Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba

COTIP - Colégio Técnico Industrial de Piracicaba (Escola de Ensino Médio e Educação Profissional da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba)

R página 1/3

Controle e Automação Industrial

1. Introdução à Automação Industrial A automação industrial trata da implementação de processos por meios automáticos.

Produto final

Fig. 1 – Processo Industrial genérico.

A automação nos processos industriais busca facilitar a produção, procurando obter:

• menor tempo;

Também pode ser necessária para:

• atender aos requisitos dos sistemas de qualidade; • atender às exigências ambientais.

O objetivo não deve ser eliminar a mão-de-obra humana, mas livrar o empregado de tarefas mais pesadas e perigosas.

1.1. Componentes básicos de um sistema automático

• sensoriamento; • comparação e controle;

1.2 Variáveis de processos

Num processo industrial, as variáveis são entidades associadas a fenômenos físicos, químicos ou elétricos, como por exemplo:

• temperatura;

• posição
dentro de uma faixa de max. e min. (temperatura, pressão,). A digital apresenta dois valores ou estados

Podem ser do tipo analógica ou digital. A analógica apresenta infinitos valores em relação ao tempo, definidos em função do tempo (sensor de nível, fim-de-curso, ...).

Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba

COTIP - Colégio Técnico Industrial de Piracicaba (Escola de Ensino Médio e Educação Profissional da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba)

R página 2/3

1.3 Sistemas de Controle

É um sistema composto basicamente de um software e um hardware destinado a controlar um processo.

Pode ser malha aberta ou fechada.

Fig. 2 – Chuveiro convencional – sistema de malha aberta.

No exemplo acima existe um ajuste de temperatura, entretanto, independente da água aquecida na saída estar mais ou menos quente, não há nenhuma ação sobre o controle de temperatura. Isto implica que o sistema é de malha aberta.

Sistema malha aberta => saída não tem efeito sobre o controle.

Figura 3 - Diagrama esquemático de um sistema de malha aberta.

Adicionando-se um sensor de temperatura, de modo que possa haver um controle de potência sobre a resistência para obter sempre a temperatura desejada, o sistema passa a ser de malha fechada.

Adicionando sensor => sistema malha fechada => saída atua sobre o controle.

Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba

COTIP - Colégio Técnico Industrial de Piracicaba (Escola de Ensino Médio e Educação Profissional da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba)

R página 3/3

Figura 4 - Diagrama esquemático de um sistema de malha fechada.

Vantagens: precisão; desvantagens: custo e grau de complexidade. Sistemas de controle podem usar CNCs ou CLPs, por exemplo.

CNC – Controle Numérico Computadorizado – uso do computador para comandar uma ferramenta numa determinada máquina.

CLP – Controlador Lógico Programável – computador que através de sinais de sensores comanda as saídas para acionamentos.

Figura 5 - Diagrama de atuação de um CLP.

1.4 Controle automático

São ações sem a intervenção do homem. Quando o dispositivo toma estas ações, temos um Sistema de Controle.

Comentários