada está a favor da segurança e reduz os perigos de sobrecarga sobre os cabos de menor seção nominal. Pode, no entanto, resultar no superdimensionamento dos cabos de seções mais elevadas.

TABELA14 - (*)FATORES DE CORREÇÃO APLICÁVEIS ACIRCUITOS TRIFÁSICOS A4 CONDUTORES ONDE É PREVISTAAPRESENÇADE CORRENTES HARMÔNICAS DE 3ª ORDEM

Porcentagem de 3ª harmônica na corrente de fase (%)Escolha da seção com base na corrente de fase

Fator de correção

Escolha da seção com base na corrente de neutro

NOTAS: (A)Atabela foi originalmente obtida para cabos tetrapolares e pentapolares, mas pode, em princípio, ser utilizada para circuitos com cabos unipolares ou condutores isolados.

(B)Acorrente ( I ) a ser utilizada para a determinação da seção dos 4 condutores do circuito, utilizando as tabelas 2, 3 ou 5 (colunas de 3 condutores carregados), é obtida pelas expressões:

1p • escolha pela corrente de neutroI=x IB xx3 onde: IB=corrente de projeto do circuito; p=porcentagem da harmônica de 3ª ordem (tabela 14); f=fator de correção (tabela 14).

(*) De acordo com a tabela 45 da NBR 5410/1997.

Seção dos condutores fase (m )

Seção mínima do condutor neutro (m )

TABELA15 - (*)SEÇÕES MÍNIMAS DOS CONDUTORES ISOLADOS.

TABELA16 - (*)SEÇÃO DO CONDUTOR NEUTRO. TABELA17 - (*)SEÇÕES MÍNIMAS DOS

Tipo de instalação Instalações fixas em geral

Ligações flexíveis

Utilização do circuitoSeção mínima do condutor isolado (m)

Circuitos de iluminação1,5

Circuitos de força (incluem tomadas)2,5

Circuitos de sinalização e circuitos de controle0,5

Para um equipamento específicoComo especificado na norma do equipamento Para qualquer outra aplicação0,75 Circuitos a extrabaixa tensão para aplicações especiais0,75

Seção do condutor fase (m )

Seção do condutor de proteção (m )

(*) De acordo com a tabela 4 da NBR 5410/1997. Obs.: ver restrições à redução da seção do condutor neutro na página 46.

(*) De acordo com a tabela 43 da NBR 5410/1997.

(*) De acordo com a tabela 53 da NBR 5410/1997.

TABELA18 - (*) LIMITES DE QUEDADE TENSÃO

Instalações alimentadas diretamente por um ramal de baixa tensão, a partir de uma rede de distribuição pública de baixa tensão.4%4%

Instalações alimentadas diretamente por subestação de transformação ou transformador, a partir de uma instalação de alta tensão.7%7%

Instalações que possuam fonte própria.7%7%

Iluminação Outros usosInstalações

(*)De acordo com a tabela 46 da NBR 5410/1997.

NOTAS: A)Nos casos B e C, as quedas de tensões nos circuitos terminais não devem ser superiores aos valores indicados em A. B)Nos casos B e C, quando as linhas tiverem um comprimento superior a 100m, as quedas de tensão podem ser aumentadas de 0,005% por metro de linha superior a 100m, sem que, no entanto, essa suplementação seja superior a 0,5%.

TABELA19 - QUEDADE TENSÃO EM V/A. km FIO PIRASTIC, CABO PIRASTIC E CABO PIRASTIC FLEX.

Seção nominal (m )

FP= 0,8FP= 0,95FP= 0,8FP= 0,95FP= 0,8FP= 0,95

Eletroduto e eletrocalha(A) (material magnético)

Pirastic,Pirastic FlexPirastic e Pirastic Flex

Circuito monofásico e trifásicoCircuito monofásico Circuito trifásico

(Parte 4 de 6)

Comentários