PCB por transferencia térmica

PCB por transferencia térmica

(Parte 1 de 3)

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 8 de 8

Aplicação da máscara de componentes

O método usado para aplicar a máscara de componentes é o mesmo usado para aplicá-la ao lado cobreado da placa. (veja do 4° ao 7° passo).

Eu uso uma luminária por debaixo da placa para que eu possa alinhar perfeitamente a máscara antes de eu aplicála.

Marca dos materiais usados:

Sempre existem pessoas que gostam de saber quais as marcas dos materiais que eu obtive sucesso, então aí está a lista:

Impressora Laser Samsung ML 1710 com o toner original

Papel glossy A4 linha InkJet Special – fabricante SISTEM (http://w.sistem.com.br)

Ácido muriático – U2 Limpo

Peróxido de hidrogênio – Eletrochenamical

Álcool isopropílico - Kitbrás

Considerações finais

Espero que vocês tenham gostado desse pequeno guia. É claro que ele não irá responder todas as suas dúvidas, mas grande parte delas ou pelo menos será um ponto de partida.

Não exite em me mandar um e-mail contanto seus sucessos, fracassos ou dúvidas, tenha certeza que eu tentarei respondê-lo!

Sucessos e um grande abraço, Lucas Zampar Bernardi

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 7 de 8

Placa corroída!

Agora sim a ela ficou impecável!

Só falta fazer a furação e aplicação da máscara de componentes se você quiser.

Fazendo a furação

Irei dar a dica de como faço a furacão da placa aqui, pois tenho uma furadeira de bancada em minha oficina.

Coloque uma luz contra a placa e então todas as trilhas ficaram visíveis (veja a figura acima).

O segredo para que o furo não “rache” do lado oposto, é furar com uma rotação em torno de 2500 RPM.

Para quem quiser saber, a espessura da broca que eu uso é de 0,9 m, de aço rápido.

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 6 de 8

Pronto!

Como podem ver a placa ficou impecável, com perfeita qualidade.

Os passos para a transferência do glossy terminam aqui. Se quiser corroer a placa no percloreto de ferro, fique à vontade.

Fica então para você o cargo de testar os métodos e me escrever contando os sucessos ou as falhas.

Mas se desejar usar o método de corrosão como dito anteriormente, siga os passos a seguir.

Oitavo passo:

Com a solução já preparada, coloque a placa no banho.

Comece a agitar vagarosamente. Observe que a solução vai se tornando azul.

Essa placa que tem uma área de aproximadamente 624 cm2 demorou em torno de 120 segundos para ficar completamente corroída.

Para limpar o toner, use uma palha de aço umedecida com álcool isopropílico ou então uma estopa embebida com thiner.

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 5 de 8

Sexto passo:

Após a placa ficar de molho, escolha um canto dela e comece a puxar com o sentido de 45°, como se estivesse indo contra as trilhas (observe a figura).

Isso é uma precaução pra que elas não se rompam durante a retirada do papel.

O segredo nessa etapa é que você vá puxando lentamente o papel, pois conforme ele vai saindo, a água vai penetrando no glossy e dissolvendo-o, facilitando ainda mais a remoção da folha.

Sétimo passo:

Como pode ver a placa ficou quase perfeita, mas algumas vezes ficam restos de glossy nela e outras vezes é necessário dar um retoque com caneta em algumas trilhas que falharam.

Para limpar o glossy, use uma estopa molhada com água e detergente, passe levemente sobre a placa (veja a figura abaixo), para não forçar as trilhas podendo chegar até a rompê-las.

Como fazer placas de circuito impresso pelo método de transferência térmica

Página 4 de 8

Quarto passo:

(Parte 1 de 3)

Comentários