Usinagem de roscas - Processo

Usinagem de roscas - Processo

(Parte 4 de 5)

●Processo especial de furação e alargamento ●Machos para furos passantes têm entrada cônica

●Parte rosqueada é dividida em pentes e rebaixos

●Rebaixos - condução de cavacos e fluido

Processos de Usinagem Rosqueamento com macho de roscar

Generalidades

●Ferramentas manuais - fornecidas em jogos (pré-corte e acabamento, eventualmente corte intermediário)

●Material - quase que exclusivamente aço-rápido

●Em furos cegos a velocidade é limitada pela profundidade do furo e pela rapidez de inversão da rotação da máquina

●Velocidades excessivas maior desgaste, acabamento ruim, rebarbas, fora da dimensão, alta Fc quebra

●Roscas curtas - velocidades grandes são utilizáveis

●Roscas profundas - baixas velocidades

●Diâmetros pequenos - elevados torques quebra

Processos de Usinagem Tipos de macho de roscar

Machos Manuais

Machos Máquina

Machos p/ porcas

Machos p/ tubos

Machos especiais

Processos de Usinagem Constituintes de machos de roscar

Processos de Usinagem Constituintes de machos de roscar

Processos de Usinagem Saída dos cavacos em machos de roscar

Processos de Usinagem Desgaste em machos de roscar

Processos de Usinagem Refiação de macho de roscar

Processos de Usinagem

Exemplo de macho de roscar Ferramenta

Peça Primeiro corte

Processos de Usinagem Rosqueamento com Cossinetes

Processos de Usinagem

Rosqueamento com Cossinetes ●Ferramentas multicortantes utilizadas no corte de roscas externas

●Trabalhos de manutenção, reparos, máquinas de roscar com exigências limitadas de precisão e acabamento

●Inversão da rotação para a retirada da peça (pode causar danos nos filetes da rosca e desgastar a ferramenta)

●Pequeno diâmetro - uso em máquinas com espaço limitado

●Metais de resistência média - roscas de até 24 m

●Metais leves - roscas de até 30mm

●O sobrematerial para acabamento não deve ser pequeno

●O sobrematerial de mais - desgaste excessivo, trancamento e quebra

Processos de Usinagem Condições para rosqueamento com cossinetes

Diâmetro da haste levemente menor que o diâmetro maior da rosca assegurar corte fácil, precisão e acabamento

Como orientação pode-se adotar:

Onde:P = passo da rosca dh= diâmetro da haste d = diâmetro nominal da rosca

Processos de Usinagem Condições para rosqueamento com cossinetes

●Chanfro da haste de 45° - facilitar o início do corte e eliminar bordos vivos cortantes na entrada da rosca. O diâmetro de entrada deve ser o diâmetro menor da rosca

●Uso de lubrificação adequada

●Uso de velocidades de corte reduzidas (menores que as

recomendadas para usinagem com machos)

●Ângulos adequados de entrada, incidência, saída e ponta espiral, de acordo com o tipo de material da peça a ser rosqueada

Processos de Usinagem Fresamento de roscas

Processos de Usinagem Fresamento de roscas

Interno Externo

Processos de Usinagem Fresamento de roscas

Interno Externo

(Parte 4 de 5)

Comentários